História Rain - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias B.A.P
Personagens Bang Yongguk, Himchan
Tags Bang Yongguk, Bangchan, Bap, Chuva, Cozinha, Himchan, Kim Himchan, Pwp, Yongguk
Visualizações 77
Palavras 1.448
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eu sei que vcs vão me bater mas
eu tinha prometido essa fic em maio urro
so q demorei por motivos de falta de inspiração
tavam falando de chuva la no grupo o plot surgiu e eu escrevi kkkk
thanks nana pelo plot coautora sz
rumores que é pwp mas eu n sei fz pwp relevem

Vão ler meus anjos

Capítulo 1 - Capítulo Único



Rain



Capítulo Um - Capítulo Único



Yongguk andava pela cozinha, bocejando e coçando os olhos, demonstrando que ainda estava sonolento depois do breve cochilo que tirou a noite, sendo acordado cedo, considerando que era domingo, pelo namorado. Do ambiente onde estava podia ver a sala com um único sofá de três lugares e almofadas combinando, a porta do banheiro reversível para o pequeno quarto de hospedes e a porta da suíte, que também tinha um tamanho reduzido. A casa era pequena, fato, mas que atendia a todas as necessidades de Yongguk e de Himchan, dono da mesma, herdado pela falecida avó. O mais velho ia ao local com frequência, porém ainda não haviam avançado a fase do namoro no qual passava a morar com o castanho.

Havia sido acordado por um motivo e o estava cumprindo, olhar as panelas nas quais eram preparadas o almoço enquanto o por alguns meses mais novo ia ao mercado comprar alguns ingredientes que faltavam. Yongguk levantou a tampa, sentindo o cheiro gostoso da comida do namorado. Achava que ele cozinhava muito bem, considerando que ele mesmo só fazia o básico, lamen, ovo e quem sabe um café. Com esse último pensamento, colocou água para ferver enquanto procurava o pó de café,  encontrando-o numa das prateleiras.

Sentiu um cheiro curioso, de chuva, seguindo até a janela e observando a cor do céu, cinza escuro. O primeiro pensamento que teve foi checar se o guarda chuva estava na entrada, constatando que o namorado o havia esquecido. Pensou que ele poderia chegar antes da chuva e voltou a cozinha, mexendo algumas panelas e dissolvendo o café na água quente. Mal tomou um gole quando escutou um trovão, decidindo por apagar tudo e ir atrás do namorado com o guarda chuva.

Mal havia alcançado o jardim quando Himchan chegava com as sacolas e os pequenos pingos de água caiam e o atingiam, quando ele gritou para o outro:

- Guk, varal!

Um delay de dois segundos se acompanhou a corrida e ao riso soprado do menor, que entrou e deixou as compras na bancada, seguindo os passos do namorado ao quintal para ajudá-lo a pegar toda a roupa que a tivera o trabalho de lavar a mão. Colocou tudo provisoriamente na área de serviço e voltou para a cozinha com o namorado, que estava ofegante e o observava. A chuva começava a cair com abundância lá fora, deixando o clima mais frio e embaçando os vidros das janelas e portas. 

Himchan não escondeu a cara de desgosto, afinal, odiava quando chovia. Aquela água toda o impedia de fazer diversas coisas e ainda deixava o clima frio e úmido, do qual não era nada fã. Yongguk sorriu com a cara birrenta do namorado, se sentando a sua frente no balcão da cozinha o fitando enquanto ele mantinha os braços cruzados e tentava evitar olhar para o outro. Mas o mesmo segurou com delicadeza seu rosto, deixando-os frente a frente.

- Chateado porque está chovendo, hm? - a voz grave do namorado saiu baixa, como sempre. Nunca vira o mais velho levantar a voz, parecia imune a raiva que o castanho sentia com muita frequência, inclusive a que estava sentindo no momento.

- Estava planejando sair com o Daehyun depois do almoço e isso está estragando meus planos, com certeza!

- A chuva é boa - Yongguk sussurrou e ele só pode ouvir por conta da proximidade. Essa que apenas aumentou quando ele se aproximou e beijou seus lábios de forma calma, mas profunda - Me dá uma desculpa pra ficar perto de você - murmurou contra seus lábios, a rouquidão da voz alheia já o deixava excitado. Se levantou dando a volta pela bancada e ficando de frente pra ele que o olhava profundamente, segurando seu quadril enquanto tinha o pescoço envolvido pelos braços do moreno que o beijava cheio de desejo. O sorriso de canto do mais velho por si só já o deixou cheio de arrepios, mas ao ter os lábios entrelaçados aos do outro e suas mãos apertando sua cintura firmemente e seu corpo colado ao seu, sentindo o balcão em suas costas, gemeu de excitação em meio ao beijo.

- Não deveríamos ir pra o quarto? - Himchan sugeriu ao ver que o clima entre eles estava ficando mais pesado, mais sexual. Mas o Bang apenas deu um risada fraca, permanecendo com um sorriso de canto enquanto levantava o namorado e o fazia se sentar sobre o balcão. O beijou mais uma vez com calma, como tudo o que fazia, mas com tamanha paixão que o castanho se sentiu embriagado por ela. Suas mãos percorriam as coxas dele, que sentia um formigamento gostoso por tê-las lhe tocando num local tão sensível, mesmo que ainda cobertas pelo jeans de sua calça.

- Quão excitante parece pra você a ideia de transarmos aqui na cozinha? - Yongguk perguntou em um sussurro em seu ouvido enquanto seus lábios desciam para o pescoço alvo que ele gostava de marcar e sua mão se dirigia ao volume que ele tinha no meio das pernas - Ainda quer ir para o quarto? - o mais velho perguntou, mas o mais novo não lhe deu uma resposta em palavras. A mente e o corpo entrava em colapso, imerso em prazer que ele lhe proporcionava. Gemia contra o ouvido alheio, felizmente o barulho que poderia se propagar para as casas vizinhas era abafada pela chuva que aumentava lá fora e da qual eles não estavam dando atenção. 

Colocou dois dedos dentro da boca do namorado enquanto abria sua calça e tirava-a com dificuldade para se livrar dela junto com a cueca que ele usava. Assim que sentiu os dedos lubrificados o suficiente, abriu mais as pernas de Himchan, os penetrando com cuidado enquanto seus lábios desciam pelo corpo alheio, passando pelos mamilos entumecidos, abdômen, se demorando em seu umbigo até o membro ereto e latejante dele, que não demorou a lamber em provocação até preenchê-lo completamente por sua boca quente e úmida. Aproveitou para acrescentar um terceiro dedo e sorrir ao sentir a pressão que sentia dele, voltando a se levantar e o beijar nos lábios.

Himchan com suas mãos tremulas conseguiu abrir a camisa de botões que o mais velho usava e se livrou dela tendo acesso a sua pele morena e as tatuagens que a cobriam. Umas das mãos adentrou facilmente a calça de moletom do mais alto que voltou a beijar seus lábios enquanto era masturbado pelo namorado. Chamou pelo seu nome num gemido sofrego, num pedido não feito, vendo ávido os movimentos do namorado que se ajoelhou e abocanhou o membro duro e pulsante, colocando o máximo que conseguia dentro da boca. Suas mãos se apoiaram no balcão, apertando com tanta força que tinha os nós dos dedos brancos, enquanto estava imerso em prazer, a língua dele pressionava sua glande e sua boca percorria toda sua extensão. Mas não queria terminar ali e agora.

Levantou o namorado e já de pé o virou de costas para si. O Kim se apoiou contra a bancada, sua bunda ficando empinada para o namorado que sentiu o baixo ventre latejar em expectativa. Afastou-as lambendo a entrada pulsante e ouvindo o gemido lindo do namorado antes de penetrá-lo com cuidado, beijando suas costas e pescoço. Não demorou a se mover porque Himchan mandou que o fizesse. Sabia como ele gostava então logo aumentava a velocidade e a força, atingindo o ponto que queria quando ouviu um gemido mais alto dele, por conta da proximidade, a chuva ainda abundante lá fora. Seus lábios percorriam o ouvido alheio, sussurrando palavras sujas que ele gostava de ouvir, enquanto sua mão massageava devagar o pênis alheio enquanto estocava com rapidez dentro dele.

- Chanie, que bunda gostosa. Amor - gemeu sôfrego, enquanto o fodia mais fundo e mais rápido - Goza pra mim - Não precisou pedir duas vezes. Logo Himchan se desfez em sua mão, o corpo enfraquecido por conta do orgasmo que o invadia, mas o Bang continuou investindo até que gozasse também, admirando sua porra escorrer pelas pernas alheias. O Kim se virou beijando os lábios alheios enquanto era segurado pelos braços alheios. Yongguk o abraçou com força, escondendo seu rosto em seu pescoço.
- Viu como a chuva não é tão ruim? - o namorado segredou fazendo o outro revirar os olhos e então rir.

- Amor, vamos pro quarto - Himchan sussurrou, sendo levantado pelo namorado e colocado de forma delicada na cama. Bang beijou seus lábios e ia se levantar mas teve o corpo puxado de volta ficando por cima dele. O sorriso do mais novo dizia tudo e contagiou um sorriso ao mais velho. O dia seria longo.


 


Notas Finais


ficou uma porra podem falar kkkkkk
não foi o meu melhor lemon mas acreditem já fiz piores
um plot muito bom mas que eu caguei todo a
comentem amores e um bj pra vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...