História Quem não tem poder, não pode sobreviver - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 117
Palavras 1.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem eu devo algumas explicações então vamos parte por parte ok?

1°: A história foi deletada porque infligiu os termos do site (Especificamente: 1.5, 2.1 e 5.4) por isso eu vou acrescentar algumas mudanças devido a esse choque inesperado. Caso você esteja aqui devido a mensagem ou é novo mesmo na história aqui é o motivo principal.

2° Eu pesquisei e aprofundei mais sobre o motivo desse delete em específico, já que o site não aponta os erros eu resolvi procura-los e descobrir que a ART do capítulo 8 parecia está inadequada pelos padrões (Termo: 2.1) então uma nova será substituída mas não se preocupe ok? A história não sofrerá GRANDES ALTERAÇÕES, somente no ''visual'' e na descrição de uma certa personagem.

3°: Sobre o termo 1.5 é bem óbvio e aceitável, eu fui muito idiota em colocar ''avisos'' nos comentários enquanto fazia a revisão geral. Isso também foi certo por parte do site e errado por mim não se lembrar.

4°: Sobre o termo 5.4 eu não sei em específico o motivo mas eu tentarei revisar capítulo por capítulo em busca de erros de interpretação, ortográficos e entre outros. Eu me esforçarei ao máximo..

E foi isso, a história tinha 62 favoritos e fiquei triste por ela ter sido deletada mas... eu não vou reclamar. Eu estava errado e tentarei não cometer esses erros novamente. É isso e boa leitura..

Capítulo 1 - Começando do zero


Fanfic / Fanfiction Quem não tem poder, não pode sobreviver - Capítulo 1 - Começando do zero

Até quando um ser humano pode ser cruel? Até quando o orgulho é maior que a honestidade? Até quando um lixo pode ser tratado como lixo pela escória da humanidade? Bem, são essas as perguntas FUNDAMENTAIS que faço para mim mesmo enquanto estou nesse beco frio. Isso é um paraíso para mim acredite.

A neve parecia reconfortante para um fugitivo, prefiro mil vezes o frio solitário do que um calor falso e doentio. Mike Sato é o meu nome e essa é a porra da minha história. Achei melhor escrever e deixar tudo registrado nesse caderno velho que roubei mais cedo para um idiota qualquer ler e se entreter com o lixo aqui, é isso que todos os humanos fazem, aliás.. eles não são humanos.

Minha infância não foi um mar de rosas. Desde de pequeno tive que aprender a ler e escrever por conta própria graças a vida miserável que levava mas eu tinha ele. Sim, ele foi a razão de mim ainda está vivo até aqui e por ter fugido de minha prisão, meu pai. Após a morte da minha mãe no meu nascimento ele me criou e ensinou os modos básicos do ser humano: Respeito, bom senso, lealdade e todas as outras coisas que foram inúteis. Elas apenas trouxeram sofrimento para mim e a ele. 

Caso esteja muito chato para o babaca que vai ler essa merda é o seguinte: Minha mãe morreu no parto, meu pai me criou na pobreza e o mundo mudou e ao mesmo tempo ''não mudou'' após a queda do meteoro alien, desde de então você já sabe o que teve após isso né? Mais e mais pessoas com ''regularidades'' surgiram, até as mais inúteis pareciam úteis em momentos certos mas não para nós.

Enquanto crianças nasciam com superpoderes em bercinhos dourados com tudo de mão beijada, eu nasci comum, simplesmente comum e o mundo passou a ser dominado por ''super-heróis'', babacas em trajes belos que faziam discursos sobre justiça. Hipócritas, todos HIPÓCRITAS!!! COMO ODEIO ELES!! PORQUE ENTÃO NÃO TEVE UM FILHO DA PUTA COM UM PODER PARA SALVAR MEU PAI?!

Após essa grande mudança na humanidade tivemos um ''regresso'' para os tempos de escravidão e os humanos estão sofrendo mais que tudo e estão quase extintos no mundo. Evolução eles chamam assim, nós tratam como lixo, meu pai e eu fomos tratados como lixo naquela maldita casa. Os empregos mais conhecidos basicamente sumiram, abrindo espaço para as escolas que treinam e educam esses ''heróis'' para salvarem por dinheiro. Meu pai não teve escolha se não procurar casa por casa por qualquer prestação de serviço que seja e ele conseguiu, mas não seria fácil assim a minha vida daqui pra frente.

Quando mais tempo passava, mais bebês com regularidades nasciam e menos humanos em consequência também. Fui sempre olhado pelas outras crianças com pena enquanto seus pais com seu grande bom senso faziam lavagem cerebral nelas, falando que sou diferente e que meu pai é um trouxa. Odeio essa palavra tanto quanto a frase que falavam para mim quando ia ajudar meu pai no trabalho na casa daqueles idiotas fantasiados: ''Quem não tem poder, não pode sobreviver criança.''

Todos os dias eu ia para o trabalho com meu pai, ajudar de alguma forma por lá. Ele trabalhava em uma casa de gente rica. É, o ramo de super-herói deve ser muito bom para a economia mundial e para os imbecis com poderes mas não para nós dois, a única família da cidade humana. Todos ignoravam a nossa presença todos os dias a caminho daquele inferno de casa, sentiam nojo por ser tocado por seres comuns. Todos babacas e se você for um desses idiotas mimados que estiver lendo essa história te digo uma coisa: EU TE ODEIO!

No trabalho meu pai era tratado como escravo e eu também. A gente cuidava da maior parte das tarefas domésticas na casa como arruma-la, cortar a grama, limpa os cômodos mas tínhamos um certo tratamento especial dos donos. Não se engane por um rostinho ou discurso bonitinho porque se tivesse algo errado ou sequer uma peça tenha sumido e não estivesse no seu lugar de origem, o dono me dava um tapa e se meu pai falasse algo teria algo bem pior para ele em relação aos poderes do insano heroico.

A família do mané era composta por ele e seu poder era força. Bem clichê e quando eu mais o irritava, mais era usado essa força nos tapas que ele me dava pelas merdas. Já a sua esposa tinha poderes psíquicos, ela sabia o que eu estava pensando e se caso estivesse mentindo ou xingando a mesma mentalmente, logo a verdade era revelada ao seu marido. E tinha uma garota, a única filha do casal, herdou os poderes dos pais. Graças a isso, ela sempre me maltratava e me tratava como seu animal de estimação.

Ela me batia quando queria, me maltratava quando podia, me... melhor não contar essa parte, basicamente a menina era uma vadia que me torturava das piores maneiras possíveis quando estávamos sozinhos e infelizmente, na maior parte do tempo estávamos porque eu servia a ela enquanto meu pai cuidava dos serviços mais pesados da casa. Raramente nos encontrávamos na mansão.

Aquela família... eu odeio tudo nela, principalmente aquela garota. Ela ficava tentando me seduzir por ser o único garoto que não beijava seus pés, todos os idiotas da vizinhança tentavam conquista-la mas ela sempre falava que já tinha um namorado, eu.

Graças à aquele pedaço de bosta ambulante tive que aprender a lutar por causa dos garotos e aqui a regra era aplicada a mim: ''Quem não tem poder, não pode sobreviver.'' Os moleques usavam seus poderes enquanto eu usava a defesa pessoal, algo que nessa época era ''pré-histórico''.

Após anos e mais anos, algo aconteceu. Começava a surgir doenças e elas tinham evoluído também, para os super-heróis uma gripe ou virose qualquer era fatal para um humano, aprendi isso da pior forma possível. A doença acabou pegando meu pai naquela casa e os donos sequer tinham comprando um remédio para ele e eu.. tentava fazer o que os humanos faziam antigamente quando pegavam uma febre. Panos molhados, cama confortável, isso era tudo que podia fazer naquela época. 

Ele infelizmente veio a falecer, droga... POR QUE DIABOS AS DOENÇAS TEM SUPERPODERES TAMBÉM?! POR QUE ELAS EVOLUÍRAM DO NADA PARA ALGO FATAL PARA NÓS, HUMANOS?! Eis que te pergunto isso meu caro futuro leitor.

A morte dele não afetou ninguém da cidade, já a família usou isso para falar em jornais e em entrevistas. Eles me levaram para fazer uma declaração: - ''Nós estamos de luto a essa perda lamentável, o garoto é um sortudo. Nós cuidaremos dele a partir de agora.'' 

Essas palavras me fizeram não acreditar, tinha acabado de recobrar a consciência após ele ter falado isso. Estava em um terno ao lado daquela garota de mãos dadas, não larguei por medo e pela intensa força que ela estava fazendo sobre os meus ossos na mão esquerda, parecia que iria quebra-la. Eu queria gritar de dor mas apenas tinha uma frase no meu pensamento naquele momento.

- ''Se gritar ou fizer algo que me envergonhe, sua vida será um inferno Mike..''

Eram os poderes da garota que me fizeram travar de emoção naquela hora, todos os jornalistas e heróis das mais altas classes sociais tentavam me perguntam algo mas eu não podia responder por preservação da minha própria vida. A garota respondia algo infantil como: ''Eu vou cuidar dele.'' ou ''Ele está muito chocado gente, por favor.'' e me dava um abraço, mas isso tudo fazia parte do roteiro.

Após aquele grande choque da morte do meu pai e que estou preso a essa família oficialmente, uma fuga foi planejada e arquitetada por mim. A família me deu um ''quarto'' no sotão com um colchão cheio de buracos feito por ratos e parasitas.

- ''Eles vão me foder, preciso sair daqui AGORA!!''

Pensei consigo mesmo com isso e saí pela janela do sótão que seria o meu quarto, ela estava bem emperrada mas tive sorte porque os cupins fizeram um grande trabalho me ajudando indiretamente. Foi moleza tirar a vidraça com delicadeza para não acordar eles e rapidamente dei um grande salto e caralho, nunca tinha dado um salto tão alto quanto esse de hoje.

Era inverno e a neve já estava começando a cair quando tinha fugido daquela casa. Algumas horas se passaram e ela ainda estava caindo serenamente com pequenos flocos delicados, era um clima agradável para alguém como eu. Na minha fuga conseguir entrar em uma loja pulando o muro e abrindo a porta, parece que eles confiam bastante um nos outros e deixam todas as portas praticamente abertas sem trancas.

Bem, não temos assalto à um bom tempo na cidade, aliás não temos um assalto à anos no mundo, ainda tinham pequenos roubos e furtos mas a maioria não ligava para isso porque tinha os super-heróis para investigam e não seria muito cedo para descobrirem o azarado que roubou as coisas de alguém com poderes. E também como os humanos estão extintos praticamente, os vilões ou qualquer um com algum poder não tinha motivos para roubar, eles planejavam algo grande e majestoso como: acabar com o mundo ou matar o símbolo da paz ou qualquer outra coisa. Realmente eu não me importo com essas merdas, tenho meus próprios problemas para resolver.

Na loja era um grande paraíso para um humano, não tinha câmeras de segurança ou qualquer outra coisa para me foder mais tarde, quem é o babaca que deixa sua loja aberta e sem nenhum segurança? eles confiam demais no heróis, isso facilitou o meu trabalho. Peguei um grande casaco para me proteger do frio, comi um bom lanche e curto para não suspeitarem claro. Não posso abusar da sorte e um caderno médio com cerca de 100 folhas, dividido em 5 matérias.

Agora aqui estou eu. A noite da cidade é muito bonita porque fazia um bom tempo que eu não andava só, nem lembro da última vez que fiz isso então de agora em diante sempre andarei nesse horário e também tenho uma vantagem. Na noite com esse casaco grande, as pessoas não pensam que sou o garoto comum da cidade, assim eles não avisam aos meus novos ''pais'' sobre isso, é realmente confortante e tranquilizante para um humano como eu.

- ''Acho que vou ficar com esse caderno, é muito bom e essa caneta é boa pra caralho.''

 

Fim do capítulo 01..


Notas Finais


Pra quem já leu vai ser o seguinte: Tentarei postar 1 capítulo por dia e o horário não será de noite porque no momento estou sem PC (de novo...) então, até ele saí do conserto os capítulos serão na parte da tarde.
Ps: Sim, o sobrenome do protagonista foi trocado de ''Yukihira'' para ''Sato'' e o motivo é bem simples: Para não ter aquela barra vermelha que fica embaixo da palavra avisando que está errado eu resolvi mudar. Me desculpe por isso..

É isso... como diria a personagem REM: ''Vamos começar do zero.''


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...