1. Spirit Fanfics >
  2. Rato e gato >
  3. Sua parte

História Rato e gato - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oii não consegui me aguenta e postei a segunda parte haha bjos

Capítulo 2 - Sua parte


                                                                                                      Jungkook on

Da mesmo forma que as coisas aconteciam nessa cidade, os dias pareciam ter 12 horas de tão rápidos que se passavam, em um dia estávamos todos desesperados pelo assassinato de um colega de trabalho, e nos outros já estávamos acostumados com sua falta na delegacia.

As coisas funcionavam de formas rápidas, e isso era a coisa que mais me deixava estressava, não tinha dado nem tempo de finalizar um caso que outro surgia, parecia que quanto mais rápido eu ia para resolver um crime, as pessoas cometiam outros mais rápidos apenas pra me enganar.

                - quem está com caso livre? – meu sargento perguntou e eu fui a única pessoa que levantou a mão – não sei se deveria ver isso como um problema ou alivio. Jungguk me acompanhe, tenho um caso pra você.

Me levantei e segui atrás dele, vendo algumas pessoas olharem pra mim com olhares de pena. Não tinha nem feito 20 minutos que estava preenchendo a papelada final do meu último caso e já estava em outro.

                - sente-se detetive jeon- fiz como meu sargento pediu quando entramos em sua sala- deve estar cansado.

Forcei um sorrisinho quando me sentei na cadeira de estofado que ele sinalizou. É claro que eu estava cansado, fazia mais de meses que vivia pelo trabalho e mais pra nada.

                - um pouco senhor, mas nada que não possa suportar- respondi e cruzei as pernas na cadeira- que caso é esse que o senhor teve que me contar em segredo na sua sala?

                - bem, não é novidade nenhuma pra essa delegacia que o detetive kim seokjin morreu a uma semana- senti meus músculos ficarem tensos- gostaria que o senhor, detetive jeon assumisse esse caso.

Bufei, claro que eu sabia que uma hora ou outra alguém de nos iria ser designado para este caso.

                - como ocorreu dentro da jurisdição dos bombeiros, demorou um tempo até eles nos passarem o caso- continuou. Ele se apoiou com as duas mãos na mesa e me olhou no fundo dos olhos – espero do fundo do meu coração que o senhor aceite o caso.

Tive tempo apenas para inspirar e expirar o ar dos meus pulmãus antes de acenar com a cabeça e receber os papeis do caso.

                - creio que o senhor já saiba mas vou repassar o caso- continuou enquanto eu lia o caso- seokjin foi morto em serviço, temos apenas uma testemunha do caso, o capitão dos bombeiros kim taehyung. na pagina 4 temos o relato dele. Se tiver qualquer  duvida sobre o caso venha diretamente a minha sala. Por agora eu apenas lhe desejo boa sorte.

Com um aceno de cabeça nos despedimos e eu sai da sala, enquanto caminhava a minha mesa pude sentir os olhos dos meus colegas nas minhas costas.

                - que caso você recebeu? -  meu adjunto jimin perguntou- pela sua cara parece ser assassinato, eu sei que você odeia.

                - você me conhece bem jimin- ele soltou uma risadinha e eu olhei pra ele- vamos indo, precisamos ir a um lugar, no caminho te explico.

Vi ele se levantar e pegar nosso casaco, me jogou o meu e saímos do prédio.

Permanecemos quietos até entrarmos no meu carro, um ford fiesta, gostava de trabalhar com ele porque não precisava pagar nada por ele, a gasolina era por conta da delegacia, assim como todo o resto : estragos nos interiores, furos nos pneus e batidas. Era mais rentável.

                - então jungguk, pegamos aquele caso? -  perguntou e eu bufei meio irritado lhe entregando a pasta do caso – é pegamos.

                - faz uma semana que ele morreu e eles não avançaram nada na investigação- murmurei irritado- seokjin era um dos detetives mais prestativos daquela delegacia, isso me irrita.

Liguei o carro comecei a guia-lo em direção a estrada.

                - aqui diz “ motivo da morte: ferimento por arma de fogo no crânio – ferida penetrante (onde a bala não sai do crânio), ferida com 38 calibres”- jimin leu em voz alta para me deixar a par do caso – temos um suspeito principal “kim taehyung, 29 anos, capitão do corpo de bombeiros de Seul; ferimento de bala nas costas; Internado no hospital SKY” é pra lá que estamos indo?

                - vamos mais tarde–acelerei um pouco mais- leia a página 4, a testemunha dele.

                - hum.. “ kim taehyung nega ter atirado em seokjin, segundo ele existia uma terceira pessoa na cena que planejou todo aquele ataque e que de alguma forma sabia que os dois subiriam sozinhos” – soltou uma pequena risadinha- é obvio que foi ele cara, ele e seokjin devem ter entrado em luta e um atirou no outro.

Fiquei com aquilo na cabeça por algum tempo. Jimin tinha parado de ler para mexer no celular e descobrir onde taehyung estava.

                - qual é a primeira parada?

                - na rua Duteopbawi-ro.

                - a rua do prédio incendiado e do assassinato? Interessante.

Acelerei o carro e em poucos minutos já estávamos la. Mesmo depois ter seu incêndio pagado e ter sido tirada mil fotos do local, ainda tinha uma faixa de proibido avançar da policia e outra dos bombeiros colados nos mesmos lugares, uma mini competição entre oficiais.

Mostrei meu distintivo para um dos policiais de guarda e entrei no lugar seguido por jimin, fomos direto para o 5° andar, entrando no quarto do crime, mas diferente das fotos, não tinha o corpo de seokjin no banheiro.

                - tem como escapar por aqui senhor- jimin me chamou e vi que ele apontava para a janela, botamos as nossas luvas e abrimos ela, não vendo nada além de um prédio abandonado ao lado – tem uma escadaria la em baixo, ele pode ter usado para subir ou para descer por aqui.

                - isso aumenta as chances de ter uma terceira pessoa. Mas está sem uns 4 metros de escada, se houvesse alguém ela iria quebrar a coluna pulando dessa altura.

                - faz sentido, mas então isso aumenta as chances do taehyung ser o culpado –concordei- não faz sentido isso, se ele queria mata-lo por que não fez isso em outro lugar? Um lugar ele pode ter se escondido?

                - ele seria burro de fazer isso, precisamos ir ao hospital e falar com ele. Seu primeiro testemunho foi muito fraco.

Continuamos a procurar mais coisas, mas nada fazia sentido. Não haveria como taehyung ter matado seokjin com uma arma, já q ele foi não foi encontrado com nenhuma e a arma de seokjin estava completamente carregada.

Procuramos em outros andares e não encontramos nada de novo, apenas as mesma coisas.

Resolvemos sair do apartamento e ir direto para o hospital onde taehyung estava internado, já que tínhamos passado tempo demais criando hipóteses do crime.

Chegamos no hospital em poucos minutos, saindo do carro e indo direto para o quarto do kim, jimin tinha descoberto seu quarto por isso não precisamos passar pela recepção.

Quando chegamos ao 4 andar no quarto 324, encontramos dois homens fardados com o uniforme da policia.

                - sou o detetive jeon e esse é o detetive jimin- mostramos nossos distintivos pra eles que nos abriram caminho na hora e entramos no quarto.

                - onde ele está? – perguntei a um dos guardas quando notei que o nosso assassino em potencial não estava no quarto.

                - teve que fazer um exame de sangue, acabou de sair, creio que em meia hora ele volte- respondeu tranquilamente.

                - e o que estão fazendo os dois aqui?! Ele está sozinho? – quando ele me olhou meio assustado eu vi que era iniciantes – idiotas, vão olha-lo, jimin e eu ficamos aqui.

Fechei a porta na cara deles e ouvi seus passos correndo pelo corredor

                - jimin me passe a pasta, vou dar uma lida. Olhe bem o lugar e prepare para tirarmos mais uma testemunha – me sentei no pequeno sofá que tinha no quarto e comecei a ler o caso.

                “horário da morte:   entre as 9:20PM e às 9:34PM

                 Motivo da morte: ferimento por arma de fogo no crânio – ferida penetrante (onde a bala não sai do crânio)

                Arma suspeita do crime: pistola 38 com algum tipo de silenciador.

                Principal suspeito: kim taehyung, 29

                Testemunhas: kim taehyung, 29.

Parecia que tudo indicava que taehyung era o assassino, por isso mudei de página, na segunda página tinham fotos do local e do corpo.

                “ quinto andar, quarto 20, um quarto e um banheiro.

                Kim seokjin foi encontrado morto sentado com as costas apoiadas na parede do banheiro, olhando para fora dele, foto 3.

Ver os olhos dele abertos acabaram comigo, os olhos abertos vidrados em outro canto do quarto, como se ele tivesse sido pego de surpresa. Era difícil olhar pra ele assim, nem parecia o homem doce que nos dava bom dia todo dia, que lembrava sempre dos nossos aniversários na delegacia.

Dei um passada rápida pra direto a página 4 onde tinha a última testemunha do caso.

                -“kim taehyung, testemunhou dia 3 de agosto de 2020 no hospital SKY, 3 dias depois do assassinato ocorrido, negou as acusações de assassinato veemente.

                - declaro que eu kim taehyung nunca matei kim seokjin, existia uma terceira pessoa no quarto, e foi ela que atirou em mim. No momento que eu entrei no quarto seokjin já estava morto.

Não pode continuar a testemunhar por conta de sua recente cirurgia”

                - jeon? O local parece estar limpo, e um dos seguranças veio me contar que ele já está vindo.

Não deu pra ler mais do que uma página sobre taehyung, pois logo que eu acabei a pagina ele entro acompanhado dos dois seguranças e de um enfermeiro. Aquilo me enfureceu um pouco.

                - vocês não tem ideia do tamanho de vocês?! – os seguranças se tocaram e saíram do quarto pedindo desculpas- boa tarde senhor taehyung.

Ele se deitou na cama com um pouco de trabalho e acenou pra mim e para jimin. Fiz sinal e o enfermeiro saiu da sala deixando apenas nos três.

                - sou o detetive jeon e esse é o detetive park, somos do 67° distrito de delegacias de Seul, ficamos encarregados do seu caso de assassinato onde o senhor é o principal suspeito e a nossa única testemunha.

Ele me olhou com um olhar cansado, e desviou os olhares, olhando para o outro lado.

                - viemos lhe fazer mais algumas perguntas senhor- jimin começou e nós dois nos sentamos no pequeno sofá, sabendo que taehyung estava nos ouvindo- precisamos que o senhor colabore.

                - vocês foram no funeral dele? – taehyung nos perguntou, voltando os olhos a nós – teve muitas flores?

Nos entreolhamos.

                - comparecemos, teve muitas flores ele era alguém bem amado – comentei- ele era muito amado.

O olhar dele começou a se virar para confuso.

                - vamos começar a fazer as perguntas – jimin roubou a sua atenção – lemos o seu último testemunho, o senhor flou sobre uma terceira pessoa, mas não foi registrado nenhuma outra pessoa naquele local – nos calamos e ficamos esperando sua resposta

                - tinha uma terceira pessoa- começou, olhando nos nossos olhos – foi ela que matou seokjin e atirou em mim.

                - ela não falou nada? – perguntei

                - disse, falou que ele perdeu suas chances, e eu perdi 1 das minhas 5, por isso levei um tiro, por ter feito a pergunta errada- eu e jimin continuamos com a mesma cara –não sei como ele sumiu, ele me falou “seus homens subirão em 4 minutos” ele atirou em mim e quando eu caí no chão, ele não estava mais ali.

                - não notou nada de diferente no local? – perguntei e ele olhou para o teto.

                - o teto daquele quarto.

Eu e jimin nos olhamos confusos.

                -  teto estava branco.


Notas Finais


oque será que significa teto branco em? haha beijos até outro cap


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...