História Raios de Sol - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Blind, Blind Love, Chanbaek, Chaneyol, Exo, Irene, Yaoi
Visualizações 32
Palavras 772
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oiii ent
eu n sei oq por aq mas
eu vou ser bem metódica com essa fic, pensei em dividir por partes para poder conseguir por tudo o que eu quero
enfim, é isso, espero que gostem <3

Capítulo 1 - Parte 1: Prólogo


Fanfic / Fanfiction Raios de Sol - Capítulo 1 - Parte 1: Prólogo

Eu me lembro de como, desacreditado, corri para fora de meu carro em direção a rua, estava tarde, estava escuro, o que uma criança fazia aquela hora sozinha em uma rua perigosa? Eu estava desesperado, eu tinha atropelado uma pessoa, uma pessoa viva, que respira, pensa, anda, fala, o que eu podia fazer?  Foi tudo tão rápido, me senti um monstro no mesmo segundo. Ele estava vivo? 

O pior de tudo foi olhar para aquela cena, ele parecia tão frágil, um de seus braços estava todo arranhado, o outro com certeza estava quebrado, ele não estava morto, respirava, era tão leve quando um pano, precisava fazer o máximo para ajudar-lo. A estrada estava deserta, quase nenhum carro passava. Eu estava voltando para casa, estava bem tarde. Eu não conseguia entender o que ele fazia ali, naquela hora, naquele dia, será que estava perdido?

Chamei a ambulância, e sim, eu menti, não precisava de problemas agora, eles não me deixaram ir junto, falaram que cuidariam disso, voltei para minha cidade com remorso, tristeza, e muito medo. Passei noites em claro pensando nesse dia, minha mente revivia o mesmo sempre que parava para pensar, por mais que eu me distraísse, me lembrava, eu me sentia tão desumano, eu me culpei tanto, foi só um acidente, eu tentava acreditar, porém sempre ao lembrar o que ele deve ter passado, eu posso ter tirado a vida de uma criança, eu sou uma pessoa horrível

Os anos passaram, o tempo me ajudou a esquecer um pouco, a faculdade me ocupou nesse tempo, consegui dar um jeito de estudar online, então só precisava ir a outra cidade quando precisava apresentar algo, aquela estrada ficou menos frequente na minha vida, tudo se resolveu. Mas ainda assim, todos os dias eu rezava por aquele menino, na esperança de tirar aquele sentimento ruim de dentro de mim. 

Hoje eu tenho quase 23 anos, a vida não foi muito generosa comigo, mas eu entendo, eu preciso pagar por tudo de errado que fiz na adolescência. 

Atualmente trabalho em um bar perto de casa para me sustentar enquanto não conseguia algo maior. Não posso falar que odeio meu emprego, até por que fiz varios amigos, um lugar além da faculdade, sem contar que eu podia ver varias moças bonitas todas as noites. Tinha me mudado para uma casa pequeno na cidade em que estudava, assim ficava mais barato a viagem de casa até a Universidade. Uma casa pequena no fim de uma rua sem saída, pequena, mas muito confortável. O quintal era enfeitado por um jardim que literalmente foi o que me fez apaixonar pela casa, eu prometi que cuidaria bem daquelas plantas. Porem, estávamos no Outono, elas estavam se preparando para adormecer, foi triste perceber que demoraria mais 2 estações para eu ver-las da maneira mais bonita possível.

Mas apesar de tudo, eu sentia falta da minha família, do meu quarto, da minha cidade, aquela casa era tão pequena, mas me sentia tão sozinho. Pensei até em adotar um cachorrinho, mas o mar de realidade caiu sobre mim, eu não teria tempo e nem dinheiro para cuidar de um, eu não ganhava tanto, não dava para gastar com outras coisas alem de aluguel, contas e despesas, já fazem mais 3 meses que não compro roupas para mim mesmo. Porem eu entendo que isso faz parte de ser um adulto, eu escolhi sair de casa agora tinha que arcar com as consequências, coisas que adolescentes e crianças muitas vezes não fazem, como eu.

Por conta de toda essa solidão, sempre que havia tempo eu saia com alguém, na esperança de achar alguém que eu me interesse e vise versa. Achei que nunca a encontraria, mas esse pensamento mudou quando saí pela primeira vez com Joohyun, uma mulher séria, inteligente e muito bonita, depois de poucos minutos de conversa já tínhamos descoberto varias coisas em comum. Estávamos juntos a alguns meses, não juntos, na verdade... Não sei explicar o que somos, eu gosto dela, da sua companhia, já ficamos algumas vezes também, mas não gosto dela como namorado, talvez seja apenas uma questão de tempo, ou não.

Não obstante a todos os fatos anteriores, Joohyun me convidou para almoçar na sua casa assim que eu tivesse um tempo livre e, - in - felizmente eu tive vários horários livres naquela mesma semana. Não sei por que aceitei, eu devia ter falado explicado para ela que ainda não gostava dela, não ao ponto dela me levar para almoçar com a sua família...

Porém

Talvez se eu não tivesse aceitado

Se eu tivesse escolhido não machucar a Joohyun

Eu não conheceria o amor da minha vida. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...