1. Spirit Fanfics >
  2. Rebel Heart >
  3. Survival

História Rebel Heart - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, amores!!!

Quem me conhece sabe da minha paixão pela Madonna! Ela tem 37 anos de carreira e sou cadela há 35 anos, uma vida inteira fã da Rainha!

Faz algum tempo que tenho vontade de escrever alguma coisa que tivesse ligação com Madonna. Houve uma Onshot "Strike a Pose" e agora a Oneshot "Super Trouper" que, apesar de ter uma música do ABBA, leva o conteúdo dessa fic que começo hoje. Personagens e situações foram um ensaio para que Rebel Heart saísse hoje.

Acredito que seja o texto mais diferente que tenha feito até agora. Tenho 17 trabalhos postados e esse poderá ser o melhor de todos, foi gerado com MUITO amor, tanto por ser SQ e mais ainda por ser Madonna!

Agradeço a todas as leitoras que me seguem, curtem as histórias e vão topar me seguir em mais essa! A vocês que chegam agora, saibam que estão entrando em mundo completamente maluco, mas feito com bastante carinho!

Yasmin por ser tão cadela da Madonna quanto eu! Fernanda Lima, que ouviu todos os meus surtos sobre Rebel Heart, querida! Você é a minha consultora oficial! hahaha

Grupinhos do Whats: Canibalia, Vitrine, e Autores e Leitores SQ, nos vemos por aqui e por lá! Obrigada pela força!


Agora vamos deixar de muita conversa, como já viram o Teaser e viram as últimas postagens no Twitter, já têm uma noção de quem são Regina e Emma nessa fic.
1 - Vou fazer o impossível para manter uma agenda semanal com essa fic, capítulos todas as sextas a partir das 18h
2 - Cada capítulo leva uma música da Madonna no nome, eu deixo o link nas Notas Finais. É importante ouvir a música para compreender o clima e algumas vezes até o contexto do capítulo. Logo mais deixo o link da Playlist do Spotify

A partir desse capítulo vamos entrar mais afundo no universo delas e descobrir como essa biografia vai ser escrita a 4 mãos!

Boa leitura!!!

Capítulo 1 - Survival


9425 Sunset Boulevard, Beverly Hills CA

 

Vestido de Emma Swan no Oscar 2018 ganha elogios: "Melhor figurino"

Emma Swan usou vestido Armani Privé na 90ª edição do Oscar, realizado em Hollywood, Califórrnia, neste domingo, 4 de março de 2018.

Referência de estilo e glamour nas premiações internacionais, Emma Swan voltou a brilhar ao desfilar no tapete vermelho da 90ª edição do Oscar, a atriz usou vestido prateado Armani Privé com corte tendência apontada pela grife na Semana de Moda em Paris. Embaixadora da marca Omega desde 2005, ela escolheu um relógio vintage, de 1953, para a ocasião. "Vamos nos divertir um pouco esta noite", declarou a artista nos bastidores, enquanto ainda preparava o look, cabelo e maquiagem.

 

Internautas elogiam o look de Emma Swan.

Nas redes sociais, a produção escolhida pela artista foi um dos mais elogiados e comentados após premiação. No Twitter, os internautas não pouparam elogios à ela. "Emma está ensinando o que é um vestido de Oscar", declarou um. "O vestido da Emma Swan é perfeito! Tive que vir comentar. Já pode dar o Oscar de melhor figurino pra esse vestido", disse outro. "Emma Swan é a mulher mais plena. Parece uma boneca de porcelana", exaltou mais um.

 

Uma xícara de chá de maçã sobre a mesa fumegava ao lado do jornal. Havia alguns impressos, matérias de sites também impressas, um clipping que sua equipe preparava ainda de manhã e sempre após eventos importantes como aquele. O notebook ao lado com várias abas abertas nas suas redes sociais deixando expostos mais comentários e elogios à sua aparição na noite passada.

Olhar perdido na matéria e atenção à fotografia que a acompanhava. Estava mesmo em uma das suas melhores noites. Outros jornais como aquele estavam ali com mais fotos e elogios à sua aparição na Cerimônia mais esperada do cinema. Naquele ano não concorreu, mas apresentou a categoria de Melhor Roteiro Original. O vencedor ela não conhecia muito bem, mas o seu filme era realmente muito bom.

Havia uma nota no site eonline que trazia outra notícia dela que lhe causou riso ao se lembrar.

 

Emma Swan surpreendeu alguns fãs antes da festa do Oscar 2018, que aconteceu na noite deste domingo (4). A atriz foi responsável pela entrega da estatueta para o vencedor de Melhor Roteiro Original, levada por "Corra!" (Jordan Peele).

Mas horas antes do evento, Swan parou ao lado de um veículo que transportava algumas mulheres, abriu o vidro e perguntou: “O que vocês estão fazendo nesse ônibus?”.

Surpresas com o momento pertinho da atriz, as mulheres começaram a filmar a surpresa inusitada. Uma delas gritou que a atriz estava linda.

“Eu ainda não arrumei meu cabelo e maquiagem, portanto...”, respondeu Emma. Em seguida, a atriz acenou e mandou beijos para as fãs e ainda desejou um ótimo dia.

 

Um homem entrou na ante-sala do seu quarto percebendo seu riso.

- Feliz com a repercussão?

- Muito, Baron! - disse sorrindo enquanto ele a abraçava por trás da cadeira dando-lhe um beijo no rosto. Ela pegou a notícia do ônibus e mostrou a ele - Principalmente por momentos assim!

Ele olhou o impresso e franziu o cenho para logo depois sorrir novamente.

- Você é bem louca quando quer, Swan! - sentou-se à mesa, serviu-se do chá e pegou um croissant.

- E que graça tem a vida sem a loucura?!... - conferia a timeline de seu Twitter - Aquelas mulheres ficaram bem surpresas quando me viram na janela acenando como uma desvairada.

- Não é todo dia que uma atriz de Hollywood aparece na janela do seu ônibus querendo saber onde você vai!

Os dois riram e Emma divertia-se lembrando-se dos rostos assustados. Ela tomou um gole do chá e pegou outro jornal. Mais uma matéria fazendo menção ao seu figurino para a Cerimônia, porém com um adicional: queriam saber quando ela lançaria outro álbum.

- Viu o que o Times disse? - vendo que Samdi estava ocupado com o croissant ela continuou - Talvez seja mesmo hora de entrar em um estúdio... - murmurou enquanto lia.

- Já tem algo na cabeça?

- Algumas coisas que fui juntando nesse tempo de contrato com a Warner.

- Ainda tem mais um filme para concluir desse contrato. - lembrou o empresário.

- Sim, eu sei, mas podemos fazer um planejamento que cumpra toda a agenda!

Baron apanhou o tablet e conferiu algo antes de voltar a falar com Emma.

- Essa semana você tem gravação com Jimmy Fallon e um ensaio para a Vogue. - informou ele - Semana que vem podemos fazer isso, terá uma folga antes de se encontrar com a direção da Warner.

- Já? - exclamou Emma bufado em desânimo - Bom... Estamos em março o lançamento do filme está chegando.

- No próximo mês começamos as divulgações, mas o lançamento é em novembro, querida, então, não vamos nos preocupar com isso agora... - ele recostou-se na cadeira e olhou para Emma de maneira curiosa - Emma, ano que vem você completa vinte anos de carreira.

- Sim... - ela respondeu displicentemente enquanto curtia alguns comentários no Instagram - ... E o que tem isso?

- É um bom momento para estar com um combo nas mãos.

- Como assim, Baron? - deixou o tablet e olhou para ele diretamente - Você quer dizer... Filme... Álbum...

- E uma turnê... - ele riu ao perceber os olhos de Emma brilhando mais enquanto ela tentava ignorar a empolgação.

- Não, Baron, é muito exaustivo! - de repente irritou-se com o riso do empresário - Pare com isso! Eu não estou pensando nisso... - ele baixou os olhos negando com a cabeça.

- Emma, eu conheço você! Enquanto eu dizia turnê você pensou em todos os blocos e figurinos, toda estrutura montada...

- Não! - gritou jogando o guardanapo nele. Ela riu, tinha que admitir, ele a conhecia bem - ... Está certo, quem sabe seja mesmo uma boa ideia comemorar vinte anos de carreira com trabalho triplicado! - ironizou.

- Pense bem nisso, querida! - segurou uma das mãos da loira - Os fãs e a mídia estão cobrando sua presença na música, os filmes estão se saindo bem nas bilheterias e com a turnê podemos produzir um documentário... Álbum novo, filme estreando, turnê na estrada e, quem sabe, até pensar numa biografia, o que acha?!

Emma ergueu as sobrancelhas arregalando os olhos. Por essa ela não esperava. Samdi tinha algumas ideias bem inusitadas, mas escrever sobre a vida dela era algo que nunca considerou, de fato, agradável para si.

- Não sei se seria interessante... - o tom de Emma era de receio - ... Uma ou duas vezes me perguntaram sobre isso e consegui me sair bem afastando essa ideia.

- Mas naquelas ocasiões não teríamos controle sob o autor. - argumentou ele - Esse combo para a comemoração incluiria uma biografia sua assinada por alguém contratado por nós.

Emma tamborilou os dedos na mesa, estava pensativa. Olhou para Samdi demoradamente. Avaliou quais seriam as implicações de se ter um autor dentro da sua vida anotando tudo e perguntando tudo sobre ela, acontecimentos presentes, perspectivas de futuro e, o mais complicado, coisas sobre o seu passado.

- Não sei, Baron... - sorriu timidamente - O que eu diria na minha biografia?

- O que tiver vontade! - tentou empolgá-la.

- Emma Swan, a menina que saiu de Boston para cantar na noite de Nova Iorque, conseguiu seus quinze minutos de fama e fim! - brincou fazendo Samdi rir - ... Minha história é de sobrevivência, Baron, será que as pessoas se interessariam em saber de onde vim e como cheguei aqui?

- Você tem dúvidas disso? Eu não tenho. - inclinou-se na direção dela - Emma, entenda que histórias de sobrevivência e superação vendem muito, querida!

- Eu nunca fui um anjo ou uma santa para mostrar alguma coisa de estimulante para as pessoas, Baron... Madonna tem as suas biografias com as partes legais, mas o irmão escreveu horrores sobre a personalidade dela.

- Você é filha única, Swan! - argumentou causando mais irritação na loira.

- Pare, Baron! - exclamou repreendendo as gracinhas do homem - As pessoas esperam que haja algum risco, que as glórias sejam exaltadas e penso que tudo na minha vida foi só... - hesitou e em seguida murmurou pensativa - ... Só permanecer viva.

- Ah, Emma...  - insistiu o empresário - Percebe o que está dizendo? Está na hora de escrever sobre sua história, sim! Se você tem noção de que passou todos esses anos sobrevivendo a dois mundos tão crueis, música e cinema, então precisa contar isso às pessoas!

Ela voltou a calar-se e mais uma vez baixou os olhos detendo-se em todos os jornais, recortes e impressos à sua frente. Samdi também percebeu o desconforto nela por contar sua trajetória nesse universo, como ele mesmo disse, cruel. Entendia e conhecia muito bem Emma Swan. A loira era bem segura de si, administrava suas duas carreiras com habilidade, mas ainda havia nela uma menina medrosa que poderia fechar-se dentro de um castelo imaginário onde jamais alguém se aproximaria.

- Posso pensar mais à respeito? - perguntou ela depois de um tempo em silêncio.

- Claro, Emma. Foi só uma ideia e podemos trabalhar todo o resto assim que você estiver pronta. - ele se levantou rapidamente e deixou um beijo na testa de Emma - Eu preciso conferir algumas coisas com a produção do Jimmy e mais tarde passo por aqui para ver você!

Samdi se foi, mas deixou Emma pensando sobre a tal biografia.

A vontade de voltar a gravar já era algo que crescia dentro dela, compôs algumas coisas enquanto fazia outros trabalhos para o cinema, mas nada do que pudesse tirar proveito real, ainda precisavam ser lapidadas com mais atenção. Houve um dos filmes que quase levou sua assinatura na trilha sonora, mas de última hora o estúdio preferiu usar suas composições em trabalhos futuros.

Emma gostava de atuar, mesmo que sua carreira como atriz tenha começado por causa da música. Agora, depois de vinte anos, oito álbuns de estúdio lançados, alguns Grammy's e hits na lista da Billboard, seu desejo por mais um trabalho inédito era recorrente. Quem sabe um Greatest Hits como quase todos faziam, um apanhado das suas melhores canções para comemorar o aniversário de carreira.

O empresário sabia como seduzi-la quando o assunto era trabalho e por isso mesmo era o melhor estando à frente de suas principais decisões, contratos e aparições. A paixão de Emma por se apresentar em shows era algo que ela mesmo não saberia como explicar. Gostava de estar no palco com o calor da plateia, os gritos de fãs e a música correndo pelas suas veias. Desde o início seu estilo não mostrou-se igual a maioria das cantoras de música pop, ela sentia-se mais confortável sem coreografias ou tocando instrumentos, apesar de dominar violão e piano muito bem. Gostava de usá-los em casa ou em estúdio para compor ou distrair-se quando a agenda não estava tão cheia.

Porém, ela não esperava que seria sondada por uma biografia.

Em todos esse anos, Emma sempre foi discreta com relação à sua vida particular, chegou a sofrer críticas por criar um personagem para manter-se invulnerável, mas nada a fez ceder a esse traço do seu perfil. Nem mesmo Samdi, o homem que tinha o controle, saberia dizer o que era real em Emma Swan quando ela não estava sob as luzes dos holofotes.

Durante um tempo ela permaneceu ali na mesa do café pensando nessa possibilidade de compartilhar o percurso de toda a sua carreira em forma de livro. Certamente era algo que os fãs gostariam muito de ter em mãos. Lançamentos e sessões de autógrafos, divulgações e entrevistas para falar sobre o livro, tudo isso girava na cabeça de Emma enquanto ela terminava a sua xícara de chá que não fumegava mais tanto quanto sua mente naquele momento.

O processo de criação, na sua visão, seria o mais problemático e porquê não dizer, doloroso. Remexer no passado, lembrar-se de pessoas que já não estavam por perto, falar sobre assuntos que a desagradavam, mas que eram parte da sua vida. Realmente ela teria que pensar bastante sobre o quê isso poderia lhe trazer além de mais um artigo de coleção de sua legião de fãs em todo o mundo e uma avalanche de notícias bem vindas ou não tão palatáveis assim.

Gostava de marcar sua vida pública e tudo o que veio com ela como um misto de paraíso e inferno. Nada diferente de outros artistas, os obstáculos e a exposição podem ser crueis, mas Emma tinha os pés no chão e entendia seu lugar, o de uma estrela que se posicionava sem perder o foco no que era realmente importante para ela. Quando foi entrevistada por Oprah Winfrey deixou a apresentadora impressionada ao dizer que era uma resistente do sistema e que sempre viveria para contar suas lutas com seu trabalho.

- Oprah... - murmurou Emma ao se lembrar daquela entrevista, sem dúvida esta entrevista seria relatada na biografia por ser, talvez, a que mais repercutiu de todas as que concedeu. Revirou mais algumas páginas do clipping que estavam sobre a mesa e voltou a pegar aquela que tinha a notícia de sua "invasão" ao ônibus de turistas. Gostava da Emma espontânea e, quando possível, era assim que se comportava.

E continuava a pensar sobre sua biografia. Baron foi certeiro no momento de lançar essa ideia. Mas quem poderia escrever sobre ela? Alguém que não fosse tendencioso ou julgador. Definitivamente não poderia ser um homem. Emma riu.

Atentou-se para a copeira que entrou para retirar a mesa.

- A senhorita Lucas chegou. - informou a moça de uniforme azul claro.

- Obrigada, Ruth. Diga à ela que suba, por favor. - levantou-se dali e foi para seu closet.

Precisava de um longo banho com alguma essência relaxante. Abriu as torneiras da banheira e controlou a temperatura. Enquanto enchia, foi escolher a roupa que usaria. Nada formal, ficaria em casa o dia todo e apenas a secretária particular teria acesso a ela. Um conjunto de moleton bem confortável seria o suficiente para passar uma segunda-feira tranquila.

Enrolou os cabelos num coque mal feito e deteve-se em seu rosto pelo espelho.

Observou suas expressões, seu nariz, piscou algumas vezes e notou como suas pálpebras se comportavam com o movimento. Suspirou. Tocou as bochechas com os dedos, tateando a textura da pele. Vinte anos produzindo uma arte que a fazia feliz e longos anos de controle de suas expressões e posturas.

- Onde está a senhora melhor figurino do Oscar?!

- Entrando no banho! - gritou para que Ruby fosse até lá. Retirou o roupão que vestia e entrou na banheira. A secretária apareceu logo em seguida e puxou uma cadeira estofada que sempre ficava ao lado da banheira, quase como um ritual, as duas conferiam agenda e qualquer outro tipo de trabalho ali mesmo no banheiro de Emma.

- Vi o clipping na mesa, que bom que ao escritório enviou a tempo. Foi uma noite linda, Emma!

- Sim! - comemorou a loira jogando água no rosto, sentia o calor da água e era agradável. Fechou os olhos e suspirou.

- Folga hoje, não é?! - confirmou a mulher.

- Ahãm... - sussurrou tentando se concentrar na conversa.

Ruby levava nas mãos uma caderneta de anotações e a abriu apanhando a caneta presa às molas.

- Samdi disse que estaria com a produção do Jimmy Fallon. - conferiu algo na caderneta - Aproveitando sua folga, a fonoaudióloga vem hoje, tudo bem?

- Que ótimo! - olhou Ruby e sorriu - Se vou cantar de novo preciso me preparar! - brincou observando os olhos de Ruby brilharem.

- Isso é ótimo, Emma!... - comemorou a secretária - Já é fato ou só possibilidade?

- Baron esteve aqui mais cedo e conversamos um pouco sobre comemorar meus vinte anos de carreira...

- É verdade! - lembrou-se a secretária e anotou - Isso inclui...

- Um álbum novo, um filme que já tenho em contrato, talvez uma turnê... - enquanto falava, Ruby ia anotando até que Emma parou de falar e a secretária olhou para ela esperando por mais - Samdi pensou em lançar uma biografia.

- Uau! Isso é bem interessante!

- Você acha?! - indagou Emma notando a empolgação na voz de Ruby.

- Emma! Você é um mistério e seus fãs adorariam saber como foi sua vida antes de ser famosa, como você conseguiu se firmar na música...

- Ok, ok... - interrompeu - ... Eu sei que fãs gostam de saber da nossa vida, mas o que quis dizer com "você é um mistério"?

- Ué... - Ruby inclinou-se para trás sendo pega de surpresa com a pergunta - Você é uma celebridade que não está o tempo todo na mídia com coisas particulares e isso aguça a curiosidade das pessoas... Ontem mesmo, você esteve nas festas depois da cerimônia e não ficou nem uma hora nelas!

- O after-party do Elton estava chato... - revirou os olhos enquanto falava - Sério, eu gosto dele, mas tudo muito exagerado... Não pode dizer que fui rápida na Vanity Fair, a Gal estava lá e você sabe o que sinto por ela. - as duas gargalharam com o comentário de Emma, Ruby sabia que a loira tinha uma queda por Gal Gadot e sempre suspirava quando estava perto da atriz - ... Madonna disse que não me perdoaria se eu não fosse, então, ok! Eu gosto dela e não faria essa desfeita.

- É... Ela também gosta de você apesar da parceria que nunca saiu.

- Ruby! - exclamou Emma espirrando água na secretária - Ela dificultou as coisas... Quem sabe consiga fazer agora com essas comemorações que o Baron está planejando?!

- Quem fez a biografia oficial dela?! - Ruby tentou se lembrar e deteve-se em algum ponto do banheiro totalmente branco e ofuscante - Lucy O'Brien?! - perguntou a si mesma e Emma continuava seu banho sem pensar em sair dali, a água estava muito boa e seu corpo precisava relaxar - ... É... Acho que foi ela! Quem sabe o Baron entre em contato?

- Não sei se quero essa biografia, Ruby. Mas se decidir por fazer não vai ser a mesma escritora da bio da Madonna.

- Por que?!

- Porque não quero comparações! Não quero parâmetros! - sua voz irritadiça deixou Ruby um tanto intimidada e Emma percebeu que estava sendo grosseira - Ah, Ruby... - amenizou - Baron sabe que tem razão, eu sei que ele tem razão, mas não quero admitir... - parou de repente e baixou a voz - Eu não quero admitir que tenho medo disso.

- Não tenha. - Ruby sorriu carinhosamente - Quem sempre diz que é preciso respeito para conhecer você?!

Emma olhou demoradamente de um jeito sério e intrigante o que deixou Ruby mais intimidada, mas logo a loira abriu um sorriso.

- Há quanto tempo está comigo? Uns dezesseis anos?!

- Dezessete, Emma. Baron me contratou quando você filmava seu primeiro longa.

- Você me conhece, Ruby... Assim como Baron. - concluiu Emma - São as duas pessoas mais próximas que duraram tanto tempo!... - fechou os olhos e recostou-se mais relaxada na banheira - Preciso que faça algo sem que o Baron saiba... Pesquise possíveis autoras, não quero homens... E autoras que não sejam tão conhecidas.

- E se o Baron não gostar?!

- Ruby! Se eu concordar com tudo isso, você sabe quem vai fazer essa pesquisa, não é?! - a secretária riu, pois seria ela mesma, Emma apenas estava adiantando um trabalho que era mesmo seu.

- Ok, senhorita Swan! - brincou Ruby levantando-se com a caderneta nas mãos - Mais alguma coisa?!

- Não... - Emma quase gemeu aquele não, estava mesmo curtindo o momento na banheira - Eu termino aqui e já desço... Obrigada, querida!

Ruby deixou o quarto. Emma ainda passaria mais um bom tempo ali e sua cabeça, enfim, desligou-se de todas as informações que Baron despejou sobre ela. Depois daquela conversa com Ruby parecia que as coisas haviam clareado mais um pouco na sua mente.

Por hora, ela só queria seu banho tranquilo.

           

Ruby havia descido para o escritório. Ela tinha seu local de trabalho na mansão e controlava o escritório que cuidava da carreira de Emma. Dali a secretária tinha acesso a todo o tipo de informação que dizia respeito ao nome Emma Swan e administrava com rigor há 17 anos, como a própria Emma se lembrara minutos antes. Mesmo seguindo a hierarquia, as duas eram amigas e Emma sentia-se confortável na presença da moça. Além de terem a mesma idade, possuíam trajetórias familiares bem parecidas e isso contribuiu muito para a proximidade.

Junto com Baron Samdi eram as duas pessoas que protegiam Emma, tanto na carreira quanto na vida particular.

- Oi, Baron! - atendeu o celular enquanto acessava o computador à sua frente - Ela ainda não desceu, mas imagino que faça isso! - sorriu ouvindo as ordens do agente - Certo! - anotou algo na caderneta - De qualquer modo eu já dou andamento no que é prático e o técnico vemos depois que Emma idealizar tudo... Até mais. - desligou e continuou o trabalho. O agente já a deixou preparada para que organizasse tudo o que Emma pedisse quando terminasse o banho, ambos sabiam que a artista tinha seus rompantes criativos quando estimulada e Samdi havia deixado uma grande interrogação na cabeça dela com a comemoração dos 20 anos de carreira.

Acessou um site onde havia referências sobre autores e buscou pelos que eram mais experientes em biografias e, assim como Emma pediu, procurou por autoras que não fossem tão conhecidas.

Um trabalho nem tão difícil, o filtro de busca foi bem restrito e logo tinha em mãos 3 mulheres que tinham no currículo títulos bem aleatórios e pouca visibilidade. Alguém que pesquisava pessoas ligadas à política, outra autora havia publicado um apanhado de informações de artesãos polinésios. "Que exótico!" Ruby divertia-se com o que estava lendo, o terceiro nome era de uma autora que já havia publicado duas biografias que tiveram uma boa saída no mundo acadêmico sobre personalidades históricas: Cleópatra e Mata Hari. "Uau! Que disposição!" Eram livros corpulentos e havia até uma nota do Washington Post sobre a autora.

Organizou todas as informações importantes, o que também não foi tão difícil, deixou em uma pasta para que Emma avaliasse.

- Baron deu notícias?! - a loira entrou no escritório com uma expressão leve e parecia bem humorada.

- Sim! Disse que está tudo certo com o Jimmy e me pediu que fizesse alguns contatos para ele.

- Eu pensei muito durante o banho, Ruby... - começou Emma - Não será difícil selecionar as músicas para um álbum comemorativo e a playlist da turnê pode ser focada nisso... - não percebeu, mas a secretária tinha um pequeno riso no canto dos lábios ouvindo a chefe - ... Caso a turnê consiga sair a tempo, gostaria que fosse em agosto, sendo assim, nosso tempo é bem curto para seleção de músicos e bailarinos... - Ruby logo apanhou a caderneta e fez seu trabalho: anotar - ... Podemos pensar na equipe que trabalhou na nossa última turnê, o que acha?! - notou que Ruby ainda sorria enquanto anotava - Por que está rindo?!

- Gosto quando você relaxa no banho. - respondeu ainda anotando para depois olhar a loira - Álbum, turnê e... - entregou à ela a lista com as três autoras de biografias. Emma pegou aqueles papeis com a expressão assustada, não imaginaria que Ruby tivesse sido tão...

- Rápida! - exclamou observando o rosto curioso da amiga - ... Samdi também disse algo sobre isso? - mostrou os papeis e a moça não se aguentou caindo no riso.

- Emma, sabemos que você vai topar entrar nessa maratona de comemorações e eu, particularmente, acho incrível estar junto vendo você criar!

- Ok! Eu me rendo! - ergueu os braços - Não posso ir contra vocês, eu sou previsível para os dois... Eu sei!... - deteve-se nas informações sobre as autoras e ficou séria de repente.

- Ainda está duvidosa sobre isso?

- Não sei, Ruby... É estranho passar um tempo com alguém pesquisando sobre a sua vida e colhendo entrevistas, relatos, fotos, tudo para poder escrever sobre você... - respirou fundo - Bom... Mas eu também tenho que admitir que é uma ideia tentadora! - observou a primeira folha e gargalhou - Meu Deus!... Meu pai tinha esse livro! Ele sempre foi um entusiasta do partido Democrata e agora eu sei quem escreveu "Os dez últimos democratas - um paralelo entre presidentes democratas dos Estados unidos da América" - olhou Ruby e riu - Não! - descartou a primeira autora - Quem escreve sobre política acaba sendo tendencioso... - pegou a segunda folha e leu com atenção, Ruby prestava atenção no que fazia, mas sem tirar os olhos das reações de Emma - Ruby?! Quer mesmo uma pesquisadora de cultura polinésia faça a minha biografia?

- Emma, eu filtrei ao máximo com o que você me pediu! - justificou-se.

- Eu não sou a Moana, então... - descartou o papel - Não!... - Emma tratava aquilo com bom humor e isso deixava Ruby mais tranquila, não gostaria que a loira se sentisse obrigada a fazer aquilo. Quando Emma apanhou o último papel, a secretária viu os verdes dos olhos dela brilharem mais, porém, Emma continuou em silêncio lendo.

- E essa?! - quis saber a moça esperando alguma reação.

- Escrever sobre Cleópatra?! Essa mulher deve ser bem concentrada... - comentou para depois inclinar-se dando mais atenção ao que dizia a nota retirada do Washington Post - A imparcialidade sobre os relatos que se têm sobre a figura egípcia de Cleópatra é algo a ser considerado como excelência no universo acadêmico e qualquer bom historiador deveria ter esse exemplar na sua estante. - ao ler aquele pequeno trecho, Emma franziu o cenho e continuou em silêncio por um tempo.

- Eu tenho acesso a um organizador da Universidade de Yale com alguns nomes... - Ruby tentou dar outra opção à Emma, mas foi interrompida.

- Ligue para essa. - deixou o papel sobre a mesa e levantou-se de uma vez - Tem o contato?

- A referência tem um endereço de e-mail, posso tentar contato, mas também posso ligar para a universidade em que ela se formou.

- Faça isso, por favor e me dê retorno! - Emma foi saindo do escritório e a impressão que ficou em Ruby foi como se Emma quisesse se livrar logo de um problema e isso acabou por preocupá-la. Porém, a secretária não hesitou, acessou o e-mail.

- Ok, vamos lá... - começou a digitar a mensagem - Senhorita Mills... - foi digitando, imaginando como a mulher receberia aquela mensagem - ... Sou Ruby Lucas e faço parte do escritório Swan Company e entro em contato para propor um trabalho. Caso seja de seu interesse saber mais a respeito, informe se é possível nos encontrarmos para uma reunião na próxima sexta-feira às 14h em nosso escritório.

Ruby ainda informou seu telefone, contato por Whatsapp e o endereço do escritório. Ao final da mensagem ela ainda revisou e pensou novamente da forma que Emma agiu ao dar ordem para entrar em contato com a pesquisadora. Só esperava que a loira não mudasse de ideia no último minuto.


Notas Finais


Agora espero vocês me dizerem o que acharam desso começo!

Survival:
https://youtu.be/J01RXwPVs7A


Vejo vocês na semana que vem!
Bjo grande, obrigada e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...