1. Spirit Fanfics >
  2. QUERIDO ADVOGADO- imagine PARK JIMIN(ONESHOT) >
  3. Consulta interessante

História QUERIDO ADVOGADO- imagine PARK JIMIN(ONESHOT) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


*TUDO NESSE IMAGINE É FICTÍCIO*



Perdoem os erros ortográficos;

Capítulo 1 - Consulta interessante


Fanfic / Fanfiction QUERIDO ADVOGADO- imagine PARK JIMIN(ONESHOT) - Capítulo 1 - Consulta interessante




Todos os documentos e provas contra meu marido, desde extratos bancários feitos por ele para saber sobre o meu dinheiro à inúmeras fotos do mesmo cometendo adultério junto a várias mulheres ao seu redor, tudo estava pronto para a tão esperada ocasião.



É o famoso artigo 171, quem pratica esse crime, pode ser condenado a penas que variam entre 1 a 5 anos de prisão, além do pagamento de multa, e era isso que eu queria, a condenação do “Sr.Min” será daqui a uma semana.



Mas antes disso acontecer ainda teria que acontecer mais uma coisa, precisava falar com meu advogado sobre a ida ao cartório para o urgente divórcio, ter aquele sobrenome era de dar desgosto na minha visão e todas as pessoas que sabiam de todo o acontecido.



 ...



Ela apenas teria que ligar e ir ao escritório do doutor Park e era justamente aquilo que ela iria fazer, rapidamente foi ao closet em seu quarto e vestiu uma saia preta curta com um blazer clássico completando o conjunto, logo após isso pegou seu celular em cima do criado-mudo e discou para o número do escritório de seu advogado.



                          Ligação;



Xx:Escritório do Sr.Park, o que deseja?-a voz melosa da secretária fazia doer os ouvidos de qualquer um.



____:Olá sou eu, Min ____, gostaria de saber se o doutor Park está disponível para ter uma conversa breve comigo.- disse enquanto procurava as chaves da porta do apartamento- Será apenas uma conversa rápida sobre um divórcio.



Xx:Ah Srta.Min é você, não creio que poderar ter essa conversar com o Sr.Park, ele está muito ocupado no momento- diz totalmente entediada- Tente outra hora, Sr.Park é bem procurado, creio que saiba disso.



____:Certo, provavelmente amanhã eu marco alguma consulta com ele ou algo assim,desculpe o incômodo- rapidamente uma voz alta masculina ecoa pelo local.



Xx:Quem é Jasmine?-aquela voz é reconhecida, era o Sr.Park, ele parece um pouco bravo- Vamos me diga, já estou muito estressado pela confusão daquela empresa por sua culpa.



De certeza, ele estava muito bravo.



Xx:M-me desculpe chefinho, é a Srta.Min-Jasmine diz em um tom baixo- Ela deseja ter uma conversa com o senhor hoje.



Park:Srta.Min?, me dê este telefone!- logo escuto sua voz bem mais perceptível- Deseja falar sobre a audiência senhorita?



____:Não doutor, eu quero falar sobre um divórcio, não quero ter algum tipo de contato com o traidor.



Park:Se quiser vir agora, eu tenho tempo suficiente para você- certo eu levei isso para o outro lado- sei como se sente e estou disposto para ajudar a senhorita-disse ele com uma voz suave.



____:Ótimo, daqui a alguns minutos eu chego aí.



Park:Certo, estarei lhe esperando.-desliga em seguido causando um silêncio desconfortável.



                     Fim da ligação;



O doutor Park certamente é um rapaz com aparência seria e brava aos olhos de muitos e muitas, isso que é o mais intrigante, excitante e desafiador, não deveria ter esses tipos de pensamentos, logo agora que infelizmente ainda estou casada, mas é impossível e eu não me importo de qualquer maneira, ele seria  um cara que com certeza eu me entregaria fácil.



Um rapaz alto, elegante, inteligente e extremamente bonito, até mesmo homens “altamente héteros” diriam que o Park é um homem esplêndido se não tivessem masculinidade tão frágil.



Vejo uma coisa brilhando refletindo a luz em baixo do sofá, as chaves!, me agacho com um pouco de dificuldade para pegar-las por conta da saia mais consigo e logo saio do apartamento indo em direção a garagem seguindo o olhar ao carro carro esportivo branco, por sorte o desgraçado do Min não leva ele junto com o meu dinheiro. 



Assim que entro no carro, ligo a rádio deixando em uma estação lenta, indo em direção ao escritório do homem bonito logo a música me faz ter certos pensamentos com o mesmo enquanto sigo dirigindo.



Eu estava no meu telefone, eu tenho opções

E eu não quero dizer para você largar

Mas eu não quero ser injusta, sim, sim

Algo que me faz olhar para você com muita frequência

E querido, você pode dar algo

Querido, eu posso fazer hora extra, oh



Oh Deus, tire esse homem da minha cabeça pelo menos por agora, se eu continuar pensando nele dessa maneira é capaz de eu querer agarrar ele assim que o ver.



Não sei o que é isso

Eu não posso te dizer o que é

Mas você me deixou louca

O sexo com você é tão incrível

Quanto tempo você pode aguentar, amor?

Melhor por último para o meu corpo, então porque é louco- Summerwalker/body



Okay, chega de rádio por hoje, eu já estou perto do escritório e não posso parecer que estava seduzindo o Park em minha cabeça. Após mais alguns minutos depois de desligar o maldito rádio chego à frente do prédio luxuoso, respiro fundo antes de sair do carro tirando qualquer resto de safadeza em meu corpo.



Certo, agora é a hora, se prepare ____, entro no local indo em direção ao elevador, apertando o botão direcionado ao andar do advogado sinto o nervosismo e um arrepio por todo o meu corpo, provavelmente deve ser o frio.



Assim que as portas se abrem vejo a secretária de cabeça baixa checando alguns papéis, a morena dos olhos verdes percebe minha presença e começa a me olhar da cabeça aos pés com uma expressão de raiva, é uma mulher realmente linda e pelo o que ela demonstrou mais cedo deve ter algo com o Park, muito ciumenta. Vou em sua direção com um leve sorriso tentando demonstrar um ar de simpatia, logo devolvido por um falso de Jasmine.



Está confirmado esta mulher me odeia.



-Olá Jasmine, eu posso falar agora com o Dr. Park?



-Sim- revira os olhos- Corredor a direta, sala dois.



-Certo, obrigada!- sorrio simples.



Me viro em direção ao corredor assim que escuto uma frase que me deixou bastante irritada.



-Esperava ter mais respeito Srta.Min, não pensava que se entregaria tão fácil assim- ri de forma irônica olhando descaradamente meu corpo.-Com certeza o senhor Min devia ter trabalho com você não é mesmo.



-Como é?- digo a encarando incrédula com a fala de Jasmine.



Antes que eu começar a gritar sou interrompida pelo Park.



-Oh Srta.Min, Jasmine por que não me avisou que ela havia chegado?- ele encara Jasmine com uma expressão neutra porém estranha.



-Desculpe chefinho, ela já ia para a sua sala- Jasmine revira o rosto voltando a atenção aos papéis. Estranha.



-Então.. podemos ir para a sua sala?- meu rosto começava a suar por algum motivo desconhecido- preciso conversar com você sobre o divórcio.



-Certo vamos para a sala- ele vem em minha direção ficando ao meu lado me guiando para a sala enquanto segura minha cintura fortemente.



Já dentro da sala trancada, observo as estantes cheias de livros e os grandes quadros preto e branco.



-Você tem muito bom gosto- disse me sentando na cadeira em frente a sua mesa- a sala é realmente bonita.



-Obrigado, são apenas para enfeite mas se admirou tanto assim tudo bem- ele começa a se mexer na cadeira de couro buscando ficar confortável mas não estava adiantando nem um pouco- Então, quer que eu ligue para o advogado do Sr.Min para falar sobre o divórcio.



-Se você puder fazer isso eu agradeço, espero que o desgraçado pelo menos entenda isso- jogo a cabeça para trás sentido o nervosismo passar um pouco.



-Sabe que se ele não querer aceitar isso de uma maneira tranquila teremos que ter outra audiência no tribunal, certo?- ele me olha curioso- Espero que isso não lhe atrapalhe senhorita.



-Tudo bem, eu não ligo, só quero esse nome longe do meu- volto a encara-lo, ele ainda continuava se contorcendo- Está tudo bem doutor?



-Ah sim, apenas o terno me pinicando um pouco, está calor não acha?-ele se levando indo em direção ao mini bebedouro pelo da porta.



Após alguns segundo sinto olhares abaixo às minha costa, me viro me deparando com Park encostado na parede com um copo de água me encarando, oh Deus esse olhar.



-Tem alguma coisa em mim?- indago devolvendo o mesmo olhar.



-Acho que a senhorita deveria prestar um pouco mais atenção nas roupas que você usa- ele joga o copo voltando a mesa ainda me olhando- algumas pessoas podem ter outros pensamentos, digamos que... inadequados 



-A sua secretária disse a mesma coisa, o que vocês querem dizer com isso?- olho para minhas roupas de cima a baixo e assim que paro os olhos na saia acho minha resposta.



Ela estava rasgada bem na parte de trás, mas como isso aconteceu?, ela não estava assim quando eu a vesti.




“Vejo uma coisa brilhando refletindo a luz em baixo do sofá, as chaves!”




Ah, maldita hora para estar com uma saia rasgada, rápido ____ pense em alguma coisa.



-Me desculpe por isso doutor, eu não havia percebido isso- tiro meu blazer ficando apenas com a blusa social branca- Mesmo assim, obrigada por me falar- amarro meu blazer em minha cintura na tentativa de cobrir o rasgo.



-Tudo bem, o Sr.Min realmente tinha sorte não é?!- ele começa a me encarar de forma diferente por mais que não percebesse, observo sua postura e paro o olhar em suas calças, ele estava excitado.



Isso está ficando interessante.



-Não sei se posso dizer a mesma coisa- olho para minhas coxas e começo a brincar com meus dedo- Da forma que eu entendi sua fala, posso falar que ele não me satisfazia.



Aquele desejo já estava começando a me consumir, o desejo de me entregar para aquele advogado, eu apenas precisava de um sinal, apenas um e eu não hesitarei em me entregar para esse homem.



-Entendo, deve ser duro causar prazer em você- ele cruza os bravos fazendo seu peitoral ficar mais amostra na blusa social- Uma mulher tão difícil pela minha visão.



-Não me acho difícil- também cruzo os braços, forçando meus seios- Para você eu não seria.



-O que quer dizer com isso Srta.Min?- ele volta com o olhar de antes quando estava bebendo água.



Aquele olhar, era um sinal, finalmente Park.



-Por favor, apenas ____ hm?- me levando indo para atrás do mesmo- você fica lindo terno sabia?



Deslizo minhas mãos por todo seu braço sentindo um arrepio assim que todo sua mão gelada que estava suando frio, olho para seu rostos e seus olhos estavam foçados completamente em minha boca, perfeito.



-O que era que conseguirá fazendo isso senhorita____?- ele continuava encarando meus lábios com desejo- Eu não costumo ficar com minhas clientes diariamente.



-Diariamente?, me explique melhor doutor- saio de trás do belo rapaz me encostando na mesa em sua frente quase sentando sobre ela.



-Sabe como é, não gosto de deixar uma mulher necessitada- ele começa a encarar minhas pernas que estava um pouco cruzadas- Principalmente se a causa da excitação for eu.



-Você não irá acreditar se eu disser a você, que eu estou necessitada neste exato momento- lentamente tiro o blazer que estava na minha cintura e sento em uma de suas coxas- e a causa é você doutor.



Chego perto de seu rosto deixando nossas bocas mais próximas, sua respiração estava acelerada, como também sentia sua ereção sob mim.



Me afasto rapidamente quando o vejo fechar os olhos,levanto de seu colo e vou em direção a uma de suas prateleiras pegando um de seus livros, tudo na intenção de fazê-lo olhar para meu rasgo, e pelo visto estava dando certo, já conseguia sentir seu olhar sob mim, um olhar de desejo.




Quero que ele sinta desejo por mim como eu estou por ele.




Ouvi seus passos chegando cada vez mais próximo de mim, já conseguia sentir sua respiração perto do meu pescoço, até que ele toma fala;



-Então está excitada senhorita ?- ele coloca seus braços em minha cintura o puxando para mais perto de si- devia ter me falado antes, deve ter percebido que estou na mesma situação que você.



Em um movimento rápido ele me vira ficando cara a cara comigo fazendo o livro que estava em minhas mãos cair no chão, sua expressão sedutora, seus lábios carnudos avermelhados, só aumentavam minha vontade de ter aquele doutor em minha cama, apenas em olhá-los era um convite para a ânsia de um beijo, e era isso que eu queria no momento.



Levei uma de minhas mãos em sua nuca e outra em seu ombro o puxando para perto do meu rosto.



-O que você acha, hm?- sussurro o encarando nos olhos.- Por que não me ajuda?, disse que não gosta de deixar uma mulher necessitada.



-Preciso do seu consentimento- ele segura meu queixo levantando meu rosto- E então, posso tê-la para mim bela moça?



-É claro doutor- fecho os olhos sentindo aquelas lábios carnudos e macios que tanto queria sentir, ele pede passagem com a língua e rapidamente cedo, sentia sua mão apertando minha cintura a puxando para frente sentindo sua ereção perto de minha intimidade.



Aquilo estava tão bom, cada seguindo que passava enquanto tinha aquele beijo molhado e necessitado fazia meu corpo esquentar cada vez mais, eu precisava de mais, era incrível como simples atos daquele advogado já fazia meu corpo querer tê-lo.



Pego uma de suas mãos abaixando-as levando em direção a uma de minhas coxas quase em minha intimidade, no exato momento solto um gemido sentido um aperto um minha bunda.



-Por favor doutor- digo entre o beijo- Me ajude.



Ele sua mão de minha coxa e me vira me guiando até a mesa enquanto dava selares molhados e chupões em meu pescoço,sentia uma de suas mãos abaixando o zíper na parte de trás me saia.



-Quero que fique bem quietinha- sua mão segue até minha intimidade ficando por cima de minha calcinha, ele passa a mão por cima de minha boceta logo começando a pressionar meu clítoris que já estava sensível aos seus toques- Você é mais safada do que eu pensava, vou lhe mostrar o quando sou melhor do que aquele seu maridinho.




Ele joga meu tronco para cima da mesa me fazendo deitar, ele desce suas mãos até minha saia a puxando para baixo. Sua respiração em minha pernas me deixava cada vez mais ansiosa. Ele puxa minha calcinha para o lado lhe dando total visão de minha intimidade- Tão linda, parece deliciosa- ele se aproxima mais, no momento em que sinto o primeiro contato de sua língua dou um gemidos manhoso e baixo, ela é tão macia e quente, não iria demorar para ter um orgasmo ali mesmo.



-Está tão molhada senhorita, quero que fique mais- ele revezava  em chupar meu clítoris com precisão e lamber toda a extensão de minha vagina, aquelas sensação que eu nunca havia sentido em nenhuma transa, lá estava ele me proporcionando um prazer totalmente diferentes dos outros, eu queria cada vez mais, precisava de mais dele, mais alguns minutos com aquela língua e já sentia o meu orgasmo se aproximando e acho que ele percebeu isso- Se vire e deite na mesa, quero ver você melhor-Assim faço o observando tirar cada peça de roupa, aquele corpo magro levemente musculoso chamava ainda mais minha atenção, somente com aquele rosto já conseguia conquistar qualquer mulher.




-Eu desejo vê-los- Ele se joga por cima de mim iniciando mais um beijo maravilhoso enqjuanto uma de suas mãos apertava meu seio e outra estimulava meu clítoris- Tira essa blusa para mim- tiro a blusa junto ao sutiã o encarando, sua expressão era tentadora, ele estava praticamente me comendo com os olhos.



- Ah são tão lindos- Começa novamente com os beijos no pescoço descendo lentamente para meus peitos dando leves selares,eu precisava sentir ele alí. Logo ele começa a chupa-lós com vontade dando leves mordiscadas, mais alguns minutos e eu sentia novamente o orgasmo, o seu olhar me encarando enquanto fazia aquilo era incrível.




Ele começava a estimular cada vez mais rápido meu clítoris ao mesmo tempo que chupava meus seios, aquilo já estava me levando à loucura- Goza para mim hm?- aquilo foi a gota d’água, segundos depois eu já havia me despejado para ele, meu corpo fervia com aquele olhar em cima de mim não deixando nenhuma gota de esperma, mas eu queria que ele sentisse o mesmo que eu.




O empurro com as pernas me levantando lentamente, puxo um de seus braços o trazendo em direção a cadeira de couro- Isso foi bom, mas também quero dar prazer a você- o impulsiono a sentar na cadeira, ele apenas me olhava com atenção observando cada movimento meu com um sorriso ladino no rosto.




Me agacho segurando cada uma de suas coxas enquanto o encarava com o olhar penetrante- Você está adorando isso não é?, espere até eu entrar em você- rapidamente levo uma de minhas mãos a base de seu pau começando um masturbação lenta. Ele estava tão duro e aquela glande molhada com pré-gozo me deixava mais ansiosa, mal podia esperar para sentar nele.




-Coloca a boquinha nele linda, você está me deixando louco desse jeito- faço o que ele pede, começando a dar selares por toda extensão de seu pau correspondidos por arrepios e arfares do Park, lentamente início lambidas pela glande, ele estava tão atraente,  a cabeça jogava para trás a cada gemido é de volta para frente voltando a olhar em meus olhos, era uma visão divina.


Sem menos esperar, abocanho aquele pau dando um chupão forte arrancando um gemido alto quase como um rosnar, aqueles olhos pregados em mim, ele leva uma de suas mãos aos meus cabelos o agarrando forçando minha cabeça para baixo me tirando daquele olhar.


-Ah isso mesmo, chupa ele bem gostosinho- ele fazendo os movimentos e eu apenas o acompanhando, aquilo era delicioso, o prendo em minha boca o apertando quase me engasgando com tal ato, sem me importar volto com os movimentos de sobe e desce olho para cima e o mesmo me encarava mordendo os lábios, imagino se será assim quando estiver dentro de mim- Isso, continha assim sua putinha- ele volta a força minha cabeça me deixando louca.



Não acredito que estou tão entregue dessa maneira, ainda mais para o meu advogado, mas no fim, era óbvio que eu faria de tudo para ter pelo menos uma foda com ele, não é todo dia que você vê um homem desses e pode foder com ele dessa maneira, agradeço a internet por ter indicado logo de primeira esse advogado.



Mas algumas chupadas e o sinto latejar dentro de minha boca, os gemidos aumentavam a cada descida e subida, o orgasmo dele já estava próximo, tiro de minha boca seguindo com uma punheta rápida e molhada- Já tá perto amor?- a solta um gemido de reprovação, com certeza se ele fizesse isso comigo me irritaria- Sim, porque não volta logo ao seu trabalho? Estou doido para gozar nessa boquinha deliciosa.




Ele passa um de seus dedos em minha boca logo o enfiando em minha boca, o chupo por completo o encarando, ele parecia estar adorando aquilo, em seguindo volta com as mãos em meu cabelo colocando de volta aquele pau em minha boca, de volta com aqueles gemidos maravilhosos sigo fazendo os movimentos novamente sentindo-o latejar, mais alguns minutos e sinto os jatos quentes invadirem minha boca, que rapidamente fiz o favor de engolir tudo, ao mesmo tempo que ouço um gemido arrastado do maior.




-Puta que pariu ____- ele levanta meu rosto me fazendo olhá-lo, ele estava lindo, o cabelo preto suado, os lábios vermelhos de tanto ser mordidos, era um pecado- Como você é gostosa, vem aqui- ele puxa meu rosto me levantando me aproximando de seu rosto iniciando um beijo molhado e selvagem, aquelas língua a minutos fez eu ter um dos melhores orgasmos me explorava, me deixando excitada novamente.




O puxo em direção a mesa- Me fode com força doutor- digo entre o beijo sentindo o sorriso do Park- Eu quero muito você dentro de mim... advogado- Em um movimento rápido ele me faz deitar novamente naquela mesa, o olhar dele percorrendo todo o meu corpo me deixava mais quente a cada segundo.



Ele se aproxima deixando nossas intimidades roçarem uma na outro me fazendo arfar, era incrível sentir ele ali- Oh vadiazinha eu quero tanto de fuder- ele fica por cima de mim fazendo movimentos fazendo seu pau roçar bem em cima do meu clítoris que já estava sensível- Você não tem noção do quanto eu quero isso também- disse o encarando no fundo dos olhos.


Jimin começa a beijar meu pescoço na tentativa de me relaxar enquanto se encaixa em minha entrada, solto um gemido recebendo outro do Park ao mesmo tempo, sentir ele por inteiro dentro de mim era uma sensação totalmente incrível- Porra... tão apertada ahh gostosa- ele havia me dado um tapa tão ardido que talvez a marca ficaria ali por um tempo, mas eu não ligava, eu queria, queria ser usada por ele de todas as posições possíveis.




Poucos minutos depois ele já estava me fodendo de forma bruta, os gemidos dele misturados com os meus em perfeita sintonia, uma foda sem igual, minha bunda já estava vermelha pelos tapas, e eu adorava isso. Meus mamilos duros sendo cuidados pelas suas mãos, aquilo estava excitante demais.




-M-mais rápido Jimin...caralho!- meu interior começava a aperta-lo forte, enquanto ele dava mais chupões e mordidas no meu pescoço e peitos, eu já estava sensível demais- Oh ____ precisamos de mais consultas assim- ele olha para mim aproximando novamente nossos rostos fazendo nossos lábios roçarem, eu puxo seu pescoço começando um beijo sedento, as estocadas brutas faziam meu corpo se movimentar tão rápido.




Seus braços apertavam forte minha cintura lhe dando mais controle, seu rosto levemente suado, aquela visão, aquele homem, ele é incrível, não tenho nem dúvidas que se ele quisesse isso de novo eu aceitaria na hora, ele me desperta curiosidade.




Mais uma vez sentia meu interior o apertar, infelizmente estava perto do meu maldito orgasmo, meus gemidos junto aos dele já estavam em um nível diferente, com certeza qualquer pessoa que passasse por aquele corredor nós ouviria. 




Levando minha cabeça indo em direção ao seu pescoço deixando um chupão e em seguida uma mordida- Eu ‘tô quase ____-ele me encara- goza comigo hm?, quero sentir seu melzinho escorrendo no meu pau- ele aumenta o ritmo das estocadas enquanto desce sua mão meu clítoris o estimulando. Até a voz rouca no meu ouvido estava sendo um gatilho naquele momento, no instante em que ele da mais um chupão em meus peitos e uma estocada forte o sinto gozar, mais umas estocadas e era minha vez, nossos gemidos já estavam baixos e sincronizados, eu estava acabada, aquela foi uma das melhores transas que eu tiver, se não, a melhor.




-Foi ótimo tê-la aqui senhorita- ele me dá um selinho junto a um beijo na bochecha, fofo- Obrigada por me receber Sr.Park- passo meus  dedos por seu rosto recebendo um sorriso bonito- Acho que podemos resolver as coisas sobre o divórcio outro dia certo?- indago.




-Claro!, espero que esteja satisfeita agora- ele se levanta pegando suas roupas a colocando de uma forma bagunçada- Estou muito mais que satisfeita doutor- me levanto fazendo o mesmo ato.




-Acho que você terá que voltar para assinar mais alguns papéis sobre o caso do seu marido ___- ele senta na cadeira me observando- Espera... você havia dito que eu assinei tudo, isso é uma desculpa para lhe ver?- me sento na mesa de pernas cruzadas jogando a cabeça para o lado.




-Se der certo...então sim- ele solta uma risadinha com as bochechas levemente vermelhas- Talvez eu venha doutor- desço da mesa e vou para sua frente me abaixando, o olho nos olhos, tão pequenos. Início um beijo carinhoso e lento, acho que vou me viciar nesse beijo. Mais um minutos daquele jeito e nos separamos pela falta de ar- Acho que já vou indo, adeusinho doutor- me afasto lentamente indo a porta a abrindo. 




Paro a frente da mesma lembrando do que aconteceu a apenas alguns minutos atrás soltando um sorriso, ah aquele homem.




-Lhe vejo no tribunal senhorita.





















Notas Finais


*TUDO NESSE IMAGINE É FICTÍCIO*




Perdoem os erros ortográficos;


Link no wattpad; https://my.w.tt/MGISyk65R8


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...