História Quem é você? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 82
Palavras 593
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem! Fiz com amor. ♡

Capítulo 1 - O início.


Fanfic / Fanfiction Quem é você? - Capítulo 1 - O início.

Mamãe estava na cozinha enquanto papai lia o jornal sentado em sua poltrona velha.

Olhei para as minhas mãos, estava segurando as bonecas de pano feitas pelas habilidosas mãos da minha mãe.


(Serei como ela um dia?)


Ouvi um barulhinho vindo da janela. Me levantei apressada em direção ao som.

-Oli! - Gritei vendo Oliver sorrir através da janela para mim.

Corri até a saída para me encontrar com ele.

-Oi Anne!

-Oi Oli!

Ele apontou para as minhas mãos.

-Ainda brinca de boneca?

-Sim! Quer brincar?

Ele me mostrou a língua.

-É coisa de menina!

-Não é não!

-É sim!

Bufei.

-Eu trouxe uma bola, quer brincar?

-Mas bola é de menino!

-Não é não!

-Viu?

Oliver suspirou.

-Vamos brincar ou não?

-Vamos! Só preciso avisar minha mãe!

Corri para dentro e mamãe estava sorrindo.

-Mamãe, vou brincar com o Oli, tudo bem?

-Claro que sim. Volte antes do jantar.

-Eba! 

Admirei um pouco minha mãe, era definitivamente a mulher mais bonita que eu conhecia. Seus cabelos dourados caindo em forma de cachos por suas costas a faziam parecer mais jovem. Seu sorriso era a coisa mais linda do mundo, não é a toa que meu pai a escolheu.

Corri para fora e encontrei Oliver sentado em cima de uma pedra.

-Pronto! Vamos brincar!

-Vamos! 

Oliver se levantou e segurou minha mão me puxando. Sempre que ele fazia isso ou ficava muito perto, eu sentia cócegas no coração. Sorri enquanto tentava acompanhar seus passos apressados.

O Sol estava se pondo e Oliver estava me guiando de volta para casa. Chegamos em frente a minha casa.

-Até amanhã Oli! - Sorri.

-Até amanhã! 

Me virei mas ele me chamou.

-Espere! Anne, posso fazer uma coisa que vi meus pais fazendo?

-Hum... Pode!

Ele se aproximou e me deu um selinho.

-Eca!!! - Dissemos em coro.

-Nunca mais faça isso! - Falei sentindo meu rosto em chamas.

-Eu prometo! - Ele disse passando a mão na boca.

Dei tchau para ele e entrei em casa. Mamãe estava me esperando sentada em uma cadeira.

-Bem vinda meu amor! Como foi?

Corri para seus braços.

-Oli me deu um beijinho! - Mostrei a língua.

Ela riu e acariciou meus cabelos.

-Você não gostou?

-Hum... Foi nojento mas... Eu gostei! - Sorri.

-O que você sentiu?

-Meu rostinho quentinho e meu coraçãozinho pular feito sapo!

Ela riu novamente.

-Você sente cócegas no coração?

-Uhum.

-Isso é amor minha filha.

-"Amor"?

-Sim. Quando você ama alguém, parece que você vai a um parque de diversões todos os dias. Você fica tão feliz!

-Oh! Então eu amo o Oli! Amanhã eu vou contar para ele!

-Boa ideia.

Mamãe tossiu e vi um pouco de vermelho escorrer pela sua mão.

-Mamãe?

Ela começou a tossir e tossir. 

-PAPAI! - Gritei assustada.

Papai surgiu na porta e ao ver mamãe, correu para socorrê-la.

-Anne! Coloque um casaco! Vamos ao hospital!

-Certo...

Peguei meu casaco e saímos. Ficamos um bom tempo esperando. O médico apareceu e papai foi falar com ele, observei cada momento. Papai chorou e o médico negou com a cabeça. Não entendi nada. Então, papai voltou.

-Filha... Vamos nos despedir da mamãe?

-Eu não quero dar tchau para ela!

-Amor... Mamãe precisa ir... Ela vai ficar feliz de ir embora depois de te ver...

Papai pegou na minha mão e me levou até o quarto.

Abrimos a porta e mamãe sorriu. Corri para abraçá-la.

-Mamãe! Para onde você vai??

-Eu vou para um lugar muito especial.

-Eu posso ir?

-Agora não...

-E quando você volta?

Ela abaixou a cabeça.

-Filha... A mamãe não vai voltar...

-Por que? - Já estava a beira das lágrimas.

-Porque eu vou estar aqui querida... - Ela apontou para o meu coração. - Toda vez que você sentir cócegas no coração, serei eu te amando.

Sorri e a abracei.

-Te amo mamãe! - Disse chorando.

-Também te amo...

Mamãe morreu na manhã seguinte. Nunca tinha visto meu pai tão abalado, mas ele lutou por mim e continua a lutar. Sou eternamente grata a ele. 



Notas Finais


Continua...♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...