História Radioactive - Capítulo 7


Escrita por: e LadyBuug

Postado
Categorias Loona
Personagens Choerry, Chuu, GoWon, HaSeul, HeeJin, HyunJin, JinSoul, Kim Lip, Olivia Hye, Personagens Originais, ViVi, Yeojin, Yves
Tags 2jin, Chuuves, Hyewon, Lipsoul, Loona, Shoujo-ai, Viseul, Yeorim, Yuri
Visualizações 68
Palavras 1.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, FemmeSlash, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, LGBT, Luta, Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Respeito


— Hyejoo, eu escolhi essa cama primeiro!— Yerim cruzou os braços, batendo o pé no chão enquanto bufava nervosa.

Após uma longa viagem de cinquenta e nove minutos, as garotas finalmente haviam chego em Ba Sing Se. 

No momento, estavam no prédio onde Yves e outras cinco garotas costumavam morar.

— Por que quer esta cama?! Justo a que eu quero!— revirou os olhos, se jogando na cama. — Eu vou ficar aqui.

— Não vai não! Eu quero dormir nela!— levou as mãos até os braços da Son, tentando tirá-la de cima do colchão a força.

— Por que quer ela?! As camas são todas iguais!

— E por que você quer ela?! Já que todas as camas são iguais, não tem porquê ficar brigando comigo.

— Porque eu quero.— grunhiu. — Não quero dormir na cama que fica entre a Kahei e a Jungeun!

— E você acha que eu quero?!

— Eu não acho, eu sei que você vai dormir lá.

— Não vou não. Son Hyejoo, eu vou te matar se você não sair daí agora!— ameaçou, franzindo o cenho ao mesmo tempo que cerrava os punhos.

— Ei, ei, ei! Ninguém vai matar ninguém.— Kahei adentrou o quarto, aproximando-se das duas mais novas. 

— Eu vou.— retrucou. — E esse alguém é a Hyejoo.

— Por que estão brigando?!

— A Choi frescurenta Yerim quer ficar na cama que eu escolhi pra dormir.— Hyejoo dissera, fuzilando a mais nova com o olhar. 

— Mentira! Eu escolhi a cama primeiro!

— Mas tem outra cama sobrando.— A Wong arqueou as sobrancelhas, apontando para a cama do outro lado do quarto. — É a cama que fica entre a minha e a de Jungeun.

— Eis o problema.— a morena disse, recebendo uma feição indignada de Kahei.

— Querem saber?! Hyejoo, você não vai ficar nesta cama.— a mais velha decretou, sentando-se ao seu lado.

Yerim ganhou uma feição vitoriosa, e um sorriso brilhante ao rosto, mas quando estava prestes a zombar de Hyejoo, Kahei a interrompeu.

— Você também não vai dormir nela, Yerim.

— O que?! Por que?!

— Porque quem vai dormir nela sou eu. Agora, vão lá fora procurar algo útil pra fazer.

— Você não tem esse direito, Kahei!

— Tenho sim, eu sou mais velha, vocês me devem respeito.

— Mas você... A-a Hyejoo...

— Gaguejou, perdeu o argumento, docinho.— a mais velha sorriu abertamente para Yerim. 

A Choi bufou e começou a andar em passos pesados para fora do quarto.

— E você? O que está fazendo aqui ainda, Hye?!

— Não quero sair.— deu de ombros. — Lá fora deve estar chato. 

— De fato, está.— suspirou. — A capitã rabugenta está nos dividindo em duplas pra ir buscar recursos suficientes para reconstruir a nave.

— O que?! Depois de uma hora andando, ainda vamos ter de sair pra procurar recursos?!— indignou-se de imediato, revirando os olhos. 

— Olha, tecnicamente, foram cinquenta e nove minutos andando.— gargalhou, recebendo um resmungo como resposta. — Enfim, Yves irá nos colocar para andar em duplas com as meninas terráqueas.

— O que?! Como vamos coletar recursos ao lado de garotas que não entendemos?!— bufou. 

— Ela disse pra nós nos virarmos.— deu de ombros. 

— Eu odeio a Yves. Não quero andar do lado de um alien.

— Bom, eu também não, mas não temos escolha. Nós precisamos dar um jeito de voltar para casa, sem contar que Yves é quem manda aqui, e é a única que entende nossa língua, então, vamos apenas obedecer ela.— suspirou pesado. — Pode ser que seja melhor assim.

— Andando ao lado de alguém que não te entende?! Quais os privilégios?!

— Não sabemos se pode haver alguma ameaça lá fora, se algo perigoso acontecer conosco enquanto estivermos fora, as meninas vão estar ao nosso lado para nos orientar. Sem contar que com o tempo nós iremos conseguir nos comunicar direito.

— Eu nunca vou conseguir falar na língua delas.

— Mas elas podem aprender a falar na nossa.— levantou. — Vamos lá fora, quero saber quem vai fazer parte da minha dupla, aí você aproveita e vê quem vai fazer parte da sua.

— Certo.

As duas desceram até uma sala onde outras dez garotas estavam, sendo seis terráqueas e quatro extraterrestres. 

SooYoung estava em pé, elaborando as duplas, enquanto as outras nove estavam sentadas em cadeiras, as quatro visitantes ouviam atentamente a fala da Ha, enquanto as outras cinco aguardavam as ordens de sua comandante.

— Que bom que vocês chegaram.— a Ha forçou um sorriso em direção das duas, que se aproximaram mais e se sentaram em cadeiras que haviam sobrando ali. — Apenas restam mais quatro duplas para serem formadas.

— Ótimo! Estou ansiosa para sair com Heejin.— Hyunjin dissera sorridente, recebendo um olhar de reprovação de SooYoung. — Digo, estou ansiosa para ir em busca de recursos!

— Voltando para o que eu estava dizendo... Você!— apontou para Yerim. — Você vai fazer dupla com Yeojin.— ditou, e, em seguida, murmurou algumas palavras para que a Im desse alguns passos à frente.

— Com ela?!— Yerim gargalhou, levando as mãos até a barriga. — O que ela vai fazer?! Cavar um buraco e tentar colocar alguém dentro?!

SooYoung murmurou algumas palavras para Yeojin, traduzindo a fala da Choi, esboçando um sorriso divertido ao ver a feição da baixinha ficar irritada.

Yerim observou que a pequena andou até uma das paredes do prédio, e, totalmente tomada pelo ódio, esmurrou o concreto, o quebrando em questão de segundos.

A Choi engoliu a seco, se encolhendo em sua cadeira e, quando Yeojin lhe lançou um sorriso simpático, seu corpo se estremeceu.

— Næst næst mun ég brjóta andlit þitt.— "da próxima vez, vou quebrar sua cara." dissera, ainda sorrindo para a mais alta, que acabou por retribuir o sorriso de maneira meio torta, mesmo não tendo entendido.

— E você.— SooYoung apontou para Hyejoo. — Vai ficar com Chaewon.

— Chaewon?!— ao repetir o nome recitado por Yves, uma loira se levantou de uma das cadeiras e começou a andar em sua direção.

Ao passo que se aproximava, sua expressão parecia se tornar mais suave enquanto um sorriso de canto crescia em seus lábios desenhados, e seus cabelos balançavam de acordo com seus passos.

Hyejoo, boquiaberta, se viu totalmente encantada pela loirinha que vinha até si. 

Sorriu nervosa ao ver a menina trocar de lugar com Kahei, que estava ao seu lado, e então, tocou seu ombro suavemente.

— O-oi, eu sou a Hyejoo.— gaguejou nervosa, tentando evitar olhar nos olhos da Park.

— Hyejoo, para de andar com a Jiwoo. Está fazendo mal pro seu crescimento.— Kahei murmurou, recebendo resmungos da ruiva.

— E por último, você.— SooYoung dissera, vindo até a Wong. — Você vai andar com Haseul.— ditou. — Você está prestes a sair em busca de recursos com a líder dos melhores exércitos deste lugar.— disse enquanto olhava nos olhos da chinesa ao ponto que se aproximava. — Eu exijo que você tenha respeito com ela, está me ouvindo?!— falou um pouco mais baixo, em uma entonação rouca.

— Sim.— murmurou trêmula, ficando amedrontada apenas de imaginar como era a líder do exército.

Todo o seu receio pareceu evaporar quando uma morena de cabelos curtos se levantou de uma das cadeiras e andou até si, mantinha um sorriso doce ao rosto, e os olhinhos pequenos brilhavam enquanto encaravam a feição meiga de Kahei.

— Olá.— a Jo dissera simpática, se agachando ao lado da Wong.

— Você fala nossa língua?!— Vivi indagou perplexa, arqueando as sobrancelhas.

— Eu entendo um pouco.— disse. — Mas não é tanto, você vai precisar me ensinar.

— C-certo! Posso fazer isso!— curvou seus lábios em um sorriso nervoso e simpático.

Yves sorriu vitoriosa ao ver que todas as duplas estavam formadas. Havia feito um bom trabalho.

"Agora é só coletarmos recursos e ajudá-las com a nave para elas irem embora de uma vez." mordeu o lábio inferior, juntando suas mãos para então brincar com seus próprios dedos.

Uma carranca se formou em seu rosto ao ouvir alguém pigarreando atrás de si, e então, ao se virar, ficou com vontade de morrer, arrancar a própria cabeça, se jogar de um penhasco, ou até mesmo nadar em um lago repleto de monstros.

Jiwoo estava atrás de si, com os braços cruzados, uma expressão enjoada, e um de seus pés batiam constantemente no chão.

— Acho que você se esqueceu de alguém, comandante.— segurou-se para não revirar os olhos, mordendo a própria língua.

— Inferno.— murmurou, cerrando os punhos. 

Sua vontade era de desfazer todas as duplas e organizá-las novamente, apenas para não ficar ao lado da ruiva que era denominada azêmola.

— Seguinte, novo plano!— a Ha gritou, fazendo todas voltarem a atenção para si. — Vamos refazer as duplas!

— Ah, não vamos não!— Hyunjin protestou.

— Não mesmo!— Jungeun agarrou o braço de Jinsoul.

— Estou com elas, comandante.— Haseul disse, voltando a fitar a expressão encantadora de Kahei.

— VAMOS MUDAR SIM!— Yerim interrompeu.

— NÃO, NÃO VAMOS.— Hyejoo gritou. — FIQUE QUIETINHA, CHOI!

— Você só quer mudar as duplas pra não ficar com Jiwoo, nem vem.— Hyunjin dissera, vendo a expressão irritada de SooYoung se voltar para si. 

— Vai ter que aguentar a burra, comandante.— Kahei mordeu os lábios afim de segurar o riso.

— Quem é a burra agora?!— Jiwoo indagou debochada, vendo que Yves não tinha planejado as duplas muito bem.

SooYoung, irritada, segurou a baixinha pelos braços, puxando-a para bem perto de si, até fazer seus corpos se chocarem um com o outro.

Grudou sua testa na semelhante da ruiva, que estava coberta por sua franjinha, e então, olhou no fundo de seus olhos, segurando-se para não a xingar de todos os palavrões que vinham em sua mente.

Jiwoo começara a tremer por medo, engolindo a seco enquanto mantinha o olhar preso no da Ha.

A mais alta murmurou palavras em um tom rouco, palavras nas quais fizeram a pequena Kim se estremecer por inteiro enquanto seu corpo queimava em nervosismo.

 

— Preste atenção, senhorita Kim. Aqui quem manda sou eu, e você me deve respeito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...