História Quem ama um louco, fica louco também?? - Capítulo 9


Escrita por: e Biancamello9090

Postado
Categorias Batman
Personagens Coringa (Jack Napier), Personagens Originais
Tags Arthur Fleck, Coringa
Visualizações 36
Palavras 573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Apenas um motivo!!


Fanfic / Fanfiction Quem ama um louco, fica louco também?? - Capítulo 9 - Apenas um motivo!!

3 de dezembro.

7:00 da manhã. 

Gotham city. 


A luz invadia o quarto, trazendo desconforto para quem ainda não tinha saído do mundo dos sonhos. 

Era sempre a mesma coisa, o sonho sempre se repetia, insistentemente. 

Virna acorda assustada, respirando com força, buscando desesperadamente ar para seus pulmões, o suor escorrendo por sua testa, o olhar assustado para as próprias mãos, Virna na realidade sentia medo de si mesma. 

Finalmente saio daquele “transi” em que se encontrava, passou a mão em seus cabelos, tentando se acalmar, e aquela sensação magnífica de adrenalina sair de suas veias. 

Foi apenas um sonho.... Apenas um sonho.... — dizia repetidamente para si mesma. 

A fresta de luz que iluminava apenas uma parte do quarto, agora estava sendo aberta completamente pela garota. 

O sol em contato direto com sua pele, lhe trazia um conforto incrível. 

Oh céus, e hoje, terei que ir hoje..... Será a última vez que irei ver Arthur!! — disse baixinho, com um olhar perdido, sentia-se mal com tudo, por ver que falhou com o homem que implorava por ajuda somente com o olhar, saber que falhou com sigo mesma como ser humano, saber que falhou com seu sonho de ajudar tudo e todos, isso a estava matando por dentro. 

Se pelo menos o dinheiro fosse meu... Já teria mandado trazer os remédios..... — disse ao encostar sua testa contra o vidro da janela. 

Como deixam uma pessoa no estado dele, sair, ou melhor, tentar sobreviver sozinho em um mundo tão hostil, sim, Virna sabia exatamente oque significava hostilidade, afinal era mulher, mesmo sendo filha de quem era, ainda era mulher, e as pessoas, principalmente os grandes executivos eram extremamente hostis com a garota de QI altíssimo. 

Se eram assim com ela, que tinha condições e status sociais, imagina uma pessoa que tinha uma síndrome inconveniente como a dele, e ainda por cima ficou um tempo internado em um hospício. 

Virna balançou a cabeça de leve, estava confusa, incerta, deveria ou não o abandonar?? Tinha medo que ele fizesse algo que se arrependese depois. 

Oi??  Posso entrar?? — ouviu alguém perguntar, somente aí, se deu conta que alguém batia na porta e ela não ouviu. 

Claro, por entrar.... — viu um menininho entrar, oh sim, o mais novo Wayne, Virna sorriu. 

Eu queria saber, se você pretende sair hoje?? — perguntou a menina, a ruiva sorriu. 

Bom, talvez.... Mais porque?? — perguntou ao perceber um certo incômodo no olhar do menino. 

Alguém assassinou três pessoas que trabalhavam com meu pai ontem a noite no metrô... — disse aos sussurros para a ruiva — estão dizendo que foi um palhaço. 

Por algum motivo Virna se sentiu estranhamente procurada com Arthur, seu coração apertou. 

Tudo bem.... Eu não irei sair hoje, tudu bem assim?? — perguntou com um lindo sorriso estampado em seus lábios. 

Sim... — disse ao virar-se e ir de encontro a porta— se quiser pode brincar comigo depois, e te agora vou estudar— disse ao fazer uma carreta engraçada quando disse que iria estudar, Virna sorriu. 

Claro, vamos brincar depois— disse ao acenar para o pequeno Wayne, assim que o menino saiu, Virna foi tomar seu banho, logo em seguida foi de encontro ao seu guardar- roupas. 

Tudo bem, agora eu realmente vou atrás de Arthur!!— disse com um sorriso bobo nos lábios, gostava do homem, se sentia a vontade em sua presença, ele tinha uma simplicidade que a deixava confortável em sua presença. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...