História R. I. P. to my youth - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 23
Palavras 1.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


hhmmm ok, é a primeira fanfic que eu posto aqui, entãooo espero que gostem :')
(ps: Namjoon que está narrando)

Capítulo 1 - Restarting Again


Namjoon 

Flashback - 12/07/2004


—Qual é Jin, não vale você trapaceou!

—Aceita Namjoon, sou o melhor em jokenpô, beijos.

—Afe, quero revanche, é agora ou nunca !! -O Sr. Kim entra- Oi pai, aconteceu algo? -Ele parece preocupado.

—Namjoon, temos que conversar, Jin pode nos deixar a sós por alguns minutos? 

—Claro, Sr. Kim. - ele saí.

—Nam, meu filho, vamos para a América, papai precisa resolver algo por um tempo. De agora em diante, só será você e eu. -Ele aparentava estar cansado e, triste.

—Como assim, pai? E a mamãe? O Jin? Eu não vou ir com você.

—Nam, você verá Seokjin em breve. Enquanto a sua mãe, ela estava dirigindo em alta velocidade e, meu filho, infelizmente mamãe... -Ele começa a chorar.

—Appa, a mamãe está doente?

—Ela morreu, mas aonde quer que ela esteja sei que está bem. Namjoon, meu menino forte, não chore. Agora sempre que olhar para a escuridão do céu à noite, lembre-se, sua mãe será a estrela mais brilhante.

Abraço meu pai em um ato de desespero, por que isso está acontecendo comigo, mamãe?

E em um piscar de olhos estava em um carro preto, olhando Seokjin pelo vidro blindado do carro, tudo em minha volta parecia estar em camera lenta, Seokjin chorando era a coisa mais triste que vi em toda minha vida, além do funeral de minha mãe que aconteceu logo após, sem que Seokjin soubesse, apenas eu e meu pai. Por que tenho que abandona-lo, papai? Por que mamãe nos abandonou, papai? Minha cabeça está um caos, talvez eu só precise...

Flashback Off

Dias atuais - 04/04/2015

Cara, você está me ouvindo? - Jimin continuava me cutucando.

—Oi? A.. sim, claro.

—Ae? Então me fale, vai, o que eu e Jeon acabamos de falar?

—...Foi mal, cara.

—Foi mal? Foi péssimo, Kim Namjoon! Porém vou deixar passar desta vez, já que estou acostumado a falar sozinho. Afinal, no que tanto pensa?

—Nada, só acho legal que estamos voltando à Coréia. Senti saudades de casa. -Dou um leve sorriso.

—Eu também, você finalmente conhecerá minha mãe, Jiminnie!! -Fala Jeon enquanto segurava a mão de Jimin.

Quebra de tempo

—Aaaaa, não acredito que finalmente chegamos. -Estico minhas pernas e suspiro suavemente, já carregando minhas malas e indo de encontro ao táxi, com Jeon e Park.

Este tempo todo fora me fez pensar em tantas coisas, cara, já fazem onze anos que não respiro este ar.

—Que tal irmos a uma cafeteria ou algo do tipo? Estou cagado de fome, hyungs !! -Resmunga Jeon.

—Conheço um restaurante legal perto de minha casa antiga, mas, primeiro, vamos deixar as malas no hotel.

—Ok, ok. Chato! 

Depois de algum tempo no táxi, observando a linda paisagem de Seul, peço para o táxi esperar um pouco e vou com os meninos a suíte do hotel, logo deixando as malas em qualquer canto.

—Meu pai tinha mesmo a necessidade de colocar todos nós na mesma suíte ? Que porra. -Resmungo.

—Olha a boca, caralho! -Exclama Jimin.

—Ata.

Saímos em direção ao restaurante que mencionei mais cedo, a comida de Dona Kim ainda tem um cheiro tão bom, socorro, que nostalgia!

Sento em uma mesa junto aos meninos e espero alguém vir até a mesa nos atender, até que aparece um cara bem familiar.

Eles tinha olhos brilhantes como o sol, e seus cabelos loiros destacavam a cor de sua pele, tinha lábios finos, porém tão rosinhas, e os ombros dele, tão largos quanto os de... Espere.

—Olá, sejam bem-vindos! O que desejam? -Ele olha para Jeon e Park com um sorriso, até chegar a minha vez. Ele me encara com seus olhos pretos que, repentinamente se enchem de lágrimas - ...Namjoon?

—...Chocado... Você conhece esse pitelzinho, Namjoon? E eu achando que você era antissocial. -Exclama Jeon.

—Shiu porra. Seokjin? -Olho fixamente para o loiro em minha frente e o abraço, o tempo não passou mesmo para ele, continua tão lindo quanto um por do sol, tão lindo quando a luz da lua refletindo o mar. Ter ele em meus braços me fez pensar em tantas coisas, meu coração está acelerado, acho que é câncer, mentira parei.

—...Ai meu deus -Ele me empurra e saí correndo, bem aleatório eu sei.

—An? 

—Levou um fora do boy -Jimin começa a rir.

—O porra -Olho com raiva para Jimin e, logo em seguida saio correndo.

Não é como se eu fosse esquecer nossos esconderijos do nada Seokjin, na verdade, eles agora são só seus. Mas isso não vem ao caso, eu sai correndo e já sabia aonde Seokjin estava porque conheço este lugar como conheço a palma de minha mão, é bom não esquecer de nada às vezes, mas tem algumas lembranças que preferia que tivessem um botão de delete, seria melhor para mim.

—Jin? -Vejo o mesmo todo encolhido, com sua cabeça entre as pernas, sentado exatamente aonde costumavamos comer escondidos de sua mãe, eu tenho tantas lembranças boas desse lugar.

Flashback - 20/03/2002

—Aaa não acredito que pegamos um pedaço daqueles bolos que sua mãe faz, tão gostosos!! -Falo eufórico enquanto coloco um pedaço inteiro em minha boca, já começando a mastigar.

—Nem me fala, já fazem oitenta e quatro anos. -Exclama, logo após de devorar seu pedaço de bolo.

Assim como a coisa mais triste, para mim, de se ver, é Seokjin chorando, a coisa mais linda do mundo de se ver, era Kim Seokjin rindo, alguns podem falar que o som que o mesmo faz enquanto ri é estranho, mas eu simplesmente sempre acho tão fofo, me faz querer ouvi-lo por séculos. Ele sorrindo com seus dentes branquinhos e seus lábios tão rosinhas quanto a poupa de um morango, me fazem sentir tantas coisas estranhas.

—Por que 'tá olhando para mim com cara de psicopata, Namjoon?

—An oi ? Não é nada. -Termino meu bolo.

—Ok, agora vamos sair daqui antes que a mamãe nos pegue. -Ele tenta se levantar, mas como estávamos a horas sentados, suas pernas fraquejam e ele simplesmente caí em cima de mim, com nossas respirações tão perto uma da outra, sinto um arrepio correr todo o meu corpo.

—É... Desculpe. -Ele cora, logo em seguida se levanta, dando um sorriso sem graça, porém tão sexy e fofo ao mesmo tempo.

Flashback Off

Now

Ele apenas me olhou e ficou mudo, com suas mechas loiras para trás, e suas lágrimas, que me cortam o coração. Suas bochechas rosadas me lembravam tanto um morango, por que tão doce? Por que era tão tentador sempre que olhava para Seokjin? 

Me sento ao lado dele, logo olhando o mesmo fixamente e, quando me olha de volta, seco suas lágrimas, com meu polegar, que insistem em cair. Ver Seokjin assim, me faz pensar que talvez eu seja o pior monstro do mundo por te-lô abandonado, mas eu não sou, afinal, não tinha escolha, ou tinha?

—Seokjin, precisamos conversar! 




Notas Finais


SÓ QUER VRAU, SÓ QUER VRAU SÓ QUER VRAU VRAU VRAU, an oi


Perdoem os erros bebezinhos :'))
Até a próxima, se gostarem lógico.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...