1. Spirit Fanfics >
  2. Querido Professor >
  3. Castigo

História Querido Professor - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


OIE!!! FINALMENTE!!!! Eu estava contando os dias para continuar essa história, estou amando os capítulos prontos e tenho certeza que também vão.
Boa leitura!!

Capítulo 2 - Castigo


Fanfic / Fanfiction Querido Professor - Capítulo 2 - Castigo

Nesse mísero tempo que estava de pé sentia minhas pernas bambas e meu corpo quente, estava morrendo de vergonha, não por responder perguntas sobre a determinada matéria mas sim porque era ele, aquele homem másculo, gostoso que me encarava, seus olhos esverdeados e suas pupilas dilatadas em direção à mim, parecendo estar desejando algo. Se controle, é seu professor!  Aquilo me tirava o foco, respondi as devidas perguntas ignorando o fato do mesmo estar me encarando com diferenciamento. Só porque bati na porra do carro dele, se não, ele nem estaria me olhando desta forma. 

  — Muito bom senhorita Castillo.— O mesmo anota algo em seu caderno afirmando com a cabeça e mordendo seu lábio.

Me sentei e não pude parar de reparar em seu quadril, seu corpo me fazia arrepiar só de estar olhando. A turma inteira respondeu questões e o mesmo passa mais algumas coisas no quadro e se senta em sua cadeira preta escrevendo e fazendo suas correções. Que homem mais perfeito, porém não devo esquecer do que fez.

Estava fazendo minhas coisas, de pernas cruzadas quando sinto um olhar sobre mim, respirei fundo pois sabia do que se tratava, de quem. Ele está fazendo isso de propósito, com certeza, que falta de profissionalismo!. Olhei para o mesmo que estava me olhando fixamente, de cabeça baixa, mas quando nossos olhos se encontraram, ele soltou um leve sorrisinho de canto me fazendo surtar, ele estava mesmo me tirando do sério.

  — Licença.— Peguei minhas coisas batendo as mesmas na mesa e revirando os olhos.

  — Onde vai senhorita Castillo?.— León ergueu sua sobrancelha brincando com sua caneta entre os dedos, achando que tinha algum poder sobre mim.

  — Sair! — Saio batendo a porta e vou em direção à saída sem olhar para trás.

Estava preocupada com minha reputação, pois nunca tinha me envolvido com nenhum homem, nenhum havia me deixado assim e do nada esse cara aparece querendo estragar tudo. Me sentei em um banco na rua, passando as mãos pelas minhas madeixas. Respira Violetta, você é uma mulher batalhadora, vai conseguir passar por essa.

  — Violetta Castillo, dirija-se à sala do diretor.— Escuto meu nome repetidamente pelas caixas de som que havia na faculdade.

Sinto meu coração acelerar pois nunca passei algo parecido na minha vida, sou uma mulher direita, que luta pelo o que quer, não sabia o que podia estar acontecendo. Será que é algum tipo de agradecimento por ter feito os trabalhos voluntários no mês passado? Ou é aquele babaca ferrando a minha vida?. Não, eu não posso deixar o mesmo estragar minha vida em um dia, torcia para que fosse um bendito prêmio. Levantei e andei em direção à sala do diretor, me ajeitei e respirei fundo, não iria baixar minha guarda se fosse algo relacionada a ele, não estava errada, é crime dar em cima de aluna e deveria ser por falar com uma mulher daquele jeito. Na realidade nem tanto pois somos todos adultos, mesmo assim sou aluna e ele não pode me deixar “louca” dessa forma.

Fiquei cara-a-cara com a porta do diretor, sentia leves calafrios pois nunca havia entrado naquela sala, ao bater na porta escutei a voz do mesmo me pedindo para entrar. Quando entrei, não pude acreditar no que estava acontecendo, o meu “professor” estava de braços cruzados, os mesmos estavam tão firmes que podia ver seus músculos saltados, ele estava de pé ao lado do diretor que estava sentado em sua cadeira. “Senhor Vargas” Ridículo, me olhou nos olhos quando entrei, fiquei tensa no mesmo instante, naquele momento já imaginei minha carreira de escritora futuramente indo parar no esgoto.

  — Senhorita Castillo. Sente-se..— O diretor, Pablo Galindo indica à cadeira para que me senta-se.

Me sentei na cadeira cruzando as pernas pondo meus cadernos em meu colo enquanto Leonard estava de braços cruzados me olhando novamente, passando seu polegar em seus lindos lábios.

  — Podem dizer do que se trata? — Batuquei meus dedos em meus cadernos para diminuir meu nervosismo.

  — Senhorita, seu professor me contou que teve uma postura muito rude em sua aula, o mesmo ficou extremamente desconfortável. Sempre foi uma excelente aluna desta faculdade, qualquer problema que tenha fora da mesma, sabe que não deve trazer para cá.— O mesmo enlaçou seus dedos sobre a mesa me olhando.

Desconfortável? ele só pode estar de brincadeira! O que esse idiota inventou?. Respirei fundo e olhei para Vargas por poucos segundos e voltei a olhar o diretor, mesmo com raiva não podia demonstrar, estávamos na faculdade e qualquer coisinha era motivo de expulsão pois são muito rígidos e não trabalhei duro para chegar aqui e tirarem o que é meu.

  — Eu peço perdão, não vai se repetir. — Balancei a cabeça colocando meu cabelo atrás da orelha.

  — Tem algo a dizer senhor Vargas? — O diretor olha para ele fazendo o mesmo me olhar novamente. 

  — A senhorita..— Ele ergue seu indicador como se estivesse pensando. — Terá que me entregar os trabalhos adiantados, coloquei para entregar no resto da semana certo? Você irá me entregar na quarta-feira. Isso servirá como de “castigo”.

O que? Como eu vou fazer essas porras em um dia?! Desgraçado!.

  — Castigo? Senhor diretor, eu não fiz nada! Ele não pode..— O mesmo me interrompe.

  — Senhorita Castillo, ele pode sim, é seu professor e você foi muito mal educada com o mesmo. Peço para que se retire, o assunto está terminado.

Olhei para Leonard com tanta raiva, o mesmo parecia estar gostando de me ver daquele jeito.

  — Não sabia que sair, quando não está se sentindo bem é motivo de “castigo”.— Balancei a cabeça indignada pegando minhas coisas, levantei e sai da mesma.

Chateada fui até uma maquininha de refrigerante pegando uma coca, abri e tomei a mesma, o corredor estava vazio pois estavam todos em aula, eu estava só naquele momento. Que ódio desse cara!.

  — Espero que tenha aprendido. — Sua voz surge atrás de mim em meu ouvido.

Me assusto de repente me afogando com a bebida, limpei minha boca e me viro olhando o mesmo incrédula, ficando cara a cara.

  — Você é um babaca! Ficou tão magoado pelo o “carrinho” que foi chorar para o diretor. Mas escuta só “Senhor Vargas” esse é o meu lugar, não vou deixar que nem você e nem ninguém tire isso de mim! — Disse em um tom brava, porém chateada pelo o que o mesmo havia acabado de fazer.

  — Escuta você senhorita Castillo, não sabe com quem está lidando! — O mesmo me empurra contra a parede, ao lado da máquina colando seu corpo no meu, pegando em minha cintura com uma de suas mãos firmes e seus dedos os mais longos e sedutores. — Mas sei que adoraria que eu tirasse outras coisas de você.— O mesmo ironiza me olhando nos olhos. 

Senti meu corpo amolecer, sua respiração estava muito próxima a minha, ele me olhava firme porém sedutor, me fazendo desejá-lo e esquecer das coisas.

 


Notas Finais


O que acharam?
Beijos e até logo!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...