História Reality turns into a dream - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Ashley Benson, Avril Lavigne, Hayes Grier, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Hayes Grier, Nash Grier, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Adolescente, Cantores, Drama, Famosos, Megan Fox, Novela, Original, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 5
Palavras 1.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Auto controle


Fanfic / Fanfiction Reality turns into a dream - Capítulo 7 - Auto controle

Alex POV’s

 

Meu relógio desperta as seis e penso seriamente em não ir hoje, mas aí lembro do meu exame, levanto e vou ao banheiro. Começo a me despir e entro de baixo do chuveiro. Coloco algumas musicas para me animar, mas nem prestei atenção por conta do sono. Depois de me arrumar fui tomar café da manhã e em seguida escovar os dentes. Encontrei meu pai saindo mais cedo para trabalhar então ele me deu carona até a faculdade. Sinto mãos em meus olhos e já sei quem é.

—Sai fora, odeio gente que me toca.

—Você ama meus toques.—rimos.

—Oi George. E para de ser bobão!

—Oi horrorosa! Tá preparada para o exame?

—Quem está preparado para um exame de faculdade? Eu te falo. Ninguém! Será que administração é mais fácil?

—Sabia que você é uma idiota? Administração é muito difícil!

—Então por que todos tiram 10?

—Isso se chama dedicação e bons professores! E nem todos tiram 10!—nos despedimos e seguimos para as nossas respectivas salas.

—Oi Charlotte!

—Oi Alex! Como foi o fim de semana?

—Foi bom! E o seu? Como está o namoro?

—Vai bem! Preparada?

—Não mesmo!—rimos.

Fiz minha prova e diria que fui razoável. Não tive intervalo, mas por ser dispensado antes da hora, George ficou me esperando.

—Vamos?

—Vamos!—George e Charlotte disseram juntos. De repente sinto um impacto.

—Oi linda! Me desculpa, acho que sou desastrado demais!

—De novo a mesma cantada, Will? Desiste, eu to aqui pra estudar e não namorar! Tchauzinho!

—Ele é fissurado em você!—disse George enquanto andávamos até o ponto de ônibus. Ignorei seu comentário. Fomos pra casa e quando chego tem um carro conhecido na porta e eu cogito dar meia volta, mas decidi entrar logo em casa. Quando entro estão todos rindo.

—Filha, como foi a prova?

—Acho que fui bem, mãe. O que vocês todos fazem aqui?

—Eu não tive aula e mamãe estava de folga, então pensamos em reunir o pessoal e te dar uma força pra prova!—o pessoal a que minha irmã se referiu foram Shawn, mamãe, Danny, Jessie, Cam e Nash.

—Ta certo então! Alguém fez o almoço?

—Não, mas você merece uma pizza! Sua mãe comentou que você adora pizza!—Nash disse.

—Isso mesmo. Então beleza, vou no meu quarto rapidinho!—eu subi tão depressa que parecia o flash, não sabia como encarar o Shawn, e achei que só o veria daqui cinco dias! Então alguém bateu na minha porta.—Pode entrar.

—Oi...—era o Nash! Suspirei aliviada!

—Já sabe né?

—Sei o que?

—Do beijo?

—Beijo?

—O Shawn não te disse? Achei que você seria o primeiro a saber!

—Não, não disse. Vim falar com você pra perguntar por que ele está triste.

—Dei um fora nele. Não queria fazer aquilo, mas eu já fiz. E se eu voltar atrás ele vai me achar louca.

—Vai mesmo.

—Ta sendo sarcástico?

—Sim, e você é dramática!

—Eu só não sei o que digo pra ele não ficar triste. Eu não acho que ele vai entender o que é ser cirurgiã! Meu tempo não vai ser meu, não posso ter filhos, se me ligarem no meio da noite eu vou, e o principal, não posso namorar na faculdade! Atrapalha tudo.

—Não, não atrapalha. Escuta, Shawn te acha linda, engraçada e mal humorada. Na verdade, ele não disse mal humorada, disse que você tem humor negro e leva tudo pro pessoal. Ele tá afim de ter um lance com você. Por que não tenta? Você não sabe se vai dar certo ou errado, tem que tentar.

—Prefiro gatos.

—Vamos jantar fora. Seus pais querem um momento, então vamos todos cair fora.

—Aí que horror!

—Sua mãe que mandou! Ela é engraçada e muito sincera!

—Sei disso! Bom acho que minha pizza chegou!

—Nossa pizza!

—Não! Só minha!—descemos para comer e foi tudo muito lindo e maravilhoso. Todo riam e se divertiam. Eu peguei o Shawn me olhando algumas vezes, mas era por que eu queria olhá-lo também. Como disse o Nash, nós saímos. Mas não só à noite, saímos o dia todo, fomos ao cinema assistir vingadores, e depois ao parque de diversões!

—Eu quero carrinho de bate-bate!

—A gente vai criançona! Vamos comprar os tíquetes, eles pegam os hot dogs para comermos na fila, que por sinal está enorme!—todos concordaram, o Shawn pediu para que eu segurasse sua mão, pois o parque estava cheio e era fácil de se perder. Começou a tocar uma música do 5SOS (Wherever you are).

—Adoro essa banda.

—A banda ou os caras?

—Não seja infantil Shawn!

—Você me beijou! Me beijou e agiu como se tivesse sido especial na hora. E depois agiu como se não fosse nada. Se decide.

—Foi especial. Foi muito especial. Mas eu tenho que me preocupar com a minha carreira!

—Sei, as noites fora de casa, a faculdade que eu posso atrapalhar. Eu sei, beleza?

—Ele também contou da parte em que me mandou tentar?

—Não. Eu escutei tudo do outro lado da porta. Antes de saírem me escondi no banheiro.

—Shawn, você tá afim de mim?

—De verdade? To. Só você não viu.

—Eu vi. Vi tudo. Mas você tem o mundo disponível.

—E você é a única que me despreza. Não sei se gosto de ser torturado com rejeição ou se eu gostei do jeito que você não se joga aos meus pés como qualquer outra. Por que se não é fã é por que gosta de dinheiro...—o cortei com um beijo. Um beijo longo e muito gostoso!

—Você fala demais!

—É! Muito!

—Hot dog!—Jessie praticamente grita quando se aproxima de nós. E agora tenho certeza de que foi a maior armação de todas!

—Não vou estragar sua faculdade, desde que eu possa sair com os meus amigos, por que eu preciso de atenção de alguém. Sou uma pessoa muito carente!—ele sussurra em meu ouvido e eu riu—Estou te alertando, por que se não vai ficar sério, então nem fique!

—Então não fico!—brinco e ele me dá um selinho. Quando finalmente conseguimos ir no carrinho de bate-bate rola a maior guerra por causa das duplas formadas. No final da noite estávamos todos destruídos! Na hora de voltar pra casa foram Nash e Jessie na frente e atrás bem apertadinhos fomos Danny, Cam, eu e Shawn!

—Dorme comigo hoje? Te levo pra faculdade amanhã?

—Nem hoje, nem nunca.

—Dormiu sábado.

—Não posso.

—Falei com a sua mãe, ela disse que pode, contanto que vá pra faculdade amanhã.

—Ta bom, mas só dessa vez ok?

—Juramento de dedinho.—rimos. Nash passou na minha casa para que eu e Danny pegássemos roupas para dormir e para amanhã. Quando chegamos eu estava tão esgotada que quase não tomei banho, mas o Shawn disse que se recusa a dormir com gente fedida.

—Vamos tomar banho, sua fedida!

—Vamos?

—É! Ou acha que sou sujo igual você?

—Haha, babaca! Não vai me ver pelada.

—Não vou, eu fecho os olhos.

—Ta bom.

—O que?

—Vem tomar banho comigo.

—Eu estava...eu não...

—Brincadeira!—ri. Parece que ficou branco.

—Bobona. Vai tomar banho. Depois eu vou.

—Ta bom, me empresta a sua toalha?

—Claro.—ele foi pegar a toalha enquanto eu me despia no banheiro. Ele foi tão cavalheiro, bateu na porta e fechou os olhos ao me entregar a toalha.

—Shawn, pode ficar aqui conversando comigo?

—Claro.

—De costas espertinho.—ele se sentou no vaso e ficou de costas para o box do banheiro, conversamos muito, ele me fez perguntas pessoais  e eu também fiz a ele.—Você é virgem? Seja sincero.

—Não, e você?

—Não também.—de repente ele virou de uma vez só e ficou me encarando—Fica de costas!

—Foi mal. Foi automático! Eu achei que você era Virgem. Você parece ser tão reservada.

—Eu já tive um namorado. Um cara que me manipulou em muita coisa, inclusive para perder minha virgindade com ele. Então descobri que ele me traiu o tempo todo que não tive relações sexuais com ele.

—Que idiota! Me desculpa por ter olhado. Eu me esqueci totalmente.

—Tudo bem, só não faça de novo.

—Você tem relações constantemente?

—Não. Minha última foi esse cara. E você?

—Eu tinha.

—Por que não tem mais?

—Perdi a vontade. Não me ache gay. Eu só conheci alguém, que gosto muito. No caso ela está nua no meu banheiro nesse momento.

—E a garota espera que você não se aproveite do momento.

—Vou dizer a ela que não consigo olhar para nenhuma parte que ela não permita. Eu quero muito olhar, mas enquanto eu não tiver seu consentimento, não vou olhar.

—Esse seu lance de ser cavalheiro é pra que?

—Minha mãe que me ensinou assim. Eu tinha sim relações constantes, mas era por que sempre me encantava e achava que eram diferentes e em algum momento eu me esqueci de como relações são sagradas. E passei a fazer sem sentido, pelo simples prazer. O que faço agora é por que se eu chegar a ter algo com você, essa parte vai ser o momento de intimidade maxima. Meu corpo implora pra fazer agora, mas minha mente e coração dizem que seu momento é mais importante do que o do meu corpo.

—Isso é lindo! Gostaria de ter filhos assim. Tão honrados! 

—Acha melhor eu sair agora?

—Não. Se você é assim tão resistente, entra aqui.

—Entrar aí? Nu? Nós dois?

—Sim.

—Não.

—Você é perfeito.

—Não sou não.—nossa conversa acaba e meu banho também. Como dito, ele não tira os olhos dos meus, mesmo com meu corpo nu. Saio do banheiro para me trocar e ele pega uma toalha e vai para o banho.

—Demorou.—digo quando ele sai.

—Vamos dormir.—ele puxa o cobertor para se cobrir e vê que estou com sua camisa—Isso aí é meu.—rimos—Fica linda em você.—De repente quando vejo não falamos mais nada e só estamos nos beijando bem devagar. Ele parece ter medo de passar suas mãos pelos meu corpo, então eu lhe dou a permissão que precisa. Quando percebe o que quero, ele começa a passar mãos indo da minha cintura até minha bunda—Me diz que está de calcinha!

—Mentir é feio.

—O que você quer? Me testar?

—Não. Eu to tentando...tentando ter um relacionamento com você.

—Quer dizer um namoro? Esse é seu jeito de avisar?

—Não, só tive um namorado, e com ele era assim. Eu não sei como funciona.

—Vamos começar assim. Já saímos duas vezes, mas nunca sozinhos, amanhã eu vou pra sua casa com você, a noite. Vamos jantar com os seus pais e quero te conhecer melhor.

—E hoje?

—A gente pode se beijar. Eu não quero que pra você seja algo ruim como foi. Quero que seja bom, como sempre deveria ter sido.

—Obrigada. Então quer dizer que podemos assistir um filme e dormir?

—Claro!

—Obrigada mesmo!

Dormimos muito bem! Agarradinhos e dormi com a melhor sensação. Muita segurança e um cafuné gostoso. Ele é definitivamente a pessoa que deveria ter sido meu primeiro em tudo! Ele é tão incomum! Me impressionou com seu auto controle.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...