História Quem é você? - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 46
Palavras 661
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpeeem! Reli o capítulo 2 e não fez mto sentido, eu fiz quando estava morrendo de sono e ficou tudo confuso. Desculpem, esse capítulo estará melhor! Espero que gostem, fiz com amor.♡

Capítulo 3 - Sentimentos voltam à tona.


Fanfic / Fanfiction Quem é você? - Capítulo 3 - Sentimentos voltam à tona.

Acordei animadíssima! Logo em seguida recebi uma mensagem de Oliver dizendo que estaria saindo de casa por volta das onze. Respondi que me encontraria com ele nesse horário numa lanchonete no parque. Decidimos ir ao parque mesmo, ambos gostamos de árvores e paz.

Segui em direção a cozinha após me arrumar.

-Bom dia papai! - Falei dando um beijo na bochecha dele.

-Bom dia meu amor. Está tão arrumada... Motivo?

Ri de leve.

-Vou me encontrar com Oliver!

-Esse tal de Oliver de novo? Eu não me lembro dele!

Fiz uma careta. Oliver e eu brincávamos todos os dias e papai não se lembrava?

-Ele é meu melhor amigo de infância. Queremos continuar a amizade.

-Espero que seja amizade mesmo. - Papai fez um bico. - Esses rapazes de hoje em dia só pensam em uma coisa.

-Relaxe papai. Não pretendo me relacionar por enquanto.

Ele sorriu satisfeito e não pude deixar de rir.

-Enfim, já estou atrasada, vou pegar um pão e sair.

-Mas e o almoço?

-Vamos comer na lanchonete. Consegui um dinheirinho vendendo meus bolos.

-Coma direito hein! E nada de deixar ele se aproximar demais!

-Não se preocupe, eu sei me cuidar. - Disse girando a maçaneta. - Além do mais, sou filha da minha mãe!

Ele riu e eu saí.

Cheguei no parque no ponto em que marcamos de nos encontrar e fiquei esperando por ele. Uns minutos depois, vi ele chegando e sorri, mas meu sorriso não durou muito ao vê-lo abraçar uma garota morena. Olhei a cena atônita. Quem seria aquela garota? E por que ela estava abraçando Oliver? Mas isso não era da minha conta. 

(Afinal, somos amigos e ele me contaria se tivesse algo entre eles. Não contaria?...)

Ele demorou um tempo conversando com a garota. Percebi que a cada sorriso que ambos davam eu fazia uma careta.

(Não estou com ciúmes... Não estou com ciúmes... Não estou com ciúmes... Talvez um pouquinho...)

Ele acenou dando tchau para a garota e eu rapidamente dei uma arrumadinha no cabelo e sorri um pouco forçado. Ele vinha sorrindo na minha direção.

-Oi! Está aqui a muito tempo?

-Não! - Menti. No mínimo, fiquei uns 15 minutos plantada observando eles dois.

-Que bom! Revi uma outra amiga de infância também, você iria gostar dela.

-Achei que eu fosse sua única amiga de infância...

-Quando você foi embora, Jade comprou sua casa e viramos amigos.

(Jade, é?)

-Então... Você não sentiu minha falta?

-Claro que senti! Não seja boba!

Arregalei os olhos um tanto quanto corada.

-O-oh... Desculpe, não sabia que iria te ofender...

-Mas ofendeu! Você machucou aqui, oh! - Oliver apontou para seu próprio coração.

Ri.

-Desculpe "quiança"! Esqueci que "vuxê" ainda é um bebê! - Falei apertando as bochechas dele.

-Também não é assim né! Sou homem muito macho!

-Aham... Conta outra!

Rimos e começamos a caminhar conversando sobre tudo o que tinha acontecido conosco.

-Quando eu soube que a tia Lucy havia falecido, fiquei muito triste...

-É... Foi um choque...

-Sim... Você é bem parecida com ela fisicamente e sua personalidade tem uma leve pitada da dela.

-Muito gente disse isso quando eu era criança.

-E eu estou dizendo agora. Você é muito bonita, como sua mãe era. 

Sorri corada.

-Obrigada...

Paramos para sentar na grama. Sentamos lado a lado encostados numa árvore gigantesca.

Suspirei sentindo o vento fresco passar pelo meu rosto.

-Ah... Não tem nada melhor que isso... Definitivamente não tem...

-Não mesmo... 

Olhei para Oliver que estava de olhos fechados sorrindo. Seus cabelos loiros balançavam com o vento. Sorri e deitei minha cabeça em seu ombro.

-Senti falta do meu melhor amigo... Senti mesmo... - Fechei os olhos.

-Eu também senti sua falta Cookie... - Ele deitou e cabeça dele na minha.

Sorri.  Quando éramos crianças eu comia cookies todos os dias no café da tarde. Oliver me apelidou de Cookie exatamente por causa disso. Meio bobo, mas ouvir ele me chamar assim me deixa nas nuvens.

Passamos o resto da tarde conversando e colocando em dia as novidades.

-Ei, ainda não anoiteceu, que tal tomarmos um sorvete? Depois eu te deixo em casa.

-Claro!

Oliver me assustou quando repentinamente segurou minha mão. Olhei para ele que parecia um pouco corado e sorri carinhosamente apertando sua mão.

-É só para você não se perder...

Ri.

-Obrigada.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! ♡ (Desculpem de novo!)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...