1. Spirit Fanfics >
  2. Queria não ser Jeon Jungkook >
  3. Último

História Queria não ser Jeon Jungkook - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


E de uma forma meio inesperada... damos adeus à "Queria Não ser Jeon Jungkook".

Trouxe meu planejamento final para os taekook dessa fanfic e confesso que chorei um bocado por ter que me despedir.

Espero que gostem e que possam ler, por favor, as notas finais.

B o a
L e i t u r a 💜

Capítulo 13 - Último


Fanfic / Fanfiction Queria não ser Jeon Jungkook - Capítulo 13 - Último

Três anos depois

Jeon Jungkook


Eu estava sentado na minha cama olhando para o nada, pensando no que mais atormentava a minha cabeça nos últimos dois anos, quando ouvi sua voz melodiosa me chamando:

— Jungkook! Ei, estou te chamando faz meia hora. Está tudo bem?

Invés de responder a Taehyung, perdi um bom tempo admirando seu rosto bonito. Seus traços mais adultos, seu cabelo no meu tom de azul favorito outra vez, seus olhos castanhos que carregavam todo um universo… ele era poesia.

E eu nem era tão bom assim em português, hein?

— Eu… só estava pensando. Em uma coisa importante aí. — Acabei por responder.

— Eu posso saber o quê?

— Por enquanto, não.

— Por que não, hein?

— Porque eu não quero.

— Idiota.

— Bobão — respondi, dando um fim em mais uma de nossas discussões super sérias, lhe dando um beijinho. — Quer que eu te leve pra faculdade?

— Uhum. Aliás, vai ter que almoçar sozinho hoje. Tenho aula prática, vou demorar a chegar.

Ótimo. Mais tempo sozinho era tudo que eu precisava.

Depois de deixar meu futuro veterinário na porta de sua instituição, passar no mercado e em algumas lojinhas abertas às oito da manhã para pegar tudo que eu precisava, segui de volta para nosso apartamento, onde Minmin me esperava ansioso, deitado no sofá com seu irmãozinho dormindo ao seu lado. Banguela era um gatinho preto ainda filhotinho, que fora encontrado na rua por meu melhor amigo, que não tinha condições de cuidar do pequeno.

Acabou que eu virei pai pela segunda vez.

Me agachei para dar um beijinho na cabeça de cada um, acompanhado de um carinho bem caprichado e amoroso.

— Papai Kook tem que arrumar a casa, então não façam bagunça, ok? Se não o papai Tae vai matar a gente.

Minmin apenas mexeu seu narizinho e Banguela se espreguiçou.

Tirei tudo o que eu precisava das sacolas e coloquei comida para meus filhos, além de trocar a água e limpar o resto da casa.

Eu havia dito à Taehyung que minhas aulas de hoje foram suspensas, assim como eu havia recebido folga na empresa em que eu trabalhava, e que aquilo era uma grande coincidência.

Não era, mas foi apenas uma mentirinha branca para que eu planejasse tudo.

Usando como exemplo toda a decoração do pedido de namoro de Taehyung há quase quatro anos atrás, comprei balões em formato de corações, velas aromáticas e um buquê de rosas azuis. Também comprei sais de banho e os ingredientes para a comida favorita do meu garoto: lanches com hambúrgueres enormes.

Depois de arrumar tudo em seu devido lugar, arrumei algo para comer, enquanto assistia televisão com meus filhos no colo.

Eu havia recebido novas mensagens de Taehyung e, assim que as abri, eu suspirei aliviado.


Vida♡: Neném, vou sair com o Jimin para fazer compras depois de sair daqui, consegue sobreviver sozinho?

Vida♡: Dá um beijo nos nossos filhos por mim. Vou tentar não demorar <3

Vida♡: Acho que estou esquecendo de dizer algo…

Vida♡: Ah! Eu te amo. Hihi <3


Perguntei se ele já havia almoçado e após de ter uma resposta positiva, desejei boas compras e fui arrumar o que faltava. Depois de fazer os lanches bem caprichados, tomei um banho demorado e escolhi uma roupa bonita, porém simples. Arrumei o cabelo e tomei outro banho, só que de perfume dessa vez.

Me certifiquei que nossos filhos estavam dormindo confortáveis na casinha da sala e após tirar algumas fotos e boiolar por sempre dormirem juntos, eu fui acender as velas aromáticas do quarto, já que meu namorado havia acabado de mandar mensagem dizendo que já estava na entrada do prédio.

— Amor, eu chegu… Uou! Vai sair?

— É… não.

Minha voz saiu estranha. Timidez, saia de mim agora!

— Está arrumado pra ficar em casa? Mas não vou reclamar, 'tá um gato e muito… gostoso.

Eu não pude nem pensar antes de ser jogado no sofá. Mas antes que ele se sentasse em cima de mim, ele viu a mesa pronta e saiu correndo pra lá, dizendo que eu era o melhor namorado do mundo.

Eu sei, não dá pra acreditar, mas é a mesma pessoa sim.

Eu estava só esperando ele terminar de comer para seguir o plano. O bolso de minha calça jeans estava pesando até demais agora.

O segui até nosso quarto, depois de ele dar um beijinho em nossos filhos que estavam alheios a tudo que acontecia ao redor.

O parei na porta o segurando pela cintura, exatamente como ele havia feito anos atrás. O abracei por trás como ele havia feito comigo e abri a porta, ainda abraçado à ele.

— Eu acho que o pedido na cama está meio óbvio, mas vou perguntar mesmo assim — tirando a caixinha com as alianças do bolso, eu me ajoelhei em sua frente, nervoso como nunca, abrindo a caixa de veludo em sua frente. — Você é a pessoa mais incrível que já conheci, a pessoa que me apoiou, me aconselhou e me fez sorrir mesmo quando tudo pareceu perdido. Sei que ainda estamos novos, como diria a minha mãe, mas, eu simplesmente não consigo mais esperar. Então, reforçando a pergunta escrita ali… Quer casar comigo, Taehyung?

Esperei um, dois, três minutos. E ele ainda estava parado, respirando fundo, nervoso.

Meu joelho estava doendo e meus olhos estavam lacrimejando, achando que sua resposta poderia ser muito bem um "não". Abaixei a cabeça, tentando impedir as lágrimas de caírem, o que foi totalmente falho. Era oficial, Taehyung não queria se casar comigo.

Mas tudo que ele fez, foi se ajoelhar em minha frente. Levantou minha cabeça com as mãos, limpou minhas lágrimas e beijou cada uma das minhas bochechas, para depois beijar a minha boca, calma e carinhosamente como ele nunca havia feito antes. E naquele beijo eu descobri que um "eu te amo" muitas vezes podia ser dito com gestos e não palavras.

Quando nos separamos por falta de ar, ele sorriu quadradinho do jeito que eu amava que ele sorrisse.

A cada vez que Taehyung sorri desse jeito, uma fada nasce. Isso foi cientificamente provado por mim.

— É claro que eu quero casar com você, meu amor — ele finalmente respondeu, me abraçando tão forte, que pensei que ia ficar sem ar.

Nossos filhotinhos estavam ali, no canto da porta, notando a movimentação estranha. Mas assim que Taehyung estendeu a mão, Minmin veio pulando em nossa direção, sendo seguido por Banguela, que veio correndo da forma mais fofa que existia.

Estávamos ali, nós quatro, com uma família completa. Agora íamos nos casar e eu não poderia estar mais feliz.

Em pensar que há quatro anos, eu não queria nem mesmo ser Jeon Jungkook.

Agora só penso no quanto eu não mudaria nada do que fiz, se for pra ter esse final.

Se bem que nunca vai ser um final.

O amor é eterno como ele deve ser.


Notas Finais


Com muito amorzinho no coração, eu me despeço aqui de QNSJJ, depois de tanto tempo sem atualizá-la e depois de muita decisão.

Eu agradeço à todos que me acompanharam, aos leitores novos que estão chegando, pelas mais de 4K de visualizações, 200 favs e mais de 100 comentários.
Tudo foi com e por vocês, que me deram forças quando eu mais precisava.

Obrigada por cada feedback, cada favorito e cada elogio. Podem não saber, mas muitos aqui já salvaram inúmeros de dias ruins que eu estava tendo.

Obrigada por tudo, mais uma vez.
Fiquem para sempre com um dos meus primeiros frutinhos frutinhos nesse site.

Tomem cuidado com o coronavírus, lavem sempre as mãos como se estivessem acabado de cumprimentar o seungri e bebam bastante água!

Tia Sam ama muito vocês, obrigada por todo o amor que recebi aqui. ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...