História Rebelde - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hiruzen Sarutobi, Kakashi Hatake, Kankuro, Shikamaru Nara, Temari, Yondaime Kazekage (Rasa)
Tags Escola Drama, Gaara, Naruto, Rebelde, Romance
Visualizações 15
Palavras 2.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo fresquinho! Espero que gostem!

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Rebelde - Capítulo 5 - Capítulo 5

Gaara pov's on

Então eu tinha razão... ela realmente veio pra sala. Eu me odeio por estar fazendo isso, mas vim pra sala justamente pra saber onde ela estava. Eu sou uma pessoa confusa... até pra mim mesmo. Eu quis ela longe e quando ela finalmente entendeu, eu não paro de pensar nessa garota irritante. Odeio admitir, mas eu acho que gostava de saber que ela me procurava. O que tá acontecendo comigo? Esse não é o meu normal. Eu apenas caminhei até o meu lugar na sala e percebi ela me seguindo com os olhos. Ela se debruçou sobre a mesa novamente, parecendo frustrada. Eu queria ignorar essa garota, mas desde aquele maldito sonho eu não paro de reparar nela. Penso o tempo todo naquilo que ela fez no sonho e imagino como seria se ela tivesse continuado... só de lembrar já começo a sentir meu corpo vibrar. Isso me deixa possesso de raiva de mim mesmo. Como ela conseguiu entrar na minha cabeça tão fácil? Aproveito que ela não parece prestar atenção em mim agora e volto a reparar nela. Eu bem que gostaria de ver essa garota usando roupa de malha na educação física, bem grudada no corpo, fazendo o desenho das coxas, do quadril, dos seios e deixando tudo bem marcado e bem na minha frente de preferência... eu realmente não me reconheço mais. Eu não sei o que deu em mim... mas eu fiz isso.

Gaara: O que aconteceu com você? (chamei sua atenção)

Ela então ergueu o corpo meio confusa e me olhou diretamente. Era cômica a cara de espanto que ela fez. Era como se ela não esperasse que eu pudesse falar.

Luara: Como assim?

Gaara: Você anda muito calada...

Luara: Eu estou normal... continuo falando com meus amigos normalmente... (senti a alfinetada)

Gaara: Achei você distante... (olhei a janela)

Luara: É porque eu resolvi fazer o que a Temari me aconselhou. 

Gaara: E o que ela disse? (fiquei curioso... não sabia que minha irmã tinha intervindo nessa história)

Luara: Pra deixar você em paz ou eu poderia te deixar ainda mais irritado... (ela me olhou ainda frustrada) Mas eu não entendo... o que eu fiz de errado?

Eu olhei pra ela sem saber o que responder. O problema não é ela, sou eu. Ela realmente não fez nada, ela só existe e é do jeito que é. O problema é meu por não saber lidar comigo mesmo. 

Gaara: Você não fez nada... 

Luara: Não precisa tentar se livrar de mim, eu não sou sua inimiga.

Gaara: Eu me livro de todo mundo... 

Luara: Por que?

Gaara: Não quero falar disso.

Luara: Ok. 

Ela deu um suspiro longo e se debruçou de novo. Então é isso? Ela realmente não quer falar comigo de novo? E eu novamente estou me incomodando com isso.

Gaara: Vai mesmo me evitar?

Luara: Não é isso que você quer? (ela nem me olhou)

Gaara: Eu só quero evitar que você tenha problema. (não acredito que estou falando isso) E eu sou um problema.

Luara: Você exagera. (riu)

Gaara: Você não está acreditando... (ri também) Por que você acha que até minha irmã evita falar comigo?

Luara: Porque você não gosta de pessoas... (a olhei, surpreso) Palavras dela.

Gaara: Eu aprendi que a única pessoa que realmente deve importar pra mim nesse mundo sou eu mesmo. Eu vivo por mim mesmo e amo a mim mesmo.

Luara: Isso é um pouco de egocentrismo, você não acha?

Gaara: Chame como quiser... isso não muda o fato de que eu não confio nas pessoas ao meu redor. Eu já ouvi que sou uma má influência e por isso eu deveria me afastar... eu apenas fiz o que me pediram.

Ela apenas ficou me olhando um tempo. Bem, agora ela provavelmente vai parar de falar comigo e realmente me deixar isolado como todos sempre fazem.

Luara: Quer dar uma volta um dia desses? (me surpreendi) Sei lá... conversar... (ela estava levemente corada) Não precisa contar pra ninguém se não quiser...

Eu olhei pra ela ainda sem acreditar. Ela estava mesmo tentando me chamar pra sair? Isso significa que ela realmente quer saber sobre mim. Ela não ficou com medo  e nem criou um escudo contra mim como todos fazem quando começam a perceber como eu sou. Essa garotinha irritante parece realmente não ligar pro quanto eu possa parecer errado. Foi aí então que eu tive uma ideia. Faz muito tempo que não faço isso e talvez fazer com uma companhia deve ser ainda mais divertido.

Gaara: Que tal irmos agora?

Luara: Agora? (ela ficou ainda mais confusa) Estamos na escola, caso tenha esquecido. (riu)

Gaara: E daí? 

Luara: Como assim "e daí"? Gaara, temos que ficar até o final da aula esqueceu?

Gaara: Já pulou um muro?

Luara: Não. (ela pareceu indignada)

Gaara: Não é tão difícil quanto parece... 

Ela então sorriu e começou a guardar os materiais assim como eu fazia. Eu confesso que achei que ela não iria aceitar matar aula pra andar pela cidade comigo. Eu achei menos ainda que eu fosse querer matar aula com ela. A última vez que fiz isso em Suna, eu fui sozinho e só pelo prazer de tirar meu pai do sério com problemas na direção da escola já valeu a pena ter matado. Enfim, eu estava ansioso por isso. Quero ver até onde essa garotinha vai comigo.

Gaara pov's off

Eu não acredito que estou fazendo isso. Não acredito mesmo! Eu nem sabia que conseguiria pular um muro na minha vida! Gaara e eu corremos pelas ruas até perceber que a escola estava longe demais pra alguém tentar nos levar de volta pra lá. Não sei como ninguém percebeu a gente pulando o muro da escola. Andamos até encontrar um tipo de praça. Gaara torceu o rosto deixando bem claro que detestou a minha escolha de lugar pra conversar. Eu me limitei a rir e voltei a pensar em algum outro lugar que pudéssemos ir. 

Luara: Eu vou pensar em outro lugar... algum mais calmo.

Gaara: Você mora sozinha não é? (ele me olhou calmo)

Luara: Moro... como você sabe?

Gaara: A Temari disse um dia... (suspirou) 

Luara: O que tem eu morar sozinha?

Gaara: Sua casa com certeza seria um lugar mais calmo que aqui...

Não sei se funcionou, mas eu me esforcei o máximo pra não corar com essa sugestão que ele deu. Fiquei um pouco apreensiva, afinal nunca levei ninguém pra minha casa, muito menos um garoto. Eu pedi então que ele me seguisse e comecei a me dirigir até minha casa. Dentro de poucos minutos nós chegamos. Eu estava sentindo um frio na barriga estranho. Eu pensava o tempo todo "Meu pai ficaria uma fera se descobrisse que trouxe um garoto pra minha casa", mas depois eu me lembrava que era não espalhar pra ninguém. Dei passagem ao ruivo e pedi que ele não reparasse a simplicidade da minha humilde casinha. Eu quase vi um sorriso se formar nos lábios dele. Coloquei a mochila na sala mesmo, coloquei a dele também e antes dele  falar qualquer coisa eu me coloquei a fazer um lanche pra nós. 

Gaara: Sua casa me faz lembrar da minha em Suna... (disse enquanto me observava fazer o lanche)

Luara: Como Suna é?

Gaara: Quente.

Luara: E? (ri baixo)

Gaara: Eu sei lá... (pensou um pouco) Normal, eu acho.

Luara: Acho que você vai demorar um pouco a se acostumar com longas conversas não é? (entreguei um sanduíche a ele)

Gaara: Desculpa.

Luara: Não precisa se desculpar, eu entendo. (sorri) Apenas tente não me deixar falando sozinha ou eu vou perder o assunto.

Gaara: Suna é mais quieto que aqui.

Luara: Olha só, temos um progresso. (ri) Você queria voltar pra lá?

Gaara: Tanto faz.

Luara: Já se acostumou com Konoha?

Gaara: Já.

Começou a ficar difícil inventar um assunto aleatório e ter continuidade. Eu comi meu lanche tentando pensar no que dizer.

Gaara: Não me leve a mal... não é que eu não queira conversar com você, eu só não sei direito o que dizer. (ele pareceu um pouco constrangido)

Luara: Temos um assunto. (me surgiu uma ideia) Por que você quis conversar comigo?

Gaara: Eu não sei... (dei um suspiro longo e ele me olhou apreensivo) Quer dizer... você me intriga.

Luara: Por que?

Gaara: Você não tem motivo pra querer ficar perto de mim e mesmo assim você quer.

Luara: Sempre achei que você fosse legal. (sorri)

Gaara: Eu não sou.

Luara: Fale por si, eu acho você legal.

Gaara: Você nem me conhece.

Nesse momento eu não soube o que responder. Eu realmente não o conheço direito, só tenho impressões que peguei de tanto o observar.

Gaara: Desculpa. (suspirou)

Luara: Você tem um instinto de defesa forte. (ri sem jeito) Posso te perguntar uma coisa?

Gaara: Pode.

Luara: Por que escreveu "amor"? (apontei a tatuagem na testa)

Gaara: Foi uma ironia. (ele tocou a tatuagem)

Luara: Como assim?

Gaara: Não existe esse "amor" que todos dizem. (ele me olhou) É tudo uma fantasia que existe enquanto lhe é conveniente.

Luara: Já parou pra pensar que talvez você descubra que não é bem assim?

Gaara: Ainda não me provaram que estou errado.

Luara: E você já deixou alguém tentar provar?

Ele apenas me olhou. Eu não sei bem se foi bom eu ter dito isso ou não. Então eu resolvi mudar de assunto. Não sei o que deu em mim, mas perguntei se ele queria conhecer o resto da minha casa, o que não era muita coisa. Mostrei a ele a sala, o banheiro, a varanda e até o meu quarto. Neste último cômodo, ele pareceu um pouco agitado ao entrar o que me fez achar isso curioso. Ele olhou cada canto e seus olhos se prenderam num porta-retrato que tenho em cima da minha cômoda, perto da minha cama. Era uma foto minha com meus pais. Eu fui até lá e peguei a foto pra mostrar melhor a ele, já que eu notei que ele achou interessante. 

Luara: E então? Com quem me pareço? (em tom de brincadeira)

Gaara: Você tem características bem próprias. (disse olhando meu rosto fixamente) Quer dizer... (ele desviou o rosto sem jeito de novo) Seu cabelo parece o do seu pai e seus olhos os da sua mãe, eu acho.

Luara: Obrigada pela análise. 

Gaara: Eles não se importam com você?

Luara: Claro que se importam! (falei indignada e ele me olhou um pouco surpreso) São meus pais! 

Gaara: Mas te deixaram aqui sozinha...

Luara: Eles fizeram um sacrifício pra me deixar vir morar e estudar aqui... eu encaro como amor e não como abandono. (guardei o porta-retrato)

Gaara: Você tem uma visão muito peculiar.

Luara: Eles me amam ao ponto de me deixar seguir meu caminho e me tornar alguém na vida, mesmo que eles precisem ficar lá e eu aqui estudando. Aposto que seus pais já fizeram sacrifícios por você também.

Gaara: Eu mal vejo meu pai em casa e minha mãe está morta desde que eu nasci.

Eu não sabia o que dizer. Eu ainda não sabia que a mãe deles tinha morrido. Sabe quando você fica com tanta vergonha que tem vontade de colocar a cara em um buraco na terra? Então, eu fiquei assim. 

Luara: Desculpa... eu não sabia...

Gaara: Achei que minha irmã tinha te contado. (disse o mais natural possível)

Luara: Bem... Vamos mudar de assunto? (ele concordou) Sua irmã vai me matar quando souber que eu trouxe você aqui antes dela.

Gaara: Ela não mataria nem uma mosca.

Luara: Foi modo de falar... (ri)

Gaara: Eu sei... (abriu um sorriso quase imperceptível) Você é divertida.

Luara: Por que?

Gaara: Parece extremamente estranha, mas incrivelmente cativante, eu acho. 

Luara: Sério? (eu fiquei até meio boba)

Gaara: Você não me deixou ficar longe...

Luara: Ninguém precisa se forçar a ficar longe de todo mundo não é? (sorri)

Eu então me virei pra ir em direção à porta do quarto e voltar pra sala, mas quando fiz isso eu fiquei com o rosto colado no rosto dele. Eu pude ver que ele também levou um pequeno susto com isso, mas não desviou. Ficou ali, parado de cara comigo. Eu podia sentir a respiração dele batendo de leve no meu rosto. 

Continua...


Notas Finais


Eita e agora? Como será que vão reagir?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...