1. Spirit Fanfics >
  2. Reação Química >
  3. Capítulo 3 - Melhores ideias

História Reação Química - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oieeee! Como estão?

Eu estou quase terminando de escrever a fanfic, vai ter uns doze capítulos. Estou dando o meu melhor para a história ficar interessante!

Vou responder os comentários do capítulo anterior daqui a pouco, estou assistindo novela kskksksks alguém aí gosta de "totalmente de mais"?

Boa leitura!

Capítulo 3 - Capítulo 3 - Melhores ideias


- Você disse… namorado?

- Exatamente! - respondo sorrindo. Tomioka nada diz, só fica me olhando sem reação. - Vamos, não vai ser nenhum sacrifício! Só preciso que seja meu namorado até o baile..

- Você é doida, Shinobu? - bufo, irritada.

- Não, eu não sou. Eu só preciso de algum homem desesperado por mulheres para fingir ser meu namorado. E você me parece perfeito para isso. - eu acho que ele se ofendeu com essa penúltima frase.

- O que te faz pensar que estou desesperado?

- Bem, você não tem amigos. - os olhos dele estão opacos. - Ninguém gosta de você. - agora está me parecendo com raiva. - Você deve ser um virgem que precisa de uma namorada.

- Shinobu. - cruza os braços. - A minha resposta é não. Boa sorte com sua busca por desesperados, coisa que eu não sou. - me dá as costas. Eu não acredito que ele vai negar! Isso não pode ficar assim!

- Volta aqui, Tomioka-san! - sigo ele pelas escadas. Quando estamos no corredor dos quartos, ele entra em um dos cômodos, mas antes de fechar a porta coloco meu corpo para dentro. - Você não pode negar!

- Eu já neguei. Agora, por favor, saia. - aponta para a porta. Observo o quarto, dando um gritinho de surpresa quando noto uma coisa:

- Você é um otaku! - ando até as três prateleiras de mangás, perto de uma estante enorme cheia de bonequinhos de anime. - A sua situação é mais grave do que pensei...

- Não tem nada de grave aqui. Saia.

- Essa informação pode me ser útil. - falo sozinha. - Tomioka-san, o que você quer para ser meu namorado de mentirinha?

- Não quero nada. Não vou me submeter a isso. - se senta na cama. - Você é irritante, Shinobu.

- Não sou! Você que é! O que custa ser meu namorado? Eu posso te dar qualquer coisa. - pego meu celular do bolso e tiro a capinha para pegar uma nota de cem reais escondida lá. Para que bolsa quando se tem a capinha, não é mesmo? - Se você aceitar, esse dinheiro será seu.

- Você acha que eu sou um tipo de garoto de programa? - aperto os punhos, ficando ainda mais irritada. - Desista, eu já disse não. Por que não procura alguém mais namoravel como Uzui?

- Uzui do curso de música? Não, ele não. Uzui já tem três namoradas. Ele também iria se aproveitar da situação para tirar uma casquinha, se é que me entende.

Eu nunca namoraria Uzui. Ele é até simpático, sabe tratar uma garota, mas com certeza é um tarado! Ele iria querer que eu fosse para a cama com ele como pagamento da mentirinha, e isso não é algo que estou disposta a fazer.

- Shinobu, pode sair de uma vez? Preciso estudar.

- Mentira! Você vai ver anime a tarde toda!

- E isso lhe interessa? - dou um grito de raiva.

- Por favor, Tomioka-san! Eu preciso de um namorado e você é o único que pode ser! Eu faço qualquer coisa se você aceitar!

Por alguns segundos, Tomioka fica em silêncio. Quando estou começando a me irritar com a falta de sua voz, ele diz:

- Durma comigo e eu serei seu namorado.

- O que?! - minha voz sai num grito. - Claro que não! Eu não vou dar pra você! - me aproximo dele, com vontade de lhe dar um soco na cara. Eu sempre sou amigável, mas têm horas que não consigo me controlar.

- Eu estou brincando. - sua face está serena.

- Não faça esse tipo de brincadeira com essa cara, idiota! - bato o pé no chão. - Fale sério, o que quer como pagamento?

- Você não desiste mesmo… - suspira. - Se eu aceitar, quero que você me apresente para as pessoas, quero tentar ter amigos.

- Uau! Só isso?

- Um jogo novo de vídeo game por semana até o baile acontecer. Sei que você é rica, isso não vai ser nenhum problema.

- Se é só isso, pode ser. Então agora nós dois estamos namorando. - me sento ao seu lado na cama, já pegando o celular para tirar uma foto. - A Mitsuri vai surtar. - coloco na câmera frontal. - Sorri, Tomioka-san.

- Eu não sorrio. - reviro os olhos. - Posso fazer outra coisa?

- Claro, o que… - antes que eu complete a frase, seus lábios tocam a minha bochecha. Fico vermelha, mas mesmo assim tiro a foto. Ele se afasta. - A-Acho que é uma boa foto.

- Sim, é. Agora pode sair, preciso estudar.

- Precisamos combinar as coisas antes! Mas espera, o Tanjiro está sozinho com a Kanao… - quando lembro isso, levanto num pulo. - Vá até a minha casa durante a noite, vamos conversar! Tchau! - corro até o quarto do garoto. Quando abro a porta, para a minha sorte, eles estão apenas conversando no meio de cadernos. Eles são mesmos uns anjinhos.

- Com licença, irmã. - Kanae abre a porta do quarto. Estou sentada na cama, de toalha, penteando meus cabelos.

- Sim? - ela se senta na cadeira de rodinhas do quarto.

- Como foi na casa do namorado da Kanao? O que achou do garoto? - me levanto da cama, deixando minha escova na penteadeira.

- Ocorreu tudo bem. Tanjiro-kun é um bom garoto, não temos com o que nos preocuparmos. - pego meu hidratante e espalho ele pelas coxas. - Kanao também está feliz, isso é bom.

- Sim, sim! Muito bom. Mas Shinobu, não está escondendo nada de mim? - mesmo com ar de desconfiada, continua sorrindo.

- É que… - Eu não consigo esconder nada da minha irmã, me sinto mal de não contar a verdade. - Eu perguntei ao primo do Tanjiro-kun se ele queria ser meu namorado.

- Oh, não acredito. Você acabou de conhecer o rapaz.

- Eu sei. Mas assim é melhor, menos riscos de nós apaixonarmos. Ele aceitou, com condições simples. O nome dele é Tomioka-san.

- Tomioka… acho que já ouvi você comentar sobre ele. Já se conheciam? - assinto balançando a cabeça. - Ele é atraente?

- É, um pouquinho. - pego o celular e entro na galeria. Lhe entrego o aparelho com a foto. - É ele.

- Nossa! Ele é lindo! E pela foto, posso supor que ele aceitou o combinado. - assinto pela segunda vez. - Boa sorte, irmã. Acho que vai ser bem difícil manter as aparências.

- Pode até ser, mas vou me esforçar. Sem contar que é por pouco tempo, o baile é daqui um mês. - um mês, então isso dá quatro semanas, ou seja, quatro jogos para o Tomioka. Lá se vai boa parte do meu dinheiro…

Se bem que eu sou rica, então não preciso me preocupar muito com isso. Os negócios da família que são administrados pela Kanae dão um bom dinheiro, ela também faz questão de me dar metade do lucro. Isso é muito bom.

- Te desejo boa sorte. - faz um joia. Escuto baterem na porta e digo para entrar, é a Aoi. - O que foi, querida?

- O namorado da senhorita Shinobu está na entrada. - a garota está vermelha e agora, eu também estou. Todas nessa casa agora vão saber que eu estou "namorando", isso não é nada legal.

- Avise que já vou. - ando até o guarda roupa e procuro alguma peça de roupa confortável, mas discreta. Eu não gosto muito de mostrar meu corpo, penso que a sensualidade é deixar a pessoa curiosa. Mas não tenho nada contra com quem mostra o corpo, cada um sabe o que faz. Escolho um short jeans e uma camiseta amarela. Deixo meus cabelos soltos, pois estou com preguiça de prender eles.

Desço para a entrada e lá está ele, vestindo uma calça jeans e uma camisa social branca. Está bem bonito.

- Sobre o que precisamos falar? - mal chego ao seu lado e ele já pergunta.

- Sobre muitas coisas. Vamos para a sala, me siga. - guio Tomioka pela casa. Noto que as três meninas pequenas estão nos olhando de longe, o que me irrita. Odeio curiosidade exagerada. - Tomioka-san, é o seguinte: temos que decidir como vamos agir durante esse mês.

- Eu pesquisei um pouco sobre isso, aqui está uma lista com as melhores ideias. - tira um papel do bolso e me entrega. Começo a ler:

"Dar as mãos"

"Acompanhar até a sala"

"Almoçar juntos"

"Dar beijos em público"

- Beijos?! - acabo gritando. - Você quer dar beijos?

- Tanjiro me disse que faz isso com a Kanao. - franzo a sobrancelha. - Eles são um casal, afinal.

- Sim. Eu concordo com as suas ideias, mas precisamos mesmo dar beijos na frente das pessoas? Eu me sinto desconfortável desse jeito.

- Você sugere um namoro de mentira e não está nem disposta a dar beijos? - meu rosto esquenta. Tenho uma breve ideia, então aproximo muito meu rosto do dele, que não expressa reação nenhuma. - O que está fazendo?

- Você por acaso já beijou, Tomioka-san? - minha bochecha quase encosta com a dele.

- Você já? - vira o rosto, quase encostando nossos lábios.

- Não responda minha pergunta com outra. - consigo sentir a respiração dele, o que me causa um certo arrepio.

- Eu nunca beijei, Shinobu. Isso é algum problema? - dou uma risadinha.

- Você é um homem fofo, pena que é tão calado, parece até arrogante. Todos te acham chato.

- Você é duas vezes mais chata. - recolho meu rosto, irritada. - Você acha um problema eu nunca ter beijado?

- Na verdade, não. Eu acho isso fofo. Mas enfim. - me recompondo da raiva. - Acho que temos um acordo.

- Espero que cumpra com a sua parte do combinado. E em troca, vou ser o melhor namorado do mundo.

- Certo! Acordo fechado? - estendo a mão.

 - Fechado.


Notas Finais


É isso por hoje! Talvez amanhã mesmo eu poste mais um capítulo, vai depender do meu tempo para revisar. Mas prometo que caso não seja amanhã a postagem, vai ser o mais rápido possível!

Espero que tenham gostado! Comentem, por favor!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...