1. Spirit Fanfics >
  2. Querido Professor >
  3. Todas querem

História Querido Professor - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


OII!! Boa noitee! Mais um capítulo novo! E quero avisar que os próximos eu posso me atrasar um pouquinho pois estou recém escrevendo o capítulo 9 hehe desculpa, mas prometo continuar perfeito <3

Capítulo 6 - Todas querem


Fanfic / Fanfiction Querido Professor - Capítulo 6 - Todas querem

Meus pensamentos me confundem pois eu quero e ao mesmo tempo não por sermos de mundos muito diferentes. Francesca me olhava curiosa, querendo saber minha resposta, ela é do tipo cara de pau e se quer algo faz de tudo para conseguir. Então caso eu falasse “quero ele” a mesma iria fazer de tudo para me ajudar sem ligar pro fato de que sou sua aluna.

   — Nem reparei nele..  —Dei de ombro soltando um leve suspiro.

   — Acho que deve ser casado ou deve pegar alguém. Mas sabe o que eu acho? vocês seriam perfeitos juntos.. sei lá

 No mesmo instante começo a rir mas de nervosismo, as palavras dela me deixam mais aterrorizada ainda, pois mal sabe ela que ficamos. Caralho! Eu peguei meu professor.

   — Que? Não amiga..Sim ele é muito bonito mas é nosso professor.. — Suspirei pensando no mesmo.

 Confesso que apenas em um dia ele conseguiu mexer comigo, foi muito de repente, sendo que nenhum homem nunca me chamou atenção assim.

   — E? Não pegaria?  — A mesma ri levantando e pegando uma garrafinha de água em minha geladeira.

Olhei para a mesma rindo baixo e negando com a cabeça. Mesmo sabendo que estava mentindo, eu pegaria mais vezes, ele é tudo de bom.

  — Fran, ele é nosso professor.. — Suspirei ao me lembrar disso.

A mesma me diz que não se importava, pois era apenas dentro da faculdade, não respondi mais nada sobre o assunto apenas conversei com a mesma sobre diversos outros assuntos e fiquei me perguntando se mais alguma mulher daquela sala queria o mesmo, não sabia descrever se seria ciúmes ou medo.

A mesma ficou para o jantar e logo após foi embora, tranquei tudo e subi para o banheiro me banhando,coloquei um pijama confortável e me deito apagando em minha cama.

 

“Não, por favor, não o prendam! Ele não fez nada que eu não quisesse!! Soltem o mesmo por favor! León!!!...”

 

 Acordei em um salto da cama com a respiração acelerada e os olhos arregalados de susto, eu tinha acabado de ter sonhado que estavam prendendo ele, eu estava desesperada quando o prenderam, estava chorando e o mesmo com cara abatida e as mão sendo algemadas para trás, os policiais os levaram. Suspirei e voltei a me deitar olhando o teto e pensando. Isso nunca pode acontecer.

 

Terça-Feira, dia seguinte:

Sei que é errado o fato de estar dirigindo e tomando café mas havia acordado atrasada pois meu pesadelo não me deixou dormir direito a noite inteira e sem contar o fato que vou levar o carro para o concerto depois da faculdade, vou ficar mais cansada ainda. Resmungo baixo pelo fato de ter pegado a primeira roupa que vi no closet, era uma blusa ciganinha preta com as mangas compridas, um short jeans cintura alta e um sapato preto não muito alto.

Ao chegar no estacionamento desci depressa pegando meu café e olhando a hora em meu celular, estava mega atrasada, pela primeira vez. Estacionei no mesmo lugar de ontem e o carro de Leonard não estava lá. Será que ele não vem?. Ao meu suspirar vejo um moleque em minha direção me chamando de um monte de coisa, sem educação.

  — Ah se eu pego na minha cama!. — O mesmo passa se rindo e me olhando dos pés a cabeça. — Deixo destruída.

  Sem conter minha raiva e o nojo do mesmo, me viro depressa respondendo.

  — Se eu te pego na porrada moleque nojento! Respeito com uma mulher ouviu?! Vou destruir essa sua cara isso sim! Palhaço! — Bufo pegando meu copo e travando o carro.

  — Nenhuma velhota reclamou..— Ele continua se rindo e se aproxima segurando minha cintura.

Quando penso em partir pra cima do mesmo assustada, vejo um carro em alta velocidade entrar no estacionamento, parando em poucos centímetros do garoto. Era o senhor Vargas.

  — O que pensa que está fazendo? Solte ela imediatamente rapaz!! — O mesmo desce batendo a porta do carro parecendo bravo e empurrando o mesmo.

Sinto meu coração acelerar ao olhar o mesmo, ele usava uma camisa preta pra dentro da calça jeans, a mesma com um cinto, eram tudo em minha vista, pensava mil e uma coisas com o mesmo ,ele se vestia muito bem e pude sentir seu perfume de longe.

  — Desculpe senhor. — O mesmo me solta assustado com medo do mesmo. — Ela estava gostando.

  — Se manda daqui antes que eu quebre essa sua cara! Não é assim que se trata uma mulher, se ela estivesse, estaria retribuindo e vai por mim, eu sei do que ela gosta. — Ele diz bravo em um tom convencido, fazendo o garoto ir embora com medo.

Como ele pode ser tão convencido?.  Não iria xingá-lo pois o mesmo me ajudou mais uma vez, desta vez ele me protegeu mas não deixou de ser descarado. apenas respirei fundo sem jeito pelo o que havia dito.

    — Você está bem? — Leonard suspirou virando para mim e passando a mão em seu rosto , o mesmo me olhou preocupado segurando em minha cintura.

    — Eu..estou..  — Soltei um suspiro me acalmando.

Ele de fato me defendeu, sua cara de preocupado era tão nítida que tudo que eu queria fazer era abraçá-lo e agradecer. Mesmo conhecendo ele em um dia, fiquei surpresa ao vê-lo me defender, não conhecia esse lado “protetor”, apenas seu lado safado.

  —  Mesmo? Ele não te tocou né? Certeza?..—  Ele acaricia meu rosto colocando minhas madeixas atrás da orelha,e me olhando nos olhos.

Sentia meu rosto pegar fogo, seu carinho me fazia bem porém meu desejo pelo o mesmo ainda era nítido. Respirei fundo e olhei em seus olhos, os mesmos me olhavam com preocupação porém logo os ví descendo para meus lábios, ele se aproximou me beijando brevemente e parando com um selinho. 

  — Bom Dia então.. — O mesmo sorri acariciando meu rosto e roçando nossos narizes.

  — Você não tem jeito.. — Sussurrei para o mesmo sorrindo de canto.

Por mais que ele me tirasse do sério, essa sensação de "proteção" havia sido muito boa, me senti diferente, foi a primeira vez que alguém me protegeu e me olhou nos olhos com preocupação.

  — Vamos ir? — Ele me olhou estendendo a mão.

  — Ahn, estamos indo pra faculdade, isso vai ser estranho.. Sem contar que você não me convenceu ontem. Posso ser sim apenas uma aluna que você quer comer. — Me arrependo no mesmo instante de ter dito isto.

 No fundo sabia que ele não era assim. Eu vi em seus olhos sua sinceridade mas meu medo falava mais alto.

  — Então você deve achar que eu era casado com uma aluna. — O mesmo ironiza incrédulo. — Como pode dizer essas coisas senhorita Castillo? Sou um homem direito, não saio transando com ninguém e tampouco com alunas.

  — “Tampouco com alunas” Ouviu o que você acabou de dizer? Eu sou sua aluna!! — Reviro os olhos .

  — Para de distorcer as coisas que estou falando, quis dizer que não fico transando com todo mundo, eu me interessei por você Castillo, antes de saber que seria minha aluna!

Olhei para o mesmo incrédula balançando a cabeça. Como ele pode dizer uma coisas dessas? Não podemos ficar juntos, confesso que queria mas não dá. Balancei a cabeça novamente e sai do estacionamento indo em direção a faculdade.

  — Não me dê as costas, estamos conversando! — O mesmo vem de atrás.

  — Não quero me atrasar, posso levar outro “castigo”. — Suspirei sentindo seu perfume ao meu lado.

  — Você está fugindo! — Ele agarra meu braço sem machucar me virando para ele e colando seu corpo no meu.

  — Que droga!  Me deixa em paz..Não percebe que todas daquela sala ficaram encantadas por você? Loucas pra sentar em você e você nem percebe isso! — Disse exasperada me soltando olhando ele tentando disfarçar o ciúmes.

O mesmo ergue a sobrancelha rindo baixo e coçando sua barba do lado esquerdo, seu sorriso sexy e malicioso voltou a aparecer.

  — Está com ciúmes senhorita? A única que eu quero que sente no meu pau é você, sem contar que só você me interessou.. Seu temperamento mais ainda, não digo isso em deboche desta vez. — Ele passa sua língua pelos lábios me olhando nos olhos.

Meu coração acelera só de ouvir o mesmo dizer que seu interesse estava em mim, eu acredito nele mas o fato dele ser preso ou demitido me rodeava, não quero perdê-lo e por isso estou tentando mantê-lo longe de mim mas quanto mais eu tento, mais impossível é.

 


Notas Finais


Chegamos ao final do capítulo hehehe! Espero que tenham gostado e até logoo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...