1. Spirit Fanfics >
  2. Rebel >
  3. 1 - Opportunity

História Rebel - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada a quem favoritou e espero que continuem acompanhando ;) ainda tem muita coisa pela frente.

PS: Eu mudei a forma que apresento as falas. Acho que assim fica melhor.. (Ja fiz a mudança no prólogo tbm)

Capítulo 2 - 1 - Opportunity


 Já havia passado três semanas de aula, e agora a turma iniciava a última semana do mês: uma segunda-feira ensolarada.


Lucy tirou dois minutos para observar o clima do lado de fora da janela da sala, que encontrava-se em seu lado esquerdo. Era um ótimo dia para passear, andar de bicicleta e, quem sabe, tomar um sorvete.


Enquanto divagava sobre o que fazer depois que as aulas do dia terminassem, sua amiga do cabelo azul -que havia pego uma cadeira qualquer e sentado ao seu lado- fazia uma trança em uma mecha de seu cabelo.


Aquela turma não tinha nada para fazer enquanto esperavam a professora chegar. E, apesar dos boatos sobre ela ter faltado já rolarem pela sala, a mulher estava apenas atrasada. Os alunos estavam aproveitando seus minutos de descanso de diversas formas, sendo "conversar" a mais comum. Apenas poucos que aproveitaram o tempo para sair da sala ou fazer algo diferente, como por exemplo mexer no celular e ouvir música.


Natsu, sentado em cima de uma das mesas do fundo, discutia sobre a mais recente vitória de seu time favorito de basquete junto a três garotos, sendo um deles Jellal. Kinana conversava alegremente com Laki, que lhe contava sobre os dois gatos que tinha adotado. A dona do cabelo roxo adorava os animais felinos e estava louca para conhecer os da amiga.


Já Lucy decidiu compartilhar seus planos para o dia de hoje com Levy, visto que ambas ficaram sem assunto. Ela tocava na trança que a outra havia feito enquanto falava.


Aquele mês estava sendo tranquilo, nenhuma novidade ou alguma fofoca que Lucy pudesse comentar com as amigas. E ela sempre estava a par das fofocas do colégio, até porquê ela conhecia muita gente. Sua personalidade simpática e amigável a ajudava com isso.


A atmosfera estava agradável, talvez um pouco barulhenta, mas as garotas não ligavam. A conversa voltou a fluir assim que Lucy começou um novo assunto, porém não durou muito. A professora entrava na sala com uma certa pressa, já pedindo desculpas pelo atraso.


Levy voltou para seu lugar na fileira ao lado de Lucy e o restante dos alunos fizeram o mesmo, cada um no lugar que havia escolhido no começo da aula.


A mulher de idade avançada deixou a bolsa, junto aos papéis que segurava, em cima da mesa, cumprimentando quem estava ali. Foi então, fechando a porta da sala enquanto explicava que ficou presa em uma conversa com a diretora referente a melhorias que poderiam ser feitas no colégio. Os alunos não se importaram muito, pois era raro aquele atraso acontecer.


E assim, mais uma aula começou naquele dia, sendo essa a de história. Seguindo um roteiro comum, a professora explicou a matéria, escrevendo as palavras-chave na lousa e fazendo algumas perguntas aos alunos.


Logo que terminou a explicação, a mulher mais velha sentou-se na mesa para organizar os próprios papéis e olhar a lista de chamada enquanto deixava os alunos fazer o que bem entendesse. Entretanto, isso não durou muito tempo, já que ela tinha assuntos a tratar com a classe.


Quando já estava tudo organizado em sua mesa, a mulher que tinha os fios de cabelo negros amarrados em um coque levantou e começou a escrever novamente no quadro negro. Os estudantes presentes até então não deram atenção nenhuma, apenas um ou outro se perguntava o porquê dela estar escrevendo aquilo.


— Bem, turma. Eu escrevi na lousa os períodos da história Japonesa que vocês já aprenderam e, como estamos no início da história do Japão na atualidade, eu decidi que o primeiro trabalho desse ano vai ser em torno dos períodos que já foram discutidos em anos anteriores. – A mulher explicava em frente a uma turma que agora prestava bastante atenção no que era passado. – O trabalho será em dupla e eu darei, contando com essa semana, três semanas como prazo.


Observou seus alunos comentarem quase que todos de uma vez, e tentou ignorar a voz alta do garoto de cabelo rosa no fundo que perguntava porque ela não podia deixar eles descansando e falava ao sobre eles acabarem de voltar de férias. Respondeu as perguntas que considerou sérias e continuou sua explicação escrevendo uma data num canto livre da lousa.


— Eu vou deixar que vocês escolham suas duplas e o tema que acharem melhor, mas nesse dia – Ela apontou para a data que havia acabado de escrever. — eu quero o trabalho manuscrito na minha mesa. – Fez uma pequena pausa, sabendo que iria ter algumas reclamações sobre sua próxima frase. — E a apresentação de cada dupla vai começar.


Assim que terminou de falar, voltou a olhar seus papéis, separando a lista de chamada junto a uma folha que usaria para se organizar com o trabalho que havia criado.


Os estudantes conversavam entre si para conseguir um par e um tema para o próprio trabalho.


Lucy rapidamente se juntou com Levy, já que elas costumavam fazer os trabalhos juntas nos anos anteriores. Agora ambas discutiam sobre o melhor tema para o trabalho. Lucy queria o período Showa, pois era o que mais se lembrava. Porém Levy queria o período Kamakura, porque foi aí que surgiu as classes de samurai e fala bastante sobre budismo.


Enquanto isso, Kinana e Laki já haviam escolhido seu tema. Assim como Natsu e Max, um dos garotos com quem conversava anteriormente. Sua primeira escolha como parceiro tinha sido Jellal, já que eram bastante amigos, entretanto ele lhe revelou que já tinha um par. O menor apenas aceitou.


As duplas iam sentando juntas e conversando enquanto esperavam a professora voltar a falar.


— Bom, acho que já dei tempo suficiente, certo? – Levantou-se da mesa, segurando numa mão uma prancheta que continha dois papéis e na outra mão uma caneta. — Vou começar com o primeiro período. Quem quiser esse tema, apenas levante a mão e diga os nomes.


Laki fez o que foi dito. Aparentemente, ela e Kinana foram as únicas a se interessarem por esse período.


Assim a mais velha foi anotando em uma folha os nomes embaixo de cada período que já estava escrito ali. Aproveitava também para anotar na lista de chamada quem estava presente.


Um por um, os pares formados davam sua resposta para a professora. Lucy e Levy se apressaram para decidir o tema, antes que alguma outra dupla escolhesse o que elas queriam. Lucy se deu por vencida seguido de uma comemoração da amiga, aceitando fazer o trabalho sobre o Período Kamakura.


Ao chegar no próximo tema depois da professora anotar o nome de Levy e sua amiga, Jellal levantou a mão, sendo seguido por olhares curiosos já que não havia ninguém sentado ao lado dele e o mesmo já tinha dispensado fazer dupla com alguns que estavam ali, inclusive Natsu.


E o garoto de cabelo azul sabia que o amigo iria fazer graça depois sobre quem o capitão havia escolhido como dupla, assim como sabia que Natsu faria os outros membros do time participarem das gracinhas.


Ao ser perguntado sobre o nome da dupla, ele respondeu:


— Jellal Fernandes e Erza Scarlet.


Levy rapidamente olhou para a amiga loira demonstrando surpresa, logo indagando baixinho: "Por que ele escolheu a Erza?"


A dona dos fios azuis não conseguiu deixar de sentir uma leve inveja da amiga.


Lucy respondeu que não sabia no mesmo tom usado pela amiga. Era engraçado, não podia negar. Ela queria saber como a amiga, que nesse dia havia faltado, ficaria ao saber. E, só de imaginar a reação dela, Lucy já se divertia.


Mas ao mesmo tempo em que achava interessante a situação, ela se perguntava o motivo de Jellal escolher a ruiva sendo que ela nem estava na sala e ele podia fazer par com qualquer um dali. E não era só isso, também tinha o fato de que até ele sabia que a garota de cabelo vermelho não gostava dele.


Lucy já tinha visto por vezes o garoto tentar se aproximar da amiga e falhar, porém isso não acontecia com frequência. Não era como se ele demonstrasse interesse em Erza. Quando a loira conversou com ele sobre o assunto, tinha ficado claro para ela que ele apenas tentava ser gentil e conversar com a Scarlet igual conversava com todo mundo.


E então agora, do nada, ele decidiu fazer um trabalho junto com a ruiva. Era bem estranho.


O que será que ele estava tramando?


— Erza Scarlet.. – A mulher que estava em pé sussurrou ao escrever o nome na folha. Depois procurou com os olhos a dona do cabelo vermelho pela sala. — E onde ela está?


Recebeu a resposta de Jellal, que agora anotava informações sobre o trabalho no caderno para não esquecer. Então apenas marcou em sua folha que a aluna havia faltado e voltou a perguntar para os estudantes quem iria ficar com o próximo período.


Assim que acabou, o que foi mais rápido do que ela tinha pensado que seria, olhou a lista de chamada.


— Certo. Então, Erza, Gajeel e Erik faltaram hoje.. – Como ninguém se manifestou, a mulher voltou a olhar os alunos e continuou a falar. — Alguém ficou sem dupla?


Uma garota de aparência infantil, com o cabelo divido em duas tranças, uma em cada lado do ombro, levantou a mão. Seus olhos azuis encaravam a professora, tentando ignorar quem é que quisesse olhar para ela.


— Bethany Vanderwood. – Escreveu algo em sua folha. — você, Gajeel e Erik formarão um grupo, já que foram os que sobraram. E o tema de vocês será o único que restou, tudo bem?


A garotinha com sardas no rosto assentiu e a professora foi explicando as condições do trabalho e o que ela esperava dele. Assim que todos anotaram seus temas, ela apagou a lousa, colocando ali os requisitos do que havia acabado de solicitar e o que iria ser avaliado, para que todos entendessem.


Enquanto isso, os alunos apenas anotavam para lembrar depois.


>>> >>>


— O que eu perdi? – Ultear falou enquanto sentava na mesa ao lado de Jellal e em frente a Meredy, uma menina de feições delicadas e de um cabelo volumoso na cor rosa.


— Você nem sabe quem o Jellal colocou como dupla no trabalho dele.. – A rosada comentou rindo, enquanto o garoto deu apenas um sorriso de lado pegando o lanche para comer.


Como esperado, Natsu começou com as brincadeiras assim que chegaram na cantina se juntando aos outros membros do time e outros alunos, como Meredy que normalmente sentava ali com eles e Ultear.


A morena olhava a amiga com atenção, esperando a resposta que logo veio. 


— Erza? – Repetiu o nome que ouviu e arqueou uma sobrancelha, encarando o amigo. A garota de cabelo rosa apenas ria divertida. – Mas ela te odeia.


— Não é pra tanto, né.. – O garoto comentou, pegando o suco do amigo de time loiro que estava sentado em seu outro lado. Esse não deu atenção pois estava entretido na conversa com os outro colegas de time. Graças aos céus eles se distrairam com outro assunto. Já estava começando a ficar chato, na opinião de Jellal. — E deixa eu te lembrar que ela também não é bem sua fã.


— Meu caro, se tivesse uma lista de pessoas que ela odeia nessa escola, nois dois estaríamos no topo. – Ultear já havia se conformado com a raiva de Erza por si. É claro que não podia e nem culpava ela, porém já havia se arrependido e se desculpado e ainda era ignorada pela ruiva. Isso pelo menos era algo com que ela conseguia lidar.


Sua frase foi confirmada pela amiga e o garoto de cabelo azul apenas bebeu o suco do colega, depois colocou no lugar onde havia pegado. Duvidava que o amigo iria perceber.


— E você ainda não disse por que quis fazer par com ela, Jellal. – A rosada de olhos claros apoiou o cotovelo na mesa e o rosto em cima da mão.


— Será que o nosso amiguinho aqui tá apaixonado pela briguenta da escola? — Ultear apertou uma das bochechas do amigo, rindo em seguida da careta que ele fez. Ela sabia que ele não gostava daquilo e fazia exatamente quando sentia vontade de irritar ele um pouco.


A garota de olhos claros riu baixo e comentou: — A aurea assassina dela encantou ele.


— Nada a ver. – O menino revirou os olhos.


Depois de aguentar os garotos o zoando com essa dele estar apaixonado pela Erza, agora tinha também que aguentar elas? Haja paciência.


Mas estava sendo sincero em dizer que não era apaixonado pela ruiva. E porque seria? Se nem uma conversa decente ele havia conseguido com ela. Agora se ele sentia atração por ela era outra história, algo que ele preferia não pensar a respeito. Contudo, não podia negar a beleza da Scarlet.


— Foi apenas um jeito que encontrei pra falar com ela. Ela vive me ignorando.. Assim vai ter que falar comigo de qualquer jeito. – Ele deu de ombros.


— E por que você quer tanto falar com ela? — Perguntou Ultear enquanto começava a comer seu lanche.


— É o amor.. – Foi a vez da outra garota implicar.


— Ah, droga, não dá pra falar sério com vocês.. – Jellal se deu por vencido enquanto as duas apenas riam. O menino suspirou. — Eu só quero saber o porquê dela não gostar de mim.


E isso não era mentira. Já havia até conversado com Lucy, mas a resposta não tinha convencido ele. A garota havia dito que era implicância da de cabelo escarlate, já que quase todos da escola gostavam dele. Ele conhecia bem a fama que tinha na escola, algo que não era intencional, entretanto não achava que era motivo o suficiente para alguém o evitar igual a amiga da loira.


Então Jellal pensava que tinha que ter mais algum motivo e ele tinha até uma pequena ideia do que poderia ser.


 E esse era outro assunto que queria tratar com Erza.


Notas Finais


PS²: As informações que coloquei não são importantes para essa história, por isso que fiz uma rápida pesquisa e não me aprofundei muito sobre o assunto, então se tiver algo errado, peço perdão.

Fique a vontade para comentar o que achou ou para dar alguma dica. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...