História Quem são os Winchesters? - Capítulo 96


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jared Padalecki, Jensen Ackles, Supernatural
Personagens Abaddon, Ash, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Crowley, Dean Winchester, Ellen Harvelle, Jared Padalecki, Jensen Ackles, Jo Harvelle, Personagens Originais, Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Dean Winchester
Visualizações 105
Palavras 966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oooi!
Boa leitura *-*

Capítulo 96 - Presos


Fanfic / Fanfiction Quem são os Winchesters? - Capítulo 96 - Presos

No dia seguinte, às 21h, fomos até o falso local, já presumindo que os britânicos estariam lá. Dean estacionou o Impala e nós três descemos. Nós fingimos entrar no armazém e nos escondemos, esperando pelos caras. Assim que eles entraram no armazém, nós os trancamos lá e fomos até onde o carro deles estava estacionado, com Tony Bevell esperando-os. Dean abriu a porta do carro e pegou a arma dela, mas ela o acertou nas partes baixas, derrubando-o. Vi Dean gemer e cair no chão, o que fez com que eu fosse até ela rapidamente e a acertasse com um soco, segurando-a pelo cabelo e encostando sua cara no carro.

- Olá, vadia - falei e ela me olhou, furiosa.

Nós estávamos voltando para o bunker. Sam foi no banco de trás com ela, apontando uma arma para ela.

- Por que está nos espionando? - Sam perguntou - e o que sabe sobre Eileen Leahy?

- Quem? - ela perguntou.

- Você… seu pessoal, vocês a mataram? - Dean perguntou.

- Provavelmente. É a regra. Se você acha que matamos alguém, nós provavelmente matamos. Falando nisso, vocês sabem que atacando a mim, estão pedindo a retaliação de todos os Homens de Letras Britânicos? Sem investigação ou júri. Apenas punição e ruína. Possivelmente pelas mãos de Mary Winchester - ela disse e eu olhei-a. 

- Que diabos isso significa? - Sam perguntou.

- Sua mãe é a nossa convidada permanente.

- Sua prisioneira? Por que?

- Prisioneira? Quem falou em prisioneira? Não, Mary entrou para o time. Ela tem até o seu próprio anel codificador secreto.

- Está mentindo - falei.

- Tem razão. Não há anel. Meninos e sua mamãe. Vocês a veem como mamãe. Nós a vemos como um de nossos melhores assassinos.

- Só porque ela trabalha com Ketch não significa que goste dele - Dean disse - ou de você.

- A miopia edipiana outra vez. Acha mesmo que ela estava só “trabalhando” com Ketch? Tantos dias e tantas noites? - ela disse e eu fechei os olhos, esperando algum surto de Dean.

- Basta - ele disse.

- Ele disse que foi uma das melhores amantes da sua vida.

Dean freou o carro abruptamente.

- Nós não precisamos dela - Dean disse e se virou para atacá-la, mas eu segurei seu braço.

- Dean - eu disse - Dean! - falei aumentando o tom de voz.

Ele suspirou e se encostou novamente no banco.

- Continue - Sam disse para a mulher - e quanto à Mick? Cadê ele nisso tudo?

- Mick? - ela perguntou, franzindo a testa.

- Sim, Mick.

- Mick está morto.

- Morto?

- Mortinho. Acharam-no sentimental demais para o trabalho. Ele era muito parecido com vocês e todos os outros caçadores americanos. Em breve vão se juntar a ele. Jody Mills, Claire Novak, todos os seus amigos que vestem flanela e adoram uísque. Estão todos mortos.

Passei a mão pelo meu rosto e fitei a rua escura, sentindo um aperto em minha garganta.

Voltamos para o bunker e Dean falava enquanto descíamos a escada.

- Fomos claros? Ligue para Ketch, diga que se ele quiser te ver viva, que venha pra cá.

- Interessante - uma voz disse e eu vi Ketch e outro cara, apontando as armas para nós - ele já está aqui. Lady Bevell, se importaria de desarmá-los? - eu olhei em volta e vi mais dois homens. Quando Sam estava prestes a entregar sua arma para ela, ele atirou em um dos homens e eu atirei no outro, derrubando-o inconsciente no chão. Dean atirou contra o cara ao lado de Ketch e rendeu o mesmo.

- Certo, Ketch - Dean disse enquanto Sam segurava a arma na cabeça da “Lady” Bevell e eu apontava a minha para Ketch - quantos caras tinham aqui? Onde está a nossa mãe?

- Não se mexa - ouvi Mary dizer e me virei, vendo-a entrar, apontando a arma na direção de Ketch.

- Falando no diabo… - Ketch disse.

- Na hora certa, mãe - Sam disse.

- Fique onde está - Mary disse novamente.

- Você a ouviu - Dean falou.

- Eu estava falando com você - ela disse e bateu na arma que estava em minha mão, derrubando-me e apontando sua arma na direção de minha cabeça.

- Mãe? - Dean disse, sem entender o que estava acontecendo.

- Não se mexa - Ketch disse assim que percebeu que eu iria tentar pegar a arma dela - ela vai atirar em você. Mamãe sempre foi uma caçadora talentosa. Só está um pouco confusa sobre seguir ordens.

- O que fez com ela? - Sam perguntou.

- Lady Bevell tirou aquela confusão. E acho que ela contou que os caçadores americanos são uma espécie em extinção.

Ketch andou até as escadas e Mary começou a segui-lo, saindo de perto de mim. Eu me levantei e vi Bevell parar assim que Ketch apontou a arma para ela.

- Por Deus - ela disse - onde acha que está indo? - ele ignorou-a - Ketch!

- Lembra em Kendricks - ele disse quase no fim das escadas - quando nos ensinaram que todos somos descartáveis? Não era conversa fiada.

- Mãe? - Dean chamou-a, mas ela ignorou-o - olhe pra mim. Olhe pra mim - ela olhou-o - somos nós, por favor. O que está acontecendo, mãe?

- Seu bunker é uma excelente fortaleza - Ketch voltou a falar - e um túmulo melhor ainda. Nós trocamos as fechaduras, fechamos a água e assim que sairmos, as bombas que trazem o ar vão se inverter. Seu oxigênio deve acabar em dois dias, talvez três. Vão morrer aqui. Isso é quase… Poético. Venha comigo, Mary - Ketch saiu pela porta e Dean subiu as escadas correndo.

- Não! - ele gritou, furioso, quando não conseguiu abrir a porta. Ele puxou a porta várias vezes e não houve nenhuma diferença.

Olhei para Sam e ele parecia angustiado, assim como eu.

Eu me encostei na mesa e passei a mão pelo meu cabelo.

Estávamos ferrados, de novo.


Notas Finais


:s


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...