1. Spirit Fanfics >
  2. Querido Professor >
  3. Quem é ela?

História Querido Professor - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oie! Bom quero esclarecer meu sumiço, sei que disse que iria ter um capítulo um dia sim e um dia não porém não consigo desenvolver ideias "boas", estou tentando de verdade.. só peço para que tenham paciência comigo, vou avisa-los. Essa história é tudo para mim e quero dar o meu melhor. Fiquem com mais capítulo novo!
Boa leitura!! <3

Capítulo 7 - Quem é ela?


Fanfic / Fanfiction Querido Professor - Capítulo 7 - Quem é ela?

Seus olhos estavam grudados aos meus, não sabia se respondia ou se beijava o mesmo. Ele estava sorrindo sarcástico sabendo minha resposta.

  — Preciso dizer o que pensa ou vai me dizer? — O mesmo passa a mão por suas madeixas.

  — Ciúmes? de você?..Não me faça rir — Dei de ombros e voltei a andar.

  — Então não vai se importar se eu aceitar o convite de uma aluna, ela está caidinha por mim. 

Que?! Idiota!. Sinto meu rosto pegar fogo, sabia que cedo ou tarde ele iria fazer uma gracinha. Parei bruscamente olhando Leonard.

  — Aé? Faça o que quiser, durma com quem quiser! — Resmunguei e fui para a faculdade.

Escutava sua risada ao fundo, apenas revirei os olhos e continue andando, estava brava, ele havia acabado de fazer uma cena de ciúmes. Que funcionou né Violetta?.

 

[...]

 

As aulas haviam terminado, por "sorte" tive apenas um período com Leonard, na aula o mesmo ficava me provocando e gostando das minhas reações pois estava brava com ele. Em um momento fui na mesa do mesmo para perguntar uma questão aleatória sobre a matéria e ele teve a capacidade e a cara de pau de pegar em minha bunda disfarçadamente. Aquilo não saia da minha cabeça, ele era tão abusado mas ao mesmo tempo eu estava adorando. Não quero continuar assim, por mais intenso que seja, é confuso. 

Estava disposta a saber o que acontece entre mim e o Leonard, não iria ficar brincando de gato e rato, uma hora nós ficamos e na outra brigamos, não faz sentido algum. Respirei fundo e andei pela faculdade segurando meus cadernos e procurando o mesmo, não iria ser tão descarada, se ele estivesse ocupado com alguma outra aluna, iria esperar e de fato olhar ele como "meu professor" estava ficando cada vez mais engraçado. Após um tempo andando encontro Leonard em uma sala completamente vazia, ele estava ao celular andando de um lado para o outro e passando sua mão em sua barba, o mesmo parecia nervoso e bravo, queria falar com ele mas não sabia se seria uma boa hora ou como me apresentaria ao mesmo. Senhor Vargas? Ou Leonard? León? Não Violetta! É apenas para os íntimos. A vozinha chata em minha cabeça me perturbava enquanto olhava o mesmo.

  — Senhorita Castillo? Algum problema? — Ele me olha afastando o celular do rosto respirando fundo.

Queria ir até o mesmo e abraçá-lo e acariciar suas madeixas dizendo ao mesmo que tudo iria ficar bem, mas não sabia do que se tratava e tampouco iria fazer isso e ainda mais dentro faculdade.

  — Ahn, não eu só.. queria fazer uma pergunta mas posso voltar depois — Olhei para o mesmo suspirando.

Leonard me encarava com um sorriso de canto, o mesmo abaixou o olhar e balançou a cabeça em afirmação. Sai sem dizer nada apenas me perguntando o que estava acontecendo e se era algo grave.

  — Vilu? Nem sabe o que aconteceu! O Tomás, nosso colega pediu seu número — Francesca aparece, enganchando meu braço e continuamos andando.

Olhei para a mesma erguendo a sobrancelha, eu sabia que ela teria dado meu número, ela sempre tenta me "shippar" com qualquer garoto. Não quero e nem vou pensar o que Leonard faria com ele. 

  — Me diz que você não deu meu número Fran, não suporto isto. — balancei minha cabeça em negação. 

  — Bom, eu dei sim mas não sei se ele vai te chamar.

Permaneci quieta, não queria falar nada pois cada vez que eu abro a boca, acabo falando muito e de fato agora não era a hora dela saber de mim e do nosso professor. Aqueles olhos.. Me pego mais uma vez me lembrando de Leonard me agarrando de jeito e me olhando nos olhos, jeito que só o mesmo sabe fazer, só ele consegue me desestabilizar. Balancei a cabeça e vi o mesmo sair da sala e ir direto em direção à saída, ele continuava no celular o que me deixava mais intrigada. Será uma outra aluna?. Não queria pensar no fato de que poderia ser outra que ele "pegava" mas como o mesmo disse: "Sou um homem direito" então não tenho com o que me preocupar, até porque o que tivemos foi uns "pegas" e nada mais, infelizmente.

  — Sabe que eu não quero e nem me importo com isso, amiga. — Dei de ombros. Claro que não importa Violetta, tem um puta homem desses te deixando louca!

Resmunguei baixo ignorando meus pensamentos maliciosos.

  — Amiga eu tenho que resolver uns problemas, depois nos falamos tá? Desculpa.

 Me despedi de Fran pois precisava falar com Leonard e tentar saber o que se passava com o mesmo. Poderia ser difícil conversar com ele pois nosso caso era algo como tapas e beijos. Sai em direção à saída e andei para o estacionamento, mesmo pensando que ele já poderia ter ido embora não iria deixar essa oportunidade passar, é loucura pois foi em uma droga dessas que nos conhecemos.

Chegando ao estacionamento, encontro Leonard exasperado passando as mãos pelas madeixas, o mesmo continuava nervoso e ao me aproximar vejo uma loira rindo do mesmo segurando um envelope nas mãos. Meu corpo se esquentou de raiva, poderia ser a aluna que havia pensado. Ele está tendo caso com outra mesmo?. Suspirei e andei até os mesmos pisando firme. 

  — Senhor Vargas? Eu preciso falar com o senhor. — Olhei ambos erguendo a sobrancelha, a mesma me encarava.

Leonard soltou um breve suspiro parecendo mais tenso com minha chegada, queria muito arrancar o cabelo daquela nojenta que me olhava dos pés à cabeça. 

   — Senhorita Castillo, entre no carro por favor.. Agora. — Ele me olhou nos olhos indicando o carro com sua cabeça.

  — Então essa é sua pinscher? Não vai me apresentar bebê?. — a loira ri se abanando com o envelope.

Quem ela ta chamando de pinscher?. Olhei para Leonard brava, queria explicações, quem ela era e porque segurava uma droga de envelope em suas mãos.

  — Some da minha vida Ludmila e deixe a senhorita Castillo em paz!.. Por favor entre no carro. — O mesmo me puxou carinhoso. — Ela é muito mais mulher do que você, tenha respeito!. 

Ludmila? Quem é essa mulher? Ela vai ver "bebê" quando eu acertar ela!. Abri a porta do carro de Leonard e a mesma começou a falar novamente. 

  — Não vai se livrar de mim tão fácil e querida, tome cuidado.. Você é apenas mais uma. 

Não me aguentava mais, não me importava se eu não a conhecia, mas ela me tratou mal e eu não sou obrigada a aturar esse tipo de comportamento. 

  — Primeiramente, pinscher é essa sua cara pálida, usa tanto pó que está "atiçando" os drogados da faculdade e segundo, segura essa sua língua porque você não me conhece e não sabe do que eu sou capaz!!  — Digo brava fechando a porta do carro do mesmo e apontando o dedo na cara dela. 

Meu coração acelerava, estava em um ódio absoluto, sou uma pessoa muito boa e tenho um coração enorme mas não ouse pisar no meu calo. Leonard me olhava erguendo a sobrancelha porém vejo um sorriso de canto em seu rosto.

  — Entre por favor, não dê ouvidos a essa maluca. — Ele abre a porta para mim novamente.

  — Você não sabe do que eu sou capaz pinscher, e querido, cuidado. — Ela soltava uma risada assustadora balançando o envelope.

Leonard manda a mesma ir para o inferno e entra no carro comigo bufando, dá partida e dirige longe daquele lugar. Permaneci em silêncio suspirando e me perguntando o que havia acabado de acontecer, cada vez mais eu ficava mais próxima de Leonard e agora de sua "vida amorosa". 

 


Notas Finais


Bom e agora hein? o que será da Violetta? ...O que acharam?
Até logo meus amores!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...