História Reapplying To Love - Fillie - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Eleven (Onze), Mike Wheeler, Personagens Originais
Tags Fillie, Finn Wolfhard, Millie Bobby Brown, Soah
Visualizações 237
Palavras 1.474
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei depois de dois séculos, né?😂😂😂
Só um dia 😕. Olá, amores😍😍.
Aproveitem o capítulo. Só demorei, pois eu ainda estava escrevendo-o. Há uma possibilidade de eu fazer até 18 capítulos, mas preciso de tempo. Os estudos estão me sufocando, e não posso nem sair de casa.
A noite vai vir os sonhos de vocês, aguardem 😍.

Capítulo 8 - Chapter Eight


Fanfic / Fanfiction Reapplying To Love - Fillie - Capítulo 8 - Chapter Eight

 

 

Até que esperar Finn chegar do trabalho todos os dias não era tão chato, Millie achava. Pois ela gostava de fazer algumas surpresas pra ele, almoços, lanches, até deixar a casa mais impecável. Finn também fazia surpresas para ela, como filmes, agradinhos e tempos juntos incríveis.

Enquanto ela preparava os pratos na mesa, a porta foi aberta devagar e Millie não pensou duas vezes antes de correr até ele, abraçando-o.

-- Alguém acordou de bom humor -- ele brincou, enquanto fazia um biquinho, esperando um beijo.

Ela beijou-lhe com um orgulho enorme, amava isso. Não que eles estivessem namorando, estavam apenas se conhecendo. Amigos que se beijam, talvez.

-- Fiz o jantar -- ela disse, pegando sua mão e o levando até a cozinha.

O cheiro delicioso do salmão invandiu suas narinas com uma força enorme, fazendo-o sorrir. Ela sorriu da cara de satisfeito dele. Convidando-o para sentar, serviu-lhe, observando de canto de olho a reação dele.

-- Está delicioso -- ele disse, comendo mais uma garfada, depois, limpando os cantos da boca com o guardanapo.

-- Obrigada. -- O sorriso dela aumentou.-- Como foi o trabalho?

Finn suspirou.

-- Exaustivo. Tive que arrumar uma gráficos de algumas empresas, tive que conversar com alguns agentes. Como foi aqui?

Millie franziu o nariz, levando mais um garfada da comida.

-- É um pouco matador o silêncio, mais até que não é tão ruim. É bom ter a casa assim, silenciosa e pacífica.

Ele assentiu.

A conversa tomou outro rumo, chegando até nos últimos relacionamentos de ambos. Millie se mexia desconfortável na cadeira, enquanto Finn falava sobre uma menina que ele amou muito, a melhor namorada da sua vida, linda. Ela ficou um pouco enciumada, admtiria se perguntassem, mas percebeu que estava fazendo show.

 

-- Pra onde vai? -- Finn perguntou, analisando-a de cima a baixo.

-- A casa de Sadie, noite das garotas. -- Ela bateu palmas, euforicamente. --Tchauzinho.

Ele acenou e ela retribuiu.

Vancouver estava um silêncio que até chegava a ser esquisito. As ruas estavam calmas, apenas com o tráfego de alguns pedestres, alguns carros e motos. Um homem com um cachorro passou correndo, quase derrubando-a, mas apenas deixou seus pertences caírem da sua bolsa. Millie se abaixou, xingando baixinho o desgraçado, juntando tudo que estava lá.

-- Tem isso, Millie -- uma voz disse, grave e sedutora.

Ela subiu seu olhar para o dele, colocando uma mecha do cabelo atrás da orelha logo depois. Jacob a encarava com um sorriso fofo, esperando alguma reação da parte dela.

-- Obrigada.

-- Achei que me ligaria -- ele disse, mexendo o nariz, acostumando-se com o frio.

Millie se levantou, ajeitando o vestido. Pegou o batom da mão dele, sorrindo agradecida, tentando não ficar com uma cara amarga. Ela não tinha acreditado cem por cento em Finn, principalmente pois, quando ele negou sua voz afinou, entregando-o completamente. Então, ainda ficava com uma pulga atrás da orelha com Sartorius.

-- É, eu também achava -- ela disse. Começou a andar, demonstrando que não queria papo com ele, mas Jacob a seguiu sem um pingo de vergonha na cara.

-- Ei, o que foi? -- Ele colocou os polegares nos passadores da calça. -- O que eu fiz?

-- Nada. Tá indo pra onde?

Ele fez um biquinho, pensando por um instante.

-- Eu estava indo em um pub, encontrar com uns amigos.

-- Ah, legal. -- Ela ajeitou a mochila nas costas. Ainda se perguntava o por que de ter trago várias coisas. -- Está trabalhando com o quê?

-- Eu sou enfermeiro -- respondeu com um sorriso orgulhoso. -- E você? Conseguiu alguma vaga nos teatros?

Ela balançou a cabeça, decepcionada. Millie havia se formado em artes cênicas, mas ainda não havia conseguido nenhum emprego. Ela se perguntava se todo o esforço que passou iria ser em vão. Às vezes ela pensava em como a vida dela seria se ela tivesse se formado em direito, como seu pai queria. Será que ela seria tão chata quanto ele? Será que ela seria feliz? 

Não estaria fazendo algo que gostava, disso ela tinha certeza.

-- Se lembra quando deixavamos o campus para ir a bares e karaokês?

Millie não pôde deixar de sorrir. Ela e Jacob tiveram um bom relacionamento. Ele era muito amoroso e compreensivo, mas acabou estragando tudo.

-- É, é, era divertido.

Sabe aquela sensação de que você está fazendo algo errado, mas não sabe o que é? Era isso que Millie estava sentido. Ela estava sentindo que Jacob não era uma boa pessoa. Com certeza havia acreditado em Finn, mas por que ele mentiu quando ela perguntou novamente?

Enquanto Millie estava pensando, nem sentiu seu corpo ser prensado na parede, mas quando uma respiração quente foi jogada contra seu rosto, despertou de uma vez.

-- Millie -- Jacob começou, acariciando o rosto dela --, eu fui um idiota de ter feito aquilo. Não sabia o que estava fazendo ao certo, e só me deu conta quando você me deixou.

-- Jacob...

-- Eu quero começar do zero novamente. Poderia me dar uma chance? Eu ainda gosto muito de você.

E antes de falar alguma coisa, a boca de Jacob foi de encontro a sua. Uma repulsa subiu o corpo de Millie, mas ela não conseguia pará-lo. Um milhão de coisas passaram na cabeça dela, mas nenhuma conseguia distinguir o que estava sentindo naquele momento. Raiva, amor, nojo, desejo. O coração apertando no peito, mostrando que estava fazendo errado, mas não dando ouvidos. Então, só a restou  retribuir o beijo a contragosto.

-- Me daria uma chance de novo? -- ele perguntou, segurando o se rosto  mais firmemente.

As palavras pulsando na sua garganta.

-- Não posso, Jacob. Eu não te amo mais.

A expressão esperançosa de Jacob morreu aos poucos, e sua decepção se fez aparente.

-- Aquele idiota te tomou de mim! -- ele rosnou. -- Maldito Finn!

Millie pensou em perguntar como ele sabia de Finn, mas Jacob saiu andando, com tanta raiva que socaria a primeira pessoa que lhe azucrinasse. Mas Millie não sabia que Jacob só estava enganando-a. Sempre a achou fácil demais, e quando soube que ela estava vulnerável, quis se aproveitar dela, fazendo-se de bom moço.

 

-- Seu maldito babaca! -- Jacob falou ao telefone, completamente irritado.

-- Jacob? -- Finn perguntou, assustado, mas não intimidado. 

Jacob enfiou uma mão no bolso do casaco, segurando o celular fortemente no rosto.

-- Você tomou ela de mim!

-- Você não soube aproveitar o que tinha ao seu lado. A menosprezou, e ainda teve a audácia de trai-la. Mereceu ficar sem ela!

A raiva subiu no corpo de Jacob, mas ele a empurrou com mais um copo de cerveja. A música do bar estava alta, tendo que fazer Sartorius gritar para responder. Ao lado dele, Harry estava de gracinhas com uma loira que dava sorrisinhos safados, enquanto ele beijava o pescoço dela. Jacob olhou para o amigo, balançando a cabeça logo em seguida. As luzes estavam atrapalhando sua visão, que já estava ficando embaçada por conta do álcool que havia ingerido. Pessoas se esfregando na pista de dança, algumas se beijando e outras apenas paradas, segurando copos de cerveja. Que ótimo local para expulsar a raiva.

-- Você teve sua chance, Sartorius!

Jacob soltou uma risada sem humor, desdenhando do que o outro tinha dito. Mais um copo de cerveja foi colocado no balcão, dando a Jacob a coragem suficiente para falar.

-- Ela não falou nada quando a beijei.

O silêncio do outro lado da linha confirmou o pensamento de Jacob.

-- Mas... Mas ela não te ama mais. O coração dela pertence a mim -- Finn balbuciou.

-- Acho que ela não se lembra disso --Jacob desdenhou. -- Como estão as coisas? Fez progresso?

Finn desligou o celular com a irritação subindo seu corpo. Jacob havia vencido, e Wolfhard não estava feliz com isso.

 

Em casa, Finn se jogou no sofá tentando expulsar as lágrimas.

-- Ela não o beijou -- ele repetia baixinho. 

 

Millie bateu na porta da casa de Sadie, enquanto enxugava os olhos. A ruiva a recebeu com um sorriso animado, mas vacilando quando notou o rosto da amiga vermelho.

-- O que foi, amiga? -- ela perguntou, não recebendo uma resposta, mas sim um abraço.

 

Millie soluçava alto, como se não houvesse amanhã para os seus choros.

Enquanto aninhava a cabeça da amiga no colo, só queria matar Sartorius por ter feito isso. O desgraçado havia prometido que se afastaria dela, mas pelo visto não tinha cumprido a promessa.

-- O que o Finn tem a ver com isso? -- A voz de Millie estava fraca; distante e triste. 

-- Cuide dele, Millie -- Sadie disse, afagando os cabelos da amiga. -- Ele é uma boa pessoa.

Ela sorriu, acreditando completamente nas palavras de Sadie. Ela tinha razão: Finn era uma boa pessoa.


Notas Finais


Vamos lavar a boquinha com sabão, Millie?😂😂
Jacob sendo o que sempre é em todas as histórias e vida real: Babaca!
Vamos honrar Finn Wolfhard😍.
Até mais, pessoal😍.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...