1. Spirit Fanfics >
  2. Rebecca Cullen! >
  3. Capítulo 22

História Rebecca Cullen! - Capítulo 22



Notas do Autor


To sem ideias pra capítulo,n vou colocar mais nomes de capítulos ta amores,apreciem ❤🤘🏻😚

Capítulo 22 - Capítulo 22


Trim

     

            Trim

            

                     Trim...

Acordo com o som  ensurdecedor de algum despertador,me debruço na cama cobrindo a cabeça com o travesseiro,abafando o som,em vão.

O som vai aumentando gradativamente a ponto de me fazer saltar da cama num rompante e tacar o objeto contra a parede de raiva.

O som para enfim de tocar,claro,o despertador se encontrava,agora,aos pedaços,espalhado pelo canto do quarto.

— Merda. Quem foi o idiota que colocou o despertador para desperta as 4 hora da manhã? – resmungo mau humorada olhando a hora no meu celular.

— Fui eu,o idiota,que colocou o despertador pra soar a essa hora. – A voz rouca de Jacob soa atrás de mim me fazendo dar um pulo pelo susto.

— Céus Jacob! Assim você me mata do coração. – resmungo. – Desculpe,não quis ofender,mas quatro da manhã é foda né? – faço bico e logo depois bocejo.

— Relaxa,não ofendeu! – boceja me abraçando pela cintura. – Acordou de mau humor? – junta as sombrancelhas em confusão.

— Eu sempre acordo de mau humor. – contorno seu pescoço com meus braços.– Mas não estou zangada com você. É que o sono na madrugada é o melhor,depois que acordo não consigo mais dormir. – faço bico e ele ri me apertando contra sí.

— Aé? Tenho uma coisa boa que podemos fazer já que a senhorita perdeu o sono. – sugere com um sorriso sacana nos lábios.

— Hm. Acho que vou adorar essa "coisa" ae. – sussurro beijando seu peito nu. – No banheiro? – sugiro dedilhando seu ombro com os dedos.

— No banheiro. – me pega de surpresa no colo me fazendo soltar um grito abafado por minha mão e,logo após rir.

Jake abre o registro com uma mão enquanto com a outro me segurava firmente.

Ele deixa a banheira enchendo e me coloca sobre a pia ficando entre minha pernas,eu tentava não ficar envergonhada por estar totalmente nua na frente dele.

Mas não tinha do que me envergonhar né? Ele já viu tudo mesmo.

Suas mãos passeavam por cada parte do meu corpo,como se quisesse decorar cada milimetro do meu corpo.

Seus lábios descem por meu pescoço até meus seios,ele sorri e deixa uma mordida acima do direito logo o tomando em sua boca faminta.

Jogo a cabeça pra trás,apoiando a mesma no grande espelho grudado na parede,acima da pia.

Seguro seus fio negros contra meus dedos completamente excitada.

Sua boca larga meus seio descendo por minha barriga até o meio de minha pernas,onde ele se ajoelha e com um movimento habilidoso me puxa,me deixando do jeito que ele queria.

— Jake.. – gemo em aprovação ao sentir sua boca em minha parte íntima.

Sua língua era habilidosa e brincava com minha vagina me levando ao céu e inferno em segundos.

Seu dedão toca levemente minha vulva,me deixando a merce dele.

Um de seus dedos escorrega até minha entrada,se enterrando sem aviso previo,oque me faz gemer mais alto passando minhas pernas por seus ombros,querendo mais daquilo.

Ele continua a trabalhar com sua boca e seu dedo me levando a loucura,quase me fazendo ver estrelas.

Rebolo contra sua boca sentindo uma quentura abaixo de meu ventre e,uma onda de calor tomar meu corpo assim que seu segundo dedo escorrega pra dentro de mim.

— Porra,Jake! – aperto meus olhos já não abafando os gemidos conforme seus movimentos iam aumentando e,o calor dentro de mim crescia mais e mais.

— Goza pra mim amor,goza. –Pede sugando meu clitóris com fervor,solto um grito alto tateando algo para me segurar conforme eu explodia em jatos em sua boca.

Jake continua me chupando enquanto eu me recuperava de meu orgamos a medida que meu peito subia e descia.

Passo as mãos por minha testa suada sentindo Jake se levantar e ficar entre minhas pernas me tomando em um beijo feroz e ardente.

Eu sentia meu gosto em sua boca e,era uma sensação prazerosa.

Enrosco a perna em volta de sua cintura o puxando mais pra mim,sentindo seu membro rígido bater contra minha vagina molhada.

Arfamos pela falta de contato.

Jacob se distancia para poder fechar o registro da banheira,que consequentemente,havia enchido de mais e,vazava agua para fora.

Jake esvaziou um pouco e,depois pois as espumas que eu gostava.

Entramos na banheira e,eu me sentei sobre suas pernas.

— Eu te amo Jacob – sussurro sentindo seus beijos molhando por meu colo,subindo por meu ombro até chegar em meu pescoço,onde ele suga com força para logo após fincar seus dentes com possessividade.

Gemi baixo sentindo a dorzinha fraca e boa em meu pescoço.

— Eu te amo mais Rebeca. Muito mais! – sobre o beijo por minha orelha,até chegar em minha boca.

Com sua ajuda eu me posiciono seu membro em minha entrada,para logo após escorregar vagarosamente,gemendo junto dele ao nos tornamos um.

Ele me ajuda com os movimentos de sobe e desce enquanto eu arranhava seu ombro,braços e barriga.

Puxo seus cabelos com força o fazendo me olhar,me admirando com aquele moreno lindo a minha frente e,inteiramente meu.

Só meu,meu,meu e meu.

Ataco seus lábios com ferocidade e precisão aumentando o ritmo do sobe e desce,contendo os gemidos roucos dele com minha boca.

Mordo seu lábio inferior com um pouco mais de força quando o sinto ajudar nas estocadas,movimentando o quadril agilmente para cima.

O gosto do seu sangue me deixa completamente excitada e eu desejo mais,mais do sexo,mais do beijo,mais do seu sangue.

E ao pararmos de nos beijar ele entende,entende oque eu queria e desejava.

Seu sorriso cafajeste denuncia e então ele deita a cabeça pro lado,deixando seu pescoço totalmente exposto para mim.

Sorrio olhando as veias salientes de seu grosso pescoço,ouvindo o sangue passar por elas e bombear em seu coração acelerado.

Sem aviso prévio eu o mordo,não com agressividade,mas sim possessividade.

Era como se assim,eu demonstrasse para alguém,para algo,que ele era meu e,eu era dele.

Seu sangue quente desce por minha garganta me deixando renovada,viva,me deixando mais louca por ele do que já era.

Ele me puxa para trás quando sente que já era hora,sorrio pra ele sentindo seu sangue quente escorrer por minha boca.

O beijo,para faze-lo sentir seu gosto,para fazer ele ver como era saboroso,como era tão... Jacob Black.

Suas estocadas vão ficando mais precisas e em segundos ele explode dentro de mim,me fazendo sentir seu líquido quente e viscoso descer por entre minhas pernas.

Com mais algumas estocadas também chego ao meu ápice,abafando o grito em seu pescoço.

Eu me sentia tão bem,tão confiante. Me sentia tão mais viva.

××××

04:56Am.

Me olho mais uma vez no espelho do guarda roupa de Jake,me certificando se a roupa estava mesmo boa.

Eu usava uma calça Legging preta,um cropped branco com mangas,e por cima uma jaqueta jeans.

Nos pés um vans preto e branco.

Havia amarrado meu cabelo em um rabo de cavalo alto e,feito uma Make para o dia.

Corretivo,mascara de cílios e um batom nude escuro.

Pego minha bolsa colocando meu carregador dentro e guardando meu celular no cós da calça.

Vou para cozinha onde Jake me esperava com um copo de café na mão.

Sorrio agradecendo.

— Vamos comer aqui ou na sua casa? – pergunta enquanto ia até seu quarto pegar dua mochila.

— Em casa. Prometi a mamãe que tomaria café por lá. – me sento sobre a bancada da cozinha e começo a fuçar meu celular,deslizando meu dedo pra cima e pra baixo,lendo as mensagens de uns amigos.

— A vampira loira ta progredindo. Ganhou pontos comigo só por te deixar dormir aqui. – Aparece na cozinha jogando sua bolsa nas costa e bagunçando de leve seus cabelos úmidos.

Jake usava uma calça jeans com rasgos,camisa de manga comprida verde clara e,por cima,uma jaqueta do time da escola,nos pés um tênis da adidas preto.

Seu perfume amadeirado,o qual eu havia le dado de presente,preencheu o ar,me embriagando.

— Rosalie,Jake! O nome dela é Rosalie! – corrigi bebendo o resto de café de minha xicara. – Vocês tem que parar com essa implicância tola. – desso do balcão indo lavar o copo.

— É um apelido carinhoso. No fundo,agente se gosta. – aquilo soou tão mal falado que eu revirei os olhos. – Ta,agente se atura. Mas mais não é por isso que os velhos hábitos vão sumir,pra ela eu sou cachorro,e pra mim, ela é loira oxigenada!. – salienta por fim.

— Okay. Vocês são adultos,vocês que se entendam. – me rendo,eu sabia que nada do que eu falasse iria fazer eles pararem com os apelidos ou com as alfinetadas.

— Ui,criancinha. – me abraça beijando o topo da minha cabeça. – Vamos ou a oxigenada vêm pessoalmente te buscar. – nego e saimos da sua casa.

Jake me entrega um capacete preto e eu o coloco.

Subo no garupa e em minutos já estávamos na estrada que nos levaria até em casa.

•••

[ Mansão Cullen,Quarta feira. 05:15 da manhã. ]

Chegamos em casa em menos de 20 minutos.

Jake estaciona a moto em frente a escada que levava a porta,pelos vidros eu notei uma movimentação do outro lado.

“ Papai ” penso e em questão de segundos ele já estava fora da mansão e,me tirava da moto com uma força desumana.

Rio quando ele me joga em suas costa fazendo meu cabelo cair e,minha mochila escapar de meus ombros.

— Minha ursinha,papai sentiu saudades. – roda,comigo ainda em seus ombros.

— Papai,para! Eu vou vomitar. – grito tampando a boca com uma mão,sentindo meu estômago revirar e,minha vista embasar.

— Emmett,vai machucar ela. – ouço a voz preocupada de Jacob e papai para no mesmo momento,me ajeitando melhor em seu colo.

— Desculpe meu anjo! Mas senti sua falta. – me da um beijo gelado na testa e,depois me coloca no chão.

— Também senti a sua. – arrumo meu cabelo,me segurando firme nele,pela tontura e enjôo.

— Como ta Charlie? – pergunta enquanto entravamos na casa,o encaro sem entender.

— Charlie? – paro o olhando confusa,pegando minha mochila que estava nas mãos de Jacob e deixando em cima da mesa que tinha ao lado da porta.

— Sim. Filha,não se faça de tonta. Eu sei que você foi dormir por lá. – Ri descontraido me arrastando para a sala.

O olho ainda sem entender,pronta para negar,como assim dormi na casa do Charlie?

— Mas eu não...

— Oi filhota. Charlie ta bem? – mamãe aparece em segundos me puxando para um abraço apertado. – Ele pensa que você foi dormir na casa dos Swan. – sussurra tão baixo,que se eu não estivesse perto não ouviria,sorte minha é que papai prestava atenção na Tv..

— Oh,sim. Charlie esta bem,ta ótimo. Aliás,mandou lembranças. – sorrio nervosa ao compreender,mamãe havia mentido para meu pai.

Jacob tinha os olhos levemente areegalados.

— Que bom. Talvez eu vá pra Forks hoje e quem sabe,não dou uma passada por lá. – fala descontraido,pegando o controle de seu videogame.

— NÃO! – eu e mamãe praticamente gritamos,oque o fez parar oque estava fazendo e,nos olhar assustado. – Desculpa,queria dizer que não vai ser preciso,Charlie vai ficar de plantão,então nem adianta ir lá,vai ser perda de tempo. – tento acalmar meu coração.

— Não seja por isso. Passo na delegacia para dar um "oi" e ver se você e Nessie deu muito trabalho.

Olho para minha mãe boquiaberta.

“ela mentiu até isso? ”

— Não vai dar amor,hoje vamos ter que ir até Seattle ver aquele assunto que conversamos ontem,lembra? – mamãe me solta e vai até ele,se sentando no colo do mesmo.

Ele sorri maliciosamente abraçando mamãe.

— É mesmo. Como pude esquecer? – beija o pescoço dela a,apertando mais contra ele. – Visitar Charlie fica pra outro dia,hoje temos planos. – salienta com maliciosidade.

— Credo! Pai,mãe! Não me traumatizem. – saio da sala puxando Jake comigo.

Na cozinha estava vovó cozinhando alguma coisa enquanto cantarolava uma de suas músicas preferidas.

— Bom dia vovó – abraço ela dando um beijo em seu rosto,ela sorri quando me vê.

— Bom dia meu amor. – me aperta em seus braços frios. – Bom dia Jacob.

— Bom dia Esme. – sorri sem jeito se sentando na cadeira.

— Senta lá meu anjo,já sirvo vocês. – beijo seu rosto e corro até a cadeira perto de Jake.

Aproveito e mando uma mensagem pra Nessie.

                    Me: Bom dia Ruiva!  Já estão     vindo pra cá?

Em menos de 2 minuto ela responde.

Ruivinha: Bom dia meu amor! Já sim,chego ai em menos de 3 minutos. Aliás,soube que você foi dormir na casa do Jake ontem,quero saber tudo hein?͡° ͜ʖ ͡°

Rio sentindo meu rosto esquentar.

Jacob conversava animadamente com Vovó que nos servia com um sorriso doce de sempre.

            Me: Claro,claro. Só não faça escândalo viu? Papai acha que nós duas passamos a noite na casa do vovô Charlie.Ele precisa continuar acreditando nisso,mamãe mentiu pra ele.

Mal mando a mensagem e a ruiva já responde.

Ruivinha: Relaxa. Já sei de todo esquema,mamãe armou tudo junto com tia Rose para enganar papai e tio Em. Meu pai ta meio desconfiado por conta deu estar bloqueando meus pensamentos,disse que queria um pouco de privacidade,ele pareceu acreditar.

Antes que eu pudesse responder,o som da porta se abrindo e,de vozes me fez perceber que Nessie havia chegado.

— BOM DIAAAAA FLOR DO DIA. – pula em cima da vovó que ri a segurando com hm braço,enquanto mexia algo no fogão.

— Bom dia meu anjo! Embry não veio?

— Acha que aquele lá perde um café da manhã aqui? – se solta da vovó,e antes que ela falasse mas alguma coisa seu namorado aparece.

— Poxa amor. Assim você me faz parecer um louco esfomeado. – brinca indo até vovó e beijando o topo da cabeça dela. – Bom dia Vó.

— Bom dia querido. Sentem,vou servi-los. – aponta a mesa.

Embry me cumprimenta e logo se senta ao lado de Jacob.

Nessie saltita até inde estou e me abraça.

“ Tem noção da saudades que senti de tu ” toca meu braço passando seus pensamento,rio pra ela.

— Também te amo.

— Quero saber tuuudo. – fala sem emitir som,compreendo por leitura labial.

— E vai. Esqueceu que irmãs não escondem nada uma da outra?

— Awwwns que amoooooor. Gente que prima/irmã mais linda que Deus me deu. – A ruiva doida pula em cima de mim,fazendo assim,nós duas cair da cadeira.

— NESSIEEEEEEEE. – grito em meio aos risos.

Jacob e Embry apressam em nos ajudar,todo preocupados.

— Você ta bem? – perguntam juntos,enquanto riamos descontroladamente.

Papai e mamãe já estavam em cima de mim,me "examinando".

— Calma. Gente eu to bem. – falo para os acalmar,Vovó ria encostada a pia,mas tinha um olhar preocupado.

— Machucou querida? – Vovó questiona vindo em nossa direção,negamos.

— Relaxem,foi mais o susto. Estamos bem. – Nessie se manifesta.

— Tem certeza meu amor,mas e esse roxo no seu pescoço? – Papai questiona preocupado,arregalo os olhos e me afasto assim que ele tenta tocar.

— N.. Não! Isso.. Isso não é nada! Eu bati em algum lugar,relaxa! – coloco a mão no local para tampar.

Papai me olha desconfiado enquanto Nessie e Embry se acabavam de rir.

Mamãe faltava pular no pescoço de Jacob que se divertia com a cara dela.

— Tem certeza eu..

— Bom dia gente. – Laura entra na cozinha animada. – Tio Em,papai ta te chamando lá fora. – salva pelo gongo.

Olho pra ela querendo a encher de beijos e abraços.

— Ah.. Okay,já vou. – Papai fala me olhando meio desconfiado e,por fim da as costa.

Apoio as mãos no balcão respirando exageradamente.

— Ufa. Que situação. – resmungo ainda meio trêmula.

— Cachorro maldito. – mamãe rosna baixo e da as costa.

— Também te amo oxigenada. – Black brinca e eu dou um tapa em seu braço. – Ai amor! Doi sábia? – faz biquinho em pira manha,rolo os olhos enquanto vovó e os outros riam.

— Idiota! – ando até a loira – Me salvou gata,obrigada,obrigada,obrigada! – pulo em seu colo a enchendo de beijo,ela ri me abraçando também.

— Não precisa agradecer. Papai sentiu os sentimentos de seus pais e resolveu intervir,antes que o pior acontecesse.

— Salvos pela gangue loira – Jake zomba se referindo a tio Jass e My,que revira os olhos em brincadeira.

— Cade Seth? – pergunto sentindo falta do meu gatinho,ou melhor,cachorrinho.

— Ele já ta vindo. Disse que ia chegar um pouco atrasado por conta da ronda. – Embry responde de boca cheia,faço careta.

“ ele sabe que eu odeio que comam de boca aberta na minha frente. Parece que faz pra provocar. Melhor,ele fez para provocar! ”

— Educação mandou lembranças,Embry.

— Diz que mandei um beijo pra ela. – devolve meu sarcasmo.

Bufo.

— Nessie. Precisa adestrar seu cãozinho. – cruzo os braços arqueando as sombrancelhas em puro deboche,ouvindo risos vir da sala e do andar de cima.

— Rebecca – vovó Esme repreende,me desculpo com ela que ri e sai da cozinha.

Olho pra Embry,sabendo que ele diria alguma coisa.

— Jacob e Seth já são adestrados não é? Por isso que ainda tão na seca. – devolve fazendo Jacob rosnar baixinho.

Minja boca se abre em um perfeito "o" ao ouvir.

Não tenho tempo de responder já que Seth chega e corta o assunto.

— Bom dia cambada. – faz um toque com os meninos,e comprimento as meninas. – Bom dia Gata – me abraça apertado,beijando minha testa.

— Bom dia Seth. – o abraço de lado,não o querendo soltar,derrepente me sentindo culpada por ter dormido com Jacob.

Não que estivesse arrependida,longe disso. Jake foi incrível e,eu amei nossa noite.

Mas ver Seth aqui,com seu jeitinho doce de ser me deu um certo desconforto esconder dele,ou melhor,fazer isso por suas costa.

— Que isso gatinha. Sentiu minha falta foi? – Brinca pegando um pedaço de bolo e,me abraçando com o braço livre.

— Não. Quer dizer,sim! Pensei que não veria você hoje. – me sento em seu colo,já que ele acabará de sentar em uma cadeira,ao lado de Jake.

— Hoje tem jogo,não posso faltar,mesmo que quisesse. – bebe um pouco de seu suco e pega um sanduíche.

Escorrego meus dedos por entre seus fio negros e compridos,fazendo um carinho gostoso em seu couro cabeludo.

— Amei o seu cabelo comprido. – confesso,ignorando o olhar enciumado de Jacob,dedilhando meus dedos por entre seus fios lisos e escuros,até sua nuca.– Te deixa com um ar mais maduro... Mais sexy. – solto sem pensar,caindo em mim quando ouço um coro dos meus queridos amigos.

Minhas bochechas esquentam de vergonha.

— Ae? Bom saber,agora que não corto mais. – passa as mão que antes estava em minha cintura,pelo cabelo,fazendo charme,sorrio sem jeito.

— Sam já passou as tarefas que teremos que fazer hoje? – Jake pergunta,mudando abruptamente de assunto.

Não me importo em prestar atenção,até porque,Jacob era alfa e não precisava esperar as vontades de Sam,para saber as atividades das matilhas durante dia e noite.

Ele mudou de assunto por puro ciúmes,só porque eu estava elogiando Seth.

Resolvi deixar passar e focar no meu moreno o qual eu bajulava no momento,eu amava os dois,da mesma forma,do mesmo jeito,sem tirar nem por,será que é difícil acreditar?

Puff.

Seth hoje ira com o cabelo solto,das outras vezes que fomos a escola ou saiamos ele só os deixava preso ou usava touca.

Mas hoje ele os soltou,não estava tão grande,pouco acima do ombro,mas o dava um ar mais formal... Um ar sexy,e pra foder mais ainda,usava um gorro roxo,um completo gato.

Passei a analisa-lo.

Calça Jeans preta,vans vermelho,camisa branca e blusa do time da escola.

Sorri boba.

Tenho sorte por ter "namorados" lindos,os mais lindos do mundo.

Observei Nessie ir até a geladeira pegar um litro de leite.

A mesma usava um vestidinho branco com bolinhas pretas,até a altura dos joelhos,meia calça preta e um escarpam preto. Seus cabelos ruivos estavam soltos (como sempre) caindo em uma linda cascata ondulada por suas costa,no rosto uma make leve com um batom rosa.

Lauren usava meia calça cor da pele,vestido florido que ia acima dos joelhos e sapatilha cor de pele. Os cabelos estavam soltos,e um pequeno laço rosa no topo da a cabeça,oque a deixava fofa,ela usava uma make quase igual a minha,tirando é claro,o batom,o dela era um vermelho fraco.

Embry estava mais desposado.

Usava uma calça jeans escura,que deixava sua cueca a mostra,camisa do Arizona cinza larga e comprida até abaixo da cintura,e a blusa do time.

Nos pés um vans preto.

Era até engraçado ver que tia Alice,de certa forma,os fez começar a se vestir com um pouco mais de estilo.

— Ta pensativa – Seth sussurra contra meu pescoço me fazendo arrepiar por inteiro,quando percebe,ri e deposita um beijo ali.– Que foi?

— Nada. Bom,que horas são? – pergunto ainda sobre o colo de Seth.

— 05h44. – Jake responde olhando em seu celular. – Melhor irmos né?

Assentimos.

Subo em uma velocidade exagerada para meu quarto e me tranco no banheiro.

Escovo meus dentes olhando minha imagem no espelho.

No meu pescoço tava uma marca rodenda de mordida,roxo e vermelho.

“ JACOB " Penso irritada,justo hoje que eu vou de cabelo amarrado.

Lavo a boca e guardo a escova.

Passo um corretivo 24 horas para que não saia com suor ou água.

Graças a Deus sumiu.

Saio do banheiro e deixo o corretivo na mesa de maquiagem.

Tranco a porta do meu quarto descendo para o andar de baixo.

— Bom dia princesa. – Tia Ali pula em minha frente me assustando. – Desculpe,não quis assustar. – sorri me abraçando.

— Bom dia tia. Tudo bem! – retribuo seu abraço.– Oque você viu?

Pergunto sem rodeios,eu sabia que ela tinha visto alguma coisa e por isso saltitava feito canguru.

— Como assim? – se faz de desentendida.

— Quero saber oque você viu,sei que teve uma visão tia,oque foi? – eu não me aguentava mais de curiosidade.

— Você vai saber amanhã. Relaxa.

— Mas..

— Amanhã meu anjo. – me da um beijo na testa e sai saltitando.

Bufo impaciente.

Ela só fez isso pra me deixar curiosa,sério?

— Não fique assim querida. Já deveria ter se acostumado com o jeito da sua tia. – A voz de tio Jass soa descendo as escadas. Dou um pulo pelo susto..

— Que é? Tiraram o dia pra me dar sustos? – resmungo com a mão no peito,ele ri suavemente e me da um abraço e,um beijo no topo da cabeça.

— Desculpe. Sobre sua tia,eu já me acostumei,ela faz isso quase sempre comigo. – confessa me puxando consigo até a sala.

— Não era de se surpreender. Vocês são casados a tantos,e tantos anos. – dramatizo e ele ri fraco. – Espero que consiga aguentar até amanhã.

— Em história de drama você puxou sua tia Alice ou Bella? – brinca e eu rio.

— Eu ouvi isso – tia Alice grita do lado de fora da casa.

Rimos e logos o pessoal sai da cozinha.

— Meu pai emprestou o Volvo. Quem dirigi? – Renesmee saltita até a sala com a chaves em mão.

Ergo a mão para pegar,mas Jacob me impede.

— Nem pense nisso mocinha. – o olho brava.

— Mas que saco! Eu já sei dirigir. – bufo irritada.

— Mas ainda não tem licença,é pro seu bem. – Seth fala passando a mão por meu ombro.

— Isso é fácil. – sorrio doce. – Semana que vem vou com meu pai até a cidade para tirar minha carta. – completo vendo a cara de desagrado dos meninos. – E sem mimimi. Vamos ou chegaremos atrasados. – puxo minha mochila me despedindo de tio Jasper.

Lá fora estava meus pais e vovó.

Me despeço deles e entramos no carro.

Jacob iria com a moto,queria ir junto mas papai não deixou.

Disse que era mais seguro no carro.

Não insisti porque assim passaria um tempinho com Seth.

— Como foi a ronda? – questiono assim que o carro seguiu caminho pela estrada de terra.

— Cansativo,como sempre. – respira fundo e,só estão reparo as olheiras abaixo de seus olhos.

— Você deveria descansar um pouco antes do jogo.

— Ela tem razão Seth. Seu turno foi puxado,descansa um pouco.– Embry me ajuda,desviando os olhos por um momento da estrada e,olhando para o irmão.

— Vem ca – puxo sua cabeça para que ele deite a mesma em meu ombro.

Assim ele faz.

— Eu te amo. – ele sussurra beijando meus lábios de leve.

— Te amo mais – seguro de leve seu rosto,colando meus lábios ao seus.

— Ei,casal! Chega de melaço. – Lauren reclama ao lado de Seth,rio.

— Vá a merda loira. – brinco acariciando os fios negros de Seth. – dorme meu anjo,quando chegar a escola eu te acordo. – sussurro pra ele que assente fechando os olhos.

Seth e Embry eran muito grandes para aquele carro,por isso meu moreno teve que colocar as pernas em cima do colo de Lauren,que deixou sem reclamar.

Mas mesmo assim era ruim,Clearwater era enorme pro espaço pequeno,mas por hora tava bom,só para ele dormir mesmo.

×××

[ Forks High School,Quarta feira. 06h30 da manhã.]

          Lauren Narrando.

Havíamos chego na escola a uns 10 ou 15 minutos,Embry veio igual um foguete com o carro do tio Edward.

Seth dormia no colo de Beca que estava sentada no banco de trás.

Nessie e Embry estavam sentados sobre o capo conversando algo que eu nem prestei atenção.

Jacob estava escorado em sua moto digitando algo em seu celular,era até assustador a forma como ele conseguia ser tão lindo,naturalmente lindo.

Devia a sua genética,os lobos são realmente bonitos,mas Jake era mais,tanto que consequentemente roubou meu coração.

Era difícil ver ele com Beca,doia,mesmo eu não demonstrando,isso me fazia mal.

Eu tentava ignorar,esquecer,mas era difícil.

Eu sei que ele jamais me daria bola por conta do maldito imprinting,mas de certa forma eu tinha que lutar.

Que amor seria esse, se eu ao menos lutasse,certo?

Pensando assim,decido me aproximar dele.

— Olá Jake. – me encosto ao seu lado.

— Oi Lauren. – me olha por um momento, e volta a mexer no celular.

— Ta tudo bem? – nossa,que bosta. Mas eu não tinha assunto.

— Er. Ta sim. E com você? – guarda o celular e me encara.

— Otima. Ansioso pelo jogo de hoje? – suas sombrancelhas se juntam em total confusão mas ele responde.

— Sim. Apesar de estar com fé de que ganharemos,no fundo temos um pouco de receio.

— Vocês jogam mais que eles. O prêmio já é de vocês com certeza. – sorrio pra ele convicta,conseguindo arrancar um sorriso torto dele,ai. Aquele sorriso 😍.

— Tomara. Beca ta ansiosa com esse jogo,passou a noite toda comentando. – ele parece ter falado de mais,então pausa e volta a falar. – Por mensagem,claro. De minuto em minuto chegava mensagens dela alegando estar ansiosa para a viagem,se ganharmos. – se corrigi.

— Hm – resmungo desconfiada. Mas decido não questionar nada,não era um assunto meu,nem que eu tivesse interesse.

O que eu realmente queria era chegar no assunto sobre o beijo,que le dei.

Percebendo que eu tinha algo a falar ele fala.

— Desenbucha. Quer falar sobre oque?

Coro um pouco mas decido prosseguir.

— Sobre aquele dia.

— Que dia? – bufo com sua falta de memória.

— Na outra escola. No corredor,perto do bebedouro. – o mando um olhar de,"aquele dia que te confessei meus sentimentos e le roubei um beijo".

— Ainda não compreendi onde quer chegar. – desvia o olhar desconfortável.

Bufo,ele sabia,mas não queria falar sobre,mas eu queria.

— O dia que nos beijamos. – solto sem paciência,ele arregala os olhos e tapa minha boca.

— Shiiu.. Ninguém precisa saber disso. – solta minha boca e me encara. – Outra,não existe o verbo “nós”. – faz aspas. – Porque quem me beijou foi você,não o contrário.

— Eu sei. Mas não pode agir como se nada tivesse acontecido,como se não sentisse nada e...

— E... E... E.. Nada! Lauren,eu ajo como se não tivesse ocorrido nada,porque na verdade não ocorreu! Desculpe,mas eu não senti nada,absolutamente nada! Me perdoe!

— Não fala assim,como se a partir daquele dia nada tivesse mudado,como se você não notasse o clima entre nós. – sussurro o mais baixo possível,agradecendo pela moto dele estar afastada do carro de Nessie.

— Esquece isso My.. Sério! Nada mudou realmente,eu ainda le vejo como uma amiga,como uma irmã Nada mais que isso,você tem que entender e aceitar isso!. – passa as mãos pelo rosto em um gesto nervoso . – Eu estou bem com sua prima,não me faça fazer algo que eu não quero. Por favor,entenda!

— Jacob você não pode simplesmente me pedir pra entender e,esquecer que naquele maldito dia houve algo entre nós,mesmo que eu,tenha roubado um beijo seu.

— Mas é oque tem que acontecer. Esquecemos tudo e seguimos com nossas vidas,como se nada nunca tivesse acontecido!

— Impossível,impossível!

— Não é,se esforce! Isso não é amor,é só uma pirraça de adolescente,eu te entendo como ninguém porque já passei por isso a anos atrás. – Pausa,como se lembrasse de algo distante no passado.– Mas quando você encontrar a pessoa certa,seu verdadeiro amor,vai entender que,oque sentiu por mim,não passou de um encanto bobo.

— Você é o amor da minha vida Jacob! Você,não faz assim comigo,por favor! – imploro,sentindo meus olhos arder.

— Por favor peço eu. Não sofra por mim,eu não mereço. Você é linda,inteligente,boa. Vai encontrar um cara que te mereça,que le de valor. Que retribua seus sentimentos,mas realmente,esse homem não sou eu,definitivamente não! – segura meus ombros,me agarro a seu corpo,querendo ficar ali pra sempre.

— Jacob eu não consigo! Vamos fazer assim,damos tempo ao tempo,nos conhecemos melhor e se rolar,rolou. Se não eu le deixo seguir sua vida com ela. – suplico sentindo meu peito latejar pela agonia de não ficar com ele.

  — Lauren...

— Não! Jake não! Não faz assim,não! Ela não te merece,não merece. Vai ver você não a ama de verdade? Quem sabe ela não le seduziu com seu dom? Como Aro disse,é isso. Vai ver é isso. – balbucio tudo sem me dar conta que soluçava.

— Não duvide do que eu sinto por ela. Eu a amo,sofri o imprinting quando ela ainda era um bebê,me explica como uma criança de 6 meses vai conseguir seduzir alguém?. Por Deus Lauren,não se humilhe mais. – tenta me afastar,mas eu permaneço o abraçando.

— Mas ela não te ama,você pode a amar,mas quem diz que ela te ama? Jacob,eu nunca me humilhei por homem nenhum,nem sei se sou capaz disso por outro homem,mas por você eu sou.. Por favor,pela última vez.. Me da uma chance? Desiste dela,fica comigo. Vamos,por favor. – era humilhante sim,mas por ele eu faria qualquer coisa,qualquer coisa mesmo.

— Chega Lauren,chega. – me empurra pra longe de deu corpo,me segurando pelos ombros. –  Eu amo a Rebecca,minha namorada e sua prima,da pra entender isso? Sou comprometido!. Desculpe mas eu não sinto nada por ti,a não ser amizade! Não vou desistir dela,nem por você e nem por ninguém. – aquilo foi como uma facada em meu peito,mas eu era insistente e não desistiria fácil. – Nós estamos bem,estamos namorado. E estamos felizes.

  Rio amarga.

— Felizes,felizes. Puff. – desdenho.– É realmente feliz com uma garota que mete chifres em você com seu irmão de bando?– despejo com raiva,não dela,mas dele,de mim,dessa vida.

— Ela também é imprinting dele,e querendo ou não eles se amam,assim como eu e ela nos amamos. Nessie e Embry vão acabar desconfiando,e eu não quero problemas com Seth muito menos com minha mulher. – ignora meu insulta contra ele.

  Sigo seu olhar até o Volvo prata,onde Nessie nos olhava por um instante,sorrio pra disfarçar.

— Eu sei,sei do imprinting – minha voz sai amarga. – Droga! Ela é minha prima e,eu a amo. Mas amo muito mais você. Ela não te merece,eu sim mereço. Você não tem que viver assim,dividindo sua namorada com outros,eu posso te fazer feliz,poss..

— Já chega Lauren! Não fala assim dela! – dou um pulo pelo susto quando sua mão soca,com força,o tanque da noto,causando um leve amassado. – Entenda que eu  gosto de você,mas não do jeito que você quer! Merda,eu a vejo como uma irmã,só isso! Sinceramente,se continuar insistindo nisso vou ter que contar pra Rebecca e,terminar nossa amizade de uma vez por todas.

O encaro por um instante sentindo as lágrimas queimarem meus olhos.

Dou as costa sem dizer nada e saio correndo pra escola.

— LAUREN.. LAUREN ESPERA! – ouço a voz de Renesmee,mas ignoro continuando meu caminho.

“ Boba. Boba. Boba. Você é uma boba Lauren,mesquinha e masoquista. ”

— Lauren? – ouço alguém me chamar pelo corredor do colégio mas ignoro.

No momento eu não queria falar ou ver ninguém,só queria ficar sozinha em algum lugar até essa pontada no peito sumir.

Eu precisava esquecer ele.

Esquecer Jacob,mas como?

Eu era loucamente apaixonada por ele,secretamente óbvio. Mas eu seria capaz de qualquer coisa por ele,mesmo me rejeitando.

— Merda. sua estúpida masoquista. – fungo passando pelas enormes porta que me levaria até o campo onde os meninos jogam.

Eu tinha que ficar um tempo longe deles,ou me descontrolaria.

Me sento em baixo das arquibancadas pensando em como pude ser tão estúpida ao me deixar envolver por ele.

Droga,pior que ele nem me deu bola,nem um sinal que sentia algo por mim..

Mas eu não podia desistir,precisava ver até onde isso de imprinting iria.

Se era mesmo tão forte como diziam.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...