História Quem matou Ámbar Smith? - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson
Tags Callate O Te Callaré–a
Visualizações 31
Palavras 657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - "Sigo acá, no me iré,lo prometo"


Fanfic / Fanfiction Quem matou Ámbar Smith? - Capítulo 9 - "Sigo acá, no me iré,lo prometo"

Desci paso por paso lentamente ao andar debaixo, adentrei a sala ,comprimentei meu pai que encontrava-se sentado vendo uns papeis, ele sorriu-me.

Avisou-me, Amanda que o café da tarde estava sobre a mesa do jartdim e que só faltará eu para tomar o meu.

Caminhei com destino ao jardim.

Sentei-me a cadeira ,tomei meu café, comi algumas golosemas .


Quem diria que Luna Valente seria na verdade Sol Benson, dona de tudo isso?Nem em meus sonhos mais preciosos teria imaginado, me é algo além de um sonho.

Tudo havia sido como um filme, meu coração me dizia o que minha mente escondia, calava e tudo se passava em meus sonhos, todas as respostas de minhas milhões de perguntas sempre estiveram aqui, em mim .Este sempre foi meu lugar, aqui sempre esteve minha vida.


Estou tão agradecida de tudo o que tenho ,e sentindo-me sufocada por todos meus erros, mas isso precisa ser esquecido. Eu já não tinha medo ,encontrei a saída do labirinto, já encontrei a minha verdade.

Agora sabia quem era .

Sou...sou Luna, a Sol é a Luna e a Luna a Sol.

Sentei-me em meu balanço de quando era pequena ,qual trazia-me muitas boas lembranças de minha infância. Balancei-me cada vez mais,porém algo atraiu minha atenção.

Havia algo estranho entre as roseiras ,algo enterrado.

Cavei e naquele momento arrependi-me de ter o feito.

Um calafrio percorreu minha espinha vertebral.

Gritei.

Uma mão.



Os oficiais de polícia se encontravam no lugar, no jardim da Mansão Benson ,analisando tudo o possível.


Em 22 de agosto de 2018,suposto corpo da desaparecida

Ámbar Simith Benson /Luz Benson foi encontrado e levado para análises de DNA.


A polícia levou o corpo para análises enquanto os canais de televisão informavam ao país.


A família Benson aguarda impassiente ,esperando o resultado dos analises.-imformou a jornalista do noticiário em frente ao laboratório onde adentro encontrava-se o corpo.

–Informaremos dos resultados o mais rápido possível.

Muito obrigada.



Simon encontrava-se mal,o nariz vermelho, lágrimas escorriam, um soluço escapou de sua boca, o homem golpeou fortemente a mesa de marmure com os punhos.


Não suportava ,ainda não podia acreditar.

Ela estava morta .

O choro de criança o fez recompor-se rapidamente, caminhou depressa até o quarto colorido, de cores calmas,bonitas e passificas eram as paredes do quarto, a porta da habitação havia um nome formado por dois, criado pela autora de um filme muito famoso.

As janelas estavam abertas o vento frio emvadia o quarto,ele rapidamente as fechou e aproximou-se do berço.

A criança parecia enjoada e ao mesmo tempo emcomodada ,feliz e assutada.

Ergueu a criança nos braços e depositou um beijo em sua bochecha,a criança calou-se apois o pai a nina-la nos braços.


–O que houve, uhm?-ele perguntou a criança como se fosse receber uma resposta.

A criança apenas esboçou um sorriso amostrando os quatro dentinhos.

–Vamos,vamos pegar sua mamadeira.-disse sorrindo encantado com a filha como sempre.

Alimentou a criança,brincou um tanto com a mesma ,quando a viu esfregar os olhos e soltar pequenos bosejos a levou a casa de banho,banhou-a, vestiu-lhe uma frauda e em seguida colocou seu pijama.

Apois dar a criança sua chupeta ,acomodou-a em seus braços e a ninou cantando-lhe uma canção de ninar,logo a criança se encontrava adormecida.Colocou-a no berço e a cobriu com as mantas.


E ficou contemplando a criança dormir, ela estava ficando cada dia mais semelhante a mãe, seus cabelos eram antes ,negros, agora, durante esses últimos meses estavam tomando uma tonalidade clara, estavam dourados e seus olhos mais azuis.


Ele foi a seu quarto e encontrou sobre o criado mudo um papel. um pedaço.


"Sigo acá, no me iré, lo prometo''


Ele sorriu ,era dela.

Um alivio preencheu seu peito e seu coração voltou a bater, mas no fundo ele ainda duvidava que ela estivesse viva, aquilo pertencia a seu ego pessimista.

 O corpo era dela ou não? Se fosse ,quem havia deixado aquele bilhete em seu quarto? Como haviam entrado na sua casa ?



Notas Finais


É esse o Capítulo de hoje.
Me digam o que estão achando.
Qual a teoria de vocês?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...