História Quem sou eu? - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Yaoi, Yuri
Visualizações 27
Palavras 2.999
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Agradeço quem gostou destas fics dentro de uma fic!
Deve ser ainda um pouco sem sentido eu querer escrever algo assim, então vou ser mais direta: eu queria fazer diversas one-shots com yaoi e yuri, já que sempre segui um padrão em minhas fics de continuar capítulos sobre uma mesma história, decidi variar e parece que vcs estão se agradando com esse novo meio, então irei dar meu melhor.
Aquelas pessoas que favoritam, me seguem ou são meus amigos, sabem bem que gosto de gêneros homossexuais, mas aqui alguns caps terão outras ideias bonitas que talvez agrade.
As personalidades e histórias foram um jeito bem mais interessante que eu pensei com o intuito de deixar alguma moral explicativa do comportamento que cada personagem têm um com o outro.
Já outra coisa que deve ter percebido: as imagens de todos os capítulos raramente tem cor, (apenas preto e branco), eu quis assim pq era para dar um toque de maior depressão, além da capa não possuir tanta decoração e vida no desenho quanto deveria. Ainda que gosto de coisas não muito chamativas e alegres ao extremo.


Desculpa me estender tanto nesse assunto chato, mas é que achei importante esclarecer todos os motivos de eu ter criado esta fanfic. Se teve a incrível paciência de ler até aqui, agradeço de kokoro (coração em japonês)!
Sem mais delongas, boa leitura! :)

Capítulo 5 - Suspeito


Fanfic / Fanfiction Quem sou eu? - Capítulo 5 - Suspeito

"Sinônimos de Suspeito: duvidoso, ambíguo, apócrifo, arriscado, claudicante, contencioso, contestado, contestável, controverso, controvertível, discutível, dúbio, equívoco, escabroso, escuso, flutuante, hesitante, incerto, indeciso, inverídico, irresoluto, opinativo, perigoso, problemático, suspeito, tremido, ambiguidade, confusão, engano, erro, mal entendido, malvisto, aborrecido, antipatizado, aventuroso, comprometedor, crítico, donoso, ...

Antônimos de Suspeito: insuspeito, insuspeitoso, dessuspeitoso, ..."

 

Tem alguém que eu gosto, observo essa mesma pessoa todos os dias, de longe. Faz mais de um mês que me sinto atraído e não sei como chegar perto ou pelo menos me confessar apropriadamente. Tive diversos sonhos em que eu transava, dizia que amava seu olhar, seu cabelo, maneira de andar, cada detalhe seu; aquilo me excitava tanto que decorei todos os lugares que costuma frequentar, sei onde mora e o que gosta de fazer.

Mais uma vez esperei na frente do colégio que estuda, está no segundo grau com 17 anos. O que mais me admira é por ser de poucas caras, digo isso por nunca estar na companhia de ninguém, mas hoje será diferente, farei com que note minha presença e comece à se interessar por mim também.

Já tentei ter um namoro sério com várias pessoas, mas no final sempre desabava tudo. Sou "um cara muito mal-encarado!", era o que os demais diziam, reconheço ser assim mesmo, ando vagabundo por aí e durmo em qualquer lugar que me convidarem, transo com quem tiver um rosto bonito, mas meu gosto por outros caras é em especial mais forte, costumo fumar e beber muito quando estou de mal com a vida, é o que tem acontecido ultimamente. Estou sendo um fracote ao não conseguir nem mesmo "chegar pegando" nesse garoto! Ele é bem mais novo que eu, isso é certo, mas algo forte que gira ao seu redor parece estar me perseguindo.

Recordo que uma vez o vi na praça,-um dos lugares que gosta de ir geralmente sozinho-, mas dessa vez, caminhava uma garota ao seu lado, tinha uma franja comprida quase cobrindo seus olhos, cabelo abaixo dos ombros e liso, sorria à todo o momento enquanto se aproximava mais dele. Sentaram em um banco, conversaram por cerca de um minuto, mas algo que ele disse não a agradou e ela literalmente deu um tapa em sua cara e saiu correndo dali.

Ouvi o sinal da saída dos alunos ressoar, os portões foram abertos e todos com suas mochilas começaram à sair, tanto garotas quanto garotos me olhavam sérios, pareciam expressar medo. Perguntei ríspido e em tom grosso:

-O que estão olhando?!-eles abaixaram a cabeça e seguiram caminhando mais apressados, foi então que o vi, lindo como sempre. Com aqueles cabelos curtos, ruivos, sedosos e lisos, olhos esmeralda amarelados, me encarou como os demais, mas diferente, pareceu altivo e passou reto sem recuar. Não suportei e o agarrei do braço puxando para trás.

-EI!! O que pensa que está fazendo? Me solte!

-Arming...

-Como sabe meu nome? Eu não te conheço-ele puxou seu braço e seguiu andando, segundos depois virou o rosto para trás me olhando outra vez, mas não parou de seguir seu caminho.

Fui muito desesperado, só de vê-lo perto, sinto vontade de fazer coisas sujas com seu corpo, certamente ele teve uma primeira grande má impressão de mim. Deixei-o ir, mas não o perdi de vista, continuarei o seguindo até sua casa, não é porque sou algum tipo de pervertido, e sim pelo fato de ter medo se alguém queira se meter com ele, estarei como um guarda-costas. E foi bem nesse momento em que vi um cara que parecia meio de mau com a vida e queria descontar em alguém.

-Hey, garoto!-o cara estava de moletom branco, chamava a atenção de alguns que passavam pela calçada, tinha um rosto de aparência aceitável, olhos caramelados e cabelo curto encaracolado, mas mesmo assim, ele não me trazia boas sensações.

-Ah??-Arming olhou ao seu redor desentendido-Está falando comigo?

-Com quem mais seria? Tem um rosto bonito...se aproxime mais-ele pediu e o garoto sorriu agradecendo o elogio indo até o homem.

-O que precisa de mim, senhor?

-Que maneira mais rude, acha que sou velho?

-Não...não foi o que eu quis dizer!-eu ouvia tudo enquanto fumava discreto encostado num muro ali perto.

-Bem, venha comigo, vai gostar do que farei-o cara disse passando o braço ao redor do estudante. 

Obviamente segui os dois!!!

Eles pararam em um beco escurecido, achei aquilo a gota d'água, e quando o cara estava prestes à tirar a camisa do uniforme de Arming, fui correndo e dei o soco mais forte que pude, fazendo o cara cair para trás com tudo e ficar desacordado.

-Essa foi por pouco, você está--!!!-Arming me abraçou, ouvi seus soluços e retribuí o carinho. Meu coração está batendo forte, meu tamanho é cerca de 1 e 78 de altura e ele fica pouco abaixo do meu ombro, é tão fofo...

-Eu pensava que você era um cara mal! Fui...FUI UM COMPLETO IDIOTA!-berrou ele me assustando.

-Ei! Calma, não grite ou se não ele pode acordar! Vamos embora daqui! Eu te levo para casa em segurança, tá legal?-ele me olhou fixo e estendeu sua mão até minha cabeça ficando na ponta dos pés e tirou o boné que eu usava.

-Uau! Que gatinho! Fica parecendo menos sombrio sem usar isto! Comece à colocar menos preto, você tem uma aparência extremamente bela!-fungou parando de chorar na hora.

Ga-gatinho?!

-Ah...eu? Fale primeiro você o que queria me contar!-disse enquanto caminhávamos com o destino de sua casa.

-Certo, mas prometa que não rirá de mim!-Arming exigiu sério e eu assenti-Eu percebia como me olhava, sabia que estava me seguindo.

-S-sabia?!

-Pensa que sou algum idiota? Você me encarava de longe, aquilo me assustava às vezes, pois sempre usava preto e nunca conseguia ver seu rosto direito, estava começando à achar você meio...

-Suspeito?

-Haha! Isso mesmo! Você aparenta ter cometido muitos crimes e erros na vida! 

-Não posso fazer nada...meu jeito é assim-cocei minha cabeça e sorri-Estou feliz por falar com você.

-Eu também...ainda até cheguei à pensar em dizer para meus pais sobre você, mas era mais do que certo que eles seriam super protetores e ficaria mais difícil te ver. Eu...eu queria te ver, e hoje quando você se aproximou do portão na hora da saída, pude te ver melhor e mais de perto, não fiquei mais assustado, quando pegou meu braço, jurava que meu coração saltaria para fora do meu corpo!-ele ficava mais vermelho à cada segundo-Nunca tive amigos no colégio porque me achavam estranho e só de imaginar alguém me observando e parecendo sentir algum afeto por mim além de familiar, me alegrou! Sabia que chegar naquele homem mais cedo seria arriscado, mas algo dentro de mim dizia que você estaria para impedir que algo de ruim me acontecesse!-ele riu meio forçado-Sou tão idiota! Me sinto tão desconfortável agora... e nem sei seu nome!

-Kwan...-estou um pouco sem jeito também, mas estamos caminhando na rua com muitas pessoas indo e vindo ao nosso redor, não teria coragem de beijá-lo e mordê-lo até ficar todo marcado.

Eu sou um completo mente-suja!

-Wah...nome bonito.

-Assim como você-disse sem pensar sorrindo bobo e ele envermelhou mais uma vez-Eu sempre te via de longe pois não sabia como me dirigir à você, eu já namorei muitas vezes mas no final nunca dava certo. Não sei como chegar corretamente para uma pessoa e dizer como me sinto, só fiz esse tipo de coisas por diversão, não sei como é ter relacionamento sério e nunca tentei ter um. Não é apenas sobre sua aparência, mas seu jeito me deixa louco! Tenho sonhos eróticos e vergonhosos com você faz tempo e...

-Ah, p-por favor, pare!-parecia não saber onde esconder sua expressão extremamente sem jeito, estava o achando cada vez mais fofo, ele foi rápido pegando seu celular que estava na parte de trás da mochila-Alô, mãe! Vou me atrasar um pouco em voltar para casa! ...Sim, avise o papai também! Tchau!-ele abaixou a cabeça parando de andar e me estendeu sua mão-Me leve para onde quiser, faça o que quiser comigo. Eu também gosto de você, Kwan.

Nesse momento meu coração falhou, agarrei-o do pulso e saímos caminhando apressados, as pessoas nos olhavam estranho, mas para mim, todo o resto que existe nesse mundo era o que menos me interessava, só aquele garoto me deixando louco.

-Para onde você está me levando, bonitão?-perguntou ousado ainda bem corado.

-Se continuar me provocando assim, não vou conseguir me segurar por mais tempo! Só continue andando, já estamos perto! Já namorou alguma vez?

-Bem...eu já fui escondido em alguns bares...-disse vermelho-Eu não sou virgem faz um ano.

Puta que pariu! Esse garoto é mais pervertido do que eu pensava!

-Saara!!! Abra a porta, sua vadia!-gritei para minha melhor amiga. A loira de cabelos longos abriu séria:

-Kwan! Já faz um mês que não nos vemos! O que faz aqui?-ela percebeu Arming ao meu lado.

-Hum...sorte sua que eu já estava de saída. Pode usar a cama de hóspedes, safados!-ela deu passagem, entramos na sua casa, ela pegou uma bolsa de couro que estava sobre o sofá-Tchau! Nos falamos mais tarde!-e fechou a porta indo embora.

-Quem é ela?-Arming perguntou.

-Minha melhor amiga. Por que? Gostou dela?-provoquei e ele sorriu aproximando seu rosto do meu.

-Como poderia? Se só estou tendo olhos para você?-não pude mais me conter e ataquei seus lábios em um beijo intenso e necessitado, ele retribuiu com vontade dando passagem para minha língua, dei alguns passos para trás sentando no "braço" do sofá.

Deveríamos fazer no quarto como Saara havia dito, mas não consigo esperar mais!

Arming largou sua mochila no chão e começou a tirar seu uniforme, não desviando seu olhar do meu, sorria malicioso.

-Você está me comendo com os olhos, sabia?

-Era mesmo para dar essa impressão-disse atirando a parte de cima de sua roupa pelo piso junto da mochila, seu corpo podia ser magro, mas era lindo e delicado, tirei o casaco que eu estava usando seguido da camisa.

-Você gosta mesmo de preto, hum? Gosto do seu odor de cigarro...me excita-sussurrou. Ele foi até um de meus mamilos o lambendo e estimulando-Ah, já está duro?-perguntou provocativo, meu membro já estava pulsando muito, ele me empurrou para trás, fiquei deitado no sofá, sentia meu corpo inteiro pegando fogo, mordi meus lábios me deliciando com a visão dele já todo nu sobre mim-Quero que você me proporcione o máximo de dor e prazer possíveis-ele disse arfando. Pegou meu boné e colocou sobre sua cabeça ajustando para que coubesse direito.

-Fica bem em você-o puxei para mais perto.

-Haaaa!! É m-muito bom!-seu interior é uma delícia, seus gemidos só me fazer querer por mais e mais. Apertei suas nádegas baixando seu corpo-AAAH!! Tão profundo...estou ficando louco!-Arming jogou a cabeça para trás, deixando meu boné cair pela força e movimento que eu dei, fiquei por cima sem parar de estocá-lo aumentando a força e a velocidade-Aahh...aaaaah, sim! Mais, que delícia, seu corpo, aaah! Kwan! Aaah...Kwan! Mais! Seu pau...é delicioso! AAH!

-Ah...seus gemidos são tão gostosos de se ouvir!-meu membro tem cerca de nove polegadas, e tendo todo dentro dele, é maravilhoso-Tenho vontade de...-saí de seu interior e o virei de costas para mim, fiquei com meus joelhos apoiados sobre o sofá.

-Aaah, o que você...? AAH! Ahh, que bom, n-não pare!!-o penetrei e agarrei apertando suas coxas, ele apoiou sua cabeça no meu ombro esquerdo, podia sentir sua respiração ofegante tão próxima-Aah, sim...Kwan, me beije mais! Acabe comigo!-fui mais fundo fazendo ele quase gritar de prazer, ele se apoiou melhor em meu corpo, tomei posse de seus lábios outra vez, o tocava pela cintura, acariciava ambos seus mamilos, logo deixava marcas em toda a extensão do seu pescoço-Aaaah, não...não vou conseguir segurar mais!-foi quando menos pude esperar ele gozou muito ofegante, não podia parar de sentir seu interior, eu queria por mais até sentir meu corpo cansado ao ponto de não poder me mover direito.

Esse foi o garoto mais perfeito do qual eu transei na minha vida!

-Kwan!-passado uma semana, estava como sempre esperando ele sair do colégio. Hoje Arming sorria muito, sua animação era pelo fato de que ele me levaria para conhecer seus pais. Ele pegou a chave, adentramos o belo sobrado laranja e chegando na sala, um cara de cabelos negros com óculos estava sentado no sofá com uma mulher de cabelos castanhos escuros, eles nos olharam e levantaram rápido na hora.

-Filho!!! Quem é esse cara?!-a mulher se assustou.

Eu já imaginava que isso aconteceria...

Arming me disse que seus pais não sabiam que ele era gay, mas hoje se certificou que seria direto o suficiente, e que se eles não aceitassem isso, o mesmo não os aceitaria de volta.

-Mãe! Pai!-seus olhares se voltaram com total atenção para o menor ao meu lado, que pegou minha mão a apertando, suava e tremia um pouco-Esse é meu namorado, Kwan! Estamos saindo faz uma semana!-o silêncio pairou, o tempo pareceu parar, Arming um pouco aflito-Digam...alguma coisa!

-Filho, você não é bom em piadas, mas essa...-o pai esboçou um sorriso e Arming fez cara feia.

-Não é mentira! Estamos mesmo juntos!!-ele puxou meu meu rosto até o seu, tive que me curvar para frente ficando de seu tamanho, arregalei os olhos, corado, assim como ele. Pouco depois parou o beijo, que foi super intenso e molhado, nos deixando ofegantes.

-Oh, meu Deus...-sua mãe começou à se abanar com as mãos.

-E querem saber mais?! Eu saía à noite para bares faz mais de um ano e transava com vários garotos por lá! Já não suportava mais esconder essas coisas de vocês! Já sou quase um adulto, e sei me cuidar sozinho! Se vocês não me aceitarem, eu também não os aceitarei de volta!

-Calado! Eu não acredito que você...-o pai de Arming levantou a voz. É certo que se eu estivesse no seu lugar, não saberia bem o que dizer-Então... faça o que você acha melhor!

-Querido, não diga isso...-a mãe tentou acalmar a tensão.

-Não! Nós criamos um filho tão bonito com atenção e carinho, para ele virar uma puta?!!! Isso é um absurdo! E quem mandou você trazer esse cara estranho aqui, em?! Ele parece um ladrão de drogas!!

-Se você ousar falar mal do meu namorado outra vez, eu não serei capaz de levar o resto de suas palavras numa boa-ameaçou Arming com tom de ódio me causando um arrepio. Eu quero melhorar toda essa tensão, mas não imaginava que os pais dele eram tão preconceituosos.

-SAIAM AGORA! VAMOS!!!-seu pai gritou e em menos de dez segundos estávamos na rua.

-Eu sabia...sabia que eles fariam isso comigo...de-desde o início! Me desculpe, Kwan...-abracei ele o confortando em meus braços, sem dizer nenhuma palavra, pois meu afeto por ele já era o suficiente ao me expressar.

Saara nos deixou passar um tempo na casa dela até encontrarmos outro lugar para morar. Todos os materiais de que Arming precisava estavam em sua mochila, então ele seguiu indo ao colégio. 

Um dia, como de costume, o espero em frente ao colégio um pouco antes dos portões se abrirem, mas alguém se aproximou de mim, o reconheci na hora e logo me defendi de um soco que tentou acertar minha cabeça.

-Você! Desgraçado! Se acha o assustador, não é?!-aquele cara de moletom branco e cabelos encaracolados de antes, mas agora se vestia todo de negro, ao contrário de mim, pois Arming agora me obrigou à usar coisas claras.

-Se eu não tivesse feito nada, você teria estuprado aquele garoto! Seu verme pervertido!!

-Como se você não o tivesse feito depois, né?!-ele se impulsionou para frente, uma de suas pernas me pressionou lá em baixo-Sabe...eu também me interesso por mais velhos como você.

-Filho da puta! O que pensa que está fazendo!! Humm...-ouvi uma risadinha dele.

-Parece que o jogo virou para você-os portões foram abertos e o primeiro à sair, foi justamente Arming, que ao ver nossas posições me encarou feio, seu rosto ficou vermelho numa expressão de choro.

-ARMING!! ESPERA!-ele saiu correndo dali, não conseguia me livrar daquele cara, ele é muito forte. Então, por trás dele, um homem mais alto apareceu, empurrou o mesmo contra o chão e gritou:

-Se não quiser sair sem andar, é melhor cair fora daqui!!!-o pervertido emburrou de vez saindo dali à passos furiosos, o homem olhou para mim sério perguntando-Você está bem?

-S-sim...obrigado senhor. Pensava que você me odiasse...-abaixei a cabeça, eram aqueles mesmo óculos e cabelos negros de antes, o pai de Arming-Por que fez isso?

-Eu percebi ter sido um idiota da última vez. Mesmo não tendo uma aprovação de você estar saindo com meu filho, tirando todo meu preconceito de lado, sei que no final a resposta será a mesma: você é a pessoa que Arming gosta, certo?

-Se-senhor...posso te abraçar?

-EH?! Não!-um segundo se passou-Tá...-rodeei meus braços ao redor do seu corpo com felicidade.

-Obrigado! Obrigado! Muito obrigado!

-Okey, okey...deu, chega disso! Agora vamos! 

-Pra onde?

-Atrás do meu filho! Vocês irão se desculpar.

Com tudo em seu lugar, aos poucos a vida foi ficando cada vez mais feliz. Os pais de Arming, deixaram ele morar comigo após completar seus dezoito anos de idade, com um emprego de meio período consegui uma casa próxima do colégio onde ele estuda. Parei de beber e fumar, não só pelo meu próprio bem, mas pelo simples fato de que se eu seguisse consumindo esses tipos de coisas, menos tempo de vida teria para ficar ao lado de Arming.

Sempre fui de pouco sorrir, só me escondia porque as pessoas acabavam me seguindo apenas pela aparência. A roupa escura era um meio de disfarçar quem eu era, já o boné para esconder meu rosto, minha maneira de agir era para dar impressões erradas de mim, não me importava com o que os outros pensassem, pois o único que devia saber sobre mim mesmo, era eu. Mas quando você encontra alguém que ama, essa pessoa pode mudar tudo de ruim que tem sobre você, e foi isso que me aconteceu, não me arrependo de nada.


Notas Finais


Fim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...