1. Spirit Fanfics >
  2. Reação Química >
  3. Capítulo 2 - Seja meu namorado!

História Reação Química - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, oi!

Muito obrigada pelos favoritos e comentários, vocês ajudam muito a fic assim!

Eu esqueci de comentar no capítulo anterior que essa fic vai ser curta, acho que o termo é shortfic. Acho que vai ter, na média, dez capítulos. Caso eu mude de ideia vou avisar o mais rápido possível!
Boa leitura, espero que gostem!

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Seja meu namorado!


Ok, eu preciso arrumar um namorado.

Caminho pela minha casa, pensando. Após aquela conversa com a Mitsuri, não consegui prestar atenção em mais nada durante a aula. Quase queimei o meu cabelo no bico de bunsen, o que é algo que deixa claro como devemos ter atenção e cuidado no laboratório. Meu professor quase me expulsou do laboratório, mas consegui ficar depois que prometi prestar atenção.

- Está tudo bem, Shinobu? - Kanae pergunta. Ela está pendurando as roupas no varal. Ei, quando foi que cheguei no quintal?

- Preciso arrumar um namorado até o anoitecer. - assim que digo, minha irmã cai na risada. Inflo as bochechas, irritada. - Não é engraçado!

- Desculpa, mãe é sim. Shinobu, onde você vai achar um namorado em tão pouco tempo? Você é linda, mas isso é difícil.

- Eu só preciso achar um desesperado por mulheres e ficar com ele até o baile de boas vindas, depois, é só dar um chute nele.

- Que cruel, irmã. - dá uma risadinha. - Se quiser eu posso te ajudar, tenho alguns amigos muito simpáticos que adorariam te ter como namorada.

- Não estou interessada no Rengoku.

- Pare com isso. Ele é uma graça! - reviro os olhos. Acho que ela não vai conseguir me ajudar mesmo. - O que acha do nosso vizinho?

- Sanemi? Não, ele é bem estressadinho. Não nos daríamos bem.

- Você é muito exigente! Até a Kanao passou a perna em você. - arqueio a sobrancelha, confusa.

- Como assim?

- Ah, você não sabia? Kanao está namorando um garoto da sala dela, um tal de… como era o nome mesmo? Acho que… Monjiro? Não... Tanjiro? Isso! O nome dele é Tanjiro!

Eu não acredito que até a filha adotiva da minha irmã está namorando e eu não. Isso é triste de mais para uma jovem moça como eu.

- Você está supervisionando direito eles? Você sabe como adolescentes são. - deixo meu lado mais sério transparecer.

- Por favor, não pense isso. Kanao é uma garotinha ainda para pensar em qualquer coisas do tipo. - toca seu próprio rosto, fazendo uma expressão doce. - O amor entre adolescentes é tão fofinho! Tão puro!

Puro? Alguém avisa a Kanae que a fase da adolescência é quando os hormônios estão borbulhando de vontades. Eu sei bem disso, já tive quinze anos.

- Você já conversou com ela sobre isso?

- Não, você sabe como ela é quieta. Não sei por onde iniciar um assunto desse tipo. Eu pensei que você seria mais indicada para falar sobre sexo para ela.

- Eu?! - arregalo os olhos. - Você que é a mãe dela! - sorri para mim, como sempre faz em qualquer momento.

- Se não quiser, não tem problema. Eu posso resolver isso. Hoje ela vai até a casa dele fazer um trabalho, depois disso vamos conversar.

- Espera, você deixou a Kanao ir na casa do namorado?! - O que fizeram com a sanidade da minha irmã? - Isso não é certo! Nós nem conhecemos o garoto!

- Pelas fotos me parece alguém muito doce e gentil, ainda mais por ter feito minha querida Kanao se apaixonar.

- Você só pode estar louca! - tento pensar em uma solução para isso, já que eu nunca deixaria a minha sobrinha com um cara desconhecido. Logo penso no que fazer. - Se ela vai ir, eu vou junto.

- Você? Por quê?

- Para proteger a honra da minha sobrinha. - cruzo os braços.

- Você não protegeu nem a sua honra, imagina a da Kanao. - fico vermelha. - Estou apenas brincando, irmãzinha. Eu sei que você é uma garota pura.

- P-Pare de falar sobre isso. - desvio o olhar. Tenho muita vergonha de pensar em mim nesse tipo de situação! - Vou ver se a Kanao já vai ir, até depois. - entro na casa antes que ela responda. Subo as escadas e vou para o quarto da Kanao com a Aoi. Dou duas batidas na porta e entro.

- Precisa de algo, Shinobu-san? - Kanao pergunta.

- Vou te acompanhar na casa do seu namorado. - digo sem rodeios. Ela não parece surpresa. - Vamos ir?

- Sim. Vou só pegar meus materiais. - se levanta da cama e pega sua mochila. No caminho para a casa do tal namoradinho da minha sobrinha, não conversamos. Assim que paramos na frente de um portão de madeira, encaro a Kanao. Aproximo muito meu rosto, o que lhe deixa vermelha.

- Eu vou ficar por perto, então sem gracinhas com ele. Não quero que minha irmã seja avó tão nova.

- N-Não vai acontecer nada, mestra! - ela tem a mania de me chamar de mestra quando fica nervosa. - Vamos apenas fazer o trabalho!

- Hum… okay. Vamos entrar. - toco a campainha. Um tempo depois um garoto com uma marca diferente na testa aparece. Suponho ser o Tanjiro. - Olá, Tanjiro-kun. - aproximo o rosto do dele, ficando a poucos centímetros.

- O-Oi. - tenta se afastar, mas continuo me aproximando. Tanjiro me parece desesperado, o que é engraçado. Finalmente me afasto, sorrindo docemente. - Você é…

- Shinobu Kosho, tia da Kanao. - toco a cabeça da minha sobrinha. - Esperava apenas ela? Se incomoda com a minha presença?

- Claro que não! - diz apressado. - Fico feliz de ter a companhia de vocês duas. Andem, entrem! Só façam não falem muito alto porque meu primo está estudando no quarto dele e não é bom atrapalha-lo.

- Certo. - Vamos juntos para o quarto dele. Tanjiro tem um quarto simples, mas cheio de pôsteres de ninjas com espadas. É bonito. Os dois se sentam no chão e começam a fazer o trabalho. Fico sentada na cama, mexendo no celular. Tem uma mensagem da Mitsuri.

[Whatsapp] Mitsuri: Já arrumou o príncipe encantado?

Controlo a vontade de mandar ela ir se ferrar. Por que eu me meti nisso mesmo? Eu devia só ter concordado que não tinha um namorado e que isso é difícil de conseguir, teria sido mais simples. Mas não, eu fui idiota e provoquei uma aposta. Agora estou aqui, pensando em como sequestrar um homem e força-lo a ser meu namorado.

Sequestrar não me parece uma ideia ruim. Posso escolher alguém aleatório e lhe dar um boa noite Cinderela. Tá aí uma boa opção.

Pare, Shinobu. Você tem ideias estranhas. Vou me hidratar que é melhor.

- Tanjiro-kun, posso ir beber água? - pergunto para ele, que sorri simpático.

- Claro! Fique à vontade.

- Estou indo. Crianças, se forem se beijar, sejam rápidos e se lembrem: da cabeça para cima. - os dois ficam vermelhos. - Já volto. - saio do quarto, indo para a cozinha.

Eu adoro constranger as pessoas. É divertido ver seus rostos vermelhos de vergonha. São boas crianças que são fáceis de constranger, eu poderia pedir algo melhor?

Na cozinha, tenho uma surpresa:

- Tomioka-san? - Ele se vira surpreso. - O que faz aqui?

- Eu moro aqui, quem deveria fazer essa pergunta sou eu. - segura um copo de água, qual da um gole demorado.

- Eu estou acompanhando a minha sobrinha. Não sabia que é primo de Tanjiro-kun.

- Hum. - termina de beber e deixa o copo na pia. - Fique à vontade, Shinobu. - passa por mim. Nossa, ele sabe meu nome?

Eu nunca pensei que um isolado sem amigos como Tomioka Giyuu saberia o meu nome. Eu disse isolado? Se é isolado, não pega ninguém, então...

Ele é perfeito.

- Tomioka-san! - seguro seu braço.

- O que foi?

 - Seja meu namorado, por favor!


Notas Finais


Fanfic também postada no wattpad! Estou por lá com o nick Akihiko-chan888

Espero que tenham gostado! Comentem! Até breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...