História R. I. P. 2 My Youth (Taekook) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Depressão, Drama, Jungkook, Kookv, Namjoon, Suga, Suícidio, Taehyung, Taekook, Vkook, Yoongi
Visualizações 233
Palavras 1.190
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Seinen, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Self Inserction, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Escrava


Fanfic / Fanfiction R. I. P. 2 My Youth (Taekook) - Capítulo 3 - Escrava

"Quer ouvir uma música? Coloco você no headphone."

Achei aquela oferta tão esquisita, tão nada a ver.

"Não, eu quero ouvir sua voz."

"Só achei que você sendo um estranho pra mim, ia preferir transar em silêncio."

"Você tá sendo legal demais comigo. Isso tá me deixando desconfortável."

Ela riu.

"Tá, relaxa."

Ela me guiou até um banheiro público que tinha perto do rio. Entrou, não acendeu a luz. Deu uma boa olhada no lugar.

"Não vai avisar seus amigos?"

"Não, eles me viram sair."

Eu ia perguntar uma coisa, mas ela me interrompeu.

"Por favor, me fala a verdade. Eu vou embora se você tiver mentido. Não vou brigar, eu juro. Você é um cara violento, maluco? Você tem doenças sexualmente transmissíveis?"

Ela parecia aflita, arrependida.

"Não... Sou só um cara depressivo mesmo. Eu sei que é difícil acreditar em mim. Você pode ir embora. Eu acho que vou dormir aqui dentro, tá mais quentinho. Valeu pela conversa."

Eu sentei no chão e ela ficou me observando. 

Eu queria que ela ficasse. Queria tocar nela, beijá-la. Ela parecia legal mesmo. Era interessante descobrir que ainda havia gente doidinha daquele jeito. Ela parecia especial. Eu queria tê-la conhecido antes... 

"Desculpa pela desconfiança..."

Ela ficou de joelhos no chão, se inclinou pra pro meu rosto.

"Você vai ficar?"

"Vou."

Ela se aproximou mais de mim e tirou o cachecol. 

Meu coração ia sair pela boca. Tenho certeza absoluta que meu corpo me traía. Eu suava, tremia. Afrodite tirava a roupa uma peça por vez.

"Você já viu uma mulher nua?"

"Não... Não pessoalmente."

"Você nunca namorou?"

"Não."

"Essa sua pureza me deixa muito excitada. Você é bonito demais pra ser tão sozinho..."

Gaguejei. Ela tirou o cinto.

"Quer tirar minha roupa?"

Fiz que sim, depois de pensar um pouco. Ela veio mais pra perto e sentou no meu colo, de frente pra mim. Meu membro pulsou com o movimento dela em cima dele. Aquilo era muito bom. 

Passei a mão pelas costas dela e enfiei a mão por baixo da sua blusa. Levantei o tecido até seu sutiã e encostei a cabeça entre seus seios. Fechei os olhos. Ela acariciou meus cabelos.

Passou os dedos carinhosamente por dentro da minha gola e por entre meus cabelos, beijando meu pescoço. Ergui a cabeça e ela me beijou na boca. Acho que esse beijo durou horas. Foi o melhor presente que alguém já me deu.  Os lábios sendo chupados, as línguas deslizando uma pela outra, se contraindo, saboreando o gosto da outra boca... Era arrepiante. 

Ansiosa, Afrodite levantou minha camisa também. Lambeu meu pescoço, ofegante. Fiquei duro. Tirei seu sutiã devagar e apertei os seios dela. Ela gemeu dentro da minha boca. Chupei e lambi os seus mamilos até que ficassem duros como pedra. Apertei a bunda dela e a pressionei contra meu corpo, forte.

"Quem não sabia fazer isso?"

O sussurro dela me deixou ainda mais excitado. Puxei os cabelos dela pra trás e chupei seu pescoço. Esfreguei o meu nariz na sua orelha e lambi o lóbulo. Afrodite gemeu como se já estivesse gozando. Tudo que ela fazia me deixava mais excitado e eu ficava mais duro ainda. Ela começou a rebolar no meu colo, se esfregando na minha ereção. 

"Me deixa ver."

Ela saiu de cima de mim e puxou minhas pernas, quase me fez bater a cabeça na parede. Puxou minhas calças.

"Abre... Abre o zíper..."

Ela abriu o zíper e baixou minha calça até os joelhos. Fitou meu pênis e ficou olhando, dele pros meus olhos, dos meus olhos pra minha cueca. Eu não sabia se ela tava achando bonito, grande, pequeno... Mas parecia tão excitada que até engoliu em seco. Respirava forte. Depois do choque, sorriu pra mim e se curvou pra beijar minhas coxas. Com a mão, começou a me masturbar. Quase engasguei. Aquilo era bom demais.

Afrodite subiu e beijou minha barriga e meu peito, enquanto continuava me masturbando. Sugou meus mamilos pra dentro da sua boca, enfiou as mãos dentro da minha cueca. Dei um gemido rouco.

"Quero chupar você."

Olhei pra ela. Eu estava com muito calor, completamente ofegante, mas eu sentia minha pele gelada. E a voz dela me dava frio na barriga.

"Me chupar? Quero te foder."

"Eu sei. Mas eu quero chupar você. Agora."

Continuei parado, não sabia o que fazer.
Afrodite levantou e ficou em pé. Tirou a bota, a calça e depois a calcinha. Ficou completamente nua na minha frente. Tirei os tênis e a calça. Ela me chamou pra ficar em pé e eu obedeci. Ela se ajoelhou.

"Eu sempre quis ser escrava sexual de alguém."

A partir daí as coisas aconteceram muito rápido. Afrodite me empurrou contra a parede e baixou minha cueca com rapidez. 

Quase perdi a força nas pernas. Ela levava meu pênis até a garganta. Apertava de leve minhas bolas, minhas coxas... Ninguém nunca tinha me dito que aquilo era tão bom.

Eu gozei dentro da boca dela, e ela engoliu tudo. Lambia a cabeça do meu pênis como se fosse um picolé delicioso. Os últimos arrepios correram pelo meu corpo, fazendo o orgasmo ir diminuindo aos poucos... Era o paraíso. As mãos e a boca daquela mulher, o corpo dela submisso a mim, seus olhos nos meus... Ela pareceu gozar comigo. 

Voltei ao chão, suado e satisfeito. Ela voltou a sentar em cima de mim. Olhei pra baixo e vi suas pernas abertas, a buceta depilada. Ela me beijou na boca de novo, o gosto doce agora era um pouco amargo. 

"Você não sabe fazer sexo oral, e eu não tenho tempo pra ensinar. Posso me masturbar pra você ver?"

Assenti. Achei estranho desde o início que ela não quisesse que eu a penetrasse, se era o que eu estava mais ansioso pra fazer, mas o orgasmo que eu tinha atingido fora tão espetacular que eu não ia reclamar de nada. E tava louco pra ver ela se masturbar pra mim.

Afrodite começou a roçar em mim e depois colocou a mão entre as próprias pernas. Fechou os olhos e se masturbou em silêncio, com a cabeça inclinada pra trás. Eu queria ajudar, então passava as mãos nas coxas dela e apertava seus seios. Ela procurou minha boca e mordeu meus lábios. Segurou até que sangrassem, e eu adorei. Ela lambeu meus lábios e minha língua, mordeu meus ombros enquanto aumentava a velocidade dos movimentos. Começou a gozar com a cabeça apoiada no meu pescoço, e eu apertei a bunda dela várias vezes, o que ela parecia adorar, já que sorria e gemia mais. Por fim, gozou, gritando sem som, e eu beijei a boca dela, enfiando minha mão entre as pernas dela também. Tentei enfiar o dedo dentro da vagina, mas era fechadinha. Ela era virgem ali. Pedi desculpas. Ela fez que tudo bem, afinal eu não tinha forçado nada. Ela não sentira dor. O meu dedo não tinha entrado, fim da história.

Segurei a buceta dela na mão e aquilo parecia um coração, pulsando e pulsando. Devia ser uma delícia ter aquilo na boca. Deslizei o dedo pela virilha dela, beijei seu pescoço. 

"Eu te amo. Você é linda."

"Também te amo."

Nos abraçamos e ficamos grudadinhos por um tempo. 

"Podemos namorar. Namora comigo?"

Olhei pra ela e disse que não.

"Você não pode me salvar. Eu vou estragar você."

Ela ficou triste. Me abraçou de novo. 

"Agora a gente pode beber."


Notas Finais


Existem palavras que eu não gosto de escrever... Mas vcs mulheres sabem como é complicado achar palavras pra descrever algumas coisas...
Não se preocupem, essa é uma fanfic Taekook. Haha
Aguardem e confiem
Bjs!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...