História Ratoranha - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Ratoranha
Visualizações 7
Palavras 1.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção, Lemon, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, vim aqui com minha primeira fanfic chanbaek da vida, eu não sei muito bem, mas tive essa ideia louca enquanto escutava Lana del Rey KKKKKKK
A história não vai ter muitos capítulos, e eu não sei bem quando eu vou postar, sou muito preguiçosa e procastinadora (?), Mas espero mesmo que vocês gostem, e desculpa pela capa pra quem não gosta de ver isso, mas achei melhor por uma foto do RATORANHA pra vcs imaginarem melhor kkkkkkkk

Boa leitura <3

Capítulo 1 - Capítulo 01


Ratoranha.

Se eu te contasse a minha história com meu namorado, eu tenho certeza de que ninguém acreditaria, é algo surreal, como se fosse de um outro mundo. Algo tão louco, e estranho, mas que nos fez estar onde estamos hoje, juntos.

18 de Março de 2016

Eu havia acabado de me mudar para a cidade de Seul, umas das cidades mais populares de toda a Coréia do Sul, meu objetivo sempre foi estar perto da minha nova faculdade e dos meus amigos, eu só queria ser mais um jovem comum e baladeiro na Coréia, mas como eu sempre disse a mim mesmo, se eu estou vivo é para me fuder, e olha que não era no bom sentido.

Minhas aulas na faculdade de história só começariam em maio, por motivos de organização e burocracia, e então eu havia decidido que viria a morar aqui antes, por motivos de: Me adaptar melhor com tudo e todos. Eu achava que a primeira mudança, a independência e a liberdade da juventude era algo maravilhoso, mas como um bom jovem burro e inocente que eu sempre fui, eu me fudi no primeiro dia em que havia posto os pés em novo solo.

Para começar com toda a minha desgraça, eu tive que pegar três malditos ônibus para chegar ao local de minha residência, que eu jurava que ficava no centro de Seul, mas para fuder ainda mais com minhas expectativas, o prédio em que eu iria morar estava caindo aos pedaços, por Zeus, eu juro que quando havia visto o prédio pela internet, ele estava perfeito, parecia novo e intacto, mas como bom filhas da puta que os coreanos eram, eu não me surpreendi com a qualidade do prédio, eu poderia depois procurar um lugar mais digno para habitar. Eu tinha dinheiro, eu sempre tive uma poupança com os dinheiros que recebia, desde novo eu amava muito informática, então tive um trabalho em uma casa de informática por 2 anos, e algumas economias dos trabalhos que eu fazia para as pessoas na escola. No geral eu sempre fui um menino muito estudioso e centrado em minhas responsabilidades, sempre fui muito feliz, mesmo não sendo nem um pouco popular e conhecido.

Eu subia pela primeira vez a escadaria que levava a portaria de meu novo prédio, com três malas e uma mochila, só Deus sabia a dificuldade que eu tive em trazer isso tudo em três ônibus diferentes. Toquei o interfone da portaria, respondi umas perguntas sobre ser o novo morador do prédio e então a porteira com uma voz feminina ao ponto de fazer o áudio do interfone chiar, abriu em fim, a porta para minha entrada. Juro a vocês que esperava encontrar na portaria alguma mulher de idade lixando as unhas, mas me surpreendi ao ver um homem que deveria ter o dobro de minha altura e força, tentei olhar para dentro da guarita, mas não consegui enxergar a moça velha e bondosa que atendeu a minha ligação.

– Hum, bom dia senhor. – Falei fazendo um breve abaixar de cabeça, por causa da mochila pesada em minhas costas.

–Bom dia meu amorzinho. – E então me lançou um sorriso gentil – Eu sou o Kim myunk, mas pode me chamar de Bryan. – E então me surpreendi por aquela voz extremamente fina vir de um cara com quase dois metros de altura.

– Eu sou o novo morador do prédio, Byun Baekhyun. – Falei sorrindo.

– Seja bem-vindo meu amorzinho, eu te ajudaria a subir com as malas, mas as duas últimas vezes em que eu fiz isso o prédio foi invadido e assaltado, até parece que estamos no Brasil né. – Falou todo risonho e então eu parei e pensei, o que era brasil? Algum bar?

– Obrigado senhor Bryan, mas eu posso subir de elevador. – E então o moço bondoso começou a rir tanto que imaginei que em pouco tempo ele teria um treco.

– Ai fofinho, aqui não tem elevador, quem te alugou o apartamento? Por acaso foi o senhor Chen?

– Sim, esse mesmo, ele dizia no anuncio que havia elevadores, no anuncio o prédio também está cem anos mais novo. – Falei indignado.

– Sinto em dizer que você fez contrato com um pilantra de primeira categoria, você não é o primeiro que cai nas malandragens do gatinho Chen. – Falou com um olhar de pena.

– Tudo bem, posso resolver isso depois, se me der licença, eu preciso muito subir agora, eu estou muito cansado. – Falei arrastando as malas, enquanto via o tal do Bryan acenar pra mim.

Parei em frente a escadaria e então subi o primeiro lance de escadas, me matando para levar as malas, e então quando pensei em subir o segundo lance eu vi a coisa mais horrorosa que algum humano poderia avistar, eu vi uma aranha e um rato trepando.

UMA ARANHA

UM RATO

TREPANDO

T R E P A N D O

E então dei o grito mais fino que aquele prédio poderia escutar, vi portas se abrindo e pessoas velhas e estranhas rindo do meu espanto é desespero, eu não sabia o que fazer além de ter um bug em todo o meu sistema neural, pedi a Deus ajuda, até que meu herói apareceu com uma vassoura de palha espantando a aberração louca que mesmo com o meu grito continuava no ato do coito.

– O que diabos era aquilo? – Perguntei abismado.

– Um rato e uma aranha prestes a fazer um Ratoranha. – Falou o menino alto e magrelo, falava como se aquilo fosse a coisa mais comum de todo o mundo.

– Um Ratoranha?

– Sim, uma espécie rara que só pode ser encontrada nesse prédio de 80 anos. E prazer, eu sou o Park Chanyeol, seu novo vizinho.

– Como assim 80 anos de prédio? Ratoranha? Eu não entendo. – Para mim aquele garoto falava em árabe, eu não compreendia sequer uma palavra saída de sua boca.

– Bem-vindo ao Ratoranha Palace, o melhor prédio de toda a Seul.

E então uma barata verde de 7 centímetros pousou em sua cabeça. E a única coisa que eu vi foi a escuridão e meu corpo caindo no chão, eu havia desmaiado.


Notas Finais


É isto, espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...