1. Spirit Fanfics >
  2. Rebel - Imagine Suga >
  3. Amigo

História Rebel - Imagine Suga - Capítulo 14


Escrita por: e TiaMoonsz


Notas do Autor


Olha só quem resolveu aparecer, eu mesma. ✌🏻😗
Peço sinceras desculpas pelo tamanho atraso *rsrrsrs*. Eu estava meio sem tempo pra ficar digitando, mas aqui estou. ❤ Gostaria de avisar que algumas mudanças foram feitas nos capítulos anteriores, nada que mude o rumo da história, apenas arrumei alguns erros na história, coisas que não faziam sentido. Mas já está tudo certo! ✌🏻😗❤

Prometo postar com mais frequência agora, sério. Obrigada por estar aquii... ✌🏻😗

BOA LEITURA

Capítulo 14 - Amigo


Fanfic / Fanfiction Rebel - Imagine Suga - Capítulo 14 - Amigo

Pov's Min Yoongi 

— Não vão responder? Eu fiz uma pergunta. — O detetive Kim Namjoon diz com a voz séria e eu engulo em seco. — Acho bom que me digam agora o que estão aprontando. 

— O senhor é o detetive do caso Han? — Jimin pergunta. 

— Sim moleque. E sei que estavam falando sobre esse assunto, não confio em nenhum de vocês três. 

— O que exatamente o senhor ouviu? — Hoseok pergunta e eu faço uma careta. 

— Olha detetive, eu vou contar tudo! — Digo de uma vez por todas e os olhares se voltam pra mim. — Se prometer ajudar sem envolver os outros policiais. Algo reservado, um segredo, entre nós quatro. 

— Está me pedindo pra confiar em três garotos? Só pode estar brincando. 

— Sabemos muito, podemos ajudar nas investigações. Seremos peças chave pro caso, se unindo a nós seremos uma ótima equipe. Só assim vamos pegar eles. — Concluo e o detetive nos observa um a um. 

— Qual o plano de vocês afinal? 

— Era te enrolar na verdade. — Jimin solta e Hoseok o olha bravo. — Mas agora iremos mudar o plano. 

— Iriam me enganar? 

— Não exatamente. Enfim… Existe um galpão. — Explico. — Onde eles ficam, eles têm contatos, por toda cidade. É difícil passar despercebido. 

— As pessoas que tentam entregar eles, tem entes queridos mortos. Eles estão por toda parte, apesar de alegarem que são poucos. — Hoseok participa do assunto e o detetive Kim escuta atentamente. 

— O chefe se chamava Do-hyun, ele tentou sair do país para tirar o pai da prisão em Tóquio. Mas foi preso por porte ilegal de armas antes mesmo de chegar no Japão. Dês daí o grupo tem diminuído os assaltos e assassinatos. Sem um líder eles estão perdidos. — Jimin explica sério e me espanto por ele saber tanto. — Se eles conseguiram manter contato com Do-hyun de alguma forma, estamos perdidos. 

— Por que simplesmente não os pegamos de surpresa? — O detetive pergunta e eu rio em sarcasmo. 

— Nem pensar! — Digo sério. — Pessoas estão na jogada detetive, seria arriscado. O atentado a Sra. Han foi apenas um aviso. Temos amigos e entes queridos por aí. 

— Precisamos de um bom plano pra pegar eles. — Jimin concorda comigo. 

— Jimin tem toda razão, vai levar tempo, esforço… Mas iremos conseguir. Quanto mais sigilo, melhor. — Hoseok diz. — O plano é esperar a poeira baixar, Yoongi os visitou recentemente pra tirar satisfações. Eles estão a espreita. Uns dias seriam o suficiente. 

— Dias?! — O detetive exclama.

— Temos que ser pacientes senhor, se não a gente vai se foder bonito. — Jimin diz e eu concordo. 

— A única coisa que quero ter certeza é se está conosco detetive. — Me viro pra ele que nos olha. 

— Vamos pegar esses canalhas. — Finaliza e ambos sorrimos esperançosos. 

*   *   * 

— Aish, amanhã? Posso saber pra que? — Pergunto a Jimin enquanto esperamos do lado de fora da casa, Hoseok e o detetive estão tirando a escuta da sala. 

— Estudar? — Diz e não acredito. 

— Você não sabe mentir, muito menos pra mim. Conta logo o que está acontecendo. 

— Porra, se a Liviane descobrir ela me mata. — Suspira e depois me olha. — Tem que prometer fingir que não sabe de nada amanhã. 

— Se explicar o que está acontecendo… 

— A Lívia está armando um encontro entre você e a _________ na biblioteca, antes da aula. Ela quer que vocês dois se acertem logo. 

— Sério? Isso foi ideia sua? 

— Claro que não, estou pouco me fodendo pra isso. Eu sei que vocês vão acabar se acertando com o tempo, mas ela não entende isso. 

— Achei a ideia fofa. — Digo pensativo. — Mas não sei se quero ir. 

— Você vai, vai sim! 

— O que eu vou dizer pra ela Jimin? 

— Oi _________, eu sou um babaca merdinha e gostaria de pedir perdão por ter agido como um idiota e gritado com você. Eu te amo minha gatinha. — Faz uma imitação da cena e eu rio. 

— É baixinha.  

— Que se foda, você vai e pronto. 

— Estão brigando? — Detetive Kim aparece com Hoseok. 

— Não, eles se tratam assim mesmo. São dois animais. — Hoseok diz. — Obrigado por ter devolvido nossa liberdade. 

— Espero que não me decepcionem. 

— Não vamos detetive. 

— Qualquer coisa, telefonem. — Diz e caminha até a viatura. — Boa noite garotos. 

— Boa noite. 

— Boa noite. 

— Boa noite. — Finalizo as despedidas e o vejo sair com o carro. 

— Vai pra casa Jimin? — Hoseok pergunta. — Por que não dorme por aqui hoje? 

— Valeu Hobi, vou pra casa. Até amanhã! — Se despede. — Não esquece da biblioteca Suga. — Me lembra e eu reviro os olhos. 

— Eu shippo. — Hoseok se refere a mim e Jimin e eu lhe dou um leve soco no braço. 

— Vai a merda. — Digo entrando em casa. 

*   *   * 

— Acha que o detetive vai manter sua palavra? — Hoseok pergunta enquanto abre uma latinha de sprite.

— Sim. Não tenho dúvidas. 

— Quero acreditar também, se nos pegarem estamos perdidos. — Diz e eu me mantenho distraído olhando em um ponto além dele na cozinha. — Você está me escutando? 

— Sim, já disse que confio nele. — Volto meu olhar ao mais velho, Hoseok suspira. 

— Qual o problema agora? 

— Lívia armou um encontro entre eu e a _________ amanhã cedo, na biblioteca. Não sei se devo ir, já que ela não sabe, não seria um bolo. 

— É uma oportunidade de acertar as coisas Yoongi. 

— Será mesmo que vale a pena acertar as coisas agora? Ela irá correr perigo se continuar comigo. Talvez essa briga tenha sido um sinal de que devo me afastar por um tempo. 

— Para de palhaçada. 

— É sério Hobi, eu nunca me perdoaria se ela corresse perigo. 

— Acho isso uma completa idiotice, apenas uma desculpa pra não enfrentar a situação. 

— Amanhã decido o que fazer. — Me levanto da mesa. — Boa noite Hobi. 

— Boa noite cara. 

Após sair da mesa ando rumo ao meu quarto, entro e fecho a porta. Tiro os sapatos e me troco, me jogo na cama e mergulho em meus próprios pensamentos. Nunca pensei que iria enfrentar esses caras, acabar com eles talvez seja a solução de todos os meus problemas. E é isso que quero fazer, nada mais além disso. 

Em meio a tantas coisas ruins e objetivos agora, uma voz sussurra em minha mente, diz um nome que me faz repensar tudo e me dói. Han _________. O que vai ser de mim sem ela?

*   *   * 

Apesar de dizer que não iria, cheguei mais cedo no colégio. O frio se despede aos poucos, e há poucos alunos espalhados pelos corredores. Eu poderia dizer que _________ não é o principal motivo de eu ter chegado mais cedo, mas talvez eu estaria mentindo. A vontade de apagar tudo, conversar e fazer as pazes é grande. Mas talvez o risco pra ela seja menor se permanecer cada vez mais longe de mim. E esse pensamento me faz ir contra o caminho da biblioteca, vou até o pátio, ao jardim, ao ginásio… Tento a todo custo ocupar minha mente, tentativa falha. Quanto olho as horas, já passa das seis e quarenta, o sinal vai tocar em poucos minutos. Sem pensar, saio correndo do lugar onde estou, até a biblioteca. Entro rápido e a procuro entre as estantes, quando acho a observo de espreita, ela ri com alguém com um livro na mão. Imagino ser sua amiga no primeiro momento, mas ao me esforçar, vejo um garoto. E isso desperta meu lado mais repugnante. 

— Eu também gosto dessa história, o final é triste, mas adorei ler. — Sua voz doce diz a um alguém que desconheço. 

— Também gostei de ler esse. — O mais alto lhe lança um sorriso simpático e por nervosismo acabo esbarrando em um carrinho repleto de livros. Atraio os olhares dos dois. 

— Yoongi? — Diz enquanto me olha e eu me sinto sem graça. — O que faz aqui? 

— Eu só… — Penso em uma boa desculpa. — Estava procurando o Jimin, vim ver se ele estava aqui com vocês. 

— Ele não apareceu aqui. — Diz educada e seu olhar pede algo mais vindo de mim. Sem perceber olho o garoto ao seu lado, ela percebe. — Ah, esse é o Choi Yeonjun.

— Oi. — Diz e sorri. — Eu tenho que ir, o sinal já vai tocar… A gente se vê _________. — Se despede e sai. 

— O que… Estava fazendo com ele? Quem é ele? 

— Eu o encontrei por coincidência, ele é da turma do Jimin. 

— Hm. 

— Não quer dizer mais nada? 

— Tenha um bom dia. — Digo ríspido e vejo tristeza em seus olhos. Apenas dou as costas e ando rumo a saída da biblioteca. 

Pov's Han _________ 

Admito que não era aquela resposta que eu esperava. Estava realmente preparada pra abraça-lo e dizer que estava tudo bem, que eu o perdoava. Que frustrante. Caminho até a sala de aula, e entro na mesma, sento em meu lugar e levo meu olhar até ele. Yoongi parece distraído com seus fones de ouvido, parece estar chateado. Eu errei em algum ponto? Será que exagerei ao comparar ele com a Irene, errei ao igualar os dois? 

— Bom dia pessoal. — A professora entra na sala e junto dela, o restante dos alunos aparecem. Lívia está entre eles. 

— Oi. — Sussurra e se senta em minha frente. 

Apenas sorrio em resposta. A professora começa a dar sua aula, e honestamente, nem me importo com isso. Meus pensamentos vagam em incertezas, errei com Yoongi? Fui dura demais? Estar longe dele me incomoda, não ser como antes incomoda.

— Lívia, iremos lanchar com os garotos hoje? — A chamo. 

— Sim, por que não? 

— Esquece. 

— Você foi a biblioteca? — Me pergunta discretamente. 

— Sim, não vi você por lá. Na verdade acabei conhecendo um novo amigo. 

— Eh… Não tinha mais ninguém lá? 

— Não, quer dizer, Yoongi apareceu depois. Me tratou mau e saiu sem se explicar, pensei que ele ia pedir desculpas por ter sido arrogante. — Deixo transparecer minha frustração. 

— Aish, tudo bem. Vocês vão acabar se acertando. 

— Espero que esteja certa. — Digo e ela sorri. 

— Abram na página 123. Vamos fazer uma breve leitura. 

*   *   * 

Jimin e Lívia conversam sem parar, contam histórias e riem às vezes. Eu apenas os observo, assim como Yoongi a minha frente. Ele se mantém atento a conversa dos dois, palpita às vezes e me sinto sem graça. 

Ele ao menos nem me olha. 

Lívia parece perceber meu constrangimento e tenta me colocar no assunto.

— E você _________-ah? Quer vir junto? — Pergunta e não sei sobre o que ela está falando. 

— Oi? 

— Vamos a sorveteria hoje a tarde, quer vir junto? — Jimin diz claramente e eu entendo. 

— Eh, talvez na próxima. Queria ficar quieta em casa hoje, sem fazer nada. 

— Talvez ela vá se a gente convidar o novo amiguinho dela. — Yoongi diz e seu ciúme fica claro entre nós. O olho brava. 

— Então por isso a cara de bunda pra mim? Por causa do Yeonjun?  

— Quem é Yeonjun? — Lívia pergunta. 

— O novo amigo dela, eles estavam na biblioteca hoje. Parece que já superou nossa briga. 

— Quem você pensa que é pra insinuar isso de mim?! Ficou maluco Yoongi? Perdeu a noção? Eu tenho caráter tá legal? 

— Não disse que você era mau caráter, ou vai colocar as palavras na minha boca de novo e dizer que eu sou um lixo? 

— E você, acha que pode falar mais alto que eu? Está sendo um completo ciumento babaca! 

— Não tenho ciúmes. — Se levanta e bate a mão na mesa. Faço o mesmo. 

— Você tem sim! 

— Pra que ciúmes se não estamos mais juntos?  — Sua frase me machuca, fraquejo por um segundo. 

— Ah… Então terminamos? 

Você terminou comigo! 

— Eu pedi um tempo, sabe a diferença? 

— Vi a diferença hoje de manhã. — Se refere a meu novo amigo. 

— Somos apenas amigos. 

— QUE SE FODA! 

— NÃO GRITA COMIGO MIN YOONGI. 

— PAREM OS DOIS AGORA! — A voz de Lívia se sobressai. — Daqui a pouco todo mundo vai estar olhando pra cá, parem! 

— Yoongi, calma cara. Vocês estão com a cabeça quente. — Jimin diz e Yoongi me olha. 

— Terminamos. — Digo séria a saio correndo dali, Lívia me segue. 

— Unnie, calma. — Me para e eu a abraço. — Calma. 

Me sinto destruída, frustrada, e também culpada. Agora sei que palavras podem machucar mais que um golpe, palavras ferem, e deixam cicatrizes. Disse tantas coisas de que me arrependo, e talvez ele sinta o mesmo. Ou não, talvez apenas eu fosse a apaixonada, um amor que achei que era recíproco. 

Minha mente, meu coração, tudo se mistura. Me deixa confusa, com vontade de desaparecer até que tudo dentro de mim se resolva. Não está tudo bem, eu não estou bem. E pode parecer egoísta, mas quero que Yoongi esteja tão triste quanto eu agora. Apenas mergulho no abraço sincero da minha amiga e agradeço por não estar sozinha.

*   *   * 

— Cheguei omma. — Anuncio tentando parecer o mais normal possível. 

Meus olhos estão inchados, minhas bochechas vermelhas. Meu estado horrível entrega minha tristeza e decepção. Não quero ver ninguém, mas omma não tem culpa de nada. 

— Omma?... — Chamo mais uma vez. 

Vou até a cozinha e vejo um bilhete na porta do micro-ondas. Leio: " Filha, saí mais cedo hoje, deixei sua comida aqui dentro. Pode tomar um sorvete depois se quiser. Eu te amo florzinha, chego às 15h00. " Agradeço por estar sozinha, e quando acabo de ler, suspiro, olho ao redor e uma lágrima cai. Mais uma, e mais uma. Limpo o excesso com as costas da mão e choro mais, tampo o rosto e sinto que preciso de um abraço agora. 

Subo os degraus da escada rápido, entro em meu quarto, pego uma roupa e vou rumo ao banheiro. Assim que entro, tiro o uniforme, ligo o chuveiro e sinto a água morna molhar minha pele, meu cabelo e lavar meu rosto amassado. Choro ainda mais, mais e mais. Quero que a dor vá embora, que transborde até não existir mais! O banho provavelmente não resolveu, pois assim que saio do banheiro e me troco choro mais. Me atiro na cama e mergulho nos travesseiros fofos, decido ficar parada, apenas deixando que as lágrimas caiam o tanto que se deve. Transbordo tristeza, decepção e frustração. 

Sem perceber acabo adormecendo… 

*   *   * 

Pov's Min Yoongi 

Babaca, idiota, imbecil, o que mais? Ah, ciumento. Tem isso também. E vários outros adjetivos negativos caberiam em mim agora, sou cada um deles, sem nenhuma exceção. 

— Gritou com ela? — Hoseok intervém depois de escutar a história de Jimin. — Você não tem noção? 

— Eu estava estressado. Ela gritou comigo também. 

— O que vai fazer a respeito? — Jimin questiona. 

— Nada, ela que lute. 

Você que lute! — Hoseok diz como se me repreendesse. — Pisou feio na bola. 

— Calem a boca, ela vai vir falar comigo mais cedo ou mais tarde. 

— Ela não é como as outras. 

— Porra Hoseok, para. Parem vocês dois, minha cabeça vai explodir a qualquer momento. — Me levanto da cadeira e ando rumo a porta. 

— Aonde você vai? 

— Volto antes das sete. — Bato a porta e saio da casa. 

Ando sem rumo, sem um lugar pra ir, quero apenas ficar sozinho. Sem acusações, especulações e coisas que possam me relembrar que errei. E errei feio. Ser um completo babaca parece fazer parte do roteiro da minha vida. Uma merda, tudo uma merda. 

Hoje com certeza foi o pior dia da semana, do mês, do ano. Estraguei tudo em uma facilidade inacreditável, coloquei tudo a perder por um ataque de ciúmes desnecessário e infantil. Tenho bandidos ao meu redor, um coração partido e frustação. 

Realmente não tem como esse dia ficar pior. 

*   *   *

Pov's Han _________ 

— _________! — Escuto omma gritar do andar de baixo. — Filha, está aí em cima? — Sua voz se aproxima e suponho que ela sobe as escadas. 

— Estou aqui omma. — Digo baixo e ela aparece na porta. 

— Oi meu amor. — Diz e se aproxima, me sento na cama. — Tudo bem? — Passa a mão por meu rosto e torço pra que ela não repare meu estado. 

— Sim, tudo bem. — Minto. 

— Seu rostinho está inchado. 

— Cheguei do colégio e apaguei, já é tarde? 

— São três da tarde. 

— Vou me levantar já. — Digo com um meio sorriso. 

— Venha então, vou fazer algo pra comermos. — Diz animada e sai do quarto. 

Suspiro. Esfrego o rosto e junto o cabelo em um rabo de cavalo desajeitado. Saio do meio das cobertas e calço meus chinelos, não deixo de dar uma breve ida ao banheiro. Escovo os dentes e jogo uma água no rosto, depois vou até omma na cozinha. 

— Omma, viu meu celular por aí? — Pergunto a procura do aparelho. 

— Acho que está em cima da mesinha. — Diz e vou até lá, pego o celular e o desbloqueio. 

Não há muitas mensagens, e as que tenho pra ler apenas ignoro. Porém uma mensagem vinda do Instagram me intriga, abro o aplicativo e vejo de quem se trata. 


" @Ch_Yeon, deseja lhe enviar mensagens.

Aceitar | Bloquear " 


Antes mesmo de fazer suposições de quem seja, abro o chat de mensagens e leio o que foi mandado. 


@Ch_Yeon

Oi _________. 

É o Choi Yeonjun, tudo bem? 


Não há muita reação, apenas fico um pouco alegre por ter alguém novo pra conversar. Me sento no sofá e digito uma mensagem. 


Você

Oi Yeonjun.

Estou bem, e você?


@Ch_Yeon

Estou bem. 

Hoje foi legal na biblioteca, não quis perder a chance de ter uma nova amiga. 


Você

Já somos amigos por mim.

Você é um cara legal.


@Ch_Yeon 

Obrigado. 

Tenho que sair agora. 

Depois conversamos. 


Você

Claro.


Um novo amigo.

Isso é bom não é? Ter uma nova pessoa em comum nesse lugar tão estranho. Lívia e Jimin são ótimos amigos, mas acho que seria bom me aproximar de alguém que não conhece Yoongi, ou pelo menos não tem intimidade com ele. 

Meu coração ainda dói, mas tenho que pensar que fiz a coisa certa. As coisas vão mudar a partir de agora. 

*   *   * 


Notas Finais


UUUU
Acabou hein? 💞 Prometo postar o mais rápido possível, sem demoras. É tarde pra desejar feliz ano novo? Haha...

Twitter: https://twitter.com/taenuh_?s=09 @TiaMoonsz @Kim_Taenu @Taenu

LAST FIC: [ https://www.spiritfanfiction.com/historia/like-stars--jeon-jungkook-18277245 ]

❤kisses❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...