História Rebel Heir - Bughead - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um porque eu estou de bom humor hoje. ♥️♥️

Capítulo 15 - CAPÍTULO 14


JUGHEAD

Betty parece que está irritada depois que paro o beijo.

Afastar-me foi uma das coisas mais difíceis que já tive que

fazer. Mas precisamos conversar. Sem mencionar, que não vou

transar com ela em meu escritório. E estamos perigosamente

perto desse cenário. Mais alguns segundos daquele beijo e não

tenho certeza se seria capaz de parar.

Ela está ofegante. “O que você precisa dizer?”

Meu pau ainda está duro como uma rocha, quando falo: “Se

você tivesse parado de falar por dois segundos antes, iria perceber

que está errada sobre o que pensou que eu ia dizer-lhe esta noite.”

Respiro fundo.

Continuo: “Não quero apenas foder...” corrijo a minha

língua, porque o que tenho a dizer é importante. “Não quero

apenas... dormir com você.” Deixo escapar um suspiro e empurro

o resto das palavras: “Acho que deveríamos... ver aonde as coisas

vão.”

O queixo dela cai. “Aonde você quer chegar?”

“Anteriormente, quando você entrou no meu escritório toda

arrumada, parecendo uma excêntrica Betty Boop, estava

pensando sobre essa coisa com a gente, tentando descobrir meus

sentimentos. Mas não há nada para descobrir, exceto que estou  em negação. Não posso prometer nada, Betty. Não posso prometer

que não vou foder isso regiamente. Mas... quero tentar.”

Seus olhos arregalam em surpresa genuína. “Você quer

mais do que apenas uma foda ocasional comigo?”

Balanço a cabeça. “Sim.” Ando, envolvo minhas mãos em

torno do seu rosto e esfrego um pouco do batom da sua boca. “E

você não precisa de toda essa merda em seu rosto. Você é tão

bonita sem ela. Da próxima vez que fizer isso, vou beijar tudo fora

de você.”

“Isso é um desafio?” Um rubor sobe em seu rosto. “Então o

que fazemos agora? Para onde vamos daqui?”

O conceito de namoro é tão estranho para mim. Não consigo

me lembrar da última vez que levei uma mulher para um encontro

formal. Quanto mais lentamente levar as coisas com Betty, menor a

chance que tenho de estragar as coisas. Isso significa evitar ficar

sozinho com ela por um tempo.

“Você está de folga amanhã à noite, certo?” Pergunto.

“Sim.”

“Vou buscá-la.”

Ela sorri. “Você está me levando para um encontro?”

Meu coração começa a palpitar com o pensamento. “Olha...

realmente não sei o que estou fazendo quando se trata de namoro.

Não tenho um encontro de verdade há muito tempo. Mas sim, vou

buscá-la. Levá-la para sair.”

“Pegar-me. Levar-me para sair. Isso parece muito com um

encontro para mim,” brinca.

Reviro os olhos, depois sorrio em concessão. “Tudo bem,

dane-se. É um encontro.”

                                 -----------------

O que há de errado comigo esta noite?

Indeciso como o inferno, tiro a terceira camisa que visto em

cinco minutos e jogo-a no canto do meu quarto. Você pensaria que

nunca saí com uma mulher antes.

Não estou acostumado a me vestir elegantemente, também,

finalmente decido por uma camisa carvão e jeans escuros.

A verdade é que, a camisa certa não vai me proteger do meu

comportamento autodestrutivo esta noite. Sei muito bem que não

tenho controle sobre minha reação física a Betty. Sim, quero

conhecê-la ainda melhor. Sim, quero sair com ela. Mas quero

transar com ela mais do que minha próxima respiração e temo

que no minuto em que começar a tocá-la novamente hoje à noite,

essa necessidade irá superar tudo. Vou perdê-la. Só sei disso.

Fiz uma reserva para nós em um restaurante de frutos do

mar elegante cerca de meia hora de distância. Imagino que quanto

mais tempo no carro, melhor. Isso é mais tempo no carro onde

não poderei me meter em problemas na primeira noite de

“namoro”.

O sol está começando a se por quando chego à casa de

verão.

Toco a campainha, limpo o suor da minha testa enquanto

espero que ela atenda. O fato de que ela ainda não sabe que sou

o dono da maldita casa, me faz rir comigo mesmo.

Betty abre, parece boa o suficiente para comer aqui mesmo,

o que só confirma como fodido estou. Ela está usando um vestido

amarelo, decotado, longo e florido. Apesar de sexy, não se parece

com uma vadia. Seu cabelo está solto em ondas. Uma tiara

brilhante no alto da cabeça. Isso me lembra de algo que Cleópatra teria usado. Betty é naturalmente exótica e bonita, então estou feliz

que ela me ouviu e deixou a maquiagem no mínimo. Ela não

precisa disso.

“Você está bonita.” Sorrio.

“Você também,” diz.

Sem saber o que diabos fazer com elas, coloco minhas mãos

em meus bolsos. Fico consciente de cada movimento meu. É como

se, de repente, eu tivesse me esquecido de como agir em torno

dela. Agora que sei onde estão as coisas e tenho rédea livre para

tocá-la, estou assustado que possa estar me movendo muito

rápido e fazer algo para machucá-la.

Quando caminhamos de volta para o meu Mustang, ela

pergunta: “Para onde estamos indo?”

“Você já ouviu falar de Oceanside Manor?”

“Sim. Esse lugar é uma fantasia louca.”

“Tente se comportar, então.” Pisco, abrindo a porta do lado

do passageiro. “Sem nenhuma briga esta noite.”

Quando ela se acomoda no assento, respira fundo. “Sinto

falta de andar no seu carro.”

Droga, eu também.

Ela cruza as pernas, revelando que o vestido que está

usando tem uma fenda enorme, que me permite uma visão de sua

perna tonificada e bronzeada todo o caminho até o topo de sua

coxa.

Droga. Droga. Droga. Tanto para o tempo extra no carro para

me manter longe de problemas.

Alcanço meu bolso por um cigarro, percebo que não trouxe.

Não há nenhuma maneira que vá sobreviver a uma viagem de

trinta minutos com “pernas” aqui, se não posso fumar.

No caminho, paro de repente em uma 7-Eleven antes de

entrar na rodovia.

“O que você está fazendo?”

“Eu tenho que pegar alguns cigarros. Deixei os meus em

casa.”

Corro para fora do carro rápido, então não tenho que ouvir

seu discurso sobre o fato de que ainda estou fumando. Esta não

é à noite para desistir.

“Maço de Marlboro,” falo para o caixa.

Quando ele me entrega, enfio a mão no bolso procurando a

minha carteira para descobrir que ela não está lá. Bato nas

minhas roupas para baixo, logo descubro que deixei minha

carteira em casa.

Merda!

Estava tão preocupado com meu guarda-roupa como uma

buceta, esqueci a coisa mais importante.

Encostado ao balcão, deixo escapar um longo suspiro e

deslizo os cigarros de volta para o homem.

“Desculpe, cara. Esqueci minha carteira.”

Betty deve ter sentido o olhar irritado no meu rosto quando

volto para o carro.

“O que está errado?”

Aciono a ignição e suspiro. “Temos que voltar. Deixei minha

carteira em casa. Só vamos parar em casa e vou correr e pegá-la.”

Ela coloca a mão na minha coxa e isso faz uma agitação no

meu pau. “Não seja bobo. Posso pagar o jantar.”

Não há nenhuma maldita maneira que vou deixar Betty fazer

isso, mesmo que eu pague de volta. Não posso imaginar nada mais

humilhante do que vê-la abrir sua carteira esta noite e pagar a

conta.

“Nah. Vou voltar.”

Todo o passeio até a minha casa, estou me preparando para

sua reação quando chegarmos na minha garagem. Ela nunca

tinha visto onde moro.

Quando finalmente nos aproximamos ― como imaginei ―

seus olhos arregala, quando ela tem uma visão da minha casa.

“Meu Deus. Esta é a sua casa? É incrível.”

Mesmo que não tenha feito dinheiro como o meu pai e

irmão, com as riquezas que herdei, a única coisa que proporcionei

a mim mesmo, foi um lugar realmente agradável para morar.

Dois níveis, todas as janelas de vidro no exterior e com vista

para o oceano, é definitivamente uma propriedade doce. Não há

como negar isso. Fica em uma pequena área de praia privada,

isolada ― do jeito que gosto.

Estou prestes a correr para dentro quando Betty pergunta,

“Importa-se se eu for com você? Adoraria ver o interior.”

Não deveria ter me surpreendido que queira ver a casa.

Tecnicamente, deveria ter sido um cavalheiro e a convidado.

Simplesmente não confio em ficar sozinho com ela. Mas o que devo

fazer agora, fazê-la ficar no carro depois que me pediu para vê-la?

“Sim. Certo.”

Uma vez dentro, Betty olha ao redor, absorvendo o meu estilo

moderno, mas minimalista. A maioria dos meus móveis é preta ou

cinza. As paredes do espaço principal são brancas e cobertas de pinturas da minha mãe. Especificamente, pedi-lhe para pintar

diferentes variações da lua sobre o mar à noite.

Betty absorve tudo. “Jughead... este lugar. É…”

“Obrigado.”

Não demora muito tempo para perceber as obras de arte.

Ela vai direto para a pintura da lua cheia. “A sua mãe fez isso?”

Paro atrás dela. “Sim.”

“Elas são incríveis,” diz, passa seu dedo suavemente sobre

a tela. “Você tem uma obsessão com a lua?”

“Você pode dizer que gosto da lua, sim. Ela está sempre lá

para mim e tem um pouco de um lado escuro, como eu tenho, eu

suponho. Pedi a minha mãe para pintar diferentes interpretações

da lua sobre a água durante a noite.”

Posso dizer que as rodas giram na cabeça de Betty, como se

estivesse tentando descobrir o significado por trás do motivo que

amo a lua, talvez tentando encontrar alguma correlação entre ela

e meu desejo de confiança ou amor, ou algo assim.

“Bem, definitivamente acho que a lua combina mais com

você que o sol.”

Levanto uma sobrancelha. “Porque eu sou um lunático?”

Ela ri. “Bem, sim, mas também a vibração escura,

misteriosa.”

Betty fica vagando ao redor da casa, alheia à minha coceira

para sair. “Você se importa se eu verificar o segundo nível?”

Não vou ser capaz de sair dessa, mas uma parte de mim

está começando a querer mostrar-lhe mais, enquanto me

acostumo a tê-la dentro da minha casa. Em vez de responder,

balanço minha cabeça e levo-a para me seguir até as escadas.

Ela dança através do meu quarto e abre as portas que dão

para o andar superior.

O sol está se pondo sobre o oceano agitado. Betty apenas fica

lá imersa no ar da noite e no cenário. Ela parece requintada com

seu cabelo soprando ao redor enquanto ela olha para a água.

Estamos em silêncio por um longo tempo, ouvindo as

gaivotas antes que ela finalmente fala.

“Se eu vivesse aqui, tenho certeza de que eu nunca sairia.”

Uma imagem de Betty em algemas, amarrada a minha cama,

incapaz de sair, passa pela minha cabeça.

Não posso evitar meus pensamentos, certo?

Quando se vira para mim, por alguma razão, tenho o

impulso de dizer, “Você é muito bonita. Sabe disso?”

De onde veio isso?

“Aposto que você diz isso para todas as garotas que traz até

este terraço.”

Raramente trago mulheres para casa, se posso evitar.

Normalmente, vou para a casa delas. Nas raras ocasiões em que

não posso evitar, nunca as levo até meu quarto, que leva a este

terraço. Uso o quarto de hóspedes do primeiro andar para

“entreter.”

“Você é a primeira garota que vem aqui.”

Sua testa enruga. “Você está falando sério?”

“Sim. Sou um cara reservado. Nunca trouxe uma mulher

aqui antes. Este... terraço... é como o meu santuário.”

“Por que me deixou subir aqui, então?”

“Foda-se, se eu sei. Acho que... confio em você... ou algo

assim.”

Sua sobrancelha levanta. “Ou algo assim?”

“Algo que não entendo. Perco a cabeça ao seu redor. No

momento que te conheci, você colocou algo em mim que não tenho

sido capaz de conter.”

“Então, não... contenha.”

Aproximo-me mais dela, coloco um pouco de cabelo atrás

da orelha. “É como se quisesse protegê-la e corrompê-la ao mesmo

tempo. É fodido.”

“Não é fodido. É doce.”

“Você não pensaria que é doce se soubesse o que está

acontecendo na minha cabeça agora.”

“Eu acho que tenho uma vaga ideia.”

Quero tanto beijá-la, seguro, em vez disso olho para o meu

telefone. “Devemos ir...”

“Será que tem uma reserva para jantar?”

“Sim. Perdemos.”

Ela parece hesitante ao dizer: “Você se importa se ficarmos

aqui em vez de sair? Realmente não estou com vontade de ir a um

restaurante. Sinto que gasto metade da minha vida em um. Vou

adorar apenas me sentar neste terraço com um copo de vinho.

Talvez pedir alguma comida?”

Isso soa exatamente o que gostaria de fazer, se não estivesse

com tanto medo de ficar sozinho com ela.

Quando não respondo, ela diz: “Está tudo bem se você

prefere não fazer isso.”

“Não. Está bem,” falo. “Podemos ficar aqui.”

Minha noite ficou muito mais desafiadora.


Notas Finais


Gente preciso de verdade da opinião de vocês. Vocês querem que eu posto essa história no wattpad sim ou não? Por favor respondam meus anjos. ♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...