1. Spirit Fanfics >
  2. Razão e Emoção >
  3. Episode thirty three

História Razão e Emoção - Capítulo 35


Escrita por: seungmoknow

Notas do Autor


boa leitura! 💕

Capítulo 35 - Episode thirty three


Fanfic / Fanfiction Razão e Emoção - Capítulo 35 - Episode thirty three

In today's episode: the night of omegas

 

Quinta-feira, 27 de setembro, 06:45 PM.

 

Acho que terminei aqui — Seungmin avisou ao irmão mais velho, ambos decoravam a casa na árvore para recepcionarem os amigos, seria uma festinha de pijama simples apenas para ômegas.

— Ficou perfeito!

Seungmin havia ficado encarregado de decorar as paredes do interior da casa com luzinhas de todas as cores, alegando Sanha que assim daria um ar mais aconchegante e os ômegas se sentiriam mais à vontade para conversar. Seungmin só se perguntava o que tanto Sanha gostaria de saber.

Eles forraram também o chão com colchões e travesseiros de todos os tipos, assim como as cordas que sustentavam a ponte que levava ao deck de observação (onde estava tudo repleto de luzinhas também), estava tudo tão iluminado que se assemelhava ao natal.

— Consigo ouvir os alfas emburrados falando mal de nós daqui — Sanha disse brincalhão, dando alguns cutucões em Seungmin, que apenas concordou silenciosamente.

Seungmin estava muito contente em receber seus amigos e irmãos, só que sentia imensa falta de Hyunjin, ele já não respondia suas mensagens e nem atendia suas ligações. Em dado momento ele contatou a mãe do amigo, ela disse que ele estava no Alasca e que ficaria lá por um tempo. Seungmin estava bravo, muito bravo, como a mãe de Hyunjin poderia ter cedido tão facilmente sabendo como era o ex-marido?

Seungmin queria o resgatar.

Só não poderia resgatar alguém que pensava não precisar de ajuda.

— Eu vou buscar meu pijama — Seungmin avisou a um Sanha todo entretido em colocar uma música ambiente em seu celular, era divertido ver o quanto ele ainda brigava com tecnologia, vivendo na montanha por tantos anos, nunca achou que seria necessário ter esse meio de comunicação. — Aproveito e vejo se os meninos chegaram!

— Ok!

Seungmin entrou em casa e, ao passar pela sala, notou Bomin lá, conversando com MinHo. Todos ficaram impressionados ao perceberem que eles já se conheciam, que MinHo havia o ajudado. O jovem Seungmin sentiu-se culpado por um momento, ele em seu íntimo achava que pessoas do submundo não ajudassem os desfavorecidos, que amavam o mal e abraçavam o caos.

— Vão fazer alguma coisa hoje?

— Eu, Bomin e Eunwoo iremos disputar uma partidinha de PUBG — Lee Know revelou todo contente, arrancando uma risadinha descrente de Seungmin.

— Isso não vale, tirando você, nenhum deles sabe nem manusear um celular direito! — acusou meio brincando, enquanto sentava-se ao lado de Bomin e fazia um leve carinho em seus fios castanhos. Ele era um alfa bem quietinho e calmo, parecia um gatinho.

— Eu vou ser justo e ensinar, ok? — Mostrou a língua, maduro como sempre.

— Acho bom mesmo.

— Vocês vão fazer festa na casa da árvore? Eu posso ir? — Bomin perguntou com aqueles olhinhos lindos encarando Seungmin em expectativa por um “sim”, infelizmente não seria possível, pois era apenas um momento dos ômegas. Seungmin explicou isso ao irmão, que formou um beicinho. — Ah...

— Ei, depois faremos uma festa bem legal e incluiremos os alfas, ok? — Deixou um beijinho na bochecha (super beijável, vale ressaltar) do alfa. — E você cuide bem do meu irmão, viu?

— Pode deixar, capitão Seungmin!

Seungmin cerrou os punhos e fingiu que avançaria no namorado, só que acabou sendo puxado para o colo deste e recebendo um beijo molhado, mesmo com seus protestos por estarem na frente de um Bomin encolhido e envergonhado.

— Vem, tenho que entreter meu cunhadinho. — Ele chamou Bomin para o quarto, onde Eunwoo já o esperavam, então deixou um último beijo nos lábios de Seungmin e fechou a porta.

Ao entrar no próprio quarto, Seungmin encontrou Soobin, que vestia um pijama todo preto com estampa de morcego. Ele realmente parecia apreciar aquele bichinho da noite.

— Por que não foi pra casinha ainda? — questionou ao mais novo, enquanto providenciava de vestir seu próprio pijama. — Sanha está sozinho lá.

— Você mesmo respondeu.

Seungmin ia replicar, foi impedido apenas por um disparo de câmera, ao olhar para a porta do quarto, encontrou um Felix todo animado, ele havia ganhado uma câmera da mãe e agora tirava foto de tudo e todos o tempo inteirinho.

— Primeiro registro fotográfico da noite!

— Não entendo a animação de todos, é só uma festa boba — Soobin murmurou aborrecido, fora praticamente obrigado a estar ali, quando poderia estar em casa assistindo uma novela com sua mãe.

— É a festa dos ômegas, então será incrível! — Felix tirou outra foto, dessa vez só de Soobin, que por pouco não partiu pra cima do ruivinho sardento.

— Irão falar a noite inteira de alfas, nada de novo — Soobin tornou a falar com seu tom aborrecido.

— E de mim!

Um loirinho surgiu na porta do quarto, ele usava um pijama todo rosa com estampa de ursinhos, talvez pra combinar com as pantufas que também eram rosas e em formato de ursinho.

— Eu trouxe meu irmão do rock pra brincar com o Soobin do rock — disse todo animado, puxando o irmão e o enfiando no quarto. — Não já sou um ótimo irmão mais velho?

Soobin encarou Seungmin, que apenas mordeu os lábios e abaixou a cabeça. Seria uma longa noite.

— Jisung, o Sanha tá sozinho lá na casa da árvore, estava até perguntando de você — Seungmin mentiu, tudo para ter um pouquinho de paz antes do caos se iniciar, Jisung concordou e saiu correndo enquanto cantarolava bem alto. — Soobin, eu te imploro, seja legal com o Jisung!

Soobin cruzou os braços na altura do peito e virou o rosto, um gesto birrento aos olhos de Seungmin, que tratou de puxar a orelha do mais novo.

— Promete.

— Argh, eu prometo! — Livrou-se do aperto em sua orelha. — Mas se ele ficar me irritando...

— Como ele poderia te irritar?

— Existindo.

— Esses dois... — Felix resmungou desconfiado, até abaixando sua câmera e saindo do quarto.

— Meu irmão é tontinho assim e tudo mais, só que ele melhorou em muitos aspectos, você deveria, sei lá, conceder uma segunda chance — Jisang aconselhou, subindo e descendo os ombros, era sua forma de também defender o irmão. Jisung já fora muito insuportável, no momento estava até razoável. — Eu vou indo!

— Viu? Até Jisang concorda que você tem que ser mais legal — Seungmin continuou com aquele seu discurso de paz e amor a qual Soobin detestava.

— Vamos ou não pra essa festa? — O mais novo levantou-se de supetão e saiu pisando duro, completamente contrariado, Seungmin soltou um longo suspiro e resolveu o seguir.

Ao passarem pela cozinha, encontraram os adultos jogando dominó e bebendo, Jisang até tentou surrupiar da bebida do pai, só que recebeu um olhar tão aterrorizante que desistiu de tal façanha.

— Pegaram todo o necessário? — Wonpil perguntou aos filhos, Soobin o ignorou, Seungmin quem fez questão de desacelerar seus passos e responder ao pai que tinham mais que o necessário. — Isso inclui bom comportamento?

— Com um Soobin e um Jisung juntos? — Felix gargalhou, parando rapidamente ao ganhar um beliscão de Seungmin. — Quero dizer, teremos um ótimo comportamento.

— Assim espero.

— Tchau, pai! — Seungmin acenou e foi empurrando Felix para fora, que resmungava pelo jeito brusco do moreno. — Tinha mesmo que fazer aquele comentário? Os mais velhos já devem estar até com uma camisa de força pronta lá, não precisava colocar mais minhoca na cabeça deles.

— Deixa de ser careta, eu só quis brincar.

Ao chegarem na casinha da árvore, encontraram um Sanha já com a música nas alturas, enquanto dançava loucamente e tinha como companhia um Jisung que parecia até uma pulguinha. Soobin observava a cena com desgosto e Jisang comia os doces disponíveis nas tigelinhas sobre a mesinha improvisada.

— Desculpa a demora. — Um ômega mais novo entrou, ele acabou por ficar para trás por ainda estar se trocando.

Foi a primeira vez que Seungmin viu Soobin sorrir naquela noite.

— Finalmente alguém normal! — Soobin rapidamente puxou aquele ômega e engataram numa conversa sem fim.

Seungmin adorava Jeongin e achava ele uma ótima companhia para Soobin, então não reclamou quando o irmão mais novo perguntou se poderia convidar o ômega mais novo. Nunca que ele vetaria, tinha um carinho especial pelo raposinha.

Quem pareceu não gostar disso foi Jisung, que antes pulava como pulguinha e agora estava paralisado que nem uma estátua encarando a cena.

— Esse nem disfarça — Jisang comentou com a boca cheia.

— Do que você tá falando? — Seungmin indagou curioso, todos pareciam muito enigmáticos em relação a Jisung e Soobin, só ele parecia um peixinho fora d’água, sem saber de nada que se passava entre aqueles dois.

— Nada. — Fez um sinal de desinteresse com as mãos e se concentrou nos doces novamente.

Sanha apertou a cintura de Seungmin, o assustando, várias risadas foram ouvidas.

— Estava no mundo da lua?

— Bobo...

— Vamos dançar, essa é das boas!

E Seungmin não se viu com muitas opções, Felix acabou por se juntar também, Jisung foi o único a se sentar e ficar emburrado. Por sorte a música que tocava agradava os ouvidos de Seungmin, que conseguiu fazer Sanha se apaixonar por city pop, e ao que tudo indicava, essa seria a playlist da noite.

O horário avançava e os ômegas jogaram todos os jogos possíveis, Jisung ficou possesso em perder no jogo da memória para Jeongin e o acusou de estar roubando, isso desencadeou uma briga sem fim. Soobin tomou partido do mais novo e outra briga se iniciou. Seungmin bocejou e encostou sua cabeça no ombro de Felix.

— Hora do jogo da verdade ou consequência — Sanha anunciou todo ansioso, abaixando um pouco o som da música e chamando todos para formar uma rodinha.

— Eu sabia que teria essa idiotice.

— Shh, Soobin! — Sanha bronqueou sem paciência, então abriu um sorrisinho presunçoso e continuou: — Vai funcionar da seguinte maneira, euzinho vou começar fazendo uma pergunta e todos devem responder, em seguida o Felix faz uma pergunta e por aí vai, entenderam?

— Quer um quadro pra desenhar? — Soobin voltou a provocar, ganhando um rosnado do irmão.

— Tá, nada muito indecente, viu? — Seungmin apontou discretamente para Jeongin.

— Pode deixar, senhor certinho! — Sanha mostrou a língua. — Já fizeram garganta profunda?

Seungmin levou a mão até seu rosto e a arrastou por ele até estar vermelho, será que ele tinha falado grego?

O silêncio imperou, Felix foi quem tomou a dianteira da situação, não era nada envergonhado ou acanhado como os outros.

— Eu já e foi ótimo, me engasguei algumas vezes, mas é maravilhoso!

— Eu também já — Jisang confessou.

— Você já? — Jisung arregalou os olhos. — B-bom, eu também, então.

— Não tem essa, Ji — Sanha chamou atenção. — Ou fez, ou não fez.

— Eu fiz!

— Nunca tinha me contado isso, aliás, nem você e nem Felix! — Seungmin intrometeu-se, poderia até não ser tão avançadinho em sua vida sexual quanto seus amigos, mas poxa, gostaria de saber o que eles faziam.

— Duvido muito que Jisung tenha feito isso, mas eu realmente fiz, eu já fiz de tudo! — Felix disse todo exibido, arrancando uns gritinhos nada contidos de Sanha. — Changbin é tão...

— Próxima pergunta! — Seungmin o interrompeu.

— Qual foi o lugar mais estranho que vocês foderam? — Felix perguntou sem rodeios, Soobin revirou os olhos e Jeongin coçou a nuca, não sabia que aquele seria o tom da festinha.

— Com certeza foi na casa de banho do colégio — Jisang soltou sincero, rindo baixinho só de lembrar. — O Jae simplesmente invadiu meu banho e ele usou o sabonete como lubrificante, foi delicioso!

Soobin levantou a mão e Seungmin fez sinal para que ele falasse.

— Posso me matar?

— Não! — quase todos responderam juntos.

— Ok, confesso que o lugar mais estranho que transei com Eunwoo foi na cozinha com a tia Jiyoung preparando a comida.

— Que nojo! — Seungmin fingiu estar passando mal. — E que falta de respeito com a tia, hein?!

— Ela nem reparou, ainda mais dopada com aqueles chás que toma diariamente... — Sanha fez pouco caso. — E você, Felix? — devolveu a pergunta.

— Eu e Changbin sempre transamos em algum motel, mas um dia eu quis inovar e fiz ele me foder no capô de um carro policial parado no meio da estrada, era pertinho de um posto de gasolina, então deduzimos que eles estariam fazendo uma boquinha por lá. A adrenalina foi tão grande que gozei umas três vezes, tudo com medo de ser flagrado! — contou todo assanhado, deixando um Seungmin ao seu lado de boca aberta. — Agora pretendo que ele me foda em alguma praia, inclusive estamos de viagem marcada para Jeju...

— Que safado! — Sanha deixou um tapinha no braço do outro ruivo e eles compartilharam uma risadinha. — E você, Ji?

Jisung avermelhou-se e disfarçou, olhando para o outro lado e tentando não parecer constrangido com aquele assunto de sexo.

— N-num carro, sei lá.

— Não tem nada de incomum em transar em um carro, Jisung.

— Ai, Felix! Meus namorados não eram tão criativos, e aí? — alterou-se, emburrado por perceber tarde demais que era um pouco ingênuo naquele quesito, Felix parecia o mais expert.

— Minha vez de perguntar! — Seungmin interveio. — Qual foi o dia mais feliz da vida de vocês?

— Quando eu reencontrei minha família — Felix disse sem nem precisar pensar, todo bobinho.

— Quando eu descobri que era irmão do Seungmin — Soobin pôde responder aquela questão, ganhando um sorrisinho terno do citado.

— Quando fiquei mais próximo do Soobin! — Innie segurou a mão do garoto alto, que retribuiu com um meio sorriso.

“Quando fiquei mais próximo do Soobin”, Jisung imitou com vozinha fina em sua mente, emburrando-se novamente.

— Acho que quando finalmente fiz as pazes com meu irmão! — Jisang abraçou os ombros de Jisung, que até tirou um pouco aquela carranca e sorriu, dizendo que para ele era o mesmo.

— Que fofos! — Sanha fingiu secar uma lágrima invisível. — Pois eu digo que foi quando eu finalmente reuni minha família novamente, ter todos aqui é tudo pra mim!

Todos acabaram entrando numa sessão “melosidade” e se abraçaram, trocaram carinhos e até se emocionaram.

— Só faltava mesmo o Hyunjin aqui... — Seungmin lembrou com pesar, sentindo até seu coração despedaçar de saudade.

— Um dia ele voltará, eu acredito nisso! — Jisung consolou o moreno. — Não existe 00 line sem o Hyunjin, o espacinho dele sempre estará guardado aqui.

O jogo encerrou-se e todos voltaram a dançar ou comer, outros conversavam e a noite se seguiu assim, até que não tinha sido de tudo ruim.

— Innie já dormiu, pobrezinho — Seungmin dizia baixinho, cobrindo o mais novo de todos e deixando um beijinho em sua bochecha corada. — Ele é tão fofo.

— É mesmo — Soobin concordou.

Jisung olhou desdenhoso para a cena e arrastou seu colchão para bem longe, assim daria mais privacidade ao – na sua cabecinha – “casal”. Jisang e Felix apenas trocavam olhadinhas discretas e risadinhas. Jisung era mesmo muito transparente.

— Acho que teremos que buscar mais cobertores... — Seungmin comentou enquanto seus olhos percorriam o local, o clima ia para abaixo de zero na montanha quando anoitecia e parecia que eles tinham calculado mal, só Jeongin tinha uns cinco o cobrindo, mesmo assim tremia de vez em quando e fungava. — Vamos comigo, Felix?

O ruivinho concordou e os dois foram buscar os cobertores extras, Sanha e Jisang foram até o deck de observação para apreciar as estrelas, estava muito frio, mas aquela vista não poderia ser desperdiçada.

Jisung ficou encolhidinho em um canto, com um bico enorme e tremendo de frio.

Por que todos só ficam mimando o Jeongin?, ele continuava inconformado, não que odiasse Jeongin ou algo assim, só não tinha ideia que ele viria e que teria que ficaria ouvindo comentários sobre ele ser fofo. E pior, um deles vindo de Soobin!

Soobin nunca o chamou de fofo por mais que tentasse ser simpático.

— Aposto que Seungmin está beijando o Lee Know e eu aqui congelando!

— Você reclama demais. — Soobin arremessou um travesseiro no loirinho, que muito ofendido, arremessou outro de volta.

— Seu...!

— Seu?

— Me erra.

— Por que está assim?

— Assim como? Eu estou normal.

— Está enciumado.

Jisung engasgou com a própria saliva e ficou todo vermelho, virando-se de costas para o outro e evitando contato visual enquanto ensaiava sua mentirinha.

— De quem eu teria ciúmes? Estamos entre amigos e irmãos.

Jisung sentiu um ventinho em sua nuca e logo a boca de Soobin muito próxima de seu ouvido.

— De mim.

Ele virou-se exaltado, pronto para rebater, quem Soobin pensava que era para ficar brincando assim consigo? Não toleraria mais aquele comportamento.

Mas foi deparar-se com o rostinho do outro próximo demais que sua postura brava se foi tão rápido quanto chegou, ele ficou quase sem ar, apenas encarando o outro ômega.

— Que foi, Polly Pocket? Te desagrada não ter alguém implorando por sua atenção?

— Eu não sou mais assim — afirmou convicto.

— Não?

— Você diz que eu não sei nada sobre você, e ao que tudo indica, você também não sabe nada sobre mim. — Colocou uma das mãos no ombro alheio, visando o afastar, não queria começar uma discussão e decepcionar Seungmin. — Melhor você ir dormir lá longe, pertinho do Innie.

— E se eu não quiser? — continuou a provocar, ignorando a mão em seu ombro e chegando cada vez mais perto.

— Para de ser infantil!

— Posso te garantir que minhas intenções com você não são nada infantis.

— I-isso é errado, nós seremos ir-

E Soobin foi o responsável por dar o primeiro passo daquela vez, pressionando os lábios contra os do loirinho, que até resistiu de início, contudo ele queria aquilo, talvez como uma prova de que aqueles pensamentos e sentimentos não passassem de mera curiosidade. Agora sabia que não era assim. Jisung subiu suas mãos até o rosto pálido e o puxou para mais perto, aprofundando ainda mais o contato, não queria se desgrudar nunca mais. Soobin não parecia diferente, suas mãos se mantendo firmes na cintura do loirinho.

— Voltamos!

Os dois ômegas se separaram rapidamente, os rostos vermelhos e os lábios inchados. Seungmin deixou até os cobertores caírem ao ver a cena.

— O que é isso?

Jisung já iria discursar e dizer toda verdade, explicar seus sentimentos confusos e também mais um monte de coisas, isso se não fosse Soobin por tomar a palavra primeiro.

— Tinha um bicho no cabelo dele.

— Soobin, eu vi vocês...!

— Nós o quê?

— É, Seungmin, nós o quê? — Jisung riu fracamente e pegou alguns dos cobertores caídos, formando um casulo onde se escondeu dos olhares de todos.

— Depois eu te explico — Jisang sussurrou no ouvido do moreno, o puxando para se deitar e esperando Felix fechar a porta da casinha.

— Foi uma noite perfeita! — Sanha suspirou.

— É, foi mesmo — Seungmin concordou com o irmão, mas sua mente ainda voltava na cena de alguns minutos atrás.

— Boa noite! — Felix desejou a todos.

E a última luz se apagou, apenas as luzinhas nas paredes permaneceram acesas, iluminando parcialmente o local. Melhor assim, talvez pudessem esconder as lágrimas que desciam silenciosas pelo rosto de um certo loirinho.

 

(...)

 

Sexta-feira, 28 de setembro, 09:13 AM.

 

— Que cara é essa? A noite não agradou?

Seungmin encarou Lee Know e suspirou, encostando-se no ombro do namorado e choramingando, sua cabeça doía muito.

— Acho que os meninos estão me escondendo alguma coisa.

— Faz parte, nem tudo tem que ser compartilhado, né? — Lee Know deslizou sua mão pelo cabelo sedoso do mais novo, tentando o consolar de alguma maneira, odiava ver Seungmin tristonho.

Certamente destruiria o mundo por ele.

— É que parece que todos sabem, menos eu! — continuou, um pouco inconformado.

— Hmm, então eles podem estar tentando te poupar.

— Esse é o problema! — Ergue-se de repente, parecendo revoltado. — Eu não quero mais ser poupado de nada, já sou bem grandinho!

— Ownn. — Apertou as bochechas coradas, Seungmin rapidamente estapeou as mãos atrevidas.

— É sério!

— Pois você está aí tão preocupado com isso, que até esqueceu-se do nosso aniversário de namoro, tô bem magoado! — Fez uma carinha triste fingida, o que conseguiu tirar uma risadinha de Seungmin. — Oh, minha tristeza te anima?

— Não, é que você é tão fofo!

— Vou fazer greve de beijo se me chamar de fofo de novo — ameaçou meio sério, mas logo caiu na gargalhada com o moreno.

— Eu não esqueci, ok? — Puxou o Lee para mais pertinho e passou seus lábios superficialmente sobre os lábios do mais velho, que até rosnou, querendo aprofundar o contato, só que Seungmin afastou-se antes que ele tentasse. — Os dias foram bem agitados, mas eu jamais esqueceria nosso aniversário de namoro.

— Hm, falando bonitinho assim, eu até posso considerar te perdoar...

— Seu presente já estava pronto há algum tempo — confidenciou, o alfa estreitou os olhos e sorriu desconfiado, também muito curioso. — Um dia me sentei na minha escrivaninha e me veio você à mente, então eu comecei a escrever algo, uma canção.

— Você fez uma música pra mim?

— É... Talvez não seja tão boa, mas dei meu melhor.

— Céus, você sempre me surpreende!

— Quer ouvir ou não?

Lee Know apenas fez que sim várias vezes com a cabeça, então Seungmin saiu em disparada do quarto, voltando com um violão e fechando a porta.

— Desculpa desde agora se eu desafinar.

O alfa esperou ansioso, nem ao menos sabia que Seungmin sabia tocar violão, então estava se saindo melhor do que esperava. Iria ganhar uma serenata de seu ômega e nada poderia estragar seu dia.

Os primeiros acordes foram ouvidos, Seungmin dedilhava as cordas um pouco inseguro, mas certo de que queria fazer aquilo para seu namorado. Durante aquele ano tão intenso, ele percebeu que não estava vivendo, apenas levando a vida. Quando Lee Know apareceu e o tirou daquela zona de conforto, ele pôde perceber que a vida era apenas uma, não queria mais se contentar com poeira espacial, ele desejava o universo. E seu universo estava diante de seus olhos, um alfa bondoso e também meio vingativo, que fazia justiça com as próprias mãos e pagava de durão, só que no fundo tinha um enorme coração.

E pelos próximos minutos ele tentou transmitir aqueles sentimentos através daquela singela canção, vez ou outra encarando Lee Know e o sorrindo lindamente.

 

“Você ilumina meu universo

Meu universo

Eu sempre irei encontrar o caminho para você

Até o final”

 

Seungmin soltou o violão ao perceber Lee Know abanando as mãos na altura dos olhos, indo rapidamente em socorro de seu alfa.

— Ficou tão feio assim?

— Tá brincando? Essa foi a coisa mais linda que já ouvi na vida! — Os braços fortes rapidamente capturaram o corpo magricelo, o apertando como se fosse capaz de perde-lo se o soltasse ou afrouxasse demais. — E sua voz é linda. É a voz mais linda do mundo.

— Fala isso só pra me agradar... — contestou timidamente.

— Não — negou rapidamente, afastando-se pouquinho e segurando o rostinho tão lindo do ômega, apertando suas bochechas ao ponto de seus lábios formarem um biquinho adorável. — Eu falo isso do fundo do meu coração, eu sabia que ele jamais faria a escolha errada ao te escolher para amar. Saiba que você também é meu universo, irei cuidar para que ninguém nunca mais o faça sofrer. Nem mesmo eu.

— Seu alfa bobo!

Os dois beijaram-se com paixão e só se separaram quando os pulmões clamaram por um pouco de ar, só que seus lábios continuavam a se tocar vez ou outra, as mãos percorriam outros lugares além do rosto e pareciam que não iriam se desgrudar nunca mais.

— Eu te amo, daengdaeng!

— Eu te amo, tokki!

 

(...)

 

11:14 AM.

 

— Que foi, amorzinho? Tô te achando meio tristonho...

Jisung piscou algumas vezes e olhou para a pessoa que o falava, tentando sorrir, só que tudo que saiu foi uma careta.

— Não foi nada, tia.

— Essa não cola comigo, pirralho. — O empurrou de leve e sentou-se ao lado do garoto. — O que houve?

— Eu tô apaixonado.

— Ah, bem que eu deduzi — a mulher ruiva revelou risonha, sua risada diminui ao perceber que o loirinho não compartilhava de sua graça. — Essa pessoa te magoou? Pode falar pra tia aqui, eu dou uma surra em seja quem for!

— Não, tia...

— Então...?

— Eu me apaixonei por um ômega.

— E daí?

Jisung impressionou-se com a naturalidade que a mulher pareceu reagir a sua revelação, realmente aquelas pessoas eram muito estranhas ou muito evoluídas.

— Ele se tornará meu irmão em breve — completou.

— Tsc, bem que percebi.

— Percebeu? — Ele arregalou os olhinhos, olhando para todos os lados e aproximando-se mais da mulher. — Eu deixo tão na cara assim?

— Bastante.

Aigoo...

— Por que não conversa com ele?

— Todos me aconselham a fazer isso, mas ontem ele me beijou e quando Seungmin questionou, ele simplesmente negou! Eu senti meu coraçãozinho ficar um caquinho! — contou emburrado, Susie apertou as bochechas, achando muito fofo as reações do loirinho.

— Talvez ele esteja confuso, você só vai saber se conversarem.

— Ok, vou tentar uma última vez.

— Nada de baixo astral aqui!

Ela saiu do cômodo dançando e pulando, o que deixou Jisung mais animado, ele realmente amava aquela sua nova família. Bomin foi a segunda pessoa a aparecer, Jisung sorriu largamente e fez sinal para que o irmão se aproximasse, o que o alfa fez timidamente.

— Dormiu bem?

— Aham, a cama daqui continua sendo a melhor.

— Se sentir medo, pode dormir comigo, ok?

— Obrigado...

Bomin era tão fofo, todos sempre queriam o apertar, Jisung estava entre essas pessoas, radiante por ter outro irmão e este ser um alfa tão adorável quanto aquele. Quando ele retornou, ninguém queria desgrudar, foi até difícil ter uma conversa com o garoto, e o próprio parecia perdidinho, eram tantas pessoas ao seu redor.

— Sua blusa tá toda amassada! — Jisung de repente bronqueou, o alfa olhou para a própria blusa e formou um biquinho em seus lábios, algo típico dele. — Vamos arrumar isso, irmão meu tem que andar bem bonito que nem euzinho aqui!

Bomin soltou uma risadinha e aceitou a ajuda alheia, subindo até o quarto e retirando sua blusa, Jisung entristeceu-se ao ver aquelas cicatrizes nas costas do garoto pálido. Não gostava nem de imaginar pelo que ele já teria passado sendo tão novo.

— Eu vou passar ela pra você, mas depois você tem que passar sozinho, ômegas não são empregados de alfas! — tornou a falar, tentando disfarçar seus olhos que teimavam em ir para aquelas cicatrizes.

— Eu gostaria muito de aprender! — ele disse com entusiasmo, se ajoelhando ao lado do irmão, que já tinha o ferro de passar roupas em mãos e demonstrava ao alfa como fazer. — Parece fácil.

— Sim, só que alguns alfas preguiçosos preferem que a gente passe por eles, bleh!

Bleh! — imitou.

— Ei, tá zombando do seu irmão?

Bomin riu e imitou o som novamente, logo sendo atacado por cócegas, os dois divertiam-se à beça quando uma terceira pessoa chegou ao quarto.

— Atrapalho?

Era Soobin.

— A-ah...

— Não, eu estava apenas brincando com o meu irmão, não pode? — Jisung respondeu mal-humorado.

— Com ele sem camisa? — Apontou para o torso nu do alfa, que até encolheu-se.

— Qual o problema nisso? Somos irmãos, não vejo maldade em ele estar sem camisa! — Jisung rebateu novamente para o descontentamento de Soobin.

— Que seja.

O ômega de tapa-olho fez que ia sair, então Jisung apressou-se em segurar seu pulso e o impedir.

— Nós precisamos conversar.

Soobin tirou com brusquidão a mão alheia de si e continuou a andar.

— Ok, aja como se nada tivesse acontecido ontem! — gritou. — Pois eu farei o mesmo a partir de agora!

Soobin parou repentinamente e virou apenas a cabeça, Jisung continuou o encarando com raiva, os punhos cerrados demonstravam todo seu nervosismo com a situação. Por que tinha que gostar logo daquele garoto?

— Foi importante pra você? — a voz fria atravessou os ouvidos do loirinho que, como sempre, perdeu toda a braveza.

— E-eu ainda não sei.

— Então me chame para conversar quando descobrir.

E continuou seu caminho.

Jisung odiou-se por isso, ele sempre travava quando Soobin o confrontava tão diretamente.

— Foi importante pra mim! — tornou a gritar antes que o moreno descesse as escadas. — Eu sinto ciúmes de você e não gosto quando fica de papinho com o Innie, muito menos quando me trata como nada, quer dizer, eu sei que sou um pouco chatinho às vezes, mas tô tentando mudar. E meu coração só fez tun-tun com você!

Soobin olhou para além do loirinho, que estranhou, então virou a cabeça para trás e percebeu toda a casa encarando a cena. Isso incluía seu pai.

Oh, não.


Notas Finais


e foi isso!

a canção que o seungmin cantou pro lino foi "my universe" daquele grupo, tal de stray kids, conhecem? hahaha

gostaram da noite dos ômegas? só faltou o hyunjin mesmo, né? :c
e o innie aos poucos conquistando o espaço dele na história aaaa espero que ele apareça mais vezes! 😡😡😡

até logo, meus amores! já estou com saudades (ahhh climinha de despedida maldito)

p.s: para quem não sabe, o aniversário de namoro dos 2min é todo dia 26, que foi quando o minho pediu nosso nenis em namoro! 🥰🥺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...