1. Spirit Fanfics >
  2. .rebel - markhyuck >
  3. .nossa história

História .rebel - markhyuck - Capítulo 28


Escrita por:


Capítulo 28 - .nossa história


Fanfic / Fanfiction .rebel - markhyuck - Capítulo 28 - .nossa história


          sol irritante: oi gente hoje eu faria 3 anos de namoro com o mark se ele não tivesse IDO EMBORA

canadense fedido: garoto????? eu te namorei esse tempo todo, você que não sabia

sol irritante: mark lee......

jisung: vai fazer três anos que eu e o chenle namoramos também

amor da vida do pwark: mentira park jisung a gente demorou um tempão pra começar a namorar oficialmente

jisung: claro que não!!!!! a gente namora desde o dia na casa do mark

amor da vida do pwark: não???

poço de ódio: meu deus chensung é muito insuportável quem aguenta

tio dos gatos: aproveitando que a gente tá falando disso, pq vocês não aproveitam pra contar como começaram a se gostar?

nanabanana: É MESMOOOOO eu sinceramente até hoje não sei

amor da vida do pwark: ah, meus caros... foi um grande dia... seul, 24 de março de 2012

jisung: ei! eu queria contar...

amor da vida do pwark: eu vou contar primeiro depois você conta seu chato

jisung: aí então vai logo besta

amor da vida do pwark: como eu dizia antes de ser interrompido... seul, 24 de março de 2012


Chenle, desde que se lembrava, era apaixonado por Jisung. Entretanto, nem sempre fora retribuído. Se conheceram quando tinham por volta de doze anos, um ano depois que o mais velho entre eles chegou da China e se matriculou na escolinha. Chenle, por ser tão parecido na personalidade, fez amizade com o grupo de Donghyuck rapidamente. Depois disso, eles viviam juntos. Renjun apareceu na mesma época que Jisung, na sexta série.

Era de conhecimento universal sobre o ódio que Donghyuck nutria por Mark Lee, um menino mais velho que também estudava na mesma classe que eles. A recíproca sempre fora verdadeira, mesmo que o chinês achasse internamente que era apenas amor enrustido. Bem, não importava, eles não eram o caso. Aquilo tudo era uma bagunça na cabeça do pequeno Chenle, que até aquele momento, nunca tinha passado por um amorzinho desses. Até conhecer Park Jisung.

No primeiro dia de aula da sexta série, enquanto andava com os amigos pelo pátio conversando em alto tom, ele se deparou com um garoto. Um garoto que tinha os cabelos castanhos quase pretos. Eram tão bagunçados que parecia que ele não penteava o cabelo faziam dias. Mas era tão bonito, tão fofo. Parecia um anjo. É claro, fora demais para o coraçãozinho do Chenle de doze anos. Caiu de amores no primeiro momento.


jisung: como assim parecia que eu não penteava o cabelo? eu era muito bem arrumadinho...

amor da vida do pwark: calado

amor da vida do pwark: como eu dizia...


Tentou puxar conversa com o garoto novo durante o dia todo naquela época, mas não conseguiu unir coragem. Isso porque não tinha nada de vergonhoso em sua personalidade. Porém, sempre que pensava em chegar perto dele e conversar, seu coração começava a disparar e ele começava a ficar nervoso. Quer dizer, aquilo era importante para ele. Era seu primeiro amor. Acabou que não conseguiu chamar o menino novo para lanchar, então outro grupo chamou. Esse grupo, como esperado, era formado por Mark Lee e Lee Jeno.


canadense fedido: nossa, você fala como se eu fosse um monstro por ter chamado ele pra lanchar

amor da vida do pwark: isso não vem ao caso

tio dos gatos: KKKKKKKKKKKK aiai continua lele


Ali, começaram a se firmar as raízes da história. Depois do sexto ano, ambos os grupos de tornaram inseparáveis. Claro, sempre tinham os momentos em que eles acabavam se juntando indiretamente, como quando Donghyuck e Mark começavam a brigar entre si ou quando tinham que fazer algum trabalho. Chenle teria que admitir que gostava muito desses momentos, porque podia ficar admirando Jisung discretamente, observando como ele agia e como era. Contudo, nunca foram realmente amigos até o ensino médio, quando o mais novo começou a demonstrar um estranho interesse em si.

Chenle nunca imaginara que teria seu amor de criança correspondido. Logo, quando finalmente o teve, se sentiu perdido. Não entendia o que deveria fazer ou como deveria agir, simplesmente porque não estava acostumado com aquilo. Não conseguia entender como Jisung poderia se interessar por si e quando todas as cantadas e flertes vieram, Chenle entrou em pânico. Sua única escolha fora fugir como condenado e fazer a sonsa.


jisung: posso contar minha parte agora?

amor da vida do pwark: na verdade....

jisung: tá bom então, minha vez. ENTÃO GENTE


Do outro lado da história, Jisung achava que era óbvio para qualquer um que tivesse no mínimo um neurônio que ele estava apaixonado de verdade. Não era do tipo de pessoa que ficava e depois não ligava nunca mais. Sonhava com um amor bonito e poético, como aqueles que são encontrados em livros. Sonhava com o típico amor impossível. Quando se viu gostando do mais velho, decidiu que não ficaria quieto sobre isso. Fez de tudo para mostrar seus sentimentos, mas como esperado, era sempre ignorado.

Depois de meses de indiretas respondidas com um comportamento frio pelo chinês, Jisung decidiu que iria desistir. Parou de correr atrás, porque sentia que não iria dar em nada.


sol irritante: aí, quanta ingenuidade... agora eles não tiram mais a língua da boca um do outro

canadense fedido: belíssimo casal, só perde pro meu mino e eu

sol irritante: mino???? garoto????

jisung: ENFIM GENTE


O dia na casa de Mark foi a maior provação possível. Jisung passou o dia todo xoxo, capenga, manco, anêmico, frágil e inconsistente, como era esperado de alguém com o coração despedaçado.


amor da vida do pwark: coração despedaçado? quanto drama

jisung: garoto você ficava o dia inteiro falando que eu era seu melhor AMIGO

jisung: e eu lá quero sua amizade caralho

amor da vida do pwark: ??????? não quer minha amizade??????

jisung: NÃO MANO EU NÃO QUERO SER SEU AMIGO EU QUERO BEIJAR SEUS LÁBIOS

poço de ódio: vish usou girl in red tá apaixonado

tio dos gatos: CONTA MAISSSSSS

jisung: como eu ia dizendo.........


Naquele mesmo dia, eles brincaram de diversas coisas. Jisung nem se animou, já que ia precisar de um milagre para que seu amor desse certo. Para ele, nem sete minutos no paraíso salvava sua vida amorosa. Porém, como as coisas sempre vêm para quem tem esperança, o momento dele chegou. Chenle o beijou.

Ele surtou internamente diversas vezes. Se beliscou, deu tapas leves no próprio rosto, só pra ver se não estava tendo um sonho. Seria um tremendo vacilo se estivesse imaginando tudo aquilo. Iria mandar todos para aquele lugar, inclusive sua própria mente. Contudo, quanto mais se beliscava, mais dor ele sentia. Surpreendentemente, era real. Ele não estava dormindo.

Zhong Chenle, o menino que ele estava completamente apaixonado desde o primeiro ano do ensino médio, estava o beijando. E nem era por desafio! Mas será que era por dó?


amor da vida do pwark: ...

jisung: se você disser que me beijou por dó a gente termina agora

amor da vida do pwark: NÃO É ISSOKKKKKKKKKKKKKKKK

amor da vida do pwark: como seria por dó se eu gostava de você também seu meliante???

amor da vida do pwark: é que isso não foi planejado sabe, foi na sorte mesmo

sol irritante: mas você beijou alguém que também gostava de você então pra que a preocupação

sol irritante: que sonho isso né

canadense fedido: o que quer dizer com isso?

sol irritante: nada amorzinho da minha vida obra divina e soberana dos deuses celestiais imaculados.

jisung: fingido KKKKKKKKKK então né gente aí


Eles se beijaram depois disso a noite toda. Claro, Jisung fez questão de fazer tudo que queria fazer. Beijou a bochecha do garoto, as mãos, o pescoço, a clavícula. Pois é, estava passando tanta vontade que foi isso que fez. Para ser sincero, desconfiou que fosse um sonho porque já chegou a sonhar com isso antes. Até leu alguns artigos sobre as teorias Freudianas acerca de sonhos, porque teve curiosidade para saber o motivo de Chenle ser um protagonista constante em seus sonhos.


poço de ódio: namore alguém que estude freud por vocês

nanabanana: eu ia falar namora alguém que sonha com você..... mas meu namorado é muito mais intelectual do que carinhoso

tio dos gatos: gente como assim não entendi vocês dois

sol irritante: JENOKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK os norenmin eles-

canadense fedido: eu de jeno galerão

tio dos gatos: sai maluco todo dia isso se fude

amor da vida do pwark: não dá pra contar histórias aqui porque vocês não param de interromper!!!!!

poço de ódio: chenle entenda nós somos leitores que precisam interagir com a história, entenda...

jisung: taoquei, vou continuar


Depois daquela noite, eles se tornaram inseparáveis. Iam em todos os lugares juntos, sempre faziam suas tarefas em conjunto e ainda viviam dormindo um na casa do outro. Jisung apresentou Chenle para sua família inteira, sempre fazendo questão de dizer que ele era seu NAMORADO. Porém, Chenle não parecia estar na mesma tecla que ele.

O chinês não quis lhe levar até sua casa e nem o apresentar para seus pais, por dizer que talvez não fosse uma boa ideia. Claramente, isso foi o cumulo para Jisung, que se sentiu como se estivesse sendo usado. Amava Chenle, mas ele parecia estar com ele apenas para ficar e se divertir. Aquilo o deixava esgotado.


amor da vida do pwark: PERAI JISUNG, NÃO FOI BEM ASSIM

amor da vida do pwark: você está me difamando, eu vou te processar

jisung: não foi assim não? você disse que não queria porque talvez eles não gostassem e mim

amor da vida do pwark: O QUÊ???? eu não disse isso gente mentira

amor da vida do pwark: você tá contando tudo errado, minha vez agora


Para falar a verdade, Chenle não estava sendo vacilão. Ele não estava enganando Jisung ou algo do tipo. O grande problema era que ele tinha uma família muito conservadora e embora seus pais tivessem mudado um pouco nos últimos anos e também não agissem como o restante dos parentes, o garoto não podia evitar sentir um pouco de medo. E se eles o mandassem de volta para a China? Ficaria sem seus amigos e sem Jisung, que tinha virado alguém primordial em sua vida.

Ademais, ele era inseguro, muito inseguro. Podia não parecer, mas sempre que fazia alguma coisa, pensava nisso por muito tempo depois. Gostava muito de Jisung, desde que eram crianças, não podia se arriscar perdê-lo dessa maneira. Ficaria chateado eternamente, porque o amava com todo seu coração.

Não sabia dizer se Park Jisung era seu primeiro amor, porém, tinha certeza que era seu amor preferido. O melhor que já tivera.


jisung: CHENLE :(

jisung: eu te amo meu deus você é a melhor coisa da minha vida

jisung: por favor namora comigo eu nunca te pedi nada

amor da vida do pwark: a gente já namora besta

amor da vida do pwark: eu te amo muito menino gigantesco que parece uma porta :(

nanabanana: muita doçura não posso com isso sou alérgico

poço de ódio: parem de ser fofos eu sou emo

sol irritante: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA MEU CHENSUNG

canadense fedido: gente o donghyuck desmaiou parabéns vocês quebraram meu namorado

canadense fedido: DONGHYUCK ACORDA

sol irritante: tô bem só surtei um pouco só

sol irritante: tem mais histórias??? eu quero mais chensung

jisung: acho que acabei. lele?

amor da vida do pwark: sinceramente, depois disso quero só abraçar o jisung e ver um filminho

amor da vida do pwark: beijo a todos

sol irritante: como assim acabou????????

nanabanana: também não gostei, queria mais

jisung: no próximo capítulo talvez

tio dos gatos: como assim próximo capítulo????

amor da vida do pwark: :)))


Notas Finais


queria dar os créditos pra @itstaeiltime por ter me ajudado a criar o enredo desse capítulo. espero que tenham gostado pq eu amei escrever ????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...