1. Spirit Fanfics >
  2. Querida Senhorita Bae >
  3. Proposta

História Querida Senhorita Bae - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


...

Capítulo 2 - Proposta


Nervosismo. Essa era a palavra que definia Seungwan naquele momento. E dessa vez, nem era por conta da inegável beleza de sua professora; e sim do que a mesma estava em mãos: uma pilha de folhas, as quais continham aquelas provas, já com suas devidas notas.

A garota desistira de estudar no outro dia, por não conseguir se concentrar na matéria. Também teve que sair de seu quarto para ajudar seus pais com o jantar e presenciar mais uma de suas brigas, de qualquer forma.

E nos outros? Bom, ela até que tentou, mas, seu problema era realmente grave. Bae Joohyun estava mexendo demais com sigo. A ponto de sequer conseguir ouvir uma palavra em coreano sem sentir arrepios.

Céus! O que aquela mulher havia feito com Seungwan?

De qualquer forma, agora a garota estava terrivelmente nervosa e ansiosa, esperando ouvir sua nota em quanto a razão de sua excessiva distração chamava os nomes dos alunos.

A cada um dito, a garota de cabelos castanhos ficava mais aflita.

"Park Chaewon".

A garota certinha e que sempre tirava notas altíssimas. Não foi uma surpresa quando a professora anunciou mais um dez. Ela apenas assentiu, não dando muita importância à sua nota por algum motivo.

Son realmente não a compreendia.

"Kim Jisoo".

Uma de cabelos escuros e que se sentava uma carteira ao lado. A garota a amedrontava um pouco. Fazia parte do grupo de alunos que incomodavam Seungwan de vez em quando. Jisoo apenas suspirou quando ouviu uma nota apenas um pouco mais baixa que a dita anterior: 9,5. Ela não parecia tão feliz, algo que a canadense não entendeu.

Se tirasse as notas que ela tirava, estaria no céu.

"Kim Doyoung".

Seis. Apenas isso. Seungwan não sabia quase nada sobre o garoto, apenas que este costumava somente observar quando uma situação como as que passava aconteciam, ao invés de realmente fazer algo para impedi-las.

Só queria estar na média, como ele, naquela prova. Uma nota seis estaria de bom tamanho.

Vários outros nomes foram chamados em seguida, sem que a de cabelos loiros desse muita importância. Até que enfim o seu foi dito:

"Son Seungwan.", a professora chamou, com uma entonação levemente estranha.

"Sim?", ela respondeu, sentindo um nó em sua garganta.

Foi então que viu a senhorita Bae encarar-lhe por alguns instantes, para depois olhar novamente para sua prova e voltar olhos a mais nova depois. A aluna ficou extremamente confusa e preocupada com este ato.

"Venha falar comigo no fim da última aula."

Foi só.

A professora apenas disse isso, como se não soubesse o que esta simples frase causaria na garota de cabelos curtos. E provavelmente não sabia mesmo.

O sinal tocou logo depois, anunciando o início do intervalo, o que fez com que todos naquela sala, inclusive Joohyun, saíssem, deixando para trás apenas uma Son Seungwan totalmente desorientada.

Não sabia se todo esse alarde fora criado em sua mente pelo fato de ter que ficar mais tempo com sua paixão platônica em forma de professora e conversar com ela ou se porque, provavelmente, ela diria que tinha tirado uma nota baixa.

As duas possibilidades perduraram na mente da garota enquanto comia, na aula após o intervalo e então na próxima e na seguinte. Novamente Bae Joohyun estava tomando grande parte de seus pensamentos e a enlouquecendo. Só que dessa vez, por um motivo diferente.

Son nunca fora uma aluna ruim. Tirava boas notas em algumas matérias e em outras, nem tanto. Porém, costumava ser boa em linguística enquanto ainda estava em seu país natal. Ao menos até se mudar e Joohyun se tornar sua professora.

Foi só isso acontecer que suas notas despencaram.

Claro que as aulas de coreano que tinha com os pais ainda no Canadá não equivaliam as de uma escola de alta escala, mas não devia estar tão ruim assim. Seu problema era com a professora mesmo. Se ela não fosse tão bonita...

De qualquer forma, depois de horas de desespero, o fim da última aula — infelizmente — chegou.

Todos os outros alunos já haviam ido. Seungwan sentia seu estômago embrulhar mais e mais a cada passo que dava ao se aproximar da mesa de sua professora, que permanecia sentada à sua espera.

"Olá, senhorita Bae.", disse, fazendo um grande esforço para não gaguejar diante da mulher que aliás, parecia ainda mais linda naquele dia. "O que queria falar comigo?"

Joohyun, sem nada responder a princípio, começou a procurar algo na pilha de folhas e pastas que estava ao seu lado, até enfim encontrar a prova da aluna diante de si.

"Queria falar sobre isso aqui.", respondeu, colocando o papel sobre a mesa e deixando que a mais nova tirarasse suas próprias conclusões quanto à nota, que, por sinal, era vermelha. A mais baixa até então.

Os olhos de Seungwan se arregalaram no mesmo instante. Sua média vinha baixa, mas nunca tinha tirado uma nota vermelha.

"Eu não acredito.", disse, chateada.

"Eu também não.", a senhorita Bae respondeu. "Tive que corrigir sua prova novamente para ter certeza de que não tinha cometido algum erro.", continuou. "Seungwan, como você pode ter tirado uma nota tão baixa?", encarou a mais nova esperando uma resposta.

Ela se encolheu, não tendo coragem para olhar a professora nos olhos. E agora unicamente pelo medo.

"Não sei.", respondeu baixo.

"É, eu também não.", a de cabelos escuros rebateu, de forma rude, até. "Não presta atenção nas aulas? Eu sempre tento ensinar a matéria da forma mais clara possível, para você simplismente não dar a mínima?", perguntou, já sabendo que estava sendo um tanto dura demais.                                                                                                                        Son sentiu vontade de chorar enquanto escutava aquela bronca. Sua professora podia ser séria, mas nunca a tinha ouvido falar daquela forma com alguém.                                                                                        "Acha que seus pais ficariam felizes em saber que a filha anda tirando essas notas?", fez outra pergunta. Novamente, ela sabia que estava extrapolando, não que pudesse escolher ser mais gentil ou delicada. Também sentia seu coração apertar ao ver o efeito que suas palavras tinham na que as escutava. Estava tão triste quanto ela por dizer tudo aquilo. Mas isso, Joohyun não podia demonstrar. "O que aconteceu com você? Era uma aluna mediana e agora tira uma nota vermelha? Seungwan, isso é-"

Foi então que a mais nova não aguentou e começou a chorar. Ouvir a mais velha dizer aquelas coisas de forma tão fria fora demais para a garota. Não podia falar que sua falta de concentração nas aulas era por conta dela, que, além de ser sua professora, era outra mulher, o que definitivamente não era certo aos olhos da sociedade do país em que viviam e por isso começou a chorar. As coisas seriam tão mais fáceis se não tivesse se apaixonado por sua professora.

Joohyun sentiu-se imensamente culpada quando viu sua aluna deixando cair lágrimas daquele jeito. Desejou nunca ter dito nada do que disse. Sabia que tinha sido rígida demais e que a mais nova era apenas uma adolescente. Sabia também que deveria ignorar isso e apenas continuar com sua bronca. Era o que os professores tinham que fazer, não importa se quisessem ou não.

"Desculpe, senhorita Bae. A culpa foi toda minha.", foi então que Seungwan disse, impedindo a professora de continuar. A cena da de cabelos curtos se desculpando daquela forma era de partir o coração e saber que ela quem tinha causado isso deixava Bae ainda pior. "Eu sei que não tenho prestado atenção nas aulas e que só faço besteira.", a garota atropelava as palavras, soluçando. "É que tantas coisas ruins estão acontecendo. Tem meus pais brigando, os alunos que vivem me incomodando, as pessoas me cobrando sobre que profissão eu deveria seguir e... e...", àquele ponto, simplismente cuspia as palavras, tentando dar alguma explicação para aquela nota, mesmo sabendo que o real motivo estava a sua frente.

E este, no caso, sua professora, assistia horrorizada àquela cena. Não sabia que Seungwan passava por tantos problemas. Até tinha certo conhecimento sobre as implicações dos colegas de classe, assim como os outros professores, que também eram aconselhados a não interfirir, mas não tinha como advinhar as outras coisas que vinham acontecendo a garota.

Um silêncio quase que sufocante se instaurou naquela sala depois dos instantes em que o som do choro e das justificativas da mais nova estava presente.

A coreana podia não demonstrar, mas se encontrava numa luta interna com sigo mesma. Por um lado, queria, e como queria, confortar a garota que via tentar se acalmar e parar de soluçar diante de si. Por outro, tentava manter o profissionalismo e apenas continuar com suas duras palavras. Entretanto, não tinha coragem para fazer nenhuma das duas coisas, ficando apenas calada, sem conseguir deixar uma palavra sequer sair de sua boca.

Por mais que não gostasse do protocolo que dizia que tinha que ser firme com os alunos e não se apiedar, Son fora a primeira que conseguira fazê-la sentir vontade de ignorar todas as suas obrigações e fazer o que realmente queria fazer. Ela era a única que conseguia fazer Joohyun perder a postura. Como a professora odiava isso.

Foi então que, por não aguentar mais tudo aquilo, Seungwan se virou, com a intenção de ir embora. Não tinha mais nada que fazer ali, senão sair. Já tinha irritado sua professora o suficiente.

Entretanto, quando tentou fazê-lo, foi surpreendida com a voz da mesma pedindo:

"Espere!"

Ela parou.

"Eu acho que posso te ajudar.", a frase fez com que a mais nova subitamente se virasse e encarasse Bae com um olhar surpreso, não exatamente pelo que ela disse, mas sim por como o fez: dessa vez, não usando seu tom autoritário e frio, como sempre fazia. "Talvez eu possa te dar algumas aulas extras e assim você poderá tirar notas mais altas nas provas de fim de semestre. Isso garante que você não fique de recuperação."

"Senhorita Bae, eu não quero tomar seu tempo.", respondeu de imediato. Ainda estava surpresa por ter visto um lado mais humano em sua professora de Coreano.

Bom, o que disse era a verdade. Sem contar que não sabia ao certo se ter aulas particulares com o motivo de suas notas baixas a ajudaria ou não, por mais que reconhecesse que precisava — e muito — de ajuda.

"Seungwan, eu sei gerenciar meu tempo. Estou te oferecendo ajuda porque sei que precisa, mas, se não quiser recuperar suas notas, não posso fazer nada.", a mais velha disse, voltando a falar com grande frieza. E novamente não porque era sua vontade, mas os professores eram obrigados a manter certa distância dos alunos. Para falar a verdade, até mesmo o fato de estar oferecendo ajuda já não seria bem visto.

"S-sim, senhorita Bae.", a aluna respondeu, inevitavelmente gaguejando. "Eu aceito sua ajuda."

"Ótimo, então fale com seus pais e vamos ver os dias da semana em que pode ficar até mais tarde. É só.", Joohyun disse, já começando a juntar suas coisas para também ir embora. "Ah, e seque essas lágrimas, podem pensar que eu te fiz alguma coisa."

Na verdade, tinha feito, há mais ou menos um ano, quando tornou Seungwan uma boba apaixonada, a ponto de não conseguir sequer prestar atenção nas aulas. Mas isto não vinha ao caso agora.

"Certo.", respondeu, fazendo o que a professora havia pedido. "Obrigada, senhorita Bae."

E então, ela saiu.

No momento em que Son passou pela porta, a mais velha deixou escapar um profundo suspiro. Tinha agido de forma nada profissional ao sentir pena. E mais ainda quando decidiu oferecer ajuda.

"Droga, Seungwan.", xingou.

Era incrível como essa garota a fazia ignorar completamente toda a ética que tinha que manter como professora.

Son Seungwan vinha sendo um pesadelo para Joohyun desde que começou a trabalhar naquela escola.


Notas Finais


Acho que quem já tinha favoritado a história quando ela era one shot vai se surpreender com uma notificação do nada. Desculpa pelo alarme falso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...