1. Spirit Fanfics >
  2. Rebel Heir - Bughead >
  3. CAPÍTULO 26

História Rebel Heir - Bughead - Capítulo 53


Escrita por:


Notas do Autor


Oii♥️

Capítulo 53 - CAPÍTULO 26


Jughead

“Ele vai fazer com que eu pareça uma prostituta. Fiquei

grávida de um caso de uma noite, e agora estou namorando o

seu irmão.” Betty anda de um lado para o outro diante da TV.

“Ele tem uma equipe de advogados. E se ele disser que sou

incapaz e pede a custódia total? Ele pode levar o bebê? Meu

Deus. Quando eu estava no ensino médio, o meu pai me fez ir

falar com a orientadora. Ele tinha medo que eu estivesse a

passar um momento difícil, porque tinha o meu período e não

queria falar com ele sobre isso. Eu disse a ela coisas que Sweet Pea

poderia usar contra mim.”

“Betty...”

“As minhas bonecas! Temos que nos livrar delas

imediatamente. E se eles enviam uma assistente social para a

casa para se certificar de que sou competente e veem que

queimo bonecas? Elas se parecem com bebês! Eles vão pensar

que posso jogar o meu próprio filho em uma fogueira.” Ela puxa

o seu cabelo e começa a andar mais rápido. “Estou escrevendo

um romance. E se eles pensam que sou uma degenerada que

é obcecada com o sexo?”

“Betty ...” Eu digo mais alto. Ela ainda não me ouve.

“Você acha que Gladys iria mentir por mim? Dizer que

sou normal, e vou ser uma boa mãe para o meu filho? Eu acho

que ela seria uma boa testemunha de caráter.”

“Betty ...”

“Eu li em uma coluna de fofocas que o custo da batalha

de custódia de Britney Spears-Kevin Federline foi de mais de

um milhão de dólares. E se Sweet Pea...”

Levanto-me e coloco-me na sua frente, efetivamente

parando-a no caminho. “Betty”.

O seu corpo fica imóvel, mas o seu cérebro não.

“Meu Deus! Eu deveria ter comprado a minivan. Por que

você deixou-me comprar esse carro de luxo? Eu vou parecer

totalmente irresponsável. Você acha que ainda podemos

devolvê-lo? Só tem algumas centenas de quilómetros. Merda ...

derramei um pouco de suco de laranja no tapete no outro dia.

Você conhece alguém que limpe tapetes?”

Pego o seu rosto em minhas mãos e inclino a sua cabeça

para cima. “Betty".

Ela olha para cima, mas ainda não me ouve. “Talvez eu

não devesse viver aqui,” diz ela. “Isso não vai parecer bem.

Viver juntos fora do casamento ainda é desaprovado por um

monte de gente. Especialmente se eles são mais velhos.

Gostaria de saber se o juiz vai ser velho.”

Desisto de conseguir a sua atenção, chamando o nome

dela, faço a única coisa que sei que vai calá-la, mesmo que

apenas por alguns momentos. Pressiono os meus lábios nos

dela. Ela fala em minha boca por alguns segundos antes de

seu cérebro acompanhar o seu corpo. Em seguida, ela coloca

as mãos em volta do meu pescoço e dá-me a sua língua.

O beijo era apenas para focar, mas foda-se se o meu

corpo não reage imediatamente. Posso continuar. Inferno,

talvez devesse. Nós dois temos tensões que precisamos

esquecer. Mas quero que ela ouça o que tenho a dizer alto e

claro, não através de uma névoa de pós-orgasmo. Então, solto-

a depois de um minuto.

A minha menina está ofegante. Isso faz-me sorrir,

mesmo no meio do pesadelo em que acabou de entrar. “Você

está bem?” Sussurro.

“Hã?”

Eu rio. “É a minha vez de falar. Sente-se.”

Betty senta-se no sofá e ajoelho-me à sua frente. Pego as

suas mãos.

“Primeiro. Sweet Pea pode ter dinheiro, mas nós também.”

“Mas…”

Eu pressiono os meus lábios nos dela para outro beijo.

Quando ela para de tentar falar, quebro a conexão novamente.

“Essa conversa será mais rápida se você puder calar a boca,

você sabe.”

Seus olhos arregalam-se. “Você acabou de dizer-me para

calar a boca?”

Eu sorrio. “Sim, disse. E eu vou dizer-lhe para calar a

boca novamente se você não se sentar aqui e me dar uma

chance de falar. Para o registro, você também pode dizer-me

para calar a boca quando eu ficar louco e não ouvir você.”

“Eu não estou enlouquecendo ... Eu só estou

preocupada. Sweet Pea pode...”

Inclino-me e beijo-a novamente, os meus lábios movem-

se contra os dela quando murmuro, “Cale a boca, baby.”

Quando me afasto mais uma vez, ela estreita os olhos.

“Certo. Mas vou falar mais tarde.”

“Combinado. OK. Então ... como estava dizendo ... Sweet Pea

pode ter dinheiro, mas nós também. E antes que o seu cérebro

fique preso em como nós não temos dinheiro, mas tenho

dinheiro, quero explicar uma coisa. Mais uma vez. A razão

porque levei tanto tempo para tirar a cabeça para fora da  minha bunda e comprometer-me com você é que não podia

tomar a decisão de tornar-me um pai. Não estou nisso para ser

o tio Jughead, Betty. Eu estou nisso até ao fim. Estou nessa para

ser pai, assim como você está nessa para ser mãe. Isso é o que

me levou tanto tempo para envolver o meu cérebro. Eu estava

assustado. Porque precisava saber que isso era para sempre.

E talvez você não esteja pronta para ouvir isso, mas isso é para

sempre para mim, Betty. Eu não sinto nada de diferente do que

se você fosse minha esposa, caralho. Estou comprometido. O

que é meu é seu e o que é seu é meu. Talvez você não entenda

isso porque você ainda não está com medo. Mas eu estou.

Assim, uma última vez ... o que é meu é seu. Temos dinheiro.

E se você tentar separar o que tenho do que você tem, vou

começar a ficar chateado e achar que você está menos

comprometido comigo do que com você. Então, faça-me um

favor?”

Betty tem lágrimas em seu olhos. Sua voz falha. “O quê?”

“Cale a boca sobre o dinheiro uma vez por todas.”

Ela ri. “OK.”

“Siga em frente. A sua orientadora do ensino médio não

vai aparecer do nada e contar os seus segredos de estudante

de quando tinha doze anos. Só porque você escreve romances

não a torna uma degenerada. Stephen King não é um

assassino psicopata só porque ele escreve uma merda torcida?

Não. Então tire também essa porcaria de sua cabeça. Quanto

ao negócio do carro, amanhã troco o meu Mustang e passo a

conduzir uma minivan se isso faz sentir melhor. Embora

ninguém vá olhar para o modelo do seu carro para determinar

se você é uma boa mãe. E Gladys provavelmente mentiria por

você se pedisse a ela, mas ela não terá que o fazer. Ela já acha

que você vai ser uma mãe incrível. Então não se preocupe com

o que quer que seja. As bonecas...” Eu coço o meu queixo. “OK.

Nessa dou-lhe razão. É um pouco maluco. Mas se os Serviços

Sociais alguma vez aparecerem, prometo escondê-las para

você.

Betty sorri. “Já acabou, homem louco?”

“Quase. Por último, viver juntos fora do casamento. Nós

podemos consertar isso em uma hora se você se preocupa com

isso. Apesar de preferir surpreendê-la com um belo anel algum

dia, porque isso é o que você merece, vou ao cartório e caso-

me com você amanhã. Você sabe porquê?”

Lágrimas começam a cair de seus olhos. Limpo-as com

o polegar.

“Por quê?” Sua voz falha.

“Porque eu te amo, e estou nessa para sempre. Um

pedaço de papel não vai mudar isso de uma maneira ou de

outra.”

Betty olha para mim. Os seus olhos parecem procurar

profundamente por alguma coisa nos meus. Encontrando o

que ela precisa, o seu rosto fica sério. “Você realmente casaria

comigo, amanhã, não é?”

“Não há nada que eu não faria por você, baby.”

                                  -----------------------

Betty adormece há poucas horas. Mas não consegui

relaxar o suficiente para dormir. Mesmo que tenha

assegurando-lhe que não havia nenhuma maneira no inferno

de Sweet Pea conseguir a custódia do bebê, não conseguia parar

de pensar sobre como seria como se ele ainda tivesse direito a

visitá-lo.

FP tinha um relacionamento sério com a minha

mãe antes dela engravidar, e ele teve um bom modelo em seu

próprio pai. Sweet Pea não tinha nenhum dos dois. Ele não

conhecia Betty de todo, e ele viu a forma como o seu próprio pai  tratou a minha mãe e eu. Não havia dúvida nenhuma em

minha cabeça de que Sweet Pea só iria ver o filho de Betty como um

peão em um jogo para manipular a nós dois. Seria tudo como

na minha infância mais uma vez, uma busca de aprovação e

amor de um homem que não tinha interesse em mim. Eu não

posso deixar isso acontecer com o filho de Betty Com o nosso

filho.

Velhas memórias estão me assustando enquanto estou

deitado na cama e olho para a minha linda menina, dormindo.

Na sexta série, a minha escola realizou uma noite de pai e filho.

O tipo onde eles dizem para você usar desodorante, respeitar

as meninas, e dar-lhe uma introdução clínica para os pássaros

e as abelhas. A minha mãe pensou que podia ser uma boa

experiência de ligação, então ela convidou FP para levar-

me. Eu nunca tinha admitido isso, mas eu estava animado. Os

meus amigos iam todos com os seus pais. O pai de Joe Parma

tinha vindo direto do trabalho e convidou-nos a sentarmos-nos

com eles. Ele era um trabalhador do saneamento na cidade e

não tinha tempo para parar em casa e mudar-se. FP

limpou a mão depois de ter sido forçado a apertar a mão do

homem. Em seguida, ele passou o resto da noite fazendo

comentários sarcásticos sobre como a escola pública estava

produzindo criminosos. Na semana seguinte, fumei maconha

pela primeira vez e roubei uma bicicleta.

Quando terminei o ensino médio, FP enviou-me um

cartão. Nessa altura, já tinha passado de decepcionado com o

meu doador de esperma para odiá-lo por completo. Eu devia

ter jogado o cartão no lixo. Em vez disso, abri-o para ver se ao

menos ele tinha-me enviado um cheque. Ele tinha, mas ele

também assinou o cartão como FP, não como pai. Eu usei

o cheque e o cartão como gravetos para começar uma fogueira

no quintal e acidentalmente coloquei o galpão em chamas.

De maneira nenhuma quero essa decepção constante

para o meu filho. Ser forçado ao contato com um homem que

não dá a mínima para você foi muito pior do que não ter nenhuma comunicação. Olhe para Betty; ela nem conheceu a

sua mãe, mas tornou-se emocionalmente mais estável do que

a maioria das pessoas com dois pais. A lembrança constante

de que não é querido pode realmente estragar com a cabeça de

uma criança.

Eu necessito proteger o nosso filho.

E tenho o sentimento de que eu poderei fazê-lo.

                                        -------------------------

Na manhã seguinte, acordo antes Betty, embora só tenha

dormido duas horas. Bebi três xícaras de café ao escrever uma

lista de coisas a fazer para pôr o meu plano em ação. Perto das

nove, Betty apareceu na cozinha vestindo a camisa que eu tinha

usado ontem. Porra amo ela acordar na minha cama e vestir

as minhas roupas.

“Bom dia,” ela boceja e estica os braços sobre a cabeça.

“Porque está de pé tão cedo?”

“Cedo? São quase nove horas, dorminhoca.” Movo-me no

meu assento e abro os braços. “Venha aqui.”

Ela joga a sua bela bunda no meu colo e encosta a

cabeça no meu ombro. “Eu odeio não poder beber café.”

“Vou pegar um pouco de descafeinado no caminho de

casa hoje à noite.”

Ela faz beicinho. “Você tem que trabalhar esta noite no

restaurante?”

“Na verdade ... espero que possa substituir-me. Tenho

algumas coisas que preciso fazer hoje, e é o primeiro dia do

bartender de inverno. Ele trabalhou para mim na última  temporada, mas não quero deixá-lo sozinho em seu primeiro

dia de regresso.”

Betty anima-se. “Eu? Você quer que seja a gerente?”

“Claro.” Dou de ombros. “Por que não?”

“Vou poder gritar para as pessoas e dar ordens como o

gerente habitual?”

O meu lábio contrai. “Claro. Dê-lhes o inferno.”

Ela vai para levantar-se, mas gentilmente puxo-a de

volta para o meu colo. “Espere um minuto. Não fuja tão cedo.

Eu preciso falar com você sobre algo mais.”

“Tudo bem.”

Levo um minuto para pensar sobre como quero

apresentar as coisas para ela. No final, decido que menos é

melhor. Uma vez que tudo que o que planejei acabar, darei a

ela todos os detalhes. Mas compartilhar muita informação irá

causar-lhe ansiedade e fazê-la entrar em confusão.

“Depois que você adormeceu na noite passada, passei

muito tempo pensando na merda que aconteceu com Sweet Pea

ontem.”

Seu rosto alegre murcha. “Tudo bem…”

“Eu quero perguntar uma coisa a você. Mas preciso que

você confie em mim e não faça qualquer pergunta. Basta

responder a minha pergunta. Você pode fazer isso?”

“Isso é difícil de dizer. Como vou saber se posso

responder a uma pergunta sem saber a pergunta?”

“Deixe-me perguntar-lhe isto ... você confia em mim?”

“Você sabe que sim.”

“Você confia que qualquer coisa que fizer será do nosso

interesse?”

“Sim. Claro.”

“OK. Então ... se puder livrar-nos de Sweet Pea de nossas

vidas, é isso que você quer? O que você realmente quer para

mim, você e o bebê?”

“Você iria…”

Silencio-a presando dois dedos em sua boca e balanço a

cabeça. “Não há perguntas. Lembra? Basta responder à

minha.”

Ela fecha os olhos por alguns segundos e depois respira

fundo.

“Bem, desde que não estou autorizada a fazer qualquer

pergunta, vou apresentar a minha resposta com uma

declaração. “Você não pode matar Sweet Pea” Ela faz uma pausa.

“Mas fora isso, sim, isso é absolutamente o que quero que

aconteça.”

Eu sorrio e beijo a sua testa. “É o suficiente. Eu tenho

que tomar um banho.”


Notas Finais


Comentem e apertem o coraçãozinho. ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...