História Quem Matou Jungkook? - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Detetive, Fantasma, Hentai, Hot, Imagine, Investigação, Jeon Jungkook, Jeongguk, Jungkook, Você
Visualizações 320
Palavras 1.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Adivinha quem voltou com a fic? Hehehe eu!!
Estou feliz em voltar, finalmente, depois do bloqueio criativo.

Essa é a primeira parte do Jimin, pq eu não queria deixar mt grande.

Esse banner tá mais pra capa KKK

Boa leitura

Capítulo não revisado!

Capítulo 7 - Capítulo VI - Quinto suspeito - Park Jimin, parte 1-2


Fanfic / Fanfiction Quem Matou Jungkook? - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 7 - Capítulo VI - Quinto suspeito - Park Jimin, parte 1-2

Quinto suspeito – Park Jimin, o Assassino de Aluguel. Parte 1/2

No dia seguinte, não queria começar já a investigação do caso do Jeon, eu estava um pouco cansada enquanto a isso, mas não irei desistir. Tem vários prováveis suspeitos em jogo, nenhuma resposta plausível. Esse, de fato era um dos crimes mais difíceis de solucionar.

Jeon estava assistindo desenho. Para um fantasma, ele é bem moderno, as vezes ele come, dorme comigo, assiste tevê, na maioria das vezes desenho, ele me parece uma criança.

Enquanto a mim, eu estava na minha sala, vendo as fichas de alguns casos, algumas relacionados ao caso do Jeon, outros, de outros casos, para que nada fique pendente.

Arrumo meus óculos de leitura e massageio levemente minhas têmporas, sentindo uma leve dor de cabeça. Tem tantos números, fotos, letras, que estão me deixando louca.

— S/n? — escuto a voz de Jeon. Elevo meu olhar até a porta, o vendo com uma xícara de café em suas mãos. — peguei um pouco para você, achei que iria precisar, já que está aqui faz um tempo.

— Obrigada Jeon. — estendo a mão, pegando a xícara de café, assoprando um pouco da fumaça e bebe um pouco.

Deixo a xícara de lado e observo Jeon com as mãos nos bolsos de sua calça. Ele me olha e da um sorriso fofo.

Como alguém poderia matar uma coisa fofa dessas? Será que ele era assim também quando estava vivo?

— As vezes esqueço que você é um fantasma. — comentei, olhando o mesmo sorrir.

— As vezes até eu esqueço. Posso sentar? — apontou para cadeira ao meu lado. Assenti e ele se senta, passando os olhos pelos inúmeros papéis que estavam em cima da minha mesa. — Está trabalhando ainda? Deveria descansar um pouco.

— Não. — suspiro. — Não posso perder tempo, tenho que continuar a investigar, para que isso acabe logo.

— Mas não pode se sobrecarregar. Vem, vamos assistir algo Noona! — pegou meu braço e puxou-me para si.

— Noona? — levantei uma das sobrancelhas, seguido o mesmo até a sala.

— Sim! É como chamamos uma garota mais velha. — se sentou no sofá e deu duas batidinhas no lugar ao seu lado. — Senta Noona!

Por que isso me soou extremamente malicioso?

Me sento ao seu lado, um pouco acanhada com o mesmo. Ele me olha e me puxa para si, abraçando-me. Fico um pouco sem jeito com seu ato e apenas ponho minha cabeça em seu peito.

— Se alguém olhar pela janela, vai me ver deitada no nada. — ri levemente com meu próprio pensamento.

Jeon ri também e fica me apertando em seus braços. Ele é confortável, porém gelado.

— Me diz, se você ficar com alguém, essa pessoa está praticando necrofilia? — pergunto curiosa, escutando o mesmo rir levemente antes de me responder.

— oh, bem... Eu não sei, acho que sim. — deu de ombros e me olhou. — Por que?

— Por nada. — aperto os lábios. — Ainda funciona?

— O que?

— Ele. — aponto para baixo, tenho certeza que ele iria ficar vermelho, se pudesse.

Mas hora, eu sou curiosa, só estou perguntando né.

— Sim, funciona. Sou um fantasma que atravessa paredes, eu posso fazer o que eu quiser, então ele funciona sim. — passou as mãos pelos cabelos. — Quer que eu mostre? — ele sussurrou perto do meu ouvido, me fazendo arregalar os olhos e me levantar de supetão. — Noona! Estou brincando sim?

— A-ah, 'tá! Tudo bem, acabei de perceber que tenho que ir lá no escritório ver algumas fichas do tal Jimin! — começo a andar rapidamente.

— Quer ajuda?

— Não precisa, huh? Vai assistir seus desenhos. Obrigada bebê. — beijo sua bochecha e ele sorri para mim, assentindo.

Entro no meu escritório e suspiro baixo. Agora estou curiosa para saber se aquilo realmente funciona.

Para S/n, para com isso. Ele é um fantasma! Isso é impossível.

[...]

Termino de me arrumar para finalmente sair de casa para ver de quem se trata esse tal de Park Jimin.

Jeon que estava girando na cadeira de rodinhas, lia a ficha de Park Jimin.

— Esse homem é realmente um maníaco. — falou girando as folhas em sua mão.

Olho para Jeon, enquanto arrumava minha bolsa e minha arma em minha cintura.

— É? Lê a ficha dele para mim, por favor.

Park Jimin: Mais conhecido como o Assassino silencioso. É um matador de aluguel mais bem pago de toda Coréia do Sul. Já cometeu mais de cinquenta assassinatos e arrecada de dois a cinco milhões de dólares por cada assassinato que comete. Não é tipo que deixa um trabalho para trás. É um homem que trabalha na maioria das vezes sozinho. Insensível; Hábil; Minucioso. Park Jimin era realmente o melhor na categoria de matar.

Olho para Jeon que acabou de ler. Paço as mãos nos cabelos e ri levemente. Por nervoso.

— Nossa, que cara sanguinário. — comento começando a andar, com Jeon me seguindo até o carro.

Entro no mesmo e começo a dirigir até o local onde Park mora nesse momento. Pelo que eu vi na ficha, ele tem um apartamento no centro que custa mais ou menos quatro milhões de reais. Todos os objetos que existem na casa, são de valores altíssimos. Park ama ostentar sua vida boa.

— Aquele é o apartamento dele? — apontou. — Uau! Se eu fosse vivo e rico, iria comprar um desses.

— Normalmente quem vive ali são Playboys filhinhos de papai, ou criminosos. — olho Jeon de relance que ri levemente.

— Eu seria um filhinho de papai com todo prazer.

Ri do mesmo e sai do carro após sair do mesmo. Olhei ao redor e passei a andar em direção ao apartamento de Park.

— Noona, não é ele ali. — Jeon apontou para alguns carros, onde Park estava encostado, lendo alguma coisa em seu celular.

Dou a volta e começo a andar em direção ao mesmo.

— Park Jimin? Sou a detetive S/n... — vou me aproximando do mesmo aos poucos.

Ele me olha e arregala os olhos, de supetão, ele entrou em seu carro e deu partida com o mesmo.

— Mas que merda! Odeio quando fazem isso! — saio correndo para o meu carro, entrando no mesmo, dando partida.

— Deus! Noona, tenha cuidado, ele está indo muito rápido.

— E não vai ser só ele! Playboyzinho sanguinário. — aperto firme no acelerador, passando pelos carros.

— Misericórdia, acho que depois dessa vamos estar no mesmo plano, Noona!



Notas Finais


Gostaram? Comentem o que acharo!
#QMJestaDeVolta

Capa nova feita por @charm- 💕
Bjs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...