História Razões e Emoções - Namlice - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, Got7
Personagens Jackson, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé
Tags Jenhope, Jinsoo, Namlice, Rosekook, Taejin, Taejinsoo, Vsoo, Yoonmin
Visualizações 6
Palavras 2.244
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo especial para o casal mais louco e insano desta fanfic: JenHope!!


Vamos ver mais merdas que eles fizeram →

Capítulo 13 - Ser Louco é Legal


Fanfic / Fanfiction Razões e Emoções - Namlice - Capítulo 13 - Ser Louco é Legal

| 5 dias depois |


*Jennie*


  Estava brincando com Flokiis com uma bolinha. Ela tinha crescido um pouco, mas continuava pequenininha. 



— Hey, como vai as minhas gatinhas favoritas? 


— A Flokiis tá bem, agora a outra gatinha eu não sei. Eu não tô vendo ela


— Não se faça de desentendida, Jennie


— Oxi, eu não tô me fazendo de desentendida, Seok


— E eu não sou louco - Ele se senta do meu lado


— Acho que nem uma criança iria acreditar nisso


— Um adulto iria acreditar


— Se ele não fosse da polícia e nem fosse seu amigo, talvez ele acreditaria


— Até um adulto que é meu amigo acreditaria. Adultos são burros demais para essas coisas


— Você se chamou e me chamou de burra


— Tirando você e eu, o resto é tudo burro


— Mas por que só nós dois não somos burros? 


— Porque somos loucos e loucos são inteligentes o bastante para isso. Também porquê você sabe que eu sou louco - Hoseok pega a bolinha da minha mão e começa a brincar com a gatinha


— Olha aqui, eu já disse que não sou louca. Eu sou completamente normal


— O normal é chato e você é completamente o contrário disso


— Ok, agora eu concordo que sou louca


— Você concordou automaticamente que aproveita a vida do melhor jeito possível então


— Nisso daí eu não concordo. Eu levo a vida do jeito mais monótono e repetitivo possível


— Quer aprender a aproveitar a vida então? - Ele para de brincar com Flokiis e me olha


— Eu vou ter que assediar, roubar, fugir ou me envolver com algum mafioso? - O maior dá uma risada


— Mais ou menos


— Aí meu Deus


— Calma! Você só vai ter que correr e pular, e vai ter que segurar uma arma


— Jung Hoseok, explica isso melhor


— Eu vou te ensinar a usar uma arma, mas você não vai matar ninguém. Eu vou fingir que roubei uma mulher e a gente vai ter que entrar na casa dela, por isso que você vai ter que pular o muro. E por fim, eu realmente vou roubar e vou te ensinar a como fazer isso


— Hoseok, eu não sei pular um muro e não quero aprender a roubar e nem quero que você roube


— Eu te ensino a pular e eu vou roubar um pão lá da feira, não vai fazer muita diferença


— Um pão pode ser a salvação da vida de alguém


— Por isso que eu vou dar esse pão para algumas crianças de rua que ficam por lá - Suspiro


— Se você realmente for fazer isso, eu aceito - Seok sorri


— Ótimo - Ele se levanta - Você vai ver que fazer coisas que a maioria da população acha estranho e errado, pode ser muito melhor do que o normal e o certo - Me levanto


— Acho que já tô começando a perceber isso. Dependendo da situação, a loucura é melhor que a normalização


— Assim que se fala - Hoseok segura minha mão e me puxa


— Ei, aonde que vocês vão? - Jin perguntou quando nos viu


— Eu vou ensinar a Jennie á como aproveitar a vida


— Mais uma, Hoseok? 


— Sim, mas ela é diferente! Ela me entende - Faço uma cara confusa - Bom, até mais tarde. 


  Saímos de casa ainda de mãos dadas e me perguntei sobre o que o Jin quis dizer sobre "Mais uma", mas decidi ficar quieta e deixar isso de lado. 


— Com o que você quer começar, pular o muro ou aprender a atirar? 


— É... Qual é o melhor? 


— Os dois, mas atirar é mais legal


— Pode ser atirar então. 


  Hoseok não responde, só continua andando e me puxando. Depois de um bom tempinho, chegamos em uma casa abandonada e que ficava meio longe da vizinhança. 



— Se sinta especial, você é a primeira pessoa que eu trago pra cá


— Aqui é um lugar especial pra você? 


— Sim. Eu achei esse lugar na primeira vez que vim pra cá, eu venho aqui quando quero paz desde então - Ele solta minha mão e se senta em uma cadeira, e acabo por fazer o mesmo


— Eu posso vir aqui quando quiser então? 


— Se você não dizer pra ninguém sobre aqui e decorar o caminho pra ir e voltar, pode sim


— Eu não vou contar pra ninguém e eu tenho memória fotográfica


— Que bom, você vai conseguir aprender as coisas que vou te ensinar hoje bem rápido então


— Falando nisso, você vai me ensinar a atirar ou não? 


— Ah, é mesmo - Hoseok se levanta e vai até um armário, depois volta com uma arma na mão 


— Wow, que arma linda - Me levanto impressionada e olho a arma na mão dele


— Também acho, pode ficar com ela se quiser


— Não precisa, ela é sua - Levanto minha cabeça e o olho


— Não tem problema, é um presente meu pra você - Ele estende a arma e eu a pego


— Mas não vai te fazer falta? 


— Claro que não, eu tenho várias parecidas com essa


— Ok então. Agora vamos começar - Falo animada


  Hoseok começou a me explicar como atirava e a ter uma boa mira. Depois de uns 30 minutos, eu tinha aprendido tudo o que ele disse. 


— Agora que você aprendeu, eu vou te desafiar em uma coisa


— E o que seria? 


— Você vai ter que atirar na direção daquele quadro, enquanto eu estiver embaixo dele - Arregalo os olhos


— Isso nunca vai dar certo


— Confia em mim e confie em si mesma, principalmente - Ele vai em direção ao quadro e fica embaixo do mesmo - Agora vai e lembra de todas as dicas que eu te dei pra ter uma bora mira. Você é capaz disso e muito mais - Respiro fundo


— Eu confio em mim, eu consigo fazer isso e eu não vou assassinar meu próprio crus- a-amigo, meu próprio amigo! - Sussurro para mim mesma. 


  Miro em direção á ele e atiro, e logo fecho os olhos. 


— Deus de misericórdia, que eu não tenha matado o Hoseok. Eu não quero passar o resto da minha vida desinteressante na cadeia por causa de um desafio proposto pelo o cadáver - Falo com as mão juntas


— O não cadáver tá vivo. Você acertou completamente a mira, Jennie - Disse com a mão no meu ombro e abro os olhos


— AH, EU NÃO TE MATEI! - Abraço ele e escuto o mesmo rir


— Sim, Jennie, você não me matou. Tô completamente vivo


— Aleluia, eu ainda queria e quero aprender mais coisa com você - Me afasto um pouco dele


— Vamos aprender a pular um muro agora então


— Ah, mas eu queria aprender a roubar


— Acalma o coração ladrão, você ainda vai ter que aprender a pular o muro, colocar isso em prática e depois vai aprender a roubar - Bufo


— Ok, vamos aprender a pular um muro - Coloco a arma na calça e saio da casa


— A maioria dos muros daqui são do tamanho do dessa casa, então se você aprender a pular esse daqui, você vai poder pular qualquer outro muro... 


  Hobi continou explicando e demonstrou como se pulava. Na minha hora, ele me segurou nas 3 primeiras vezes e depois me deixou ir sozinha. 


— Ok, eu aprendi a atirar e a pular um muro, agora vamos para a parte de roubar


— Esqueceu que você ainda vai ter que colocar a parte de pular o muro em prática? 


— Aish, eu quero roubar! 


— Calma, eu disse mais cedo que eu ia fingir roubar uma mulher na casa dela, e pra isso você vai ter que ficar meio de vigia pra ver se ela te chegando perto e me avisar. Isso já é uma pequena demonstração de como roubar


— Tá bom, vamos logo


  Andamos até a casa da tal mulher e pulamos o muro quando chegamos.

Fizemos o maior silêncio possível e Hoseok fez alguma coisa com que a porta se abrisse. 


  Entramos na casa e a mulher estava na parte de cima pelo o que percebi. Como falado, Hoseok só fingiu estar roubando a casa e eu fiquei vendo se a mulher estava descendo. 


— Seok, eu tô escutando uns passos - Digo nervosa e olhando a escada


— Ótimo. Olha, fica calma e faz o que eu te ensinei


— O-ok - Na mesma hora, a mulher chega na sala e nos olhos apavorada. 


  Hoseok começou a correr e eu fiz o mesmo enquanto a mulher pegava o celular pra chamar a polícia provavelmente. Pulamos o muro e continuamos a correr até não termos mais vista da casa. 


— Essa... É a vez que eu... Mais corri na minha vida - Digo recuperando o fôlego


— Você se acostuma com o tempo - Ele disse sem parecer cansado


— Você deve ser super acostumado pra não estar cansado


— Muitos anos fazendo isso


— Hm, tá explicado - Avisto a feira que tinha todos os dias - Hoseok, chegou a hora de você me ensinar a roubar


— Vamos lá então - Nós fomos em direção a feira


— Fica aí e presta atenção - Assenti e fiquei em um canto observando ele. 


  Hoseok foi até uma barraca de bijuterias e começou a conversar com o atendente com a mão na mesa e apontou para trás do mesmo, e na mesma hora ele entrou na barraca, assustando o atendente quando se virou. Eles continuaram a conversar e Hobi se encostou na mesa e foi puxando um colar que estava atrás dele bem devagar e colocando no bolso.

Por fim, ele abraçou o atendente e pegou uma pulseira que estava atrás do mesmo, e fechou a mão e saiu da barraca vindo em minha direção. 



— E é fácil desse jeito que alguém rouba - Ele diz balançando a pulseira e o colar


— Não é possível, aquele cara é muito lerdo pra não ter percebido isso


— Quer outro exemplo? 


— Quero


— Ok, mas você vai participar nesse


— Tá, mas o que eu tenho que fazer? 


— Você vai ir na barraca do pão e vai pegar um e dar para aquelas crianças - Ele apontou para duas crianças que estavam olhando o pão com fome - Você vai sair como se nada tivesse acontecido, aí você vai ver o que vai acontecer


— Ok, vamos lá - Fui em direção a barraca e não avistei Hoseok


— Oi, crianças! Vocês estão com fome? - Elas assentiram e eu peguei dois pães - Podem levar - Estendo os pães para eles sorrindo e me viro para ir embora, até que sinto uma pessoa segurando meu braço


— Hey, você não vai pagar? - Disse o atendente que era trezentas vezes maior que eu


— Ah, e-eu não tenho dinheiro


— Vai me dar o seu braço então - Ele colocou meu braço na mesa e pegou um facão


"CADÊ O HOSEOK?!"


— Opa, amigão - Hoseok se pôs na minha frente e segurou o braço do homem e eu suspirei aliviada - Não vamos chegar a esse ponto, não é mesmo? - Disse pegando o facão e me dando


— Você conhece ela, por acaso? 


— Ela é minha irmã - O homem pegou Hoseok pela a blusa


— Ela roubou dois pães meus


— Me desculpa por isso, é que ela é meio doidinha. Ela acha que o presidente é esse cachorro - Disse se soltando do bruta monte e apontando para um cachorro que passou por nós


— Eu acho? - Perguntei quando ele veio até mim


— Entra no meu jogo - Sussurrou para mim


— Ah, s-sim. Ó presidente, o melhor de todos - Me curvei em direção ao cachorro


— Viu? Doidinha pra caramba. E em forma de pagamento pelo os pães, pode ficar com essa pulseira - Ele deu a pulseira que tinha roubado e me segurou pelos os ombros - Agora eu tenho que levar essa doida pro médico. Até mais - Nos viramos e continuamos a andar


— Eu quase tive uma mão decepada, então diz que você roubou algo


— Serve isso daqui? - Ele me mostrou um bracelete dourado que estava na mesa daquele homem - E eu ainda consegui ficar com a pulseira - Ele pega a mesma pulseira que ele tinha dado para o homem


— O que? M-mas você não tinha dado ela para o homem? 


— Eu tenho meus truques


— HEY, MULEQUE! VOCÊ ME ROUBOU - Escutamos a voz do homem do pão


— Acho que ele percebeu meu truque


— Agora que a gente corre, né? 


— Exatamente


  Começamos a correr e entramos em um beco. Quando vimos que o homem correu em direção reta e depois virou a rua, saímos do beco e começamos a ir em direção a casa, que era na direção oposta que o homem tinha ido. 


— Nunca mais eu vou vir pra essa feira com essa roupa


— É só você não vir com o boné e a jaqueta, aí ele nunca vai lembrar de você


— Eu espero


— Então, gostou de experimentar um pouco do meu dia diferente? 


— Eu gostei muito. Mesmo que tenha sido bem louco, o louco é legal


— Bem falado. A gente pode fazer isso de novo amanhã


— Pode ser, mas pode ser algo que eu não tenha que correr tanto e que nem tenha perigo de ter minha mão decepada? - Hobi dá uma risada


— Pode sim! Amanhã o dia vai ser um pouco mais calmo, mas vai continuar sendo louco


JN/HS: Porque ser louco é legal - Sorrimos uma para o outro e Hoseok colocou seu braço envolta de minha cintura até chegarmos em casa



Continua.... 


Notas Finais


Pequena explicação:

A Jennie e o Hoseok estavam com uma roupa que não dava para ver o rosto deles, por isso que ninguém reconheceu os dois. Sobre a parte que o homem quase cortou a mão da Jennie, vamos fingir que isso é permitido quando alguém roubava alguma coisa dali e era um cidadão normal.

Ah, e uma última coisa, eu me inspirei um pouco em Alladin na parte da feira, por isso tem algumas coisas parecidas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...