História Querido Titio - Kim Taehyung - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Hot, Imagine Bts, Incesto, Kim Taehyung, Twoshot
Visualizações 419
Palavras 2.175
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Festa, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


B O A
L E I T U R A!

Capítulo 1 - A beautiful punishment for disobeying me


Fanfic / Fanfiction Querido Titio - Kim Taehyung - Capítulo 1 - A beautiful punishment for disobeying me

 

━ A beautiful punishment for disobeying me ━


[ Chapter One ]



Dezenove anos e eu ainda tenho que ser supervisionada por um adulto enquanto meus pais viajam a trabalho, algo tão desnecessária e frustante para mim.

Cansada de me humilhar para minha mãe, enfim me dei por vencida a tanta implicância da mais velha. Minha mãe sempre contratava babás ⎯ velhas ⎯, que apenas serviam para reclamar de tudo, que passavam o dia assitiam as novelas e falavam tanto que eu quase chegava a sair correndo sem se quer olhar para trás.

Entretanto, desta vez eu não seria supervisionada por uma babá e sim pelo meu tio. Kim Taehyung ⎯ que está entre nós, é um "deus grego" ⎯ com seus vinte e cinco anos esbanja uma beleza surpreendente, em outras palavras um gostoso, aquelas coxas grossas que ele tem, seus músculos bem trabalhados e aquele bumbum redondinho que eu tenho uma enorme vontade carnal de apertar, um homem que não há como não pensar em coisas extremamente impuras e erradas com o mesmo. Mas pelo doloroso e injusto destino ele é meu tio.

Voltando a outra dura realidade de minha vida, Neste mesmo dia aconteceria uma festa ⎯ bombástica ⎯, e eu estava muito afim de ir para me divertir com colegas e amigos da minha faculdade.

Porém acontece que a senhora Kim ⎯ minha mãe ⎯ disse e soletrou a mim, que eu não poderia ir e teria que ficar em casa junto a meu tio.

⎯ Mamãe deixe-me ir a festa! ⎯ pedi pela milésima vez no dia

⎯ Já disse que não ____ e não voltarei a repetir! ⎯ disse um tanto exaltada e ameaçadora

⎯ Aish mas que coisa! ⎯ bufei frustrada, não queria perder a festa tão espera por mim mesma

Há minha frente, pegou as malas que se encontravam no chão da sala e riu nasal de mimha frustação, assim vindo em minha direção.  

⎯ Até logo minha filha ⎯ disse minha mãe me tirando de meus devaneios, em passos lentos ela ficou em frente a mim e sorriu em seguida me abraçando apertado ⎯ Logo seu Tio irá chegar ⎯ completou fazendo com que eu concordasse emburrada

Pude ver o mais velho - meu pai - se aproximar de nós duas, assim também me abraçando brevemente, com um sorriso simples em seu rosto que logo tratou de olhar em meus olhos seriamente

⎯ Se comporte mocinha! ⎯ disse autoritário 

⎯ tudo bem papai ⎯ rebati sorrindo sem mostrar os dentes

Em poucos minutos a porta da frente foi fechada, assim avisando que meus pais haviam partido para a viajem ⎯ para a empresa ⎯. 

Andei pela casa, subindo as escadas e indo até meu quarto, me sentei em minha cama pensando na festa em que eu iria. Uma festa esperada por todos da faculdade que eu estudava

A festa em que eu aproveitaria meus dezenove anos ao máximo, beberia, riria, dançaria, cantaria e beijaria muito! ⎯ pessoas certas claro ⎯.

Mas tudo foi por água abaixo por conta de um simples e injusto Não.  Ainda perdida em meu pensamentos me aproximei da janela do cômodo e ali fiquei olhando por um bom tempo para o céu azul.

Depois de meros minutos, pela janela do quarto pude ver o meu tio ⎯ maravilhoso ⎯ descendo de sua moto, logo tirando seu capacete e ajeitando seus lindos e compridos cabelos catanhos. Seguindo em passos lentos ele se aproximava da entradas da casa.

Ouvir o ranger da porta denunciando ser aberta, logo as chaves serem jogadas em cima da escrivaninha da sala, e passos pesados subirem com clareza a escada e seguir até o corredor de meu quarto, então corri e me joguei na cama, fingindo estar usando o notebook que agora estava aberto em meu colo.

Batidas frequentes na porta,avisaram que ele estava em frente ao meu quarto.

⎯ Entre ⎯ pedi assim me levantando novamente e indo em direção ao mais velho que estava agora na porta me encarando

O mesmo trajava uma camiseta branca pouco transparente junto a uma jaqueta de couro, uma calça também de couro, que marcava suas grandes coxas, e outra coisa estava bem marcado ⎯ Aigoo pare de olhar ___ ⎯.

⎯ Olá ___⎯ disse me envolvendo em um abraço não tão apertado, fazendo com que eu pudesse inalar a forte fragrância que ele usava

⎯ Olá titio Tae! ⎯ sorri sem mostrar os dentes logo se soltando de seus braços

⎯ Como está? ⎯ perguntou acareciando meus cabelos

⎯ Muito bem e você? ⎯ perguntei a ele

⎯ Também estou muito bem ⎯ disse esbanjando aquele seu lindo e derretedor de corações sorriso quadrado

O silêncio predominou o quarto, um silêncio tanto desconfortável para ambos.

⎯ Bom não tem muito oque eu fazer⎯ seu tom de voz saiu tanto sem graça ⎯ vou estar na sala se precisar de algo.

⎯ Tudo bem ⎯ rebati simples voltando a se sentar em minha cama

Antes do mesmo fechar pude jurar escutar o mesmo sussurrar ⎯ gostosa ⎯, mas ele não faria isto, era apenas um breve fruto de minha imaginação pela grande atração que eu sentia pelo mais velho, uma terrível e errada atração.


O tempo se passou e eu ainda me encontrava em meu quarto, eu precisava ir naquela festa,fazia meses que eu estava a espera deste dia, eu também iria acompanhada e não podeira o deixá-lo na mão.

Já cansada de tantas incertezas eu me pus a caminhar para fora de meu quarto indo em direção a sala, aonde possivelmente meu tio estaria.

Chegando lá eu parei em frente a porta, o mesmo estava sentado assistindo um programa qualquer que passava pela TV.

⎯ Titio?! ⎯ chamei sua atenção

⎯ Sim pequena? ⎯ ele disse voltando sua atenção para mim

⎯ Eu queria saber,se eu posso ir a uma festa hoje a noite? ⎯ perguntei olhando para meus pés

⎯ Não ⎯ disse franziando o cenho 

⎯ Titio Tae porfavor! ⎯ pedi olhando para o castanho sentado no sofá

⎯ Já disse que não! ⎯ ditou com a voz alterada - Não saia desta casa sem minhas ordens, estou claro?! ⎯ rebateu seriamente

⎯ Aish mas que chato! ⎯ disse baixo assim saindo de lá. Porém tenho certeza que ele escutou porque pude escutar o mesmo bufando

Entrei em meu quarto assim fechando a porta, trancando a mesma, andei em direção a cama me jogando de barriga para baixo no confortável colchão, ainda frustada pela situação que acabas de acontecer.

⎯ Eu irei a festa ⎯ pensei alto ⎯ você deixando ou não querido titio - sorri maléfica

(...)

Oito horas da noite, aqui estou eu em frente ao espelho terminando de retocar minha maquiagem ⎯ não tão forte ⎯. Usava um cropped da cor branca e uma saia de cintura alta rodada preta, um salto preto, meus cabelos estavam encaracolados levemente em suas pontas e eu carregava uma bolsa preta também.

Em frente ao espelho eu via o quão bonita eu estava, o quanto meu corpo havia mudado. Porém fui retirada de meus pensamentos pelo celular que vibrava em minhas mãos, uma breve mensagem de Sehun, um bom amigo meu, o garoto que iria junto a mim a festa.

A mensagem avisava que ele estava a minha espera, fui até o fundo de meu quarto abrindo a não tão grande janela, dando de cara com o sorriso fofo do mais velho, eu teria que pular a janela então respirei fundo, verifiquei-me se a porta estava trancada ⎯ e sim estava ⎯.

Passei as mãos por meus cabelos e assim pulei a janela fechando a mesma, eu descia devagar pelo apoio de uma escada que a horas a trás eu tinha colocado ali, já com esta intenção.

Já com os pés no chão,fui recebida por um abraço de Sehun que sempre foi tão carinhoso e cuidadoso comigo.

⎯ Vamos? ⎯ perguntou o mesmo

⎯ Vamos! ⎯ rebati tanto desconfortável

Em frente de minha casa eu ainda estava aflita e insegura, mas então eu pensei bem, eu tinha dezenove anos de idade, podia fazer oque bem entender, sem permissão de ninguém. Então decidi tacar o "foda-se" para tudo e aproveitar a noite de festa.

⎯ Que se dane! ⎯ falei saindo de frente da minha casa

(...)

Luzes apagadas, cortinas fechadas e a porta da frente trancada assim se encontrava minha casa. Ainda em frente a mesma caminhei em passos apressados até a porta, pegando as chaves ⎯ que estavam em minha bolsa ⎯ destranquei a porta, entrando na casa e fechando a porta devegar tentando não fazer algum barulho, denunciando que eu estava chegando as duas da madrugada após sair escondida para ir a uma festa.

Pelo corredor da casa após a escada eu andava nas pontas dos pes tentando não fazer algum barulho ⎯ já que usava saltos altos ⎯, passando lentamente pelo quarto de hóspedes, aonde a luz se encontrava apagada então deduzi que felizmente o meu tio estava dormindo ⎯ praticamente em teu "quarto sonho" ⎯.

Abri com cautela a porta de meu quarto, não tão longe do quarto onde se encontrava o mais velho, entrei em no cômodo suspirando pesadamente, os músculos de meu corpo pode se relaxarem, pude soltar o ar que segurava em meus pulmões.

⎯ Aonde você estava? ⎯ a voz totalmente rouca e não tão alta ecoou pelo quarto, a voz que fez meu corpo se arrepiar por completo. Então girei meu corpo em direção ao lado de onde vinha sua voz, dando de cara com o mais velho sentado na poltrona no fundo de meu quarto

Meu tio lia um livro ⎯ que havia pegado em minha prateleira de livros ⎯.

⎯ T-Titio? ⎯ minha voz saiu fraca,meus olhos se encontravam arrelagadas enquanto carregava uma feição assustada.

⎯ Aonde você estava Kim ___? ⎯ perguntou ainda olhando para o livro em suas mãos

⎯ E-Eu...⎯ tentei me pronunciar ⎯ fui a casa de uma amiga ⎯ disse nervosa

⎯ Não minta para mim querida ⎯ disse ele debochado

⎯ em uma festa! ⎯ falei revirando os olhos cansada

⎯ Hum... ⎯ ele fechou o livro, agora seus olhos castanhos escuros fitavam os meus ⎯ Oque eu disse para você na sala? ⎯ perguntou e eu apenas fiquei em silêncio ⎯ me responda! 

⎯ Disse que não era para sair de casa sem tuas ordens ⎯ disse emburrada, de fato ele não deixaria a mando de meus próprios pais

⎯ Então porque foi? ⎯ perguntou agora se levantando ⎯ Huh?

⎯ Porque eu queria ir! ⎯ respondo ainda nervosa

⎯ Oque você fez naquela festa? ⎯ peguntou se aproximando o máximo de meu corpo, tanto que eu sentia seu hálito de hortelã bater em meu rosto

⎯ Nada demais! ⎯ engoli seco 

⎯ Nada demais? Oque significa esta marca em seu pescoço então? ⎯ perguntou praticamente "rosnando" enquanto passava a mão gélidas  pelo possivel local aonde se encontrava a marca deixada por Sehun enquanto trocávamos "carícias"  na festa.

⎯ É-É...⎯ tentei dizer algo enquanto escondia a marca em meu pescoço

⎯ Quem fez isto? ⎯ perguntou com a voz levemente alterada parecendo  estar nervoso

⎯ U-Um amigo ⎯ comentei baixo,quase inaudível

 ⎯ pequena S.N, isto é tão errado! ⎯ seu tom de voz soou sério

⎯ Porfavor não conte nada a meus pais! ⎯ pedi ⎯ meus pais não deixaram se quer eu ver a luz do sol ⎯ suplico

⎯ Não sei ⎯ rebateu pensativo, senti suas grandes e geladas mãos entraram em contato com minha cintura deixando nossos corpos tanto pertos, sua voz rouca perto de meu ouvido e nossos corpos colados fez com que eu sentisse uma forte "fisgada" em meio as minhas pernas

⎯ Porfavor Titio ⎯ fechei os olhos esperançosa tentando não olhar a "tentação" a minha frente

⎯ Tudo bem ⎯ disse ao "pé" de um dos meus ouvidos

⎯ Obrigada Titio Tae! ⎯ mordo os lábios tentando não ficar nervosa pela aproximação dada pelo mais velho

⎯ Porém.. ⎯ ele disse fazendo meu o sorriso se desmanchar em questão de segundos

⎯ Porém? ⎯ perguntei agora olhando para seus olhos puxados, percebi que o mesmo passou a língua por seus lábios,um simples gesto que fez eu me sentir totalmente molhada.

⎯ Minha querida sobrinha,nada melhor de que um belo castigo por me  desobedecer Huh? ⎯ perguntou o mais velho me fitando seriamente enquanto acariciava minhas bochechas passando para meus lábios 

⎯ Castigo? ⎯ perguntei desconfiada e um tanto tensa

⎯ Isto mesmo ⎯ suas mãos que estavam em minha cintura desceram até a barra de minha saia

Assim acareciando minhas coxas ⎯ não tão desnudas ⎯ e subindo sua mão lentamente,assim levemente ele passou os dedos por cima do fino pano de minha calcinha  tanto que molhada, assim pressionando o local resultando em um gemido arrastado meu, seguido de um leve movimento meu com a cintura em busca de mais contato.

Pude ver um sorriso se formando em seus lábios carnudos, o Kim jogou sua cabeça para trás e suspirou, assim encarando no fundo de meus olhos sorrindo sapeca.



⎯ Deite nesta cama! 









Notas Finais


Continuo?Não sei kekekeke
Espero que gostem!
QUERO DEIXAR CLARO
Que não estou apoiando incesto okay?
Apenas uma fanfic diferente de muitas aqui!
Kim Taehyung do céu,um tio desses?eu queria!
Ah se eu queria!
Oque será que vai acontecer ein?
És a questão...



Obrigado por ler bebê ♡

❀ 사랑해! ❀
~Beijos da Tia Kapopera (/-3-)/

[♡] Leia também minhas outras fanfics em meu perfil⇝ @AKap0pera ⇜ [♡]

📩-[ GRUPO NO WHATSAPP: https://chat.whatsapp.com/3XfBwxwJz46DqH29eGjIbi ]-📩


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...