1. Spirit Fanfics >
  2. Quer andar de meiota? - Jeon Jungkook >
  3. Milkshake de morango

História Quer andar de meiota? - Jeon Jungkook - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo! Espero que gostem, ótima leitura e perdão por qualquer erro.

Capítulo 2 - Milkshake de morango


Fanfic / Fanfiction Quer andar de meiota? - Jeon Jungkook - Capítulo 2 - Milkshake de morango

Yeongnam, Busan

1965

Bae Joohyun é a minha melhor amiga. É incrível como os nossos pensamentos são iguais e nos damos tão bem. Ela compartilha de muitas ideias parecidas com as minhas e só não se expressa tão abertamente por causa dos pais.

Depois de falar com o Jungkook ( e receber uma fala um tanto quanto inusitada do mesmo), fui em direção a casa da minha amiga, que era o local onde eu deveria ter ido desde que sai. 

— S/N! VOCÊ NÃO SABE DA MELHOR! - assim que ela abriu a porta, mal tive tempo de falar, já que ela foi logo me puxando. 

— Joohyun, o que aconteceu? - perguntei assim que entramos no quarto dela. 

— As suas roupas! 

— O que tem elas? 

— Conseguiram o nome! 

Eu fiquei sem entender, e foi aí que ela me mostrou. As pequenas calças que eu customizava tinham um nome: Shorts. Um nome americanizado, porém eu gostei. 

E os vestidos também haviam mudado. Estão menos "comportados". Admito que até senti vontade de ter um. 

— Joohyun! Isso é incrível! Finalmente não irão mais me olhar estranho - abracei a minha amiga, que sorria. 

— Você viu que lindos também ficaram os vestidos? Estão bem no seu estilo, amiga! Nós poderíamos comprar! E daí, quem sabe, o Jimin retribuísse seus sentimentos - falou, inocentemente. 

Um único problema de Joohyun é que ela era muito sincera. Sincera até demais, sincera até quando não tinha nenhum motivo. Óbvio que eu não ficava com raiva, eu sabia que esse era o jeito dela , que as vezes ela falava as coisas sem perceber. Mas tinha vezes que simplesmente... Me deixavam magoada. Como agora. 

Bae, percebendo seu erro, arregalou os olhos, me abraçando e me pedindo desculpas logo em seguida. 

— Me perdoa, S/N! Foi sem querer! Eu só pensei que-

— Tudo bem, Bae. Não foi nada demais - dei um sorriso fraco. 

— Claro que foi demais! Eu juro que nunca mais falo nisso, S/N. Seu estilo é único! E eu apoio você, eu não deveria ter falado isso. 

Park Jimin era o garoto que eu era perdidamente apaixonada. Era o garoto que podia ser considerado perfeito. Loiro, não tão alto, mas também não tão baixo, gentil e inteligente. E o principal: não participava de nenhuma gangue. 

O problema porém é que ele sabia que eu gostava dele. E fazia questão de me humilhar por isso. 

O defeito dele era justamente esse. Ele só gostava de meninas de um certo tipo, as do tipo "perfeitas para casar". As certinhas, as de casa, as "educadas". Ou como eu gostava de chamar: as que não tinham personalidade própria. 

Por isso Joohyun comentou sobre o vestido, já que o Park gostava de garotas que usavam vestidos. Mas tudo bem, eu não ligo. Isso vai passar. 

— Mudando de assunto, eu vim aqui te chamar para vir comigo e com o Tae na lanchonete. Vamos? - falei, me levantando da cama. 

— Claro! Eu estou faminta por um hambúrguer! - demos risada e saímos. 


{...}

Pink Lemonade

A música alta de Paul Anka podia ser ouvida na entrada da lanchonete. Era um lugar famoso pelos encontros de casais, onde geralmente os adolescentes da nossa idade iam para encontrar alguém, ou quando viam em casal, para namorar. 

O Pink Lemonade era um lugar amplo e bem organizado, com decorações em tons de rosa e amarelo. A coisa que mais fazia sucesso, com certeza, era a grande vitrola que ela possuía. 

Entramos eu, Joohyun e Taehyung, e escolhemos uma mesa encostada na parede, na janela, com a vista para o estacionamento, onde havia um lindo por do sol. 

— Bom, vamos pedir? - meu irmão perguntou e tanto eu quanto minha amiga, concordamos. 

Porém, antes que eu pudesse falar algo, Jeon Jungkook entrou no estabelecimento. Parecia que procurava por alguém. E minha dúvida foi cessada, assim que ele pôs os olhos em mim. Com o sorriso ladino de sempre, ele piscou um dos olhos e foi para uma mesa.

— S/N, o que vai querer? - meu irmão perguntou, visto que já tinha perguntado para a Bae e faltava apenas eu. 

— Milkshake de morango! - sorri e os ouvir gargalhar. 

— Você não muda nunca - Taehyung sorriu e se levantou. 

{...}

 A observava de longe, sempre cuidadoso para que o irmão dela não visse. Depois da briga de hoje mais cedo, se eu ousar falar algo para ela, provavelmente ele iria querer brigar de novo.

Eu estou cansado de brigar com o Taehyung. Além de sermos de gangues rivais, ele não aceita que eu esteja totalmente e completamente, apaixonado pela S/N. 

Sim, sou apaixonado por aquela garota. Seu jeito exótico de ser, sua beleza, seu modo de agir... Tudo nela me deixa completamente bobo. Porém, ela não me nota. Apenas, é claro, se eu brigar ou falar algo para seu precioso irmão. 

E também não se pode esquecer de que ela deseja Jimin. Todos sabem da paixão que ela sente por ele, e que o imbecil despreza. Como eu queria estar no lugar dele. Receber o seu amor, seu toque, seu carinho. 

Quando ela veio até mim hoje, fiquei surpreso. Mas sabia que ela é decidida e não tem medo de nada. Eu acho que não consegui disfarçar a minha cara de bobo apaixonado quando ela chegou um pouco mais perto. 

Eu só queria que ela me desse uma chance. Que deixasse mostrar que eu sou melhor do que ele. Que eu não sou errado como ela pensa, e que eu sou capaz de tudo por ela.

Eu vou me casar com você, S/N. 


{...}

Saindo da lanchonete, vimos que já estava tarde, porém o movimento ainda tinha bastante, pois era sábado. 

O problema, era que viemos os três de moto, e a noite a polícia fica ainda mais ativa e se por acaso nos visse, poderíamos ser até presos. Então, decidimos que o Taehyung levaria primeiro a Bae, e depois me buscaria. Com isso combinado, eles saíram. 

Estava encostada no muro, do lado do estacionamento da lanchonete, por onde Taehyung acabou de sair, quando vi alguém me chamar. 

— S/N? 

Park Jimin estava na minha frente. Com suas roupas despojadas e seu cabelo loiro brilhante. Só não era mais brilhante que o seu sorriso. 

— Oi, Park! - sorri, empolgada. 

— O que está fazendo aqui sozinha? 

— Esperando o Tae. 

— Você viu as notícias dos jornais? Suas... Roupas estão sendo usadas - o vi dar um sorriso forçado. 

— Ah! Vi sim, fiquei muito feliz - sorri mínimo. 

— Você viu os vestidos também? - fiquei um pouco confusa com a sua pergunta, mas respondi mesmo assim. 

— Sim... Eu vi, mas- 

— Por que você não usa, então? Sabe S/N, eu acho você uma garota tão linda... Mas acho que você se perde bastante. Você não deveria agir assim - o que ele estava tentando dizer? 

— O que? 

— Você acha que está certa agindo assim? A minha namorada quer usar esse tipo de roupa agora! Já que como agora se pode usar, ela quer. E quando eu disse que não iria comprar por que era errado, ela disse que não havia problema, por que você usa! - soltou tudo de uma vez, enquanto apontava o dedo para mim, me encurralando na parede. 

Eu queria tanto chorar. 

— Então, você acha isso certo? - me empurrou contra a parede. Mas antes que eu pudesse ter alguma reação e fizesse alguma coisa, vi o Park sendo puxado com força. 

— Deixa ela em paz, Park Jimin! - Jungkook segurava o loiro pelo colarinho da blusa. 

Largou o mesmo no chão e veio em minha direção. Eu ainda estava em choque. Eu gostava tanto do Park, nunca imaginei que ele pudesse ser tão duro e bruto comigo.  Sem eu ter feito nada para merecer tamanha humilhação. 

— Você está bem? - segurou um lado do meu rosto, me olhando nos olhos. 

— E-estou, não precisa se preocupar - tentei afastar o mesmo, porém ele continuou no mesmo lugar. 

— Ele não machucou você, machucou? 

— Não Jeon, não precisa se preocupar, já disse - falei, e não percebi que Jimin vinha por trás do mais alto, lhe dando um soco na nuca. 

Jungkook reagiu de imediato, dando um soco no loiro, que revidou. Porém por ser mais baixo que Jungkook, Jimin acabou se machucando feio, porém antes de ir embora correndo como um covarde, chutou a barriga de Jungkook, que caiu no chão na hora. 

— Jungkook! 

O ajudei a se levantar e o encostei na parede onde eu estava, sentando com ele no chão. Estavamos em uma parte escura, porém eu o enxergava bem. 

— Olha 'pra mim - ergui o seu rosto, vendo que sua boca estava com um corte e sangrava um pouco — Você não consegue parar de se machucar? - perguntei, irritada. 

— Está preocupada comigo? - sorriu mínimo. 

— Não é isso. Mas hoje é a segunda vez que você se machuca por minha causa. Deveria tomar mais cuidado. 

 — Eu estou bem, S/N - com a mão direita, fez um carinho em minha cabeça. 

— Obrigada por me ajudar - sorri mínimo. 

— Não tem de quê. 

— Consegue se levantar? - o moreno apenas assentiu e se levantou. 

— Acho melhor você ir, o Tae não vai gostar de te ver comigo - falei, um pouco sem graça. 

— Tudo bem - sorriu. 

Antes que ele pudesse subir na moto, o chamei. Fui chegando mais perto e plantei um pequeno beijo em sua bochecha. 

— Obrigada, de novo. 



Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Só para deixar claro eu sempre pesquiso sobre respectivos temas, então tem coisas que realmente são reais daquela época, ok?
Um beijo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...