História My Lost Heaven (Em Edição...) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Carla Tsukinami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Carla Tsukinami, Depressão, Diabolik Lovers, Drama, Ecchi, Hentai, Kanato Sakamaki, Kino Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Lemon, Morte (s), Mukamis, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Romance, Ruki Mukami, Sadomasoquismo, Sakamakis, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Suspense, Tortura, Yaoi, Yui Komori, Yuma Mukami
Visualizações 545
Palavras 1.204
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Festa, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo, pessoal.
Espero que gostem...

Capítulo 5 - Good-For-Nothing


Fanfic / Fanfiction My Lost Heaven (Em Edição...) - Capítulo 5 - Good-For-Nothing

Chapter Five: Good-For-Nothing

[•••]

[Pela Noite…]

Naquela noite estava havendo um temporal e todos na sala de jantar, jantando normalmente enquanto Reiji informava às noivas que naquela noite mesmo elas iriam ao colégio.

— Colégio ainda hoje? Não acredito, e ainda por cima em um temporal destes...? — Izumi arqueou as sombrancelhas incrédula.

— ... Nunca me livro de uma... — Yuma apoiou o braço direito na mesa.

— Se vocês não têm este hábito, deverão obter à partir de agora. — Reiji cruzou seus próprios braços, com a mesma postura ríspida que sempre obtera.

— Tanto faz. — Ayame mostrou-se indiferente.

— Bom, terminem logo que já separei os seus uniformes, estão em de suas camas. — Reiji ajeitara seus óculos enquanto informara as mesmas.

—Que bom que já temos empregados. — Megumi olhou para Reiji com um sorriso debochado.

— Creio que a senhorita não gostaria de me ver irritado, certo? — Reiji pôs a mão na própria testa.

— Verdade, porque o quatro-olhos irritado é pior do que o normal. — Ayato sussurrou.

— O que disse, Ayato?

— Eu? Nada...que tal jantarmos, não é?

[X Quebra De Tempo X]

Ao terminarem de jantar, todos foram aos seus quartos devidos quartos e começaram a se arrumar.

Passou-se minutos e foram à limousine, onde todos reclamavam a cada instante por terem de ir às aulas.

— Esperem um pouco, está faltando alguém. — Reiji olhou para todos ali presentes, vendo quem faltava.

— Nossa, sério que só notou agora? — Mida questionou aparentemente entediada.

—Não é possível, Shu... — O moreno confirmou a si totalmente irritado.

— E então, descobriu quem foi ou ficará aí parado feito uma mula? — Ayato revirou os olhos, impaciente.

— Já volto, esperem-me aqui. — Reiji deu meia volta, indo à procura do irmão mais velho.

— Vamos esperar mesmo? — Indagou Yuma.

— Claro que não, motorista, pode ir! — Ayato ordenou.

— E-Espera, vocês não vão esperar por eles? — Izumi questiona confusa.

— Claro que não, só quero ver a reação do Reiji. — Laito caíra na risada.

— Bem que poderíamos cortar caminho e matar aula. O que acham? — Mida sugere.

— Não! Nós devemos ir às aulas, aliás está chovendo! — Megumi rebateu o comentário da irmã mais nova.

— Concordo com Megumi. — Ruki assentiu, lendo seu livro.

— Ah, tudo bem, senhores certinhos! Vamos logo para a merda do colégio.

[•••]

Reiji procurava por Shu em todos os lugares e gritava furioso pelo mesmo, o rapaz moreno já estava à ponto de matá-lo.

O mesmo logo recordou que não havia procurado pelo jardim, e o mesmo seguiu até lá, onde viu Shu sentado no chão, aparentando estar com os pensamentos distantes.

— Shu, eu irei matar-te! — Reiji gritou dominado pela raiva.

— Ah, é só você, Reiji... — Shu mirou em direção ao moreno, sem aparentar indiferença. — Você não deveria estar na aula?

— Sim, eu deveria, mas por sua causa irei me atrasar! Aliás, por que não vestiu o seu uniforme?

— E desde quando você se importa se estou aqui ou não? — Shu sorriu de forma provocadora.

— Não é questão de que eu me importe com você e sim que você deveria ter um pingo de responsabilidade, mas claro que você não serviria nem para tal ato, porque você é um inútil!

— Se veio aqui para encher a minha paciência, está perdendo o seu tempo. — Shu levantou-se, bocejando.

— Vamos logo, vista o seu uniforme que nós iremos ao colégio. — Reiji virou-se, indo em direção à mansão.

— Você vai, eu não. — Shu cruzou os braços, de forma orgulhosa.

— Eu não vim aqui para buscar-te à toa! — Reiji puxou Shu pelo braço, bruscamente.

— Me solta, imbecil!

— Não irei soltar-te. Precisamos ir ao colégio e eu juro que se não entrar no colégio por sua culpa, Shu...Você sofrerá as consequências! — Reiji deu um enorme sermão em Shu, com uma expressão de decepção.

— Tanto faz... — Shu soltou-se de seu irmão mais novo e foi para dentro da mansão, seguindo até o seu quarto com Reiji.

—Ande, troque-se logo. — Reiji revirou os olhos, impaciente.

— E você ficará apenas me olhando?

— Obviamente. Por quê?

— Posso me trocar em paz sem precisar de seus sermões, não acha? — Shu indaga.

— Não se preocupe. De forma alguma eu ficaria excitado por um corpo como o seu, não acho que seja grande coisa. — Reiji encarou o loiro, firme de suas palavras.

— Não foi isso que eu quis dizer!

— Sério? Mas eu entendi desta forma. Agora troque-se.

— Você não vai se trocar também? — Shu pergunta evitando olhar nos olhos do moreno.

— Claro que vou, mas irei ao banheiro. Não quero enojar-me vendo o teu corpo desta forma. — Reiji pegou outro de seus uniformes e seguiu ao banheiro.

— Reiji... — Sussurrou o loiro para si.

[•••]

Shu ainda não havia se trocado, ficou deitado na cama escutando suas músicas, quando Reiji saiu do banheiro, olhou para Shu, totalmente enfurecido.

— SHU! — Gritou Reiji.

— ...Ah... Tua voz é ruidosa...isto me deixa irritado.

— Shu, por que não se trocou ainda?

— Se está querendo tanto que eu troque de roupa, por que você mesmo não faz isso? — Shu sorrira malicioso.

— Não acredito. A falta de locomoção já afetou o seu cérebro?

— Hum...

De súbito, Shu agarrou o braço de Reiji contra si e o moreno acabou perdendo o equilíbrio, caindo por cima do loiro.

— O quê? Qual é o seu problema, Shu?

— Você fala demais...isto me irrita. Acho que preciso calar a sua boca. — Shu segurou firmemente o braço do moreno tirando seus óculos e colocando-os sobre uma cômoda.

— Shu, você sabe muito bem o que vai acontecer com você se eu me atrasar mais um minuto!

— Hum...claro que sei, mas isso não interessa.

Shu iniciou um beijo forçado em Reiji, o mesmo fazia de tudo para soltar-se, todavia Shu estava sendo o mais forte naquele momento, sentindo-se vitorioso por imaginar que seu irmão estava se entregando aos poucos, mas sem ao menos esperar, o loiro acabou levando uma mordida bruta em seu lábio inferior, dada por Reiji.

— Shu, você ainda vai me pagar caro por isto, pode esperar! — Reiji saiu de cima de Shu, acertando-lhe com um belo tapa em seu rosto.

— Reiji, Reiji...Pode ter certeza de que lembrarei desta sua mordida. — Shu sorriu com certa quantidade de sangue escorrendo ao canto de sua boca.

— Imbecil! — Reiji pegou os óculos da cômodo, pondo em seu rosto.

— Quão problemático...não acredito que ainda está aqui... — Shu passou sua mão no canto de sua boca.

— Realmente, eu também não sei, ficarei te esperando lá fora, se vista e me encontre lá. — Reiji saiu do quarto ajeitando sua própria roupa.

Reiji ficou andando pelos longos corredores da mansão até chegar à porta, quando o mesmo abriu a porta, viu que a limousine não estava lá.

— Não acredito nisto! — Reiji esbanjou toda a raiva que sentira naquele instante.

— O que foi? — Shu apareceu atrás de Reiji, bastante confuso.

— Por sua culpa eles já foram embora!

— Ninguém mandou me esperar-me.

— Shu, nós vamos ao colégio agora mesmo e eu juro que você vai me pagar bem caro por tudo isto!

— Tanto faz... Eu tenho escolha?

— O que você acha? Agora vamos logo!

Continua...


Notas Finais


Por hoje temos somente isso...
Espero que tenham gostado
Beijos De Arroz
❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...