1. Spirit Fanfics >
  2. Radio Ga Ga >
  3. Until you are not that suitcase

História Radio Ga Ga - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Until you are not that suitcase


1 de Outubro


O clima havia amenizado. Mas a pergunta que não quer calar, quem não acalmaria com um hambúrguer em sua frente esperando para ser completamente devorado?


Todos estavam rindo da cena que estava acontecendo. Jin tentava contar piadas um tanto quanto velhas e Yoongi começava a xinga-lo.


- Opa, licença! - Lee chegará na hamburgueria com o cabelo grudado no rosto e com a respiração ofegante.


Um sorriso se abre no rosto de Jimin quando observa o mesmo chegar.


- Oi, amor! - O pequeno garoto sorridente puxou o mais alto para baixo fazendo com que sentasse - Onde estava? Seu cabelo está horrível! - disse rindo da situação precária em que seu namorado se encontrava.


Jeon do outro lado da mesa olhava para aquela cena e sentia uma repulsa dentro de seu peito. Não gostava do moleque, era fato! Mas o conhecia desde que era pivete e nunca gostou que mexessem ou o irritassem, a não ser é claro que esse alguém fosse o próprio Jungkook.


Ver aquela cena dava nojo, pois sabia o que Lee deveria estar fazendo e vendo a falsidade estampada e o fingimento para perto de Park o fez ficar com raiva.


- Lee, você não estava no estacionamento na hora da saída? - jogou verde para colher maduro


Taemin o encarou e Jeon poderia jurar que o cu do outro havia trancado naquele momento. 


- Eu. Eu não! - prontificou em contrariar 


Mentira. 


Estava e Jeon viu por isso causou toda aquela confusão na hora da saída, óbvio que se irritou com algumas falas de Park, mas o intuito era entrar na frente do cabelos dourados para que não tivesse uma decepção.


Momentos antes de estarem na hamburgueria, mais precisamente, no momento do caos e onde a guerra foi firmada.


Jeon beijava a Tzuyu em uma parte escondida. O beijo não era ruim, mas estava ficando entediado.


O que o animou a continuar foi a provocação barata de Park. 


Jungkook caiu na risada após o mesmo sair deixando a garota em sua frente sem entender nada.


- Aquele moleque! - um sorriso ladino surgiu - Meu anjo, precisarei ir! Espero ter matado sua curiosidade de como era o gosto da minha boca! Reclamações informe mamando meu pau. Obrigado!


Quando estava a caminho da saída onde havia marcado com seus amigos, avistou Taemin com uma garota e por incrivel que pareça era Rosé, sua namorada.


- Caralho, vieram de que lugar? Brasil? Por quê tanta demora? - um dos namorados de seu amigo disse irritado - Estou com fome, sabiam?


Não entendia como seu melhor amigo conseguia ter dois namorados, mas respeitava.


- E você não come há quantos anos? 30? - Park entrou na provocação


Jeon segurou o riso. Aquele garoto era definitivamente inacreditável.


- Aliás, viram o Jungkook? - Namjoon pergunta para os dois amigos abraçados


- Ele estava lá atrás metendo um par de chifres na Rosé! - Park respondeu sem conter a risada


E o seu está metendo um par de chifres em você bem agora com a Rosé. Jeon não sabia o que fazer pois se o mesmo virasse estaria na direção de Taemin e mesmo que o odiasse não o queria triste.


Por isso resolveu começar um jogo onde sabia que perderia a linha em algum momento e uma briga se instalaria de verdade.


Jeon apenas parou aquela confusão quando, olhou sobre os ombros e viu que Taemin e Rosé haviam notado a presença dos sete rapazes e tentaram se esconder.


E agora ele estava ali ao lado de Jimin dizendo que havia corrido já que o carro quebrou, mentiroso.


Park como bom ingênuo que é, acreditou.


Mas se tem uma pessoa que sabia que Taemin estava mentindo era Taehyung já que também havia o visto fazendo a mesma coisa que Jeon viu.


Kim nunca gostou de Lee namorar o Jimin e tinha medo do que o rapaz poderia fazer contra o seu garoto.


- Mas eu vi o seu carro hoje, MinMin onde você estava? - E desta vez quem perguntou foi Jimin 


Isso, manda vê Park! Jeon gritou em pensamento.


- Amor, você deve ter confundido o carro! - Lee tentou disfarçar 


Quando Jimin iria dizer mais alguma coisa, a garçonete chegou levando consigo toda e qualquer informação que Park poderia tirar .


Jimin já havia sacado que algo estava diferente há meses, mas preferiu acreditar em todas as falas de Taemin. Namoravam há quase 1 ano, não queria jogar pelo ar tudo o que passaram. Resolveu deixar quieto não adiantaria nada fazer algo agora.


Lee pega a mão do pequeno por debaixo da mesa e segura com carinho. Realmente gostava daquele menino, todavia precisava de Rosé! Aquela garota era simplemente magnífica aos olhos dele.


A garota havia prometido ficar com ele oficialmente se o mesmo largasse Jimin e ele estava ali por isso.


Mas como terminar?


- Jiminie? - o chamou baixinho - será que podemos conversar no banheiro?


O pequeno assentiu pensando altas besteiras que aconteceriam dentro daquele banheiro.


- Como posso te falar isso? - Taemin estava sério e isso assustou o mais novo - Eu realmente gosto de você


Jimin não estava gostando do rumo daquela conversa e nem queria saber o final dela. 


- MinMin, está tudo bem? - perguntou receoso - Por que tanto mistério?


Faltava ar naquele momento para Taemin. Não sabia como fazer aquilo, mas precisava terminar.


- Eu quero terminar! - ditou rapidamente para acabar logo com aquilo - E nem venha chorar ou coisa do tipo! Estou com outra pessoa! 


Aquilo chocou Jimin. Ele realmente não chorou, não gritou, não esperneou, não fez nada. Estava estático, seus pensamentos haviam sumido e não sabia nem onde estava mais. 


Lee Taemin, viu aquela oportunidade para sair daquele ambiente. Todos da mesa observaram o rapaz sair às pressas, contudo, não viram Jimin voltar.


Jungkook então percebendo o que estava acontecendo correu até o banheiro em busca do pivete loiro.


- Park? - perguntou abrindo a porta - Jimin? - andou mais um pouco até a curvatura que dava em direção as cabines e ali foi onde encontrou o garoto.


Jimin permaneceu da mesma forma de quando Taemin o deixou ali. Aquela cena deixou o maior com raiva.


Contendo toda raiva no punho cerrado e tentando controlar a respiração, Jeon andou em direção ao garoto que se encontrava sem rumo algum e tentou chamar atenção do mesmo com o apelido que o mesmo odeia.


- Boneca? - Nada aconteceu. O garoto possuía lágrimas nos olhos mas não as soltava - Pode chorar e se quiser apoiar em alguém ou abraçar, estou aqui.


Aquela fala foi o estopim para o choro começar. Park sem cabeça alguma, apenas abraçou Jeon e soltou todo o sentimento que estava dentro do peito.


Naquele instante tudo o que Jungkook não queria que acontecesse com Jimin aconteceu. 


Quando eram mais novos o quarteto era formado por ele, os irmãos Kim Seokjin e Kim Taehyung e Jimin. Os mesmo já conheciam Hoseok, Namjoon e Yoongi todos cresceram juntos.


Mas quando crianças o laço mais fortes era diferente de hoje. Os sete cresceram juntos na mesma vizinhança e juraram amizade eterna.


Pena que depois de quatro anos tudo acabou devido aos xingamentos que Jeon disse a Jimin quando o mesmo assumiu que gostava dele.


No mesmo ano, Jungkook engatou namoro com Jennie. Logo depois, descobriu que a mesma não gostava da fruta que tinha e acabou terminando o relacionamento e engajando com a melhor amiga da ex, Rosé. 


Jimin por outro lado odiou a atitude do garoto e jurou que pelo resto da vida odiaria Jeon Jungkook por ele ser um grande babaca idiota.


Após um tempo, o irmão e o pai do Jimin vieram a falecer devido a um assalto em sua residência. Ocasionando uma grande bagunça na vida do pequeno Park.


No dia do funeral, os sete estavam reunidos ao lado de Jimin e Jeon naquele dia prometeu que ninguem mais faria o garoto do seu lado chorar.


Toda vez que Jimin se metia em alguma encrenca devido seu temperamento extremamente forte. Magicamente, tudo era resolvido e no final só acabavam sabendo que Jeon tinha parado na diretoria.


Ninguém podia mexer com Jimin. A não ser, claro, que essa pessoa fosse Jeon Jungkook. 


E era por isso que sua raiva era gigante, odiava ouvir os soluços que o menor dava. Aquele garoto nem merecia um terço dessas lágrimas que caiam sem cessar.


- Hey, quer ir embora? - perguntou baixinho - Hein, boneca?


Jeon não havia chamado desta vez para irrita-lo de fato, mas precisava de uma confirmação de que pelo menos iria reagir ao apelido.


- Me chama de boneca novamente e eu acerto suas bolas! - disse batendo nas costas do outro e com a voz abafada já que seu rosto estava no peitoral alheio 


Jeon permitiu se rir e suspirou aliviado, pelo menos o outro agora reagia as suas brincadeiras.


- Kookie, você sabe com quem ele está? - Jimin nem se deu conta de como chamou o próprio Jeon e o outro não iria zombar da forma carinhosa e que há muito não ouvia.


Jimin havia costume de chamar o garoto de Koo, Kookie, Junjun, quando ficava triste ou manhoso quando criança. 


- Sei! - disse em um suspiro - Eu acabei descobrindo hoje também


Vendo os olhos curiosos do menor a sua frente continuou.


- Hoje na hora da saída.- vendo que ainda possuía a atenção do garoto prosseguiu - Taemin estava beijando a Rosé no estacionamento. - a carinha de choro formava no rosto do garoto novamente e aquilo mais uma vez foi doloroso para Jeon - devido a nossa briga perceberam nossa presença e sairam correndo. 


Jimin assentiu tentando assimilar as informações que foram passadas.


- Você também está triste? - Park perguntou preocupado


E Jeon logo entendeu que falava da Rosé.


- Bem, ela faz isso desde o início do namoro. Por isso, beijo outras garotas também! - Jungkook explicou 


- Eu acho que não conseguiria ter um relacionamento assim. - Park disse coçando a nuca e sorrindo - Jungkook, estou com fome. 


Jeon sorriu e o puxou pelo pescoço para andarem de volta até a mesa.


- Sabe Jungkook - Jimin começou antes de saírem do banheiro - Até que não você não é tão mala assim! 


Os dois gargalharam e seguiram até a mesa recebendo olhares curiosos daqueles que permaneceram sentados.


- Isso sim deveria ser chamado de Paz Mundial - Namjoon debochou - Os dois juntos e sem se matarem e de ficar com a boca aberta.


- Abre mais e eu enfiarei meu pau para mamar! - Jeon 


- Nossa, como você é nojento! - Park começou revirando os olhos


- Quer também, boneca? - Arqueando as sobrancelhas brincou sabendo que o baixinho se irritaria


- Caralho, Jungkook! Não da uma dentro! - Sua resposta fez o outro rir.


- Jimin. - tentava chamar a atenção do garoto que o ignorava - Jimin, é sério! - vendo que ja tinha conseguido a atenção do outro soletrou a palavra boneca sem som, recebeu uma bela batata no meio do rosto - Sabia que é feio desperdiçar comida?


- Você é uma criança, Jeon Jungkook! - o achava bobo, mas estava agradecido por antes.


Missão concluída. O sorriso havia voltado para o rosto daquele que estava em sua frente e isso era o que bastava.



🎸


Em casa achando que teria um pouco de paz, Jeon seguiria ate seu quarto se fios loiros e voz extremamente irritante para os ouvidos do mesmo, não o tivessem parado.


- A casa do seu namorado não é aqui não! - debochou 


Rose o segurou pelo braço e tentou chamar atenção para si.


- Kookiezito, é claro que meu namorado mora aqui! - cínica - Que outro além do meu bombom seria meu gatinho?


- Bem, eu não me chamo Lee Taemin! - Bingo. Ganhou mais uma. - Aliás, a porta é por ali e lembre de assumir o namoro com o rapaz! - Disse já subindo as escadas.


Abriu a porta com o pé, pois a preguiça consumia todo o seu corpo. E a última coisa que fez antes de cair em sono profundo foi tirar a camiseta deixando o tronco que possuia algumas tatuagens exposto.


1. 2. 3. Se jogou na cama e simplesmente dormiu.


Do outro lado da rua, Jimin se encontrava cansado e triste.


- Bem-vindo, meu bem. - Sua mãe o lhe cumprimentava até olhar seu rosto - Meu bem? 


Os olhos de Park demonstravam que algo não ia bem e isso pode ser confirmado com o bico que foi formado nos lábios do garoto e os olhos marejados.


- Omma, ele terminou comigo!! - Ja chorando e sem se preocupar com a pose ou com as amigas de sua mãe que estavam ali, correu até sua mãe. - Aquele idiota estava me traindo! Como pode alguém trair Park Jimin?


A autoestima de Jimin era algo completa invejável. 


- Espera! Se sabe que é idiota, qual é o motivo das lágrimas? - sua mãe tentava anima-lo o aninhando em seus braços - E concordo, como alguém trai Park Jimin? 


Senhora Park deposita um beijo sobre a testa de seu doce filho e afasta o rosto para poder encara-lo melhor. Aquele garoto era seu bem mais precioso.


Desde a morte de seu filho mais velho e de seu marido, Jimin vem sendo sua principal companhia e seu melhor amigo. Odiava vê-lo tão triste daquela maneira. Entretanto, corações partidos são importantes para achar o verdadeiro amor.


- Meu amor, o que a Omma sempre diz? - arrumando os fios desalinhados a mais velha pergunta 


- Que corações partidos são importantes para acharmos o nosso verdadeiro amor! - com a voz embargada, olho inchado e nariz escorrendo repetiu a fala proferida tantas vezes por sua mãe.


A mulher sorriu e o mandou ir tomar um banho e depois voltar ali para ficar com ela e suas amigas.


E foi isso que o mesmo fez. Tomou banho, colocou uma roupinha mais quentinha e se juntou a sua mãe e amigas para baterem papo.


Conversaram sobre tudo. Sexo, drogas, garotos, garotas, unhas, cantores da moda, educação e sobre a sociedade retrógrada.


Park se sentiu extremamente feliz e agradecido por aquele momento e por ter pessoas ao seu redor que não eram ruins.


🎸


A aula era de Matemática, o verdadeiro terror para Jimin. Não via o momento em que o sinal bateria e ele correria para a aula especial que teria hoje com todos os alunos, havia descoberto que a aula seria dança e por isso estava tão empolgado.


- Park, venha por favor resolver esta equação na lousa! - a professora Baek o chamava 


- Nossa, sabe o que é? - lá vem uma desculpa - Estou com uma tontura! Olha nem consigo levantar!


Toda aula era uma desculpa diferente. Semana passada o cachorro havia morrido e nem mesmo possuia um. Semana retrasada uma tia foi internada e estava preocupado com ela, esperava que a tia de alguém que foi internado ficasse boa. Pois a dele mesmo a mais próxima estava ótima!


- Kim Taehyung, venha então! - a senhora desistiu de chamar Park pois sabia que ele não viria - É bom o seu "gêmeo" acertar ou senão os dois perderão pontos! 


Felizmente, Kim era extremamente perfeito e acertou. Comemoraram em silêncio.


Glória ao bom algo. Saiu correndo da sala puxando o melhor amigo. Queria ter uma boa visão da aula.


- Bom alunos, hoje teremos aula de dança moderna e hip-hop, es - A professora Yoona acabou sendo interrompida por um gritinho de felicidade de Park e Hoseok que logo foi contido devido a atenção que recebeu. - Okay, já vi que gostaram! - a mesma riu com a reação.


Olhou para todos, mas chamou quatro alunos que sabia o potencial para demonstrar.


- Momo, Seulgi, Hoseok e Jimin. Por favor, venham até mim! - Olhou para os quatro e sorriu gentilmente - Hoseok e Momo farão hip-hop, já Seulgi e Jimin dança moderna. Vamos Jiseul e Moseok - os alunos riram dessa combinação de nomes mas confirmaram.


  A primeira dupla era Moseok. O estilo era freestyle. Hoseok surtou internamente com esta noticia.


Uma música não identificada foi colocada no rádio e os dois começaram. Todos gritavam e os aplaudiam.

  

  Hoseok e Momo haviam se conectado com a musica. Seus corpos moviam se com a batida. Cada beat um passo. Ao final da musica os dois agradeceram e voltaram para o lugar.


  Agora era a vez de Jimin e Seulgi. Novamente a música era desconhecida por todos ali. Era instrumental e precisariam dar vida aquele som.


  Park fechou os olhos. O som do violino adentrava seu corpo e o fazia dançar levemente pelo campo. Os dois jovens se encontravam em estado de êxtase puro.


  Na outra ponta o mesmo garoto que um dia atras havia julgado Jimin estava ali, embasbacado com a apresentação em sua frente. Em outras palavras, a fala de Jeon anteriormente nem deveria ser levada em conta realmente, motivo? Ele gostava de admirar o rapaz dançar.


  E ali o estava com o semblante sério, mas com os olhos parecendo duas pequenas galáxias de tão brilhantes. 


  Os minutos que Park passou dançando pareciam um foguete de tão rápido, já que nem percebeu quando o mesmo acabou. Isso se estendeu também até o garoto que dançava. Nunca reparava quando acabava, pois amava aquilo.


  - Muito obrigada, fadinhes! - Professora batia palma. Verdadeiramente orgulhosa de seus queridos alunos. - Bem, qual é o intuito? É juntar vocês em uma apresentação musical! Sei que inicialmente disse que hoje seria apenas uma aula de dança. Entretanto, é uma atividade para a escola e eu necessito de colaboração de todos, okay? 


  A mesma recebeu um okay em conjunto. Yoona então continuou explicando que poderiam juntar o hip-hop com dança moderna. 


  Pediu que todos os alunos se reunissem e seguissem em direção a caixa em frente e pegassem um papel. Seria um grupo de 7  pessoas tendo em vista que nesse grupo também terá que haver uma divisão e o que iria servir como indicador para saber que os mesmos estariam no mesmo grupo seria a cor.


  Quando todos já haviam pego seus papéis, e conferido para ver se por algum acaso não faltava ninguém, abriram e olharam ao redor em busca dos seus companheiros.


  O que era sorte para alguns poderia ser facilmente ser o azar de outros.


  Park Jimin sentia como se fosse sua terrível e doce morte. Não bastava ter terminado com seu namorado no dia anterior, agora teria que estar no mesmo grupo que ele.


  Park Jimin, Jeon Jungkook, Lee Siyeon, Do Hanse, Jeon Soyeon, Park Rose e Chou Tzuyu. 


  Puta merda, pensou. Os únicos que Park ia com a cara e era amigo ali eram Hanse e Soyeon. Não que tinha algo contra Chou Tzuyu, porém, a mesma comia na mão do Jungkook e isso era insuportável.


  Por um momento sentiu inveja de seus melhores amigos que estavam juntos e ainda por cima com seus namorados. E Lisa e Jennie estavam em seu grupo, queria a sorte deles!


  E ele estava com duas pessoas bacanas. Um babaca esquisitão. Um traidor que logo logo será traído. Uma apaixonada por alguém que não vale nem um pouco do esforço e por fim e nem um pouco importante, a vadia.


  A professora pediu para que todos se reunissem em algum canto da quadra para conversarem.


  Taehyung, Hoseok e Seokjin se aproximaram do amigo para o provocar.


  - Boa sorte, vai precisar! - Tae começou com a voz banhado em deboche - É triste ver todos juntos, né? 


  Filho da puta! 


  Teve vontade de socar seus melhores amigos bem naquele momento. 


  - Eu tenho raiva, sabia? - disse com o punhado fechado - Acho que o universo me odeia, essa é a única explicação plausível que encontrei. 


  Seokjin riu do desespero do mais novo e apoiou sua mão ali antes de tentar acalma-lo


- É só um trabalho, Minie! Depois que acabar poderá ficar conosco! - disse com seu tom calmo de sempre


Hoseok concordou e disse


- E você não irá morrer, só por um trabalho! 


É. Ele não morreria, mas certamente mataria! Seguindo em direção a galera que faria o trabalho, se deparou com Rose choramingando que não sentaria na grama e com Jungkook revirando os olhos impaciente.


  - Se caso você não quer  não sente, fique em pé! - Paciência mandou lembranças a Jeon - E você madame, já cansou de conversar com os seus amigos? - Jungkook bradou contra Jimin


- Já sim! - mostrou a língua para o garoto a sua frente - E agora precisamos conversar sobre a dança. Apesar de ter muitas pessoas irritantes nesse grupo, temos uma boa quantidade de gente que ja tem uma noção da dança, o que é ótimo! 


  - E o que você sugere Minnie? - Taemin o chamou pelo apelido que lhe costumava a ser corriqueiro entre os dois 


  - O nome dele é Jimin para você! - Cerrando os dentes Jungkook respondeu - Ou estorvo - piscou para Jimin que rolou os olhos.


Depois de um tempo conversando na grama e com reclamações vinda de Rosé, decidiram que iriam para alguma sala de dança. 

  

  Taemin e Rosé foram logo na frente, enquanto, os outros quatro permaneceram caminhando juntos. 


   - Me perdoa, Jeon! - Soyeon inicia - Mas sua namorada irrita! 


  Jimin fez um gesto cúmplice com a garota.


A amizade dos dois iniciou-se por causa do ódio compartilhado que sentiam e por não entenderem a fissura de galera nos meninos da banda, e claro por ela ser irmã do Jungkook o que o faz ter visto a mesma crescer. Desde então sempre que podem estão zoando o povo ridículo que se acham a bolacha rara que ninguém consegue encontrar de tão rara.


Já deveria ser a oitava vez que Park tentava ensinar os passos para aqueles que compartilhavam a sala convosco. 


Inferno, achava que seria mais fácil devido a maior parte ali já ter conhecimento. Mas pelo visto,  seria mais dificil do que imaginou. A pior era Roseanne, meu deus , que garota insuportável!


A raiva do menor, era divertimento para Jeon que sorria a cada grunhido irritado que o outro dava. Jungkook nunca tinha constatado a forma como o mesmo ficava extremamente fofo nervoso. Mentira, ja tinha sim e várias vezes.


Park ao perceber a feição divertida no rosto do rockeiro através do espelho,  levantou a mão exibindo seu lindo dedo do meio. 


- Jeon Jungkook,  eu ainda não vi você acertar um movimento! Da para retirar esse sorriso irritante do rosto e ajudar? - disse em um momento que liberou todos para beberem água - Porra, sua namorada é mesmo uma lider de torcida?


Jeon rolou os olhos. Rose não era mais sua namorada, havia terminado no dia anterior, pelo menos era isso que Jungkook acreditava.


- Você que é um péssimo professor! - Fingiu defender sua namorada - Aliás, Jimin pega leve! Nem todos aqui por mais que tenham conhecimento da atividade, realmente gostam de dança.


Jungkook sabia que provavelmente Jimin estaria considerando suas palavras. Pois, no momento seguinte o  garoto a sua frente se deu por vencido e sentou no chão  encarando o maior com um bico no rosto.


- Me ajuda, não sei como fazer isso - Pediu irritado por precisar de Jeon.


- Como é o negócio? - Jungkook retomou a provocação - Park Jimin está me pedindo ajuda, isso não pode ser real! Não pode mesmo! Vamos, diga novamente, diga! - Agachou na altura de Jimin, colocando a mão sobre o ouvido em direção ao rosto do loiro que bufou em resposta


Jeon voltou a olhar Park que continha um bico maior que suas bochechas e sorriu.


O garoto de macacão e blusa branca por baixo olhava para os pés quando respondeu o olhar de Jeon. Não sabiam definir o que era aquele olhar intenso, só sabiam sentir, apenas sentir e continuar naquilo.


O corpo dos dois naquele momento pareciam imãs que os puxavam e os deixavam cada vez mais próximos. Seus rostos estavam cada vez mais perto e podiam jurar que sentiam a respiração um do outro.


Provavelmente teria rolado algo ali, com toda a certeza do mundo teria saído um beijo. Mas como nem tudo são flores, Jimin foi empurrado para longe. Estava tão desnorteado pela cena que passara por seus olhos que nem se deu conta de quem havia o empurrado,  até os primeiros gritos histéricos.


- QUE MERDA ESSA PORRINHA IRIA FAZER, NO MEU NAMORADO? - Rosé gritou para Jimin o que fez Soyeon revirar os olhos do outro lado da sala irritada pela garota loira ter entrado quando o seu irmão quase beijaria Jimin 


- Namorado? Pensei que eu fosse seu namorado! - Taemin perguntou um tanto confuso e também curioso para saber o que Jimin fazia quase beijando Jungkook


Rosé abriu um sorriso amarelo para Lee e o mandou um "depois conversamos" em silêncio.


- Agora a minha conversa é com essa puta pecadora, venha cá! - Ordenou para Jimin que o olhou com uma cara desacreditada


- Vamos por partes - Park iniciou - Eu não gosto do seu "namorado" e nunca beijaria caso pense que era isso o que ocorreria se caso não tivesse chegado - fez aspas com sua mão pois sabia do que estava rolando ja que havia sido chifrado


A garota permanecia com o semblante serio e com o nariz quase batendo na lua de tão empinado.


 - Outra coisa, tome cuidado com o que diz! - levantou e seguiu até a mesma - Eu não me chamo porrinha e muito menos puta pecadora - Disse com os dentes cerrados - E sim, eu vim até você mas não foi pelo seu chamado! - forçando seu indicador contra o peito da garota a sua frente prosseguiu -  Você é insuportável garota! Consegue ser mais irritante que Jeon Jungkook e para retira-lo do topo da minha lista... - estala a lingua no céu da boca - É muito dificil! E acredite Roseanne, que eu odeio em um nivel absurdo as pessoas que estão no pódio do meu ódio! E apenas para concluir, não sou seu cachorrinho e a senhora apenas leva a vida que possui - a empurra - pois, minha mãe é CEO da empresa onde seu pai é acionista e tenha certeza que se ela quiser, ela retira sua familia da empresa! Então trate de medir suas ações com as pessoas e já que quis meu namorado, cuide do mesmo e que sejam felizes pois os dois são iguais!


Dito tudo isso deixou a sala de ensaio com cinco pessoas perplexas com a fala do dito cujo e dirigiu para fora da escola. Quando finalmente percebeu que não havia ninguém o seguindo deixou suas lágrimas rolarem. Parou na segunda esquina perto da escola e ali agachado permaneceu.


Doía ver seu agora ex namorado sorrindo para alguém tão, tão. Nem palavra para descreve-la saía e isso o deixava mais irritado. As palavras que a mesma despejou sobre Jimin o machucaram.


Deus realmente o puniria por amar alguém do mesmo sexo? Ele mesmo não mandou seu filho à Terra em busca de mostrar o  que era o amor?


Na religião que frequento diz que devemos apenas praticar a caridade e ir sempre em busca de boas ações. Então por qual razão as pessoas ainda julgam as outras por quem elas amam? Terá algum século onde isso será melhor? Veremos pessoas do mesmo sexo em telenovelas? Claro que temos alguns exemplos como Freddie Mercury. Mas digo, teremos representações na Ásia? 


Esse era o grande pensamento e pergunta de Park Jimin naquela tarde. Quando viu que o céu estava dando sinais de que a noite estava chegando , levantou e caminhou até sua casa. Do outro lado da calçada, Jeon também se encontrava indo para seu próprio lar. E ambos seguiam cheios de inseguranças, perguntas e descobrimentos.






Notas Finais


🎸

eai,  galera boa!

como vocês estão? estão bem?

Esse capitulo é dedicado para uma pessoinha que sempre da amor para tudo o que faço independente do que seja e que realmente está me apoiando em relação a essa fic.

 Sarita, esse cap é para você meu anjo! 

Bem, dedicatória feita. 

Agora quero dizer que eu realmente não sei se algum dia essa fic ou qualquer uma das que já escrevi... chegará em um nivel onde direi,  caraca consegui levar minhas filhotas para isso tudo de gente?

Eu apenas escrevo. Pois, sou assim com a arte. 

Canto pois me anima

Fotografo pois posso eternizar os momentos 

Edito, gravo e escrevo pois acalma a minha alma.



Tem uma frase que costumo dizer 

A galera da saúde cuida do corpo fisico 

&

Nós da arte cuidamos da alma.



É isso!!! Beijão no coração de cada um de vocês!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...