1. Spirit Fanfics >
  2. Querido Fazendeiro >
  3. Capítulo Um

História Querido Fazendeiro - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


E olha eu aqui! Com mais uma estória para vocês espero que gostem muito!

Capítulo 1 - Capítulo Um


O maxilar dela trincou em irritação com aquela proposta indecente. Suspirou exasperada passando as mãos pelos cabelos olhando de um lado para o outro e logo encarando o ruivo a sua frente e um pouco mais atrás dele o loiro de cabelos lisos e longo.

- Vai ser divertido. Afirmou o ruivo sorrindo de lado com o braço esquerdo esticado na direção da rosada com a mão aberta esperando a mesma pousa sua mão sobre a dele. Olhou para sua mochila em cima da rocha e olhou para a cachoeira. Aquilo daria em merda e não seria das boas. Se arrependeu de não ter dado ouvidos para a sua mãe; “quem avisa amigo é.” Foi a primeira coisa que veio em sua mente ao lembrar dos avisos dela.

Não fazia duas semanas que estava ficando com Sasori e ele já queria tranzar com ela e um amigo. Que espécie de homem era aquele? Que gostava de dividir a pessoa que gostava? Ela não tinha nada a contra quem gostava de urgia o famoso sexo à três, mas ela não era assim, o que era dela era dela. Sua mãe tinha razão quando não foi com a cara dele. E seu pai principalmente quando o expulsou de sua casa a base de espingarda. Segurando a garrucha de dois canos com firmeza nas mãos o fazendo sair correndo dali.

- Pode ir entrando. Olhou para a trilha que havia descido a segundos atrás para chegar na cachoeira. – Vou sentar um pouco. Afirmou engolindo ar seco escondendo o nervosismo que sentia naquele momento, sorrindo sem graça e acenando para o loiro que abriu um sorriso estranho e dando um tchauzinho para ela.

- Você que sabe. O ruivo deu de ombros tirando a camisa e o tênis e pulou de ponta após dá uma pequena corrida para o rio.

Ela estava pensativa, viu o ficante nadando de um lado para o outro com o loiro que descobriu o nome e a existência dele no caminho para lá Deidara esse nome rondou sua mente por uns minutos longos minutos esses. O loiro tinha olhos azuis e uma franja que cobria o olho esquerdo sem contar das varias tatuagens no corpo uma sobre o peito de uma boca costurada e nas duas palmas das mãos duas de bocas abertas mostrando a língua. Estranho e assustador, balançou a cabeça em negação espantando o pensamento. Quando se sobressaltou com o toque repentino de Deidara em seu ombro com a mão gelada e molhada e logo a sua frente apenas de cueca estava Sasori.

- Vamos Sakura prometo ser gentil. Sorrindo aberto o loiro afirmou recebendo uma carranca da rosada.

- Não der seus chiliques agora Sakura vai ser bom e gostoso. Sasori acrescentou. - Imagina duas rolas dentro de você se mexendo no mesmo ritmo indo fundo e te enchendo de porra. Completou

A reação da rosada foi rápida e inesperada. O soco que deu em Sasori e a forma ágil que saiu do leve aperto de Deidara, pegou sua mochila e subiu a trilha correndo. Maldição deveria ter ficado em casa igual a sua mãe pediu deveria ter ouvido o concelho de sua amiga Ino e melhor ainda Temari tinha razão. Resmungou correndo agora já em uma estrada de terra sem rumo. Sem reconhecer o lugar por onde passava. Odiava várias coisas e umas delas era está errada! Não queria admitir que Temari estava certa principalmente quando a loira disse que Sasori era furada. Droga como ela conseguia se meter em tanta merda? Parece que ela tinha um imã que atraia encrenca em sua direção. Agora distante e mais calma ajeitou a mochila em suas costas, parou em baixo de uma arvore e suspirou cansada pela corrida que fez. Viu a variadas cercas tanto de arames quanto de madeiras umas próximas de mais da estrada outras um pouco longe. Pegou o seu celular e ligou o GPS vendo onde ficava a cidade mais próxima e está ficava a uns 500 km dali e nem era uma cidade era um vilarejo onde contia uma única rodoviária pelo que pode ver, fez uma prece aos céus para chegar inteira ao seu destino final. Voltou a caminhar já imaginando a quão azarenta era, e sem dúvida nenhuma teve essa certeza, quando já estava a duas horas caminhando e nenhum carro passou por ali, para ela carro naquele momento era luxo, nem se quer uma carroça ou alguém montado a um cavalo, nada, nem alma penada, parece que até fantasma tem medo de passar ali. O sol quente ardia em sua pele branca e sensível, maldita hora que esqueceu de passar o protetor solar, maldita à hora que o esqueceu em cima da mesa de sua casa. Bufou pisando duro no chão onde a poeira subia pouco pela falta de chuva ali, a mata verde em uma mistura magnifica com a mera paisagem e as flores no caminho.

- Nunca mais. Resmungou. Chutando uma pedra. – Saco. “Eu não gosto desse Sasori ele cheira a treta e ainda quer ir com tigo e um amigo a uma cachoeira. Não vai presta. ” Imitou a voz de sua amiga Ino a remendando fazendo uma careta.

A cada estante que caminhava sentia o peso forte do sol no lombo, levou sua mochila para frente pegando sua garrafinha com água e tomando um cole tinha que economizar só tinha aquela garrafa com água e se acabasse estaria lascada. O ‘mu’ alto soando atrás de si a fez para no mesmo lugar, virou lentamente para trás encarando a vaca que apareceu ali, que esfregava os cascos no cascalho levantando poeira e pedra, engoliu ar seco sorrindo nervosa guardando a garrafa na mochila com todo o cuidado para não fazer nenhum movimento brusco.

- Vaquinha amiga, amiga, sua linda, a-amiga...

As palavras de amizades e elogios proferidas para a vaca foram em vão, a mesma avançou contra Sakura que saiu correndo como se não houvesse amanhã com a vaca urrando e correndo atrás dela.

- Aaah ... SOCORRO

Nem ela mesmo soube por quê gritou, se ali era deserto e não havia nem fantasma, no mínimo a única plateia ali era os espíritos do capiroto que viam a cena comendo pipoca e riam, ela correu e avistou uma arvore na beira da estrada nunca subiu um arvore tão rápido da vida, achou que estaria salva, mas a vaca ficava rondando o tronco batendo a cabeça de leve e olhando para cima esperando que algum momento ela descesse. A única coisa que Sakura tinha que fazer ali era esperar a vaca se cansar e ir embora.


Notas Finais


Espero que tenham gostado

Beijos de cereja!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...