1. Spirit Fanfics >
  2. Rare Weed >
  3. Say So

História Rare Weed - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Like it, love it, need it bad
Take it, own it, steal it, fast
Boy, stop playing, grab my ass
Why you actin' like you shy?
Doja Cat-Say So.

Capítulo 8 - Say So


 

Eu não sei porque diabos aceitei esse convite, parece que vou explodir de ansiedade, Donghyuck está mexendo em seu notebook, provavelmente procurando o filme que iremos assistir, que eu nem ao menos tive coragem de perguntar ainda, o quarto está em completo silêncio, ao contrário da minha mente que está totalmente barulhenta. - Como diabos devo agir? - Eu não vou tocar no assunto e creio que ele também não vá, então o melhor é apenas ignorar certo? Não é como se fosse algo impressionante, para Donghyuck provavelmente foi algo rotineiro, eu só estou surtando porque beijei um menino… 

   - Ok, Mark Lee, se prepare para ver o melhor filme da sua vida, e eu não aceito reclamações sobre essa obra de arte. - O mais novo falou entusiasmado o suficiente para me deixar curioso. 

   - Nossa, o que vamos ver? - Pergunto tentando olhar no notebook, mas o ruivo pega o eletrônico e coloca sobre seu colo. 

   - Só vai descobrir quando assistir, Mark Lee. - Falou misterioso. dando início ao filme e me chamando. Eu odeio ficar curioso, minha ansiedade me come vivo se eu não saber das coisas, então me apresso em juntar-me a Donghyuck em sua cama, sinto seu calorzinho natural, e sento-me sobre o lençol fresquinho. Donghyuck pega o notebook e coloca-o abaixo de um travesseiro para não transmitir calor sobre nossos corpos. - Ainda bem pois meu corpo já está quente até demais… - O ruivo dá início ao filme e se aconchega ao meu lado, nossos corpos se tocam com o ato, e permanecem assim devido à falta de espaço. Eu preciso me segurar para não explodir, qualquer contato com esse garoto me deixa nervoso. 

   Assim que a primeira imagem roda, parece-me familiar, é a vista de cima de uma rodovia com casas em volta, uma animação com uma estética que me lembra algo…

Até que 1988.7.16. Tokyo apareceu na tela.  - Eu não acredito, eu amo Donghyuck, esse garoto é absolutamente perfeito. - 

   - Você gosta de Akira? - Basicamente berro em seu ouvido. 

   - Você conhece Akira? Mark Lee, você me surpreende. - O ruivo afirma me encarando com um sorriso no rosto.

   - É meio difícil não conhecer a obra prima mais influente do Japão, para o mundo. – Digo empolgado, Akira é realmente um patrimônio mundial, tudo sobre essa história me fascina. – É meu filme favorito. – Trocamos um olhar simpático, com dois sorrisos bobos em nossas faces. Talvez sejamos muito parecidos.

   - O meu também. – O mais novo sorri minimamente, fitando meus lábios, que continham um pequeno sorriso de satisfação.

Donghyuck estava tão calmo naquele momento, não havia presença de sua personalidade provocativa, os olhares descarados, não tinha malícia no tom de sua voz, era simplesmente ele, apenas Lee Donghyuck, um garoto comum, um garoto o qual eu estava apreciando a presença pela primeira vez. Não que sua presença seja desconfortável, mas assim, sereno ele parece muito mais verdadeiro e acolhedor, como se apenas existisse nós dois naquele momento.

   - Vamos assistir então? – Tirando-me de meus pensamentos pacíficos, Donghyuck puxou o seu laptop para mais perto e se aconchegou mais próximo de mim.

     - Vamos. –

 

 

 

 

 

 

 

 

   Eu nem ao menos vi o tempo passar, me mantive tão focado no filme, do começo ao final, que não percebi que o mais novo estava com a cabeça apoiada em meu ombro, da maneira mais adorável que eu já vi. O jeito como seus olhos estavam focados na tela, os lábios cheinhos separados, deixando sua boca meio aberta de uma maneira genuinamente serena, seus fios ruivos espalhados por minha camiseta branca, as pernas compridas revestidas por aquele moletom confortável. Donghyuck estava absurdamente fofo, não dava para negar que sua aura transparecia serenidade, e eu nem ao menos acredito que acabei de defini-lo como uma pessoa serena, tipo, é o Donghyuck... A dualidade desse garoto me confunde demais, - Como diabos alguém pode ser assim? – Eu já não prestava mais atenção ao final do filme, meus olhos apenas conseguiam capturar a beleza do garoto ao meu lado, seus fios estavam tão convidativos naquele momento, peguei-me imaginando se eles eram tão sedosos quanto aparentam ser... Sem pensar demais, meus dedos foram de encontro com os fios ruivos, - e sim, eles eram sedosos, até demais. – E fiz um singelo cafuné, apenas porque seu cabelo era macio, e a sensação era gostosa, nada demais. Mas então eu acordei e percebi o que estava fazendo... Da onde diabos eu arrumei esse tipo de intimidade com ele? Eu não posso simplesmente fazer isso, ele provavelmente apenas estava com dor no pescoço e por isso se encostou em mim, isso não me dá o direito de ser invasivo daquela maneira, então eu automaticamente parei o carinho e voltei a mão em meu colo novamente, fiquei envergonhado, espero que Donghyuck não tenha uma impressão errada, eu nem sei porque fiz isso.

   - Não para não Mark-ah, tava tão gostoso... – O ruivo virou-se para mim, fitou-me com um biquinho nos lábios, sua voz saiu de seus lábios da maneira mais manhosa possível, ele ajeitou-se ainda mais em mim, agora com metade do seu corpo sobre o meu, encostou cabeça no meu peito e pegou minha mão, colocando-a em seus fios novamente, e sem questionar, voltei a alisa-los, hora ou outra enrolando-os em meus dedos, Donghyuck parecia um gatinho em meu colo, cada vez mais se encolhia, - Ele é adorável. – Assim que o filme acabou, - Que eu só percebi quando Donghyuck virou-se para mim, - Me fitando quase sonolento, com um sorriso singelo sem mostrar seus dentes.

   - Seu carinho é ótimo hyung, eu quase dormi. – O ruivo fechou os olhos, sem tirar o sorriso do rosto, aproveitei para analisá-lo, olhei cada pintinha que ele tem, elas que ficam muito expostas em sua derme bronzeada, do rosto até seu pescoço, descendo meu maxilar definido, tudo tão harmônico e bonito.

   - Sabe Mark. – O ruivo finalmente se levantou do meu colo, porém sentou-se sobre meu corpo, com o seu rosto tão próximo do meu que eu pude sentir seu hálito refrescante.

   - Eu não sou bobo. – Fiquei confuso com sua frase, e automaticamente tirei minha mão que estava repousada em si. Ele entendeu minha reação e apenas fitou-me mais intensamente.

   - Eu já entendi tudo. – O ruivo pegou minha mão novamente e a colocou em seu rosto, passando-a por toda extensão de sua face, e logo parando rente aos seus lábios. Eu congelei, estava tão absorto em sua face que não consegui mover um sequer músculo. – Sendo sincero, eu nem ao menos queria fazê-lo. - 

O mais novo lançou-me aquele olhar feroz típico de sua personalidade e levou seus lábios a palma da minha mão, e começou a distribuir pequenos selares sobre ela, sem deixar de me fitar um sequer segundo, meu corpo respondeu automaticamente e então senti minha derme queimar em uma sensação desconhecida... Sem mais nem menos, o ruivo atacou meu pescoço, sentou-se sobre mim num movimento rápido e passou toda a sua língua pela minha derme arrepiada, sugando e lambendo sem dó algum. Eu nunca me senti tão assustado e excitado ao mesmo tempo, nem sabia que poderia sentir esse mix de sensações de uma vez só, mas aquilo não me parou por nenhum segundo, eu só aproveitei aquele momento, e deixei Donghyuck fazer o que quiser.

   - Se você soubesse tudo que eu quero fazer com você, Mark... – O mais novo sussurrou em meu ouvido, logo em seguida sugando o lóbulo da minha orelha, da maneira mais lenta e torturante possível, fazendo-me deixar escapar um arfar abafado, consequentemente fazendo Donghyuck me apertar mais. Mas então sem mais nem menos, ele se afastou, e fitou-me no fundo dos meus olhos.

   - Eu sei exatamente o que tá acontecendo aqui, Mark. - Fez uma pausa e moveu seu olhar para os meus lábios.

   - Mas eu posso esperar. – E então, o ruivo levantou-se e saiu do quarto. E naquela noite, ele não voltou.

 

 


Notas Finais


Primeiramente queria agradecer aos 100 favoritos, muito obrigada de verdade, eu fico MUITO feliz de ver vcs interagindo comigo, ver todos os comentários deixa meu coração quentinho. Eu nem acredito que chegou tão longe, eu sou muito grata a vcs <3

Só jogo isso e vou embora...
Quero é ver fogo no parquinho rsrs
O que acharam da atitude do Donghyuck? Abusado ou só rei do flerte? Mark Lee que lute, eu n ia aguentar...
Até o próximo capitulo, beijinhos e VIEWS EM PUNCH!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...