História Quinze dias - Yoonseok - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga)
Tags Bts, Exo, Fanfic, Jung Hoseok, Min Yoongi, Quinze Dias, Sope, Twice, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 71
Palavras 1.991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá psoas!
Bom parece que você veio aqui para descobrir o que vai acontecer com Hoseok e Yoongi nesses quinze dias, mas ainda é um mistério, que sempre para saber do futuro, sempre tem que dar aquela olhada no passado, o antes.

Boa leitura para todos vocês :3

Capítulo 1 - Antes


Fanfic / Fanfiction Quinze dias - Yoonseok - Capítulo 1 - Antes

Eu sou nerd.


Não do tipo "esperto" ou "CDF". Eu sou só um aluno até que atencioso nas aulas, que tira boas notas e que ama uma boa série ou filme, e isso não é nada de mais. Só que meus colegas de classe acham legal "fazer graça" todos os dias a partir do memento em que eu entro na sala até quando eu saio da escola. Sei que existem pessoas no mundo com problemas muito maiores que os meus, mas eu não costumo pensar muito no sofrimento dos outros quando estou vivendo o meu próprio, me desculpem. O ensino médio tem sido como o meu inferno particular pelos últimos dois anos e meio.

Às vezes tenho a impressão de que a lista de apelidos para gente nerd é infinita. Claro que isso não quer dizer que essa lista seja criativa, mas fico impressionado com a quantidade de nomes que os caras da escola conseguem inventar, quando seria bem mais fácil se todos apenas me chamassem de "Jung Hoseok".

Sempre fui nerd, me nomeei assim e me tornei especialista em ignorar os comentários dos outros. Não estou dizendo que eu me acostumei com isso. Ninguém se acostuma com lembretes diários de que você é o queridinho dos professores e que isso supostamente é ruim ou sei lá o que. Só me acostumei a fingir que não é comigo. Mesmo sendo relativamente famososinho por ser engraçado no twitter (573 seguidores e contando), na vida real sou o simples para um fracasso em pessoa.

Mas hoje será diferente. É o ultimo dia de aula antes das férias de julho e estou esperando por agora desde que o dia que as aulas começaram. As férias do meio do ano duram vinte e dois dias, então, basicamente, UM MÊS DE FÉRIAS! Isso significa que ficarei, finalmente, quase um mês sem piadas infames, apelidos cada um mais estranhos que o outro e diários olhares descarados.

Saio rapidamente da minha cama para não perder a hora, e, quando chego na cozinha, minha mãe já está acordada, pintando mais umas das suas magnificas telas. Há três anos ela abandonou o emprego em um escritório de contabilidade para se tornar uma artista plástica, como em seus sonhos quando menor, então a nossa cozinha acabou por virar um ateliê de pintura.

- Bom dia, meu raio de sol - ela me disse com um sorriso quase impossível para alguém que acabou de acordar numa sexta feira antes das sete.

Minha mãe é maravilhosa, sério. Tem os olhos grandes que nem de personagens de animes, um cabelo volumoso sempre amarrado no alto da cabeça e um corpo esguio e magro. Ela bem que podia ser mais bonita do que um anjo!

- Bom dia. Tem tinta na bochecha, mas tá linda mesmo assim - respondo com pressa enquanto dava uma mordida em um sanduíche de queijo e presunto que estava na mesa e procurava as minhas chaves de casa.

-Hoseok, eu não sei se eu falei pra você, mas hoje a tarde o...

- Atrasado! Até mais tarde, te amo, tchau! - eu respondo fechando a porta atrás de mim.

Na verdade, eu nunca estou atrasado, mas a minha ansiedade  me faz pensar que o quanto mais cedo chegar na escola, mais cedo vou poder sair dela... O que, infelizmente, não faz sentido algum.

Aperto o botão do elevador mais vezes que o necessário enquanto termino de comer o meu sanduíche. E quando a porta do elevador se abre, lá está ele. Min Yoongi, o vizinho do 75. Engulo em seco o pedaço do sanduíche que ainda estava ainda na minha boca, passo a mão pelo o meu queixo para garantir que não havia nenhuma migalha de pão na minha cara e, então, entro no elevador.

Sussurro um "bom dia" que no caso nem eu consegui escutar. Ele não responde. Está com fones de ouvido e concentrado em um livro. Me pergunto se ele está realmente escutando música enquanto lê ou se é do tipo que os coloca apenas para poder não ser interrompido. Se a resposta correta for a segunda, eu não culpo o Yoongi do 75. Porque faço o mesmo.

O elevador leva cerca de quarenta segundos para ir do terceiro andar, aonde eu moro, até o térreo. Em compensação, aparentemente se passaram quarenta anos até a porta abrir novamente. Continuo parado sem saber o que fazer e Yoongi sai sem notar que estava lá. Espero por três minutos no corredor e, só então, saio do prédio.

O último dia de aula se arrasta. Eu só precisava entregar um trabalho para o professor de ciências e fazer uma prova de filosofia. Ainda assim, quando termino a prova antes de todo mundo, já estou desesperado para ir embora.

- Já acabou? Passa cola? - Ouço alguém falar enquanto estava indo para a mesa da professora entregar a minha prova.

A professora recebe a minha folha de respostas e diz "Boas férias, Hoseok" olhando bem no fundo dos meus olhos. Parecia até que ela falava "Eu sei que você não aguenta mais os outros alunos pegando no seu pé, fica firme. Você é forte. E não tem problema nenhum ser nerd. Sei que é inapropriado te dizer isso porque sou sua professora e tenho cinquenta e seis anos, mas até que você é bem gato", ou ela só quis dizer "Boas férias, Hoseok" mesmo.

Quando saio da sala, vejo algumas garotas nos corredores se despedindo umas das outras e (acredite) chorando. Como se as férias não durassem só vinte e dois dias. Como se a gente não morasse em uma cidade pequena. Como se não existisse internet.

Se a minha vida fosse um musical, agora seria o momento em que eu cruzaria o portão da saída da escola cantando uma música sobre liberdade e as pessoas na rua dançariam em sincronia uma coreografia bem ensaiada. Mas minha vida não é um musical. Quando passo pelo portão, ouço alguém gritando "CDFFFFFF!", abaixo a cabeça e continuo andando.

Chego em casa derretendo feito um boneco de cera e encontro a minha mãe no mesmo lugar em que estava quando saí, só que agora a sua tela está quase pronta. Além da bagunça de sempre, tem panelas no fogão e a casa está com um cheiro de almoço. Almoço de verdade, não as sobras do kimchi que compramos ontem. A ideia de começar as férias com um almoço de verdade me deixa empolgado.

- Oi, meninos, como foi a aula? - Ela diz sem tirar os olhos da tela.

- Da última vez que eu contei você só tinha um filho, mãe.

- Ah, achei que vocês iriam vir juntos. Você e o menino Yoongi do 75 - ela se vira e me beija na testa.

Fiquei confuso, mas minha mãe pareceu não perceber, pois ela não disse nada. Vou para o meu quarto deixar a minha mochila de costas cheia de bottons e levo um susto quando encontro tudo arrumado. Minha mãe trocou os lençóis, organizou a minha prateleira e tirou as meias que estavam emboladas debaixo da cama.

- Mãe o que você fez com o meu quarto? Cadê minhas meias??? - eu grito.

- Na gaveta! Imagina o vexame o filho da vizinha chegando no seu quarto e achando onze pares de meias jogadas no chão! - ela grita de volta.

Onze? Uau. Número impressionante.

Corro de volta até a cozinha para não ter que continuar gritando.

- O que você disse sobre o filho da vizinha?

- Mas eu te avisei, não? Ele chega hoje. Vai ficar por quinze dias. Os pais vão a uma conferencia sobre pinguins. Ou a uma segunda lua de mel. Sei lá. A Min me pediu para ficar de olho nele durante a viagem. Eu fiquei meio assustada porque o menino já é grande. Mas não custa nada, né? Ele é um bom menino. - O quanto mais a minha mãe falava, mais desacreditado eu ficava.

- Você não avisou! Eu não posso receber visitas! Ainda mais nas férias, por quinze dias! Eu tenho planos!

- Internet e maratona de seriado? Grandes planos, hein, Hoseok? - Ela me conhece como ninguém.

- M-mas... Ele não tem parentes? Ele não pode ficar sozinho? Você e a mãe dele nem são amigas. Que tipo de mulher é essa que não confia o no filho, mas confia numa completa estranha???
             
- Claro que nós somos amigas. Trocamos "oi's" nos corredores às vezes. Ela sempre segura a porta do elevador. E nós duas costumávamos conversar muito enquanto você e Yoongi brincavam na piscina. Bons tempos... Mas isso não vem ao caso. Me ajude a arrumar a cozinha e a mesa para o almoço, pois o menino já deve estar chegando!

Continuava imóvel, tentando entender o que estava acontecendo naquele momento. "Calma, cara, ele é só seu vizinho!" Você certamente pensando nisso agora. Então acho que chegou a hora para falar um pouco mias sobre Yoongi, o vizinho do 75.

Nosso condomínio tem uma área de lazer com uma quadra de tênis, um parquinho caindo aos pedaços e uma piscina nem tão grande, nem tão pequena que está sempre lotadas nos dias quentes. Quando eu era criança, aquela piscina era o meu oceano particular. Passava horas nadando de ponta a ponta. E foi nessa piscina que conheci Yoongi. Éramos amigos de piscina e eu não sei como era a minha infância antes disso. Se você é um menino nerd de oito anos, ninguém te chama de "passa cola". As pessoas são suas amigas e ficam impressionadas em como você é inteligente. Mesmo sabendo que naquela idade eu era magro que nem um palito, eu não tinha vergonha de correr de um lado para o outro apenas usando a minha sunga do Anpanman e pular na piscina jogando água para todos os lados. E foi assim que eu e Yoongi viramos amigos. Nós nunca estudamos na mesma escola. Yoongi  frequentava um colégio particular do outro lado da cidade. Mas, durante toda a minha infância, em todos os dias de sol, era só ir para a área da piscina que Yoongi estaria lá, pronto para nadar comigo.

A gente nunca conversava. Crianças não conversam em uma piscina. A gente gritava, mergulhava e competia pra ver quem ficava por mais tempo debaixo d'água. No meio desses dias de muita brincadeira e nenhuma conversa, teve um dia em que eu nunca me esqueci. Nós estávamos brincando de tubarão-atacando-o-navio-pirata (no caso eu era o navio e Yoongi era o tubarão) e eu sugeri sem medo: "que tal brincarmos de sereia?". Esta era uma brincadeira só minha e ninguém mais do condomínio sabia que eu brincava disso. Em todos os momentos que eu brincava de sereia, eu me sentia como a própria Ariel. Yoongi apenas sorriu para mim, cruzou as penas como se fosse uma calda de sereia e mergulhou. Ele nem sequer esperou eu explicar como funcionava a brincadeira. Logo ele subiu da água e falou que só brincaria se ele fosse um "sereio". Ele apenas embarcou na minha fantasia boba e nadamos como sereias até o dia escurecer. Foi um dos melhores dias da minha vida.

Depois disso as coisas passaram como um borrão. Conforme eu crescia, a vergonha de ficar só de sunga na frente de Yoongi aumentava. Eu não entendia o que estava sentindo, mas sei que com doze anos eu entrava na piscina sempre usando uma camiseta e depois dos treze, nem ia à piscina

Aos treze anos meu corpo começou a mudar, os pelos começaram a crescer e eu comecei a sentir vontade de beijar na boca. E Yoongi foi a primeira pessoa em que quis beijar. Ser apaixonado por Yoongi é ridículo de tão obvio. Ele é INALCANÇÁVEL! É como se apaixonar pelo vocalista da sua "boyband" favorita. Você só pode observar de longe e sonhar.

Agora entende o meu desespero? Nerd, gay e apaixonado por um garoto que nem respondeu ao meu "bom dia" no elevador. Tudo pode dar errado. Tudo iria dar errado. Não deu nem tempo de pensar num plano de fuga emergencial porque a campainha de casa está tocando. E minha mãe abriu a porta. E eu, claro, estava todo suado.

Vai começar.



Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo! Muito obrigado a @Minygiw que me ajudou com a betagem do capítulo. Até o próximo capitulo! 


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...