História RBD o inimigo agora é outro - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Rebelde, Rebelde (RBD)
Tags Diego, Giovani, Lupita, Mia, Miguel, Rbd, Roberta
Visualizações 130
Palavras 1.838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lírica, Literatura Feminina, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Ameaças


Fanfic / Fanfiction RBD o inimigo agora é outro - Capítulo 4 - Ameaças

Quando a noite caiu Santos resolveu fazer uma surpresa para Lupita, pois percebeu ela tensa o dia inteiro óbvio que aquilo não tinha nada a ver com ele, mas tinha a ver com os amigos de Lupita, felizmente ou infelizmente Lupita era uma menina doce que sempre tratava os problemas dos outros como se fossem seus.

Esse era o seu grande defeito ou talvez sua maior qualidade.

— Ai Santos que lugar lindo, eu nunca tinha vindo aqui - a morena murmurou olhando em volta após retirar o capacete da moto de Santos da sua cabeça.

— Que bom que gostou, assim que eu vi esse lugar pela primeira vez eu lembrei de você e pensei que bom.. - ele coca a nuca - esse seria um bom lugar para acontecer a nossa primeira vez.

— O que? Ai Santos - ela desvia o olhar ruborizada.

— Você não quer? - ele levanta o queixo dela fazendo-a mira-lo.

— Não, não é isso.... é que são tantos problemas, a Roberta está muito mal com esse lance do Diego poder ser preso a qualquer minuto, o Diego coitado também está mal e eu não sei mais o que  fazer, a Vick você viu né?! chegou lá em casa naquele estado, também não acho justo atrapalhar as férias da Mia e muito pior preocupar a Celina contando pra elas o que está acontecendo aushhh são tantas questões que eu não sei nem como resolver - Lupita falava rápido com os tiques a mil fazendo Santos soltar um sorriso encantado.

— Lupita porque não esquece nossos amigos so um pouco e pensa na gente hein?! - ele pede começando a beija-lá no rosto e puxa-la mais pra perto.

Lupita suspirou se deliciando com as carícias de Santos, era óbvio que não era a sua primeira vez a mesma já havia feito a besteira de se entregar a Nico assim que ele voltou de Israel... mas só que dessa vez seria diferente, ela não se entregaria para tentar reconstruir um amor do passado ou para tirar suas dúvidas, dessa vez Lupita se entregaria por amor!

— Eu te amo Santos - ela sussurra entre os lábios dele.

— Eu tenho uma surpresa pra você. - ele abre a mochila tirando de dentro um vidrinho.

— Uau que bonito Santos a quanto tempo eu não vejo um vagalume - ela solta o inseto e o persegue com o olhar de criança que está descobrindo o mundo.

— Dizem que significa amor em forma de luz, Lupita  eu nunca gostei de alguém como gosto de você - o ex rockeiro se declara segurando as mãos de Lupita.

— Eu pensei que já conhecia e sabia tudo do amor, até você chegar e me fazer perceber que eu nunca amei verdadeiramente antes, até você aparecer  - ela diz sincera sorrindo de canto e inclinando um pouco a cabeça pro lado.

Os dois se encaram por alguns instantes e Lupita toma a iniciativa de beija-lo naquele momento parecia que não existia nada nem ninguém além dos dois. Lupita sugava o lábio inferior dele enquanto sentia Santos fazer o mesmo com o seu lábio superior os dois trocaram a cabeça de posição e Lupita o agarrou pela nuca dando leves puxões em seu cabelo a medida que o desejo aumentava e os dois teriam ido além de simples beijos  se não fosse pelo celular de Lupita que começou a tocar insistentemente.

— Hmm Santos meu celular tá tocando - ela diz tentando se afastar dele que a impede.

— Ah não Lupita, aqui ta tão bom, depois você atende vai - ele mordisca o lábio inferior dela

— Não, pode ser importante... - ela tenta resistir se posicionando para atender o telefone.

— Então tá, atende né...  - ele solta a respiração e ela o faz.

— Oi Lupita e ai esta se divertindo muito?!

— Nico o que você quer? - Lupita fala reconhecendo a voz.

— Nada só queria saber se você está se comportando direitinho. - ele diz com um tom de voz assustador.

— Nico me deixa em paz eu já te disse que o nosso relacionamento já acabou - ela diz com firmeza mas sem esconder seu medo.

— Lupita me da aqui deixa eu falar com esse otario - Santos ordena indignado tentando puxar o celular de Lupita que o impede.

— Ohh Lupita não seja ingênua isso aqui só acaba quando eu disser que acabou!

— O- O que você quer dizer com isso?! - ela gagueja

— Que você pertence a mim portanto eu vou estar sempre por perto te vigiando, como agora. - Nico falava como um psicopata fazendo pausas dramáticas e dono de uma calma absurda.

— Você tá mentindo não tem ninguém aqui - ela olha em volta.

— Lupita me da esse telefone - Santos insiste furioso.

— Sabia que você tá linda com essa saia longa preta e essa blusa tomara que caia branca?! E o seu namoradinho adorei a jaqueta preta devo admitir que ele está muito elegante meus parabéns  - ele ri maleficamente do outro lado da linha fazendo Lupita estremecer.

— Ele tá aqui Santos - ela tira o telefone da orelha e olha para Santos totalmente assustada com os olhos arregalados de tanto medo.

— Lupita, já deu me da isso aqui - Santos toma o celular da mão de Lupita que leva as mãos a os cabelos atordoada - e ai Nico você não tem mais o que fazer do que assustar menininhas inocentes não? Porque não aparece e vem resolve isso aqui de homem pra homem Oh seu imbecil?!

Ao ouvir  a voz grossa e enraivada de Santos Nico desligou com satisfação sabendo que conseguirá estragar a noite dos dois se Lupita não fosse dele, não seria de mais ninguém! 

— Vamos embora daqui Santos, eu to com muito medo ele tá aqui - a morena suplicava abraçada a Santos como quem se agarra a um bote salva-vidas.

— É impossível, só tem a gente aqui.

— Santos ele descreveu todas as nossas roupas ele tá aqui eu sei!

— Fica calma, eu vou te levar pra casa tá? - Santos a abraça forte tentando acalma-la.

*

Roberta e Diego estavam no quarto dela na casa de Martin, Roberta havia precisado pegar umas roupas para levar pro apartamento e como já estava tarde e não tinha ninguém em casa, Roberta achou que o melhor seria dormir por ali.

— Obrigada pela ajuda monstrinho acho que agora eu finalmente terminei de levar todas as minhas coisas - Roberta coloca as mãos na cintura observando seu namorado tentar fechar uma mala.

— Eu que agradeço você tem sido incrível comigo esses dias - ele a olha de baixo para cima fitando o sorriso mais lindo que Diego julgava já ter visto.

— Eu sei que faria o mesmo por mim. - ela se aproxima dele ficando cara a cara.

— Quando o doutor Marco Aurélio me disse que eu poderia ser preso eu surtei... - murmurou cabisbaixo 

— Ei, ei chega de baixo astral, não vamos pensar nisso pelo menos essa noite por favor - ela desenha os lábios dele com a ponta dos dedos recebendo um beijinho carinhoso dele.

— Tudo bem você tem razão - ele da sorriso amarelo.

— Sei como te fazer esquecer isso - Roberta diz sedutora falando próximo ao ouvido dele.

Roberta puxa Diego pela nuca iniciando um beijo, o beijo começou calmo e delicado só os lábios se tocavam. Diego começou a mordiscar os lábios dela e introduzir de leve a língua que ele sabia muito bem como usá-la por sinal. Roberta sorri com esse pensamento sem parar de beija-lo, puxando a blusa dele para cima tentando se livrar da peça.

Os dois tentam ir até a cama da ruiva sem se desgrudar só que no meio do caminho esbarram na porta do guarda-roupa e a ruiva tampa a boca abafando um risinho.

— Shii assim o meu pai vai acordar. - ela o alerta.

— Ah Roberta eu to morrendo de saudades, vem cá vem - Diego puxa a ruiva pelo braço colando novamente seus lábios nos dela.

#na sala

— Martin eu to com medo, eu to ouvindo uns barulhos estranhos, acho que pode ser um ladrao - Marina fala baixinho segurando uma vassoura na mão se prontificando a ir em direção de onde vinha os sons 

— Barulho?! Eu não to ouvindo nada Marina.

De repente PAFT os dois ouvem um barulho de um objeto caindo no chão.

— AAH você ouviu?! - Marina grita estericamente se assemelhando bastante a Mia neste momento.

— Eu vou acabar com a festa desse ladraozinho agora - Martin vai em direção ao barulho.

— Não Martin espera, pode ser perigoso - murmurou Marina correndo atrás dele.

#No quarto 

— Ai Roberta, você me deixa louco - Diego murmura excitado apertando com tesao a bunda de Roberta.

— Sou toda sua - Roberta arranha o peitoral desnudo de Diego fechando os olhos ao sentir ele descer os beijos para o seu pescoço.

— Roberta! - Martin se surpreende ao ver a cena quando entra no quarto e os dois se afastam com rapidez.

— Pai?! - Roberta fala com a voz falhada e Diego esfrega os dedos nos olhos tentando não acreditar no que estava acontecendo.

— O que vocês dois estão fazendo?! - Martin disse sério.

— O que você acha? - Marina deduz com ironia olhando para o seu namorado.

— Não tem graça Marina - Martin fala severamente olhando para Marina.

— V-Voces dois estão juntos?! - Roberta aponta para os dois percebendo só agora que Marina estava de baby doll e seu pai sem camisa.

— Não interessa, sou eu quem faço as perguntas aqui mocinha!

— Martin a culpa foi minha, nós estávamos “afastados “ por conta dos meus problemas e acabou que agora estávamos matando a saudade um do outro... - Diego coça a nuca e olha pro chão envergonhado.

— Entao vocês estão com proteção? - Marina se intromete mais uma vez.

— Eu já falei que não tem graça Marina - Martin lança um olhar repressor para a mãe de Mia.

— Mas eu to falando sério Martin! Se os dois estavam afastados agora nada mais natural que eles queiram fazer e por isso vão precisar de... - ela soa o mais natural possível 

—  Eles não vão fazer nada! - ele fecha os olhos e trinca os dentes tentando não imaginar a cena - agora por favor Diego vai pra sua casa.

Roberta olha para o pai decepcionada e ao mesmo tempo morrendo de vergonha por ter sido pega naquela situação, Marina estende a camisa de Diego para ele que se despede e a  pega totalmente sem jeito e vai em direção a porta sendo seguido por Roberta que repreende o pai com o olhar.

Martin deixa seu corpo cair sentado sobre a cama exausto mas sem deixar de lado o pensamento que “sua garotinha está crescendo”

— Não conhecia esse seu lado tão repressor - Marina senta-se ao lado dele

— Repressor? E porque não é a sua filha deixa só chegar a vez da Mia pra você ver o escândalo que o Franco vai fazer. - ele gesticula mostrando o dedo indicador

— Ai homens, sempre tão machistas - ela gira os olhos soltando a respiração.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...