História Quem é você?! - Vhope. - Capítulo 2


Escrita por: e Liyki

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V)
Tags Taeseok, Vhope
Visualizações 35
Palavras 3.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello mochi's! Aqui é a Liyki!! Lhes enviando mais um capítulo. Bom, não tenho muito a dizer, só leiam que faz bem para o estômago.

Boa leitura! ❤👺

Capítulo 2 - Capítulo II.


— Como ousa... - o Jung dita perplexo após ter sido repulsado pelo Kim, aquilo já havia sido a gota d'água para o menor; ele aperta o pulso do loiro, pela tamanha audácia. 

— Me solte! - puxa seu braço contra si fazendo-o soltar.

— SAÍA DAQUI AGORA! - o menor eleva a voz assaz enfurecido pela agressão, o Taehyung recolhe e utiliza seus vestes jogados ali mesmo para se retirar do condomínio.

— VOU MESMO, E IREI TE DENUNCIAR, S-SEU SEU... SEU... - declama tentando arranjar um xingamento adequado para o ruivo enquanto olhava para o seu abdômen delineado à amostra, o que o fazia tartamudear, no entanto, não mudava que amofinava-se com a situação nada amistosa para ambos. - FILHOTE DE TROLL! - percorre até a porta que se encontrava selada.

— PODE ME DENUNCIAR, POIS NÃO FIZ NADA CONTRA VOCÊ, VOCÊ QUE ME AGREDIU! - exclama novamente azucrinado, ele percebe que a porta estava trancada, a destranca com a chave e a abre educadamente para o Kim.

— Obrigado... AGORA TCHAU! - sai do apartamento jogando seus cabelos loiros e sedosos se dando de costas para o Jung.

— E QUE NÃO VOLTE NUNCA MAIS!!! - fecha a porta tonificando um som audível e agudo, chamando atenção dos vizinhos. Mas a questão é: E se ele voltasse?

Logo o ruivo transpira e puxa seus fios de cabelos para trás na espectativa de se tranquilizar; ele encosta sua testa sob a porta e relembra da noite anterior aprazível que teve.

°.• ♡ ♡ ♡ ♡ ▸

Ambos já estavam distante do local, Jung ainda seguia o garoto que havia o enlouquecido, até que o loiro se vira ficando de frente para ele, logo se pronuncia.

— Você não desiste, não é? - se refere ao ruivo.

— Você ainda não d-disse o seu nome. - escusa.

— E por quê tem tanto interesse em saber? - dá um sorriso de lado, Jung logo cola ambos os corpos um no outro, apertando a cintura do maior, dando apenas para sentir suas respirações quentes.

— P-porquê eu quero gritá-lo. - sussurra para o loiro.

Ele dá um leve sorriso e menor o direciona para seu apartamento, que não estavam muito longe. Eles adentram no condomínio moderno; o loiro almeja Jung trancar a porta e logo o Kim empurra menor na parede o com as mãos, ele se aproxima de Hoseok enquanto mordia seus lábios o encarando intensamente.

O menor encaixa seus lábios nos dele iniciando um beijo quente e necessitado, retirando o excesso do batom que transbordava pelos beiços nos dele lentamente, enquanto mordia o lábio inferior do maior de leve. Cujo penetrando sua língua na do Kim, fazendo-o ceder e se esplorarem uma com a outra, mordendo, puxando, mordiscando, sugando, de todos os tipos, porém agressivamente; inclinando e fazendo um movimento de rotação com seus rostos para prologarem o gesto.

Adentrando seus dedos nos cabelos sedosos do loiro puxando-os. O Kim leva suas mãos para as coxas de Hoseok as agarrando, em seguida colocando em sua cintura o levando para o quarto.

°.• ♡ ♡ ♡ ♡ ▸

— Merda... - soca a porta indignado, ele não costumava ter relações sexuais frequentemente, ainda mais enquanto estava bêbado, não pretendia; provavelmente uma aleivosia à si próprio, afinal tinha transado com um estranho, um estranho bem lindo, por sinal. Totalmente outra pessoa na noite anterior, antes um galã extremamente sexy, e agora uma criatura loira esbelta que corre de bracinhos para o alto, algo de errado que não está certo...


Já o Kim, vai para qualquer lugar que ver pela frente, pelo fato de não conhecer o ambiente e nem saber ao menos onde estava, ele arguiu para alguns funcionários — que por incrível que pareça, o conhecia — e descobre que morava naquele prédio, o que era inacreditável para si.

Ele se direciona até seu apartamento e se aposenta na área moderna, depois da confusão que lhe veio à tona, não tinha certeza se processava o garoto de quê receia que havia abusado do mesmo, ou pelo menos crê na hipótese.

Mesmo sabendo que o rapaz havia o inebriado, para ser mais correto, que ele estava extasiado pelo ruivo, mesmo sendo orgulhoso para ter um requisito ou admitir isso, conforme a sua teimosia interferia, não seria capaz, não tão cedo.

Com sua hipótese, não conteria possibilidades de alegar nada, apesar de não ter se lembrado do que houve. E se fosse realmente um abuso sexual, possuiria certas marcas e hematomas, completamente o oposto disso, continha chupões e certas dores em formas lineares nas costas, algo agoniado, agudo e ardente, vulgo arranhões, tecnicamente iníquo da sua afirmação.

O loiro já se encontrava no banheiro, retirando suas roupas com tamanha dificuldade, ele olha no espelho o que tanto lhe incomodava, cujo machucados que havia citado, ele os cutuca e geme de dor como término.

Já sem seus vestes, adentra embaixo do chuveiro, o ligando, logo a água caí fria sobre suas grandes costas, fazendo um choque humano se transmitir em sua espinha resultando a famosa ardência. No momento ele desejava ter a iniciativa de esquecer a inimização, ou até mesmo o "pecado", cito Jung. O Kim não se inquietava com a visão inapropriada que teve, mesmo que estivesse furioso com o inopinado, ele queria um inquérito urgente pela audácia do mais velho.

— Maldito corpo... - murmura inoportuno, se referia ao "abusador"; queria expor a inobservância de expressar o quanto o ruivo era broxante e brando. 

Mesmo sendo inevitável não relembrar daquele gesto ou imagem indecente que habitava e torturava sua mente. Todavia, pretendia ficar calmo e relaxar para pensar se realmente iria denunciá-lo pelo ato medíocre. 

Ele desliga o chuveiro, se seca e veste a roupa já separada que encontrou no closet, na quais eram: uma blusa crochê lilás de mangas até o pulso, uma calça moletom branca e um sapato pompom rosa, pois o loiro achou muito fofinho, e confortável pelo visto; e por fim, bagunça seus cabelos louros os deixando ondulados e borrifa seu perfume de costume, com o aroma de frutas vermelhas. 

Como já estava esfomeado, se direciona à geladeira da cozinha, transmitindo seu doce aroma de morango pelo ambiente, deixando-o agradável; e antes de abrí-la, o maior observa atentamente um pedaço de papel colado com uma figurinha de morango no móvel, ele à retira do papel, lê o bilhete e começa decifrar as letras não muito legíveis. 

Onde dizia: "Bom dia, Kim Taehyung! Espero que esteja tudo bem! Deixei aqui este bilhete se por acaso você estivesse com fome; Há dois números atrás do papel para comprar comida: um deles é de um restaurante, e o outro de uma Pizzaria. E não se preocupe, seu celular está acima da mesa, faça o pedido, ok? É muito importante comer! Se tiver alguma dúvida, vá até ao local de atendimento, e questione sobre mim para a funcionária, ela lhe informará. De seu médico particular: Dr. Kim Seokjin. :D".

— Oh, muito obrigado, Dr. Kim Seokjin! - esboça um sorriso e abraça a folha. - Espera, se o Doutor tem um nome, e eu também, qual é o nome do Filhote de Troll...? - interroga à si mesmo por alguns segundos, ele dá de ombros, pega seu celular, faz o pedido e aguarda.


•.°✧₊  Depois de um tempo...

Com o repentino som que soou da campainha, o paciente esfomeado abandona o livro que lia no criado-mudo, logo indo até a porta, com um breve sorriso adivinhando que era o pedido.

Ao movimentar a maçaneta e puxá-la, o mesmo fica atônito após fitar um garoto alto de cabelos negros de boné, uniformizado; sua pele era branca e meiga, seus beiços finos destacavam seu rosto, e seus olhos se encontravam focados aos de Kim.

Um breve sorriso foi preenchido pelo moreno que era idêntico ao de um coelho, o que lhe deixou fofo.

— Olha a pizza! - diz suave amostrando a Taehyung a caixa que continha o alimento.

— Ah... - o mesmo pega a entrega com delicadeza e logo verifica seus bolsos que estavam vazios. - Onde será que está...? Não é possível que eu tenha me esquecido... - murmura para si, procurando sua carteira, que não fazia a mínima ideia onde estava.

— Tudo bem, é por conta da casa. - dá um míni sorriso.

— S-sério? - o olha fixo e surpreso, o moreno assente. O loiro esboça um sorriso ao encarar o pedido.

— Bom, eu já vou indo... Aproveite! - faz uma referência e se dá de costas.

— Espera!

— Hum? - olha para o loiro.

— Me ajude à comer? - aguarda a resposta do cobrador, pois sentia que ele era familiar...

— Acho que não é uma boa ideia comer no horário de trabalho... - coça a região da nuca fitando o chão.

— Por favor... - insiste com seus olhos brilhantes o convencendo.

— Tá bom, mas eu vou ficar só um pouco, ok?

— Ok! - esboça o maravilhoso sorriso quadrado, fazendo o garoto retribuir.

— Com licença... - adentra o apartamento de cores escuras, algumas quentes, mas não abandona o cargo de ser moderno.

O mesmo segue o loiro até a sala, e logo o Kim se senta no tapete peludo, ele bate duas vezes no local ao seu lado, para que o mesmo se sentasse, ele cumpriu seu ato em formato de borboleta.

Os dois se servem com um pedaço de pizza e começam a assistir um desenho para crianças de quatro anos, chamado Molang. Ambos riam feito ratinhos com a animação infantil, pois era hipnotizante.

— E-esse desenho é muito bom, é muito fofo! - comenta com as bochechas cheias. - Você parece muito com o coelhinho! - o moreno dá uma risada fofa e avexada ao ouvir sua pronúncia. - Q-qual é o seu nome mesmo, coelhinho?

— Jungkook.

— Ah, obrigado Jungkook. Foi legal estar com você, pode voltar ao seu trabalho...

— Eu irei, já vou indo, obrigado pela companhia. - fala se direcionando à porta acompanhado pelo loiro.

— Não têm de quê! - ele o puxa para um abraço repentino, o Jeon fica intacto, porém retribui, eles se afastam e se encaram.

— É... Até Tae! - se retira.

— Até mais! - fecha a porta. - Eu... Disse meu nome? - pergunta confuso a si próprio.

Ao voltar para a sala, Taehyung percebe que o moreno se esqueceu de seu boné; o mesmo o pega e logo saí do cômodo, indo para o andar de baixo do prédio à procura de Jungkook. Ele o clama já no local de atendimento, porém, falhando no gesto, pois já tinha ido embora.

O Kim fica inexpressivo desistindo e encara o boné amarelo, com uma marca vermelha de uma loja escrita em coreano. Ele o coloca em sua cabeça virado para trás, com suas bochechas cheias, e se vira para retornar ao seu apartamento; só que é pego de surpreso quando alguém esbarra em si, fazendo ambos caírem no chão.

— Ô, filho da put-. - resmunga o Kim impaciente que percebe que Jung estava encima de si, o olhando fixo com uma reação séria.

— Deixe minha mãe fora disso, garoto do tapa. - ordena com a mesma expressão.

— F-filhote de Troll...? - questiona envergonhado, pelo fato de estarem muito próximos à ponto de selarem um beijo.

— Ainda tá xingando minha mãe. - murmura se levantando.

— Ah, perdão. - fala sem analisar, pois o ocorrido de cedo já não o atormentava, acredita que havia se esquecido mesmo que o "abusador" estivesse presente ali?! Pois é... Houve uma conexão, não acha?

O Jung ajuda o loiro a se levantar e logo retribui o pedido de desculpas.

— Tudo bem, também te devo desculpas por hoje mais cedo. - abaixa a cabeça arrependido. - Se você ainda quiser me denunciar, vá em frente; eu fui um idiota por ter feito aquilo com você, não estava sã, entende? Ou podemos apenas se esquecer do que houve, como preferir. - o Kim fica atônito por alguns segundos.

— V-VOCÊ ME ESTUPROU! - exclama impiedosamente ao se lembrar de como tinha acordado. Ao ouvirem a pronuncia a ala ao redor do "casal" cochichavam como: "Que horror!" e entre outros.

— Fale baixo, aqui é um lugar público. - repreende.

— NÃO! V-VOCÊ, VOCÊ... C-COMO SE ATREVE S-SEU ABUSADOR DE "PESSOINHAS" LOIRAS E INGÊNUAS!!! - declama sem se importar com a multidão e com o pedido de desculpas do ruivo.

— Não, nunca faria algo desrespeitoso com alguém assim, nem morto! - escusa tentando acalmar a criatura descontrolada.

— Você não me...? - interroga algo íntimo com o término cortado, por conta da área onde habitavam.

— Não. - nega balançando a cabeça, o Kim logo arregala seus olhos com a confirmação.

— E-EU VOU MORRER! EU VOU APODRECER NA CADEIA! AHHH! - corria em círculos de bracinhos para o ar.

Jung sem saber o que fazer, puxa o belo ser para dentro do elevador impaciente.

°.• ♡ ♡ ♡ ♡ ▸

— Calma... - fala num tom baixo para Taehyung, que se encontrava encostado no canto do imóvel abraçando seu próprio corpo, fitando o chão constrangido.

— Não se aproxime! - o olha com o olhar ainda arregalado.

— Ma-. - é cortado.

— Mas nada! Eu não quero machucar mais ninguém. - justifica, voltando a olhar o chão, arrastando suas costas na parede da máquina que os encaminhava, ficando sentado. Concluindo que Hoseok ficasse agachado em frente ao loiro, ele segura o queixo do mesmo levantando sua face.

— Não. - corrige.

— N-não o quê? - o olha atento, com suas bochechas um tanto avermelhadas pela proximidade. 

— V-você não me machucou, muito pelo contrário, me tratou com muito carinho. - abaixa a cabeça meio que corado ao relembrar. - F-foi bom...

O Kim logo sente uma grande quentura em suas bochechas ao ouvir o relato.

— E aliás, eu que tinha te machucado nas costas, me perdoe. - Taehyung assente de um modo rápido pelo assunto indecente, encarando Jung com suas bochechas ainda avermelhadas. Eles chegam no andar tanto almejado, interferindo a troca de olhares de ambas. - Venha.

Ele puxa o loiro delicadamente e adentra em seu apartamento.

— Vou lhe preparar água com açúcar, fique aí. - ele assente no chão ainda intacto, sem saber o que dizer, desconfortavelmente por conta da confusão que tinha feito à algumas horas atrás e agora à pouco. Afinal, mesmo sendo orgulhoso, não queria ou pretendia se encontrar com o "Filhote de Troll" como o dita, estava furioso, e olha só aonde estava! Novamente na sua casa, esperando ele lhe servir um copo d'água, hilário não? 

Se sentia meio que culpado, talvez se não fizesse tal ato, não estaria alí naquela situação constrangedora, talvez tudo estivesse explícito, não?

E mesmo com seus escândalos o solzinho tentou acalmá-lo para esclarecer as coisas, mesmo não o conhecendo, talvez Taehyung que estivesse jogando lenha na fogueira, e realmente fosse o culpado, ele não discordava de minha hipótese, todavia concordava e sabia que deveria pedir as devidas desculpas pela agressão que fez, totalmente insignificante. 

Envergonhado pelo gesto antecipado,  se pronunciara para o maior de idade, com o receio de quê o perdoasse. O Jung retorna com um copo d'água vindo em sua direção.

— Aqui está. - oferece para o mesmo que logo aceita e bebe o líquido açucarado; tenta não conter contato visual com o menor por ainda estar corado.

— Filhote de Troll... - o chama.

— Sim?

— É... - encara a cerâmica do chão, deslizando seu pé sob ela, tentando ditar de um modo disciplinado, mas ao invés, estava meio que desengonçado, sabe... - O QUE É AQUILO?! - aponta para o mamífero que o olhava da porta enquanto abanava seu rabinho.

— Ah, isto é um cachorrinho. - o ruivo pega a criatura peluda e o leva em direção ao loiro assustado, ele põe o cachorrinho no chão.

O filhote dá um latido fofo e completamente inofensivo, fazendo o Kim sair correndo assustado com os bracinhos para o ar, pelo longo cômodo, e para finalização o cão o segue sucessivamente latindo repetido.

— E-EU VOU MORRER! SOCORRO!!! - clamava ainda correndo ao redor de Hoseok, pulando nos móveis, quebrando coisas, e etc.

— Ele é só um filhote. - escusa.

— KYAAAAHHH!!! - exclamava, até que ele tropeça se enrolando nos próprios pés, caindo no chão. O ruivo tapa a sua boca para tentar se conter e ajuda a criatura esbelta caída, se aproximando.

— Tenha mais cuidado, Tae. - pega o braço do loiro para levantá-lo, mas é em vão, por ele se afastar de medo.

— Deixa essa coisa longe de mim! - se refere ao filhote, fazendo Jung rir da cena.

— Que gritaria é essa...? - Min brota, saindo de uma montanha de almofadas que havia no sofá — não notando como foram para ali, vulgo as almofadas, pois Yoongi estava ali desde sempre — ele coça seus olhos enquanto murmurava palavrões como "irei matá-los à facadas, e depois lhes 'tacarei fogo, bando de filho de uma puta do caralho" por acordarem o baixinho.

— De onde tu saiu? - interroga Hoseok confuso, o baixo o ignora e vai em direção ao banheiro. - Que bagunça... - pronuncia mexendo nas almofadas, ou seja, o portal de onde Min Yoongi havia surgido, pois teria de arrumá-las novamente; logo ele acha um braço branquinho o segurando, ele o larga assustado e o Park acorda com o movimento.

— Nem vêm, porquê estou de ressaca. - murmura baixinho com os olhos ainda fechados, já com sua face sonolenta à amostra.

— Mano...? - questiona o Kim tombando o rostinho para o lado. - Mano! - pula encima do rosado, o abraçando, que retribui. - Como você cresceu, mano!

— Ah, oi Tae... - levanta do sofá desfazendo o abraço que quase o amassou de tão apertado. - O quê está fazendo aqui na casa do Hobi...? - olha o loiro fixo, fazendo o menor de idade desviar o olhar envergonhado. - Hoseok, justifique. - encara o Jung que estava perplexo.

— ELES TRANSARAM! - grita Yoongi do banheiro, fazendo o baixinho olhar para aquela direção e encarar novamente o ruivo.

— C-como você soube?! - questiona Jung indeciso.

— Eu sinto o cheiro de pós-sexo. - brota repentinamente na porta do cômodo onde a ala se fazia presente, ele pronuncia o trecho com uma cara de malícia se dirigindo ao quarto do cirurgião, ainda os olhando com a mesma reação audaciosa.

— As vezes o Yoongi me dá medo... - cochicha para si mesmo.

— VOCÊS O QUÊ?! - Jimin declama surpreso pela afirmação horrenda.



↝ Fim do capítulo II. ₊✧ . ˚靐䨺”


Notas Finais


Nada a comentar, kk.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...