História Querido Híbrido - Vkook - ABO - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, Jeon Jungkook (Jungkook), Jinyoung, Kim Taehyung (V), Personagens Originais, Youngjae
Tags Abo, Híbrido, Jungkook, Mundo Alternativo, Querido, Taehyung, Vkook
Visualizações 108
Palavras 1.906
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Fluffy, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora mores:')



boa leitura

Capítulo 14 - ;Bye


Fanfic / Fanfiction Querido Híbrido - Vkook - ABO - Capítulo 14 - ;Bye

Anteriormente~

Ele estava ali.

Nada havia mudado nele, a postura, os cabelos, a cor morena sensacional que sua pele ilustrava. Porém o rosto não era diferente do meu. Olhos fundos e inchados, rosto magro e expressão contorcida enquanto os olhos acumulavam lágrimas que não demoraram muito para caírem quando me joguei sobre ele, fazendo meu corpo se chocar contra o seu que estava tão magro que me fez soluçar alto, me culpando por tantas vezes ter negado alimento que me mantinham saudável e vivo. Mas aquilo não interessava mais por ele estava ali na minha frente. Me agarrando e me contorcendo em seus braços enquanto parecia querer me proteger de todo o mal do mundo.

— T-Taehyung… você voltou.

Agora~

O seu toque não havia mudado. Seu olhar apaixonado e iluminado continuavam ali, ele continuava lindo mostrando aquele sorriso pequeno que me mandava a cada segundo. As pequenas orelhas se destacavam por ele estar animado e feliz, suas íris escuras me faziam ficar hipnotizado por ser tão único. Jungkook era único, tão único. Toquei o seu rosto e novamente pude ver os pequenos dentes brancos, destacando mais quando suas bochechas ficaram rosadas, espremendo os seus olhos por conta do sorriso repentino.

Eu já havia conferido cada parte do corpo dele para ver se o Jinyoung não estava o machucando, e para minha surpresa, tudo estava bem, e eu havia me tranquilizado mais ainda quando o mesmo me disse que ambos dormiam em quartos diferentes. Tudo estava bem.

— Eu senti tanta a sua falta. — ele sussurrou enquanto me abraçava. Eu sentava sob o sanitário enquanto ele estava sentado sobre mim, passando as pernas por minha cintura assim como passava os braços por meu pescoço para me beijar a todo segundo que me olhava.

— Para um híbrido você deveria ser tímido, certo? — comentei enquanto parava o beijo, vendo o seu rosto ficar emburrado e os olhos revirarem enquanto eu tentava prender uma risada. — Eu te amo, bobo.

— Eu também te amo. — tentei disfarçar a animação e talvez um pouco de constrangimento quando ele me respondeu da forma que eu queria, mas vacilei pois eu estava sobre o olhar de Jungkook e não de qualquer um. — Está envergonhado?

— Aish. Eu? Kim Taehyung? — eu ri. — Claro que não! — ele prendeu a risada e fiz a mesma coisa, logo parando quando lembrei do que eu deveria dar a ele. — Aqui está.

— Porque trouxe? — ele pegou a caixinha, abrindo-a e sorrindo enquanto colocava a aliança no dedo.

— Eu trouxe porque… isso significa que eu voltarei na próxima vez e te levarei comigo. — falei rápido, sentindo a tensão paira sobre o assento apertado que estávamos.

— V-Voltará? Você não vai me levar com você hoje? — Jungkook me perguntou, ainda demonstrando desespero diante das minhas palavras recentes. — Você tem que me levar hoje, Taehyung-ah! E-Eu não quero voltar para aquele lugar.

— Eu juro! Eu voltarei pra você, amor. Eu estou jurando e você tem que confiar em mim. — falei ríspido, sentindo minha garganta fechar e o choro se prender em minha garganta quando vi a primeira lágrima cair dos olhos de Jungkook. — Amor…

— Eu vou confiar em você. — ele murmurou, levando as mãos ao rosto. — Só não me deixe, hum? — a voz saiu abafada por conta das mãos que cobriam o rosto dele. 

— Jungkookie, olhe pra mim. — pedi, em seguida vendo o garoto limpar o rosto e levantar o olhar choroso na minha direção. — Eu vou voltar. Eu estou jurando pra você. Pode confiar em mim? — perguntei, observando o rosto do garoto fazer um aceno em confirmação. 

— Prometa que voltará. — Jungkook estendeu o dedo mindinho no ar, fazendo uma careta mais de choro quando viu que eu exitei. — Taehyung-ah! — então fiz, levantei a mão e deixei o dedo mindinho rodar com o do garoto, logo encostando os dedões.

— Eu prometo.

.

A lua já iluminava o céu de Seoul, me fazendo encarar a bola cristalina pela janela do carro, sentindo o vento fazer um carinho bom em meu rosto até sentir alguém bater em minha coxa.

Jinyoung sentava no banco a frente, ao lado do motorista que fazia o seu trabalho de dirigir, totalmente calado. Jae estava ao meu lado, apenas reclamando o quanto tinha sido chato ficar sentado entre velhos que discutiam sobre terras futuras, dinheiro, amantes e assim por diante.

— Porque demorou tanto no banheiro? Tava com dor de barriga? — Youngjae perguntou, fazendo uma careta quando concordei. — Aish. Você nem come, como ficou com dor de barriga? hum?

— Deixa ele em paz, Youngjae. — o park a frente reclamou, fazendo o motorista segurar uma risada. — Se preocupe em cuidar dele, não em ficar reclamando.

É, era aquilo que Jinyoung estava fazendo desde quando saímos do restaurante e da tal reunião onde eu apenas ficava escutando os velhotes resmungarem o quanto suas ou seus híbridos não o estavam o satisfazendo, patético.

— Ah! A segurança disse que havia dois suspeitos hoje no restaurante. — Jae falou sério, ignorando a bronca que tinha recebido. Eu o encarei de imediato. — Era um cara lá dentro do restaurante e o outro em um carro, acho que esperando ele.

— Eles hackearam alguma coisa?

— Não. A segurança disse que tá tudo ok, hyung. O problema mesmo é o motivo deles estarem lá no dia da nossa reunião. — respirei fundo, aliviado por não terem pegado Taehyung e Jackson. — Né… Jungkook?

— O que que eu tenho a ver com isso? — Retruquei sério, tentando disfarçar meu nervosismo. — Eu tava no banheiro.

— É, Jae, não tem como ele saber disso porque nem celular ele tem. — jinyoung resmungou, se virando no banco para mandar um olhar raivoso para o Youngjae que revirou os olhos.

.

Três semanas depois~

Depois de três semanas as coisas continuavam as mesmas. Eu ainda convivia com o hipócrita do Youngjae e com o psicopata do Jinyoung. Mas até que as coisas estavam melhorando, até porque, o park já me tratava com carinho na frente do Jae e até dos funcionários quando o homem me levava na empresa, dizendo ele, para que eu estivesse ocupado com algo em vez de ficar em casa fazendo grandes nada enquanto Youngjae me perturbava.

Diante de tudo isso, eu continuava passando mal; vomitava, ficava com dor de cabeça e de vez em quando, comia em grandes porções. Jinyoung queria me levar no médico mas fui rápido e falei que era apenas um mal estar e uma grande apetite já que eu havia passado quase uma semana sem comer.

— Aish. Dia chato, casa chata, sofá chato, televisão chata, — ele me olhou. — garoto chato.

— O que eu fiz já? — exclamei irritado, vendo Jae sorrir enquanto se jogava mais sobre o sofá. Me lembrei de Jackson. 

— Tudo aqui é chato, inclusive você. — o homem fechou os olhos e dobrou os braços, me segurei para não cravar o garfo que usava para comer o bolo no crânio dele. — Você tá gordo.

— Problema meu, seu idiota. — confesso que conviver com um "humano normal" era estranho, não tinha nada de interessante além da estranha mania de julgar/reclamar/irritar e outras mil coisas ruins. Eles não tinham cheiro único como Taehyung tinha, não tinham a voz manhosa que Taehyung tinha, não tinham o carinho no olhar como Taehyung tinha. É, humanos são estranhos em quesito dos alfas.

— Porque está entortando a cara? Não gostou do bolo, senhor devorador de rancho? — se não fosse pela mania de reclamar 24 horas por dia, eu poderia apostar que era Jackson debaixo daquela cara debochada. 

— Cala a boca. — resmunguei, levantando o queixo quando ele ameaçou em se levantar.

— Aish. Já estão brigando de novo? — a voz do Jinyoung ecoou pela sala, fazendo Youngjae revirar os olhos e mandar língua para mim. — Criança.

— Ele que é acaba rancho. 

— Vai a merda!

— Sério isso? — ignorei a reclamação de Jinyoung e mandei Youngjae ir pro inferno mentalmente. Aquilo fazia parte do nosso dia, ele reclamava, eu mandava ele calar a boca, ele retrucava com deboche e eu mandava ele ir longe, ele levantava e bagunçava meus cabelos para me irritar. Era estranho aquilo, mas eu sempre acabava rindo quando ele ria enquanto zoava o quanto eu estava gordinho — ou gravidinho? — era isso que eu me questionava toda vez que eu me via vomitando ou desejando algo estranho. Eu queria, queria mesmo estar carregando algo de Taehyung. Mas o medo de Jinyoung descobrir era maior do que o desejo, então deixei pra lá a coisa que eu já tinha certeza. Estou grávido.

— Vá ver quem está na porta. — Jinyoung falou se sentando sobre o sofá, próximo a mim enquanto apontava para a porta. — Vá logo, jae.

— Aish. Tu não tava em pé a um segundo? — o homem reclamou, levantando em seguida quando Jinyoung mandou um olhar medonho. — Já vou, já vou. — Youngjae caminhou preguiçosamente até a porta, segui seus passos com os olhos até ver que o homem me mandava língua e sorria divertido antes de abrir a porta. — Quem pediu pizz-

Caído. Youngjae caiu no chão totalmente desmaiado enquanto eu levantava o olhar até o homem em pé.

— Jungkook-ssi! O que faz aí sentado, hum? Let's go. — o sorriso largo formou em seus lábios. Lá estava ele, Jackson Wang, trajando roupas pretas como se fosse um espião do FBI enquanto apontava a arma na direção do maior alvo. Park Jinyoung. 

— V-você… não estava morto? — a voz do Jinyoung foi de terror, medo e raiva. Ali já estava feito o caos. 

— Eu? Morto? Sério isso?! Aish. Esse babaca só fez um arranhão no meu crânio e vazou. — Jackson nunca esteve tão debochado enquanto alargava mais o sorriso. — Jungkookie, vamos lá.

— Jungkook! — Jinyoung gritou quando me levantei do sofá e dei o primeiro passo. Trêmulo, me virei na sua direção, vendo-o com os braços no ar enquanto seu rosto não transmitia mais o ar vitorioso, orgulhoso de si, o dono da porra toda. , só estava ele. O verdadeiro park Jinyoung com medo e pavor. — Nós somos um. E se lembre que se eu morrer você morre-

— Não somos um só. — comecei, movendo os olhos em seu rosto. — Essa marca não é sua, é de Kim Taehyung. E sim, você estava certo quando me disse que se sentia vazio. Até porque você sempre será vazio. — seus olhos arregalaram e vi em sua íris que o ódio o dominava. — Agradeça a madame Kim por ter dado a poção que me livrava de um alfa babaca e psicótico como você. — Suspirei, sentindo todo o peso que a quase um mês eu guardava em mim, me livrando eternamente. A mão livre de Jackson tocou minha cintura enquanto a outra apontava a arma no rosto do alfa. 

— Temos que ir embora. — ele sussurrou, me guiando até a porta onde calcei meus tênis e abri o pequeno armário para pegar minha caixinha com meu anel, caminhei apressado para fora do AP e fiquei no corredor vazio, escutando a seguinte coisa antes de ver Jackson sair de vez do local e correr junto a mim:

— Bye bye rascunho do capeta!


Notas Finais


gostaram do rascunho?!kjwksjjzja

aí gente, muito obrigada pelos oitenta favoritos! Eu sei que são "poucos" mas é muito bom saber que existem quase noventa pessoinhas lendo Q.H (vamos chamar de Q.H? goxteiksjajjs) enfim, obrigada e obrigada💗

MERRY CHRISTMAS GALERA!🎅

até~
**
NOVA CAPA PORR***, LINDA NÉ?! Foi a minha pitica @GGUUKMONG ~ sigam ela mores:')💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...