História Rebeldes - Capítulo 9


Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Gaaino, Naruhina, Naruto, Rbd, Rbr, Sasusaku
Visualizações 80
Palavras 11.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal.
Nada a comentar, apenas a agradecer pelos quase 100 favoritos, pelos coments, views, e ate os fantasminhas hehehe; e desculpem-nos também pela demora, porem pra compensar o capitulo hoje é bem grande.

LEIAM AQUI
No capitulo tem uma musica (link nas notas finais) e pra vcs não se confundirem vou explicar mais ou menos como devem ler.
- Sempre tem indicando a pessoa que vai cantar tal parte daa musica
.Somente itálico – são as partes da musica (q eu não sei o nome) sem ser o refrão.
.Negrito e itálico – o refrão.
- na ultima vez que o refao é cantado esta em negrito e Itachi, e também tem umas partes em parentes “()” somente em itálico, essa é somente a Sakura quenta.
Ta tudo explicadinho la. Acho que da pra entender, se não entender é só ouvir a musica hehe.

Capítulo 9 - A surpresa dos Uzumaki


*Sasuke*

 

Agora estou finalmente deitado, meu corpo tava precisando disso, acho que vou tomar um banho pra ver se relaxo antes de dormir. Vou em direção ao banheiro na intenção de tomar banho, mas parou ao notar minha aparência no espelho.

 

_ Meu Deus, eu tô acabado, meu rosto está destruído, vou matar aquela garota. – Digo morto de raiva, mas se bem que eu procurei por isso, o que deu na minha cabeça pra beijar ela daquele jeito? Tá certo que foi muito bom, aquela demonia beija bem, dessa vez ela até que me bateu com razão, então vou deixar quieto.

 

_ Temeee cheguei, ta onde?

 

_ Banheiro.

 

_ Adianta aí que eu quero entrar.

 

_ Vai se foder Naruto.

 

_ iiii ta estressado? Que bicho te mordeu? – Saio do banheiro e Naruto me olha de cima a baixo com a boca aberta, de fato devo estar muito destruído.

 

_ O que houve com seu rosto teme?

 

_ Nada de mais, foi só o gato de uma mina que eu fiquei que fez isso.

 

_ Um gato fez isso com você? Conta outra teme, isso tá mais com cara de uma garota ter… FOI VOCÊ SEU DESGRAÇADO. SABIA QUE TINHA DEDO SEU NESSA HISTÓRIA, SÓ NÃO SABIA QUE FOI A MÃO INTEIRA.

 

_ Foi eu o que dobe? Ta ficando louco?

 

_ Foi você que agarrou a Sakura, não tem mesmo medo do perigo.

 

_ Eu não sei do que você tá falando, a coisa rosa foi agarrada?

 

_ Sério? Teme, acha que me engana? Vou lá perguntar pra ela então já que não quer me dizer a verdade. – O desgraçado diz e vai em direção a porta, mas eu o seguro.

 

_ Tá bom eu admito roubei um beijo dela, mas ela gostou só não vai admitir isso, claro como eu também não vou.

 

_ Ah garoto! Soube que disse que queria sentir o gostinho do inferno, e aí gostou?

 

_ Pior que a desgraçada beija bem pra cacete, mas vou deixar pra lá.

 

_ Ficou com medo do que ela pode fazer, se eu fosse você também teria.

 

_ Não fode Naruto, desde quando eu tenho medo de mulher? Ainda mais dela, eu só não vou mais forçar nada, não acho isso certo, eu agi no impulso, então se agente ficar outra vez vai ser por vontade dela.

 

_ Você é louco ela, quase me deu uma voadora agora pouco porque fui tentar dar um beijo na bochecha dela, disse que ninguém mais vai roubar um beijo dela.

 

_ Tava fazendo o que com a Sakura?

 

_ Nada de mais, não precisa ter ciúmes, só fui pedir ajuda pra conseguir um presente pra Saya.

 

_ Não tenho ciúmes. E o aniversário da nanica é sexta né?

 

_ Sim, sexta. Minha mãe deve fazer um almoço pra ela no sábado, se quiser ir está convidado e não chame ela de nanica, sabe que ela odeia.

 

_ Porque acha que eu falo? É engraçado irritá-la, ela parece com você. E estarei lá.

 

_ Ok, agora vou tomar meu banho que esse pó impregnou até na minha alma.

 

_ Exagerado.

 

 

 

_ Oh peituda porque aceitou ajudar?

 

_ Quem o Naruto? Pra que quer saber?

 

_ Nada, só curiosidade.

 

_ Bem ele é legal, e me salvou de uma queda e tanto na biblioteca, então não me custa dar uma ajudinha até porque isso não vai me dar trabalho nenhum é bem simples.

 

_ Hn.

 

_ E que história foi aquela de roubar outro beijo?  Quem roubou um beijo seu?

 

_ Não te interessa oh enxerida.

 

_ Larga de ser grossa garota, não quer falar, não fala não tô te obrigando.

 

_ Ótimo, não conseguiria mesmo peituda.

 

_ Você não tem ideia do que eu consigo lacraia rosa, se eu fosse você não se meteria comigo.

 

_ Pago pra ver.

 

_ Depois não reclame.

 

Depois disso ambas resolvem ir dormir, pois no próximo dia tem aula.

 

*Hinata*

 

Acordei bem cedo porque preciso achar o Naruto antes da aula começar, tenho que saber um pouco da menina não pode ser um presente qualquer, a lacraia rosa ainda está dormindo e eu não vou perder meu tempo acordando ela. Saio do quarto e logo avisto Naruto num corredor e corro para alcança-lo.

 

_ Preciso falar com você.

 

_ Ai garota não me mata do coração, não chega igual um fantasma.

 

_ Para de cena, preciso falar com você.

 

_ Eu já ouvi isso e você já está falando.

 

_ A sós.

 

_ Pode ir teme depois a gente se encontra.

 

_ Pera o que houve com seu rosto Uchiha?

 

_ Nada de mais. – Ele diz e sai de lá deixando nós dois sozinhos.

 

_ Diga.

 

_ Eu preciso que me fale da sua irmã, não posso arrumar um presente pra ela sem saber do que ela gosta.

 

_ Ah bem, eu não sei o que dizer. O que quer saber exatamente?

 

_ Quantos anos ela tem?

 

_ vai fazer 13 na sexta.

 

_ Cor favorita?

 

_ Laranja.

 

_ Qual vai ser o tema da festa?

 

_ Não vai ter festa.

 

_ Por quê?

 

 _ Porque não temos condições pra isso, eu não tenho família rica.

 

_ Ok, ela gosta de bichos?

 

_ Sim ela adora, mas minha mãe não permite animal nenhum em casa.

 

_ Porque ela é alérgica?

 

_ Não, é porque nós tínhamos um cachorrinho, a Saya não gostava dele no início porque nós fomos num abrigo para adotar um bichinho e ela cismou com uma raposa que estava lá queria de qualquer jeito, mas a raposa não dava pra criar em casa, então escolhemos um cachorrinho e demos o nome de Kurama, a Saya ficou uma semana com a cara emburrada sem querer saber do cachorro, mas depois ela se apegou a ele, eram inseparáveis, depois de um tempo ele morreu atropelado e ela chorou por quase uma semana e minha mãe não quer mais bichos por isso.

 

_ Entendo, e acho que já sei o que dar pra ela.

 

_ O que?

 

_ Se eu conseguir eu te falo. – Digo e saio correndo o deixando pra trás com mil ideias rodando na mente, até simplesmente veio uma ideia que me parecia certa.

 

_ Vamos fazer uma festa.

 

_ Quem vai fazer uma festa? – Me pergunta Sakura, que surgiu do além na melhor hora.

 

_ Nós.

 

_ Nós quem?

 

_ Eu e você.

 

_ Porque daríamos uma festa?

 

_ Pra irmã do Naruto.

 

_ E os pais dele porque não fazem?

 

_ Porque eles não tem condição pra isso Sakura, o Naruto é bolsista.

 

_ E o que eu tenho a ver com isso?

 

_ Garota eu vou organizar uma festinha pra irmã dele com ou sem a sua ajuda, achei que ele sendo seu amigo gostaria de ajudar, mas se não quer tudo bem eu me viro.

 

_ Agora senti firmeza, tudo bem eu ajudo.

 

_ Ajuda em que? – Chega Ino, e eu a olho sorrindo.

 

_ Vamos organizar uma festinha surpresa pra irmã do Naruto, quer ajudar?

 

_ To dentro, adoro festas.

 

_ Quando é o aniversário?

 

_ Nesta sexta.

 

_ O que? Não vai dar tempo sua louca. – Me diz Sakura.

 

_ Querida, nada é impossível pra mim, e acredito que pra você também não seja.

 

_ Não, mas vamos ter que correr, e outra, o Naruto só pode saber disso na última hora, se é como você está falando e ele não tem condições financeiras ele vai ver nossa ajuda como uma esmola ou coisa do tipo.

 

_ Tem razão, mas como vamos fazer pra organizar uma festa sem que ninguém da família saiba? Temos que saber do que ela gosta. – Diz Ino. E isso de fato é um problema.

 

_ Eu já perguntei algumas coisas por conta do presente, mas não é suficiente, e se eu perguntar mais ele vai desconfiar.

   

_ Já sei, o Uchiha pode ajudar. – Diz a Sakura.

 

_ Isso aí chiclete, sabia que sua cabeça servia pra mais que guardar doces.

 

_ Não começa o que não pode terminar peituda.

 

_ Gente vocês não vão brigar né? Que tal uma trégua?

 

_ Tá concordo.

 

_ Tanto faz.

 

_ Vamos atrás do Uchiha agora?

 

_ Não Ino, temos aula agora, mas vou mandar um bilhete pra ele nos encontrar no jardim depois da aula.

 

_ Ok, nos vemos lá, e sigilo total.

 

*Sakura*

 

Me separei das garotas e fui para minha sala, que por sorte ou azar, não sei, é a mesma do Sasuke. Assim que entrei logo o avistei e tive que fazer um esforço tremendo pra não começar a gargalhar, minhas unhas fizeram sucesso no rosto dele, e isso até alegra meu dia, faço minha melhor cara de paisagem e passo por ele me sentando na carteira vaga atrás dele, para ficar mais fácil passar o bilhete.

 

Ele nem olha para trás, parece tão concentrado em alguma coisa que parece que nem me percebeu aqui. Pego meu caderno e tiro uma folha escrevendo um bilhete para ele, ai você pensa: não seria mais fácil simplesmente falar com ele? Até seria, mas não tô com saco, o bilhete parece mais simples pra mim. Depois de escrito dou uma lida para ver se não escrevi nada errado tenho psicose com erro de português.

 

Uchiha, me encontra depois da aula no jardim, é algo do seu interesse.

Ass: Sakura.

 

E daí que não é do interesse dele? Se não falar isso ele certamente não irá, ainda mais porque eu que estou chamando, sei que ele vai querer me pirraçar.

 

Pego um lápis lhe furo na direção da costela dele, ele se vira pra mim me fuzilando e eu lhe estendo o papel, ele olha de mim para o papel, e de novo do papel pra mim, como se tivesse com medo de pegar e aquilo ser uma bomba, o que de fato não seria uma má ideia, mas não é dessa vez, então ele simplesmente pega o papel e se vira de frente novamente. Eu fico esperando uma resposta, percebo que ele leu e está escrevendo algo na folha, logo ele joga a folha sobre minha mesa e eu pego começando a ler.

 

Você não tem nada que possa me interessar, mas eu vou só porque estou surpreso por você me mandar um bilhete e fiquei curioso para saber o que quer. Mas fique sabendo que se isso for algum tipo de armação eu te mato.

 

Mas que imbecil, eu não faço as coisas pelas costas, comigo é tudo no cara a cara, será que ele ainda não entendeu isso?

 

Idiota não é armação, preciso mesmo falar com você.

 

Devolvo o bilhete, ele pega franzindo o cenho e me dando um “ok”. Não demora muito o professor entra e começa a aula, eu foco no que ele está falando para ver se o tempo passa mais rápido, e graças a Deus deu certo, nem percebi o tempo passar. O professor guardou seus materiais e saiu da sala, eu fiz o mesmo indo em direção ao jardim esperando que as outras já estivessem por lá, mas não tinha ninguém assim que cheguei, então sentei no chão e esperei, logo o Sasuke apareceu.

 

_ O que você quer comigo?

 

_ Deixa as outras chegarem ai agente fala.

 

_ Que outras? Isso é armação garota? Eu te avisei o que faria não avisei.

 

_ Cara sossega seu facho que não tem armação nenhuma, é so a Ino e a Hinata, queremos fazer uma coisa, mas pra isso vamos precisar da sua ajuda.

 

_ Não vou matar ninguém, logo aviso.

 

_ Porra, você é lesado assim de nascença ou foi piorando com o tempo?

 

_ Você me chamou aqui para me xingar garota? Tô indo embora. – Ele se vira para ir, mas eu o seguro e ele me fuzila com olhar.

 

_ Não me olha assim, a ideia nem foi minha e até acho que você vai gostar.

 

_ Porque não fala logo o que você quer? Seria muito mais fácil.

 

_ Tá legal, foda-se, não mandei elas se atrasarem. Nós queremos fazer uma festinha surpresa pro aniversário da irmã do Naruto. – Digo, ele arregala os olhos e abre a boca, mas fecha em seguida.

 

_ Porque querem fazer isso? O Naruto sabe disso?

 

_ Chegamos, já falou com ele Sakura? – Me pergunta Hinata assim que chega.

 

_ Estão atrasadas.

 

_ Sabemos Sakura, mas a culpa não foi nossa e sim do Kabuto que nos prendeu na sala.

 

_ Tá, tá. Foi o que mesmo que você perguntou? – Perguntei ao Sasuke para ver se lhe irritava, mas não deu certo, ele só suspirou e repetiu o que tinha dito.

 

_ Eu perguntei por que querem fazer isso e se o Naruto sabe disso.

 

_ Bem, eu resolvi fazer a festa porque fiquei com pena da criança não ter uma festinha, sei que se fosse por vontade deles, eles fariam, só não fazem por não ter condições financeiras e isso agente tem de sobra, não custa nada, e ele já me pediu ajuda com o presente, então resolvi só ampliar o pacote. E não, o Naruto não sabe.

 

_ Hn, imaginei. Vocês sabem que ele não vai aceitar isso, não sabem?

 

_ Nós sabemos, e é aí que você entra, queremos organizar tudo pro Naruto só descobrir na hora da festa, aí ele não vai poder negar, e você como amigo dele certamente sabe do que a garota gosta.

 

_ Olha, eu já tentei oferecer ajuda financeira para uma festa para a nanica uns anos atrás, vocês sabem o que ele fez?

 

_ Não, o que? - Pergunta Ino.

 

_ Ele me deu um soco na cara e disse que nem ele nem a irmã estavam a venda, e que de mim ele só queria a amizade, que não precisava do meu dinheiro.

 

_ Puta merda, ele não vai gostar gente! – Diz Ino mais uma vez.

 

_ Ele é orgulhoso, não aceita ajuda desse tipo, mas não vai ter escolha quando chegar na festa com a família, além de aceitar. – Digo e todos me olham.

 

_ Tá bem, se querem mesmo fazer isso vou ajudar, mesmo que eu esteja pressentindo que vou levar outro soco. Do que precisam?

 

_ Não vai não Sasuke, dessa vez se ele quiser bater em alguém, vai ser em mim, eu inventei isso, não vou deixar ele te bater por isso. – Diz Hinata e nós olhamos para ela assustados. Cade a maldita patricinha do primeiro dia? Já nem reconheço mais essa garota.

 

 

_ Tá legal, mas o que querem de mim? Dinheiro certamente não é.

 

_ Precisamos saber do que ela gosta e de alguém para levar ela e a mãe pro local da festa, e não pode ser o Naruto, de alguém para chamar os amigos, vizinhos, família, sei lá, gente que eles gostem para participar da festa.

 

_ Só isso?

 

_ Sim.

 

_ Bem ela gosta dos 101 dálmatas, pode fazer esse o tema da festa quanto o bolo, doces e essas coisas que tem açúcar ela tá comendo, é pior que formiga, ah e se conseguirem uma fantasia de dálmata ela vai pirar, ela queria uma um tempo atrás, mas não achamos em lugar nenhum.

 

_ Pra que ela queria a fantasia?

 

_ Não me lembro bem, acho que era uma festa fantasia não sei.

 

_ E quanto a mãe dela?

 

_ Dona Kushina? Bem ela é um doce de pessoa, mas se ela se estressar é pior que limão bem azedo, então não é bom estressa-la, para a saúde de ninguém.

 

_ E o pai dela?

 

_ O pai deles é falecido, eles não têm pai. A Saya nem lembra do pai porque era muito nova quando aconteceu.

 

_ Nossa, não sabia, ainda bem que não perguntei isso a ele.

 

_ É bom mesmo, ele não gosta de falar disso.

 

_ Entendo.

 

_ E quanto ao presente? O que vai dar? Posso dar umas dicas também.

 

_ Isso aqui olha, pode ser a Kurama.

 

Ele olha pro celular e sorri, e que sorriso acho que foi o mais verdadeiro que ele deu até hoje.

 

_ Vai ganhar os dois irmãos numa só cajadada com isso, Hinata, parabéns pela criatividade, eles vão amar.

 

_ Tomara que você esteja certo.

 

_ Querem saber mais alguma coisa?

 

_ Não, depois te falamos o local da festa para você levar elas e avisar aos outros...

 

_ Ah, no sábado o Naruto me chamou para um almoço, poderíamos dar a festa depois dele, uma de vocês liga pra ele pedindo socorro, pode ser você Sakura, aí eu tenho uma desculpa para não ir e levo a família dele para o local.

 

_ Não é que o bonequinho de plástico pensa gente, me surpreendeu, mas pode ser.

 

_ Não começa com as ofensas não chiclete, não vai gostar se continuar.

 

_ Como se eu me importasse.

 

_ Porra vocês dois também? To cansada de ser a mediadora nesse caralho. Será que não dá para conviverem como duas pessoas civilizadas até acabar esse aniversário? – Diz Ino, e gente, nunca vi ela estressada assim, deu até um pouco de medo agora.

 

_ Ino você ta bem?

 

_ Estaria melhor se vocês parassem com a criancice, parece que sentem prazer em ficarem se xingando, tem formas melhores de sentir prazer e acho que vocês dois logo estarão lá.

 

_ MAS NÃO MESMO. – Gritamos nós dois juntos, e nos olhamos enquanto, Ino gargalhava.

 

_ Eu nem falei onde e já estão se defendendo, aí tem hein.

 

_ Não tem nada Ino, fica quieta e vamos embora que temos uma festa para organizar em pouquíssimo tempo.

 

_ Sim vamos lá pro nosso quarto resolver logo os detalhes e dividir as tarefas.

 

_ Vou chamar o Gaara também para ajudar. – Ino diz e nós concordamos. Quanto mais gente melhor.

 

Fomos para o quarto e sentamos no chão mesmo, nós três, e Hinata colocou uma lista no chão de tudo que precisaríamos.

 

_ Tá, vamos ao principal. Um lugar pra fazer a festa, que tal um salão de festas?

 

_ Acho melhor não, eles não vão se sentir bem. Que tal na casa de alguém?

 

_ Lá em casa não dá. – Diz Hinata abaixando a cabeça, e eu penso que a minha também não é uma boa opção.

 

_ Acho que a minha está livre, mas não sei se daria certo, o entra e sai lá é grande.

 

_ Que tal no meu apartamento? – Pergunta Ino.

 

_ Seus pais não se importam?

 

_ Eu moro sozinha.

 

_ Tudo bem então, lugar ok. Número dois: decoração dos dálmatas. Onde achamos isso?

 

_ Deixa eu ver com uns contatos aqui. – Hinata fica uns minutos no celular e logo o bloqueia.

 

_ Tudo feito gente, consegui tudo para a decoração, só não a fantasia.

 

_ Isso acho que posso dar um jeito. – Digo e pego meu celular. – Alô Tsu, sim, sim, tudo bem; não, eu só preciso de um favor. Ah eu sei que só ligo quando preciso de algo, mas pode ver pra mim mesmo assim?  Tudo bem, preciso de uma fantasia de dálmata para uma criança de… Quantos anos ela tem?

 

_ Treze.

 

- Treze anos. Isso. Acha que consegue? Perfeito, quando conseguir manda pro colégio para mim.

 

_ Tudo feito meninas, consegui a fantasia, antes de sexta estará aqui.

 

_ Ok, falta o que agora?

 

_ O bolo, docinhos, e essas coisas, vamos fazer lembrancinhas também?

 

_ Não, acho melhor não, não queremos algo muito exagerado.

 

_ Certo, bolo e docinhos, alguém conhece algum fornecedor que entregue isso em três dias?

 

_ Conheço, só não sei se ele está disponível, vou tentar ligar.

 

_ Alô Pierre? É a Sakura, sim a filha da Mebuki, preciso de um bolo dois andares dos 101 dálmatas e alguns docinhos. Acho que uns dois, centos e uns dois centos de salgadinhos para esse sábado, sim eu sei que está muito perto, mas você consegue fazer? Ok, muito obrigado, claro direi sim, tenha um bom dia.

 

_ Puxa saco desgraçado.

 

_ Consegui gente. Tem mais o que aí?

 

_ Cachorro quente e pipoca vocês acham que precisa?

 

_ Acho que não, não queremos que fique muito exagerado, tem que ser algo mais simples mesmo, acho que assim tá bom.

 

_ Então acho que é isso, na sexta pela manhã as coisas para a decoração estão chegando, então como vamos fazer para arrumar? Nós não vamos ter tempo.

 

_ Eu conheço uma decoradora muito boa, posso ver se ela pode arrumar para gente sábado a festa vai ser depois do almoço não é? Da tempo pra gente terminar de acertar os últimos detalhes, antes do Uchiha levar elas e o Naruto chegar.

 

_ Concordo, vê ai se ela pode. – Ino mexe no celular por um tempo e depois nos olha sorrindo.

 

_ Ela pode sim, vem aqui pegar a chave da casa comigo sexta de manhã, e você pode mandar as coisas para minha casa na sexta mesmo, para ela organizar tudo.

 

_ Me passa seu endereço depois então.

 

_ Ja te mandei no seu Whats, e no seu também Sakura, para mandar o bolo para lá.

 

_ Ok gente, tudo feito então agora é só esperar.

 

_ Sim. caralho olha a hora, marquei com o Gaara uma hora atrás para avisar da festa, ele vai me matar. Até depois meninas. – Ino diz e sai correndo do quarto.

 

_ Essa ta apaixonada.

 

_ Concordo.

 

_ Você concordando comigo? Vai chover canivetes.

 

_ Garota nós não estávamos numa trégua?

 

_ Sim peituda do meu core, mas só para assuntos que dizem respeito ao aniversário da garota, fora isso, ainda inimigas.

 

_ Você que sabe.

 

 

_ Mudando de assunto como é o nome da garota tenho que mandar botar no bolo.

 

_ Puta que pariu, não lembro, qual mesmo? É com S tenho certeza vai falando nomes com S aí lacraia, para ver se eu lembro.

 

_ Samanta, Sabrina, Suelem, Chayane... Ah não pera, esse não é com Sm esse é C...

 

_ É isso! É Saya, lembrei.

 

_ Tem certeza disso? Não posso botar nome da garota errado em criatura.

 

_ Sim, tenho certeza é Saya mesmo, o Naruto me falou mais cedo, só não lembrava, mas o seu “Chayane” me lembrou.

 

_ Ok, é por sua conta e risco, agora vou tomar banho.

 

_ Vai lá, depois eu também vou.

 

*Ino*

 

 

_ O Gaara tá aí? – Pergunto ao ver o Uchiha na porta.

 

 

_ Não, aqui ele não está não. – Droga e agora onde é que eu vou achar ele agora?

 

_ Tem alguma ideia de onde ele pode estar?

 

_ Não, mas talvez ele possa ter ido comer alguma coisa.

 

_ Valeu Uchiha, até mais.

 

*Sasuke*

 

A garota sai correndo e eu volto pro quarto.

 

_ Você não devia largar a garota igual uma doida atrás de você na escola. Porque tá fugindo dela?

 

_ Simples, ela me deu um bolo daqueles, me deixou plantado esperando por ela. Agora deixa ela correr atrás um pouquinho, não vai matar ela não.

 

_ Vingativo você hein. Mas se vira a mulher é sua, só não me mete nisso de novo, e é melhor ir pro seu quarto, o Naruto daqui a pouco ta ai.

 

_ Ok até mais.

 

Os dias foram passando tranquilamente e quando eles mal perceberam já era sexta-feira.

 

*Sakura*

 

_ Nossa, o tempo voou né gente? O aniversário da Saya já é amanhã, será que o Sasuke conseguiu convidar as pessoas? – Pergunta Sakura a Hinata.

 

_ Não sei, mas vamos perguntar não é ele vindo ali?

 

_ Sim. Uchiha, chega mais. – Chamo e ele me olha vindo para o nosso lado.

 

_ Que foi demônia rosa?

 

_ Nada de mais filhote de urubu, só queremos saber se conseguiu convidar os amigos da Saya.

 

_ Convidei os que eu conheço, mas não são muitos e nem todos os amigos dela, o Naruto que conhece o resto.

 

_ É, mas o Naruto não pode saber ainda.

 

_ O que eu não posso saber? – Naruto chega e nos assusta, ficamos sem saber o que falar, mas Hinata nos salva.

 

_ Você não pode saber qual é o presente ainda, eu quero fazer surpresa e estava perguntando ao Sasuke se ele acha que a Saya ia gostar, só isso.

 

_ Então quer dizer que todo mundo sabe menos eu? Grande amigos vocês, poxa me conta Hina, sou curioso.

 

Meu coração se acalmou achei que ele ia descobrir e ia tudo por água abaixo mas, ainda bem que ele é meio tapado, nossa sorte.

 

_ Tudo bem Naruto, vou te mostrar, mas só mais tarde agora temos aula tô indo para minha sala.

 

_ Que isso Hina, me conta agora. Vai me deixar na curiosidade até de tarde?

 

_ Vou. – Ela diz e sai correndo deixando um Naruto emburrado para trás, então ele nos olha e sorri, e eu não gosto disso.

 

_ Desembucha teme qual é o presente? – Ele fala com o Sasuke que sorri, mas aquele sorriso debochado que só ele tem.

 

_ Só vou dizer que você e a nanica vão adorar.

 

_ Já falei para parar de chamar ela assim, você sabe que ela odeia, vai acabar deixando de gostar de você por isso.

 

_ Vai nada, aquela pirralha me adora, se duvidar gosta mais de mim do que de você.

 

_ Vai achando teme, sonhar não custa nada, e anda desembucha logo o que eu quero saber.

 

_ Naruto eu não vou falar nada, não adianta insistir, agora tá na hora da aula vamos embora.

 

_ Se não me contar vou espalhar seus podres pela escola, não me tente.

 

_ Sério que tá ameaçando ele por causa de um presente Naruto? – Pergunto o olhando pro Naruto que sorri.

 

_ Se for necessário sim.

 

_ Não liga não minha querida demônia, ele não tem coragem para isso, só está tentando dar uma de esperto, mas ele já deveria saber que comigo isso não cola.

 

_ Quem disse que eu ligo, eu só estranhei essa atitude vindo dele, esperaria de você não dele.

 

_ Eu não insisto quando alguém não quer me contar algo, não sou tão curioso assim não.

 

_ O teme não vai falar, mas e você Sakurazinha do meu coração? Me conta vai.

 

_ Minha nossa, parece um viado falando agora.

 

_ Calado teme.

 

_ Então Sakurinha o que acha? Me conta e eu te dou algo que você queira. – Ele dizia segurando minha mão com aqueles olhos de cachorro pidão, como se isso funcionasse comigo.

 

_ Naruto querido, me chame no diminutivo de novo e vai perder uns dentes da boca.

 

_ Nossa Sakura você é muito bruta.

 

_ Ela não gosta de melação Naruto, chama de demônio que ela fica feliz acredite.

 

_ Tá querendo perder uns dentes também Sasuke?

 

_ Não, meus dentes são lindos de mais para sair da perfeição que é o meu rosto, mas diz a verdade, prefere ser chamada de demônio rosa a ser chamada de Sakurazinha, que diabos de nome é isso?

 

_ Tá admito, prefiro o demônio, pois ele pode levar o desgraçado ao inferno com um estalar de dedos.

 

_ Não disse.

 

_ Cara, vocês dois são perfeitos um pro outro, quando vão parar de cena e admitirem que se gostam?

 

_ É O QUE? – dizemos nós dois ao mesmo tempo.

 

_ Eu não gosto dessa criatura não, ta louco Naruto? Quero distância dele.

 

_ Por enquanto.

 

_ Vai te foder Naruto, eu não gosto desse demônio tá pirando na batatinha, depois diz que não é um tapado quando eu digo.

 

_ Não gosta, mas disse que ela beija bem. – Ele diz, vejo o Sasuke tremer na base, e eu fico vermelha tenho certeza, minha cara esquenta.

 

_ Disse, porém não se gosta de uma pessoa só porque ela beija bem, e me lembre de nunca mais te contar nada seu imbecil. – Ele diz e sai de lá e Naruto abre a boca.

 

_ Foi mal teme, puta que pariu me esperaaa!

 

_ Vai se ferrar e me deixa em paz.

 

_ Droga ele já não contava quase nada, agora mesmo que não vai falar, eu sou um idiota.

 

_ De fato é um idiota, até mais Naruto – digo e saio de lá rumo a sala de aula.

 

A aula correu normalmente, chega a hora do almoço e vou em direção ao refeitório, logo vejo as meninas sentadas numa mesa afastada, pego minha refeição e vou em direção a elas.

 

_ Tudo certo gente. A menina já está arrumando tudo.

 

_ Tudo bem Ino, mas não vamos falar isso aqui, o Naruto quase nos pegou mais cedo, não vamos correr mais riscos.

 

_ É amanhã né, tô ansiosa.

 

_ É sim Ino, mas para de falar disso. Cadê o Gaara? Porque não fica com ele?

 

_ Ah ele tá me dando gelo e fugindo de mim porque dei um bolo nele ontem.

 

_ Nossa ele é vingativo hein? Dá o troco amiga tá esperando o que?

 

_ Minha oportunidade vai chegar, eu sou paciente, galo de casa não se corre atrás.

 

_ Nossa parece que você e pior que ele, coitado.

 

_ Coitado nada, não mandei mexer com fogo, agora acho bom ele ter água o suficiente para apagar o fogo que ele mesmo acendeu.

 

*Hinata*

 

_ Hina e meu presente? Eu vou pra casa hoje você conseguiu? 

 

_ Claro que consegui Naruto, o que eu não consigo?

 

_ Sério e onde está? 

 

_ Tá lá no meu quarto mais tarde passa lá pra pegar.

 

_ Ah obrigado Hina, você é demais. – Ele me diz e beija meu rosto, saindo correndo me deixando um pouco sem graça.

 

_ Gente vou lá na biblioteca entregar esse livro, mais tarde agente se fala.

 

_ Vai lá. – Me dizem as duas.

 

Saio e vou em direção a biblioteca com o livro em mãos, fico triste em ter que devolvê-lo, mas é necessário para que outros também possam ler.

 

Caminho até a prateleira e deposito o livro, me viro para sair, mas paro ao ouvir a voz da Konan e uma risadinha, então me aproximo lentamente e me escondo atrás da prateleira, percebo que ela está com mais duas meninas e fico ouvindo a conversa.

 

_ Ah Konan, ser filha do diretor deve ser ótimo não é?

 

_ Sim é muito bom, meu pai faz tudo que eu quero.

 

_ Então você pode namorar no colégio? 

 

_ Não, nessa parte ele é um pé no saco, pior do que com vocês.

 

_ Ah eu daria tudo para o Uchiha me dar uma atençãozinha, mas ele não tem olhos para mim.

 

_ Sério que tu gosta do Uchiha? Ele é um grosso, prefiro o Narutinho, ele é tão legal, mas também não quer nada comigo.

 

_ E você Konan, se pudesse ficaria com quem?

 

_ Eu gosto de ruivos, prefiro o Gaara mil vezes a esses dois mentecaptos que vocês falaram, mas ele tá com aquela loira dos infernos, então não quer saber de mim também não.

 

Opa isso é muito interessante! Então ela é caidinha no Gaara? Vejo uma possibilidade de vingança, vou deixar passar o niver da Saya e vou esplanar isso para a galera, com certeza eles vão amar.

 

Volto para meu quarto e fico lá o resto da tarde lendo, até ouvir uma batida na porta, levanto para abrir logo vendo o Naruto na porta.

 

_ Vim buscar o presente. – Ele diz todo sorridente.

 

_ Ainda não embalei ele, quer ver o que é antes que eu faça isso?

 

_ Claro que quero onde está?

 

_ Entra ai.

 

_ Entrar? Mas e se alguém nos pegar?

 

_ Tá com medinho Naruto?

 

_ Não, claro que não. – Ele diz e entra no quarto fechando a porta.

 

_ Eu pensei em dar algo que tivesse algum significado para vocês dois, por isso fiz aquelas perguntas, então eu acho que isso aqui é algo que ela vai gostar. – Digo sacudindo uma raposa laranja pro lado dele, e vejo ele me olhando sem fala. – Que foi Naruto? Não gostou? Juro que achei que…

 

_ Eu amei Hina, obrigado. – Ele diz me abraçando numa velocidade absurda.

 

_ De nada, deixa eu embalar a Kurama então né, não dá para entregá-la assim. – Digo assim que me afasto dele.

 

_ Claro, não sei nem como te agradecer.

 

_ Não precisa me agradecer. Considere um brinde por não me deixar me esborrachar quando cai daquela escada.

 

_ Não te segurei interessado em ganhar nada.

 

_ E eu falei isso? Eu disse para considerar um brinde que eu quero te dar.

 

_ Mas eu quero pagar, quanto foi?

 

_ Para Naruto isso não é nada para mim, se você insistir em pagar vou me zangar com você.

 

_ Tudo bem então.

 

_ Tá aqui o embrulho, não está maravilhoso pois não costumo fazer isso, mas dá pro gasto.

 

_ Você tá brincando? Se eu fosse embalar isso ia ficar horroroso, o seu ta lindo muito, obrigado mesmo.

 

_ De nada. – Digo e ele sai do quarto, eu percebo que talvez ele não vá gostar tanto da festa assim por nós pagarmos tudo para ele, mas agora já é tarde, e eu não vou mais voltar atrás.

 

*Sakura*

 

_ Diga Mebuki, o que é tão importante para perder seu tempo me ligando? – Digo revirando os olhos coisa boa não é, ela nunca me liga.

 

_ Para com esse sarcasmo agora mesmo Sakura, liguei pra saber de você.

 

_ Ah estou ótima, nessa prisão melhor impossível. – Digo com deboche e ela suspira.

 

_ Que bom que está gostando, pois esse fim de semana ficará aí, tenho uma viagem programada e em hipótese nenhuma te deixarei em casa sozinha.

 

_ COMO É QUE É? VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO COMIGO.

 

_ Eu posso, e vou Sakura, mas achei que tivesse dito que estava amando o colégio.

 

_ Pelo jeito você ainda não aprendeu a identificar um sarcasmo quando vê um, é uma incompetente mesmo.

 

_ Olha o respeito mocinha ainda sou sua mãe.

 

_ Infelizmente, nunca tive escolha quanto a isso.

 

_ SAKURA… - Desligo na cara dela quando ela começa a falar, e taco meu celular na parede de ódio.

 

_ DESGRAÇA O BOLO. – Digo e corro até o celular despedaçado, ao me lembrar que ainda não tinha confirmado o local da entrega – Vamos meu filho reaja, eu preciso de você. - Dou tapinhas nele para ver se ele voltava a vida, mas nada.

 

_ Tá tudo bem ai criatura? – Ouço uma pessoa dizer, e reconheci aquela voz em qualquer lugar.

 

_ Sasuke cala a boca e me ajuda. – Digo quase chorando, já que o celular não voltava a funcionar.

 

_ Foi o que? Tá passando mal? – Ele me pergunta se aproximando de mim.

 

_ Não idiota, meu celular. – Digo pensando bem se pedir ajuda justo a ele seria uma boa ideia mesmo.

 

_ Caiu?

 

_ Não, eu joguei ele na parede.

 

_ Você é doida, quebra o celular e agora fica assim, não te entendo.

 

_ O problema não é o celular, eu posso comprar outro, o problema é o bolo da Saya que eu ainda não confirmei o local da entrega, e preciso do celular para isso.

 

_ Então porque quebrou inteligência?

 

_Não faz pergunta difícil porra, foi na hora raiva, não pensei, e agora o quê que eu faço?

 

_ Calma, eu não devia, mas vou te ajudar só porque é o bolo da Saya, senão você que se virasse.

 

_ E como vai fazer isso posso saber?

 

_ Me dá aqui os restos mortais. – Ele diz, e eu entrego pra ele, mais quebrado que isso não pode ficar, e quem sabe ele não seja útil para alguma coisa no fim.

 

Ele cutuca pra lá e pra cá, e consegue um sorriso daqueles quando vejo ele acender.

 

_ Como fez isso?

 

_ Um mestre não conta seus truques, agora fala rápido que não vai durar muito tempo.

 

_ Ok. – Pego o celular com cuidado e envio a mensagem com a localização da festa para entregarem o bolo, suspiro feliz, aí sim jogo o celular com mais força na parede pra terminar de destruí-lo, deixando um Sasuke de olhos arregalados.

 

 

 _ Caramba, o que o celular te fez de tão grave pra ter tanto ódio?

 

_ O celular nada, minha mãe fez, mas o que tinha mais perto pra descontar a raiva era ele, então azar dele, se bem que agora você tá aqui também, posso descontar em você.

 

_ Epa, pera lá garota, eu te ajudei e quer descontar sua raiva em mim, procura um saco de pancadas porra.

 

_ Não é que você presta pra alguma coisa. Até mais tarde filhote de urubu.

 

_ Espera, vocês também não me deram o endereço, como vou levar elas pra lá? 

 

_ Vou mandar a Ino te mandar, como pode ver eu não tenho mais já que destruí meu celular.

 

_ Ok.

 

_ Fui, vou arrumar alguma coisa pra socar.

 

*Sasuke*

 

_ Garota doida, o pior é que é bonita a desgraçada.

 

_ Quem é bonita Uchiha?

 

_ Não te interessa Gaara.

 

_ Nossa, pra que todo esse estresse cara?

 

_ Quem disse que estou estressado?

 

_ Tá legal, não tá mais aqui quem falou nada.

 

_ Sasuke estava te procurando.

 

_ O que quer comigo Ino?

 

_ Te passar o endereço né imbecil, o que mais seria?

 

_ Tá legal, cadê? 

 

_ Tá aqui, me diz uma coisa, marcaram que horas o almoço?

 

_ Onze horas, eles almoçam cedo.

 

_ Perfeito, a festa vai ser às 13:00 então, e quanto aquele esquema, decidimos que a Sakura que vai ligar pro Naruto pedindo ajuda, você não vai com ele e trás a família dele pra minha casa.

 

_ Como ela vai ligar se quebrou o celular dela?

 

_ Ela quebrou o celular? Ta não tem problema, eu arranjo outro pra ela assim. – Ela diz e estala os dedos. – Tá certo, até mais então, vou ver a Sakura, certamente aconteceu alguma coisa. – Ela começa a se mover pra ir embora.

 

_ Ino você não me deu o endereço.

 

_ Ah claro desculpa, tá aqui. eu me empolguei um pouco. – Ela me entrega um papel e eu coloco no bolso.

 

_ Tá legal, tchau Uchiha.

 

_ Não vai falar comigo Ino?

 

_ Agora você quer falar comigo? Interessante. Agora quem não quer sou eu, até mais, passar bem. Se quiser pode levar ele Uchiha. – Ela sai de lá e eu não resisto, começo a gargalhar retirando um olhar furioso do Gaara pra mim.

 

_ Eu te avisei que isso ia dar merda. – Digo assim que consigo parar de rir.

 

_ Do que vocês estavam falando, e pra onde você pode me levar?

 

_ Ah elas estão organizando uma festinha surpresa pra irmã do Naruto, e eu estou ajudando, mas o Naruto não pode saber disso ainda, então boca fechada.

 

_ Eu vou tenho que tentar me reconciliar com a Ino, e pelo jeito ela também é vingativa, então me fodi.

 

_ Também acho, boa sorte cara. – Dou tapinhas em suas costas e saio de lá.

 

*Ino*

 

_ Sakura o que é isso? – Pergunto ao chegar no quarto e acha-la socando um travesseiro amarrado numa vassoura.

 

_ Um saco de pancadas improvisado. – Ela diz ofegante.

 

_ E pra que isso?

 

_ Preciso descontar a raiva.

 

_ O que aconteceu?

 

_ Ah nada demais, só… minha mãe… como sempre… me deixou aqui nessa droga de colégio esse fim de semana. – Ela me diz enquanto ainda soca o travesseiro.

 

_ Ah calma amiga, eu fico com você não tenho nada melhor pra fazer mesmo. – Ela para e me olha com os olhos arregalados.

 

_ Você vai ficar nessa droga só por minha causa?

 

_ Porque não? E nem é tão ruim assim, a gente pode sair, só temos que voltar pra dormir aqui.

 

_ Então nós não vamos ficar presas?

 

_ Não, a não ser que sua mãe tenha pedido, isso aí é outra história. Ela pediu?

 

_ Acho que não, ela só não quer me deixar sozinha em casa com medo de eu aprontar alguma.

 

_ Que diabos é isso? – Pergunta Hinata recém saída do banheiro sem entender nada.

 

_ Saco de pancadas improvisado.

 

_ Legal, me empresta?

 

_ QUE? – Perguntamos nós duas ao mesmo tempo estranhando o pedido dela.

 

_ Nada não, esquece eu vou dormir boa noite. – Ela diz e se deita, e eu e Sakura nos olhamos e damos de ombros, também vou dormir, depois de um banho claro.

 

_ Certo até amanhã então meninas.

 

§§§

 

A noite passa rápido e logo esta de manhã. Ino acorda bem cedo, se arruma e vai pro quarto das garotas, chegando lá acha ambas dormindo.

 

_ Vamos acordar minha gente. – Ela chega falando, mas nenhuma das duas se mexe na cama. – Eita porra. ACORDEM AGORA. – Ela grita e assusta as duas.

 

_ O que? Onde? Porra Ino, isso é jeito de se acordar alguém? – Pergunta Hinata ainda zonza de sono.

 

_ PUTA QUE PARIU! Vou te matar sua desgraçada! Porque veio nos acordar tão cedo inferno? Não são nem oito horas.

 

_ O aniversário esqueceram? Ainda temos que arrumar algumas, coisas fora que o bolo chega daqui a pouco lá, e não tem ninguém pra receber, andem tirem essas bundas da cama e se arrumem. Tem dez minutos.

 

_ Porra Ino, você é um saco.

 

_ Não adianta reclamar, ela já nos acordou mesmo – diz Hinata se espreguiçando e indo em direção ao banheiro.

 

_ O banheiro é meu! – Grita Sakura, mas Hinata já estava mais perto.

 

_ mas não mesmo. – Ela diz e se tranca nele fazendo Sakura bufar.

 

_ Vocês duas parecem crianças.

 

_ Dá um tempo Ino, eu ainda nem acordei totalmente.

 

Depois de uns minutos Hinata sai do banheiro e logo Sakura entra, não demora muito sai também.

 

_ Levem uma muda de roupa pra se arrumarem lá para a festa, pois vamos trabalhar muito e certamente vamos suar.

 

_ Ok. – Dizem as duas ao mesmo tempo.

 

As três saem do quarto, não andam muito e encontram com Sasuke no caminho.

 

*Sakura*

 

_ Não foi pra casa ontem também não Uchiha?

 

_ Evito ao máximo isso, só vou lá porque tenho algumas coisas pra pegar antes de ir para casa do Naruto.

 

_ Nossa, seu pai não sente sua falta não? – Fala Ino, e eu vejo sua feição se contorcer um pouco.

 

_ Meu pai, tsk... talvez os empregados sintam minha falta, ele garanto que não.

 

_ Desculpa eu não queria…

 

_ Tá beleza, nos vemos mais tarde. – Ele diz e sai, deixa nós três paradas com cara de tacho.

 

_ Vão bora gente, temos muito o que fazer.

 

E assim foi feito, nos saímos e fomos para o apartamento da Ino que não era muito longe dali, graças a Deus, pois fomos andando mesmo.

 

_ Nossa ficou lindo Ino, essa sua amiga mandou muito bem. – Disse assim que entramos na casa.

 

_ Fico muito bom mesmo. – Diz Hinata sorrindo.

 

_ Que horas o bolo chega?

 

_ Não sei, estou sem celular.

 

_ O que houve com seu celular?

 

_ Quebrei.

 

_ Nossa, é bom não é?

 

_ Sim maravilhoso, mas agora tô sem ele.

 

_ Falando nisso, aqui está. – Ino me estende um celular novo idêntico ao meu, e eu a olho.

 

_ Como sabia disso Ino?

 

_ Ah o Uchiha comentou que você quebrou o seu, e nosso plano depende de você ligar para o Naruto, então aí está.

 

_ Nossa você colocou até o mesmo número? Como fez isso?

 

_ Tenho meus contatos. – piscou – agora vamos ao que interessa, temos muita coisa pra fazer aqui ainda.

 

 

 

As três entraram trabalhando, arrumando a casa e tudo mais que foi necessário, até Hinata, que era considerada a patricinha do pedaço, fez tudo sem nenhum problema, pelo jeito ela não é tão patricinha como pensavam.

 

_ Ufa gente! Até que fim acabou, são que horas isso?

 

_ Nossa, já são meio dia. Vamos nos arrumar e ligar pro Naruto como o combinado.

 

 *Sasuke*

 

_ Teme até que fim chegou, achei que não fosse vir mais.

 

_ E você acha que eu ia perder o aniversário da minha princesinha?

 

_ Sasuke-kun.

 

_ Cadê meu abraço? – Pergunto com os braços abertos e ela corre pra mim pulando no meu colo.

 

_ Nossa nanica, você tá crescendo hein.

 

_ Não sou nanica. – Ela responde emburrada e eu a aperto mais contra mim.

 

_ Ai, tá me apertando!

 

_Eu sei, tava com saudade. - Digo e a coloco no chão e ela sorri pra mim.

 

_ Também tava – ela diz e gruda no meu pescoço mais uma vez, quase me enforcando.

 

_ Eu não tive toda essa recepção calorosa. – Naruto resmunga e ela sorri me soltando e indo abraçar ele também.

 

_ Não precisa ser ciumento maninho.

 

_ Olha o que eu trouxe pra você – Sacudo o presente e ela solta Naruto vindo em minha direção de novo.

 

_ O que é?

 

_ Abre e você vai descobrir.

 

_ Eu posso abrir? – Ela pergunta olhando pro irmão, que afirma.

 

Ela pega devagar e abre, seus olhos brilham ao ver um PS2.

 

_ Gostou?

 

_ Adorei, obrigada. – Ela fala toda contente e sai correndo pra cozinha pra mostrar para a mãe.

 

_ Isso é traição teme, ela nem vai ligar pra meu presente agora depois de ganhar um presente desses.

 

_ Você ainda não deu o presente a ela?

 

_ Não.

 

_ Então para de cena. Ela vai gostar mais do seu, tenho certeza, até porque você é o irmão dela, e ela te ama, o seu presente é muito melhor que o meu. Vai lá pegar o presente Naruto.

 

_ Saya, seu irmão também tem algo pra te dar! – Grito e Naruto me fuzila com o olhar, ela volta correndo.

 

_ O que tem pra mim? – Ela pergunta sorridente.

 

_ Vou buscar, já volto. – Ele sai e logo volta com o presente em mãos, vejo seus olhos brilharem.

 

_ Posso abrir? – Ela pergunta quando ele lhe entrega.

 

_ Sim. – E assim ela faz, e sorri muito mais do que quando ganhou meu presente, ela abraça a raposa.

 

_ E então gostou?

 

 _ Amei! Obrigada irmão, vou dormir todos os dias com ela.

 

_ A Kurama vai ficar feliz.

 

_ Kurama? Legal, adorei o nome, me lembra do nosso cachorrinho.

 

_ Por isso mesmo é esse nome, quando se sentir sozinha ela vai estar aqui.

 

_ Queridos vamos comer o almoço está pronto. Oi Sasuke, tudo bom querido?

 

_ Tudo sim dona Kushina, e a senhora como tá? 

 

_ Tudo bem também.

 

 Nós sentamos então e almoçamos como uma família. Como eu gostaria que a minha família fosse assim unida como a do Naruto, mas nem tudo são flores, a vida de ninguém é perfeita, a dele com certeza não é também.

 

Olho pro relógio e vejo que já marca 12:30, já está quase na hora de pôr o plano em prática, e como se alguém me ouvisse, o telefone do Naruto toca e ele atende.

 

_ Alô, Sakura? Tá tudo bem?  Como assim? Assaltada? Onde? Claro, tô indo aí. Não me espera eu vou e volto rápido. – Ele desliga o celular assustado e me olha.

 

_ O que foi? – Pergunto para me dar uma de inocente.

 

_ A Sakura foi assaltada, ta precisando de ajuda. Eu vou lá, você vem?

 

 

_ Eu não, que morra aquela garota, vou ficar mais um pouco com minha pequena aqui que ganho mais.

 

_ Cara você tem uma pedra de gelo no lugar do coração? Ela foi assaltada não é brincadeira.

 

_ Você já vai Naruto, não precisa de mim também, e pense o que quiser.

 

_ Ok. Mãe eu vou lá ver minha amiga, mas eu volto rápido tudo bem? 

 

_ Claro filho, vai lá, só cuidado tá? 

 

_ Claro, eu volto tá bom Saya?

 

_ Sim.

 

Naruto sai correndo depois disso, eu dou mais uns minutos conversando com dona Kushina, e essa é a minha deixa.

 

_ Dona Kushina, eu queria lhes mostrar um lugar muito importante pra mim vocês se importariam de ir comigo?  É pertinho.

 

_ Mas e o Naruto?

 

_ Eu mando uma mensagem, ele nos encontra lá.

 

_ Tudo bem então, deixa só eu trocar de roupa.

 

_ Claro, troque a Saya também, botem uma roupa bem bonita, quero tirar umas fotos, e o lugar é lindo.

 

_ Ok.

 

*Sakura*

 

_ Sakura? Tá tudo bem? Fizeram alguma coisa com você? – O Naruto chega afobado, e tadinho fiquei com dó dele todo preocupado assim comigo.

 

_ Eu tô bem, só me ajuda a ir pra casa da Ino, não é longe, eu não quero ir sozinha.

 

_ Claro, mas se te assaltaram como não levaram seu celular também?

 

_ Levaram a bolsa o celular não estava lá, graças a Deus.

 

_ Vamos então. – chegamos até a porta e eu toco a campainha, logo Ino vem abrir.

 

_ Sakura o que ouve? – Pergunta minha amiga, essa tem talento para atriz.

 

_ Ela foi assaltada. – Naruto fala por mim e eu pisco para Ino.

 

_ Ah meu Deus, entrem ai. – Ela nos puxa pra dentro fechando a porta, Naruto fica embasbacado com tudo que vê.

 

_ O... Que... Que… é... Isso? – Ele pergunta gaguejando.

 

_ Nós fizemos uma festinha surpresa pra sua irmã. – Diz Hinata surgindo na sala.

 

_ Porque fizeram isso?

 

_ Porque nós queríamos fazer ué. – Digo sorrindo e ele me olha, vejo seus olhos me fuzilarem.

 

_ Tudo isso foi armação não foi? Essa história do assalto?

 

_ Bem, foi só uma forma de te trazer aqui.

 

_ Vocês acham que eu ou minha irmã precisamos de esmolas?

 

_ Claro que não Naruto, não é esmola, é o nosso presente pra ela. Só isso.

 

_ O teme tá envolvido nisso não está? Por isso não quis vir, já sabia que era armação.

 

_ Ele só se envolveu porque nós pedimos a ele, não é culpa dele.

 

_ Quem inventou essa palhaçada?

 

_ Eu – diz Hinata e seu olhar dizia que queria socar ele. – Eu Naruto, eu inventei porque eu quis, e chamei os outros que aceitaram e sabe por quê? Porque nós somos seus amigos e queríamos fazer isso, e ela com certeza vai gostar, então não é uma palhaçada, todos nós demos duro pra fazer isso, então para de cena e aceita a porcaria da festa.

 

Todos nós a olhamos embasbacados. Hinata quase nunca alterava a voz, mas quando fazia, puta merda, só Jesus pra salvar.

 

_ Tudo bem, mas só dessa vez. Nunca mais façam nada assim pelas minhas costas, eu não gosto disso.

 

_ Combinado, agora tira essa cara feia da cara.

 

_ Tá bem, obrigado então. Mas deixo claro que vou pagar o que vocês gastaram.

 

_ Ah porra de novo não Naruto, sossega teu facho merda, é tão difícil assim aceitar um presente? E não diga que é esmola ou eu vou socar a sua cara.

 

_ Calma aê Sakura, pega leve não precisa partir pra agressão.

 

_ Então não começa de novo e aceita isso de uma vez.

 

_ Ok.

 

_ Certo, você tem alguns minutos pra convidar mais alguns amigos da Saya, veja quem o Sasuke não conhece ou não tem contato, e pode convidar.

 

_ Aquele traíra, agindo pelas minhas costas. – Ele diz e cerra os punhos. Algo me diz que quando o Sasuke aparecer ele vai criar problemas, Deus queira que eu esteja errada – Vou ligar aqui. – Ele fica no celular e várias pessoas vão chegando como combinado, então recebo uma mensagem do Sasuke avisando que está chegando, nos preparamos, apagamos a luz e então ouvimos a voz do Sasuke.

 

_ Calma tia Kushina, não precisa ficar nervosa.

 

_ Moleque se você me meter em problemas vai se arrepender.

 

_ Nossa, sua confiança em mim me assombra.

 

_ Acha que é uma boa ser sarcástico comigo nesse momento Sasuke?

 

_ Tá bom, tá bom, não tá mais aqui quem falou, e chegamos.

 

_ Chegamos onde?

 

_ A senhora vai ver. – Ouvimos ele dizer e a porta sendo aberta, continuamos em silêncio até o Sasuke ir até o interruptor e parar esperando as duas entrarem.

 

_ Podem entrar por favor?

 

As duas entram então ele acende a luz e todos nós gritamos.

 

_ SURPRESA. – E elas ficam com os olhos arregalados olhando para a gente até seus olhos bateram em Naruto e parar com certeza buscando uma explicação.

 

_ O que ta acontecendo Naruto?

 

_ Ah bem, meus amigos loucos inventaram essa festinha pra Saya.

 

_ Mas tudo isso é muito caro Naruto.

 

_ Eu sei mãe, eu disse, mas quem disse que me ouviram, eles caçam dinheiro, disseram que não é nada pra eles e claro só me contaram isso agora também, mas já que esta tudo pronto não vamos desperdiçar.

 

_ Mas Naruto…

 

_ Mamãe essa festa é pra mim? – Pergunta Saya saindo do devaneio, fazendo mãe e filho olharem pra ela e verem seus olhinhos brilhando, não poderiam tirar isso dela.

 

_ É sim nanica, aquelas moças ali que preparam pra você. – Diz Sasuke apontando pra Ino, Sakura e Hinata que lhes olhavam sorrindo.

 

_ Sério?  Então você também ajudou?

 

_ Só um pouquinho, a maior parte foram elas mesmo.

 

_ Obrigada. – Ela diz e pula no pescoço do Sasuke que no susto quase vai ao chão, as meninas gargalharam achando aquela cena linda, mas sem deixar de ser engraçada, então ela solta Sasuke dando um beijo na bochecha dele, e sai em disparada na direção das garotas, todos estranham a reação da menina, incluindo seu irmão e sua mãe que sabem que a garota não é assim para estranhos. – Obrigada, eu sempre quis uma festinha.

 

Ela se joga em Hinata que pelo susto também a abraça e dá um beijo em sua bochecha, então ela solta Hinata e se vira pra Sakura, quando pensa em abraçá-la Sakura estende a mão, ela segura então é puxada para um beijo na bochecha enquanto todos a olham.

 

_ Que foi? Eu não curto abraços.

 

_ Nossa, você e o Sasuke-kun são namorados?

 

_ Que? Não Saya, claro que não, não somos nem amigos.

 

_ Hn, por enquanto. – Ela se vira pra Ino que sorri.

 

_ Eu adoro abraços. – Ela fala e abre os braços, Saya se joga nela abraçando e então volta pra junto da família sorrindo.

 

_ Sasuke-kun?

 

 _ Oi.

 

_ Sua namorada é linda.

 

_ Que? Que namorada Saya?

 

_ A de cabelos rosa.

 

_ Cruz credo, Deus me livre desse mal. – fez sinal da cruz.

 

_ Se você tá dizendo, fazer o que.

 

_ Saya, temos algo pra você – diz m as meninas se aproximando deles.

 

_ O que acha? – Pergunta Hinata sacudindo uma fantasia de dálmata pra ela.

 

_ Mamãe, mamãe, é um dálmata eu posso?

 

_ Claro filha. – Ela diz e a menina corre para pegar a fantasia, Ino mostra um quarto para ela se trocar.

 

_ Teme, vamos ali fora um pouquinho?

 

_ Pra que?

 

_ Quero falar com você.

 

_ Tudo bem.

 

Os dois se movem em direção a porta, Sakura toca o braço de Hinata.

 

_ Que foi?

 

_ Aquilo ali vai dar merda. – Ela aponta para os dois saindo.

 

_ Puta merda, ele vai descontar a raiva nele.

 

_ Quem? – Pergunta Ino ao chegar e as duas apontam pra porta e ela arregala os olhos.

 

_ Vamos lá não podemos deixar isso acontecer.

 

As três saem do apartamento e ficam escondidas atrás de uma pilastra se as coisas esquentarem elas interferem.

 

_ O que quer naruto? – Pergunta Sasuke, curto e grosso, ele já sabia onde aquela conversa ia chegar.

 

_ Você é um desgraçado, como pode agir pelas minhas costas desse jeito? 

 

_ Fiz pela Saya, o que interessa é que ela gostou. Tô pouco me fodendo se você gostou ou não você, é muito orgulhoso para aceitar ajuda.

 

_ Ora seu… tenho vontade de lhe quebrar a cara.

 

_ E o que está esperando? – Naruto se aproxima para lhe dar um soco, mas as garotas foram mais rápidas se pondo a frente dele fazendo ambos arregalaram os olhos.

 

_ Só vai bater nele se passar por cima da gente. – Diz Ino e seu olhar era o mais ameaçador possível.

 

_ Não acredito que estão defendendo ele. – Diz Naruto o que faz as três ficarem com mais ódio ainda.

 

_ Porque não, Naruto? Já te disse que eu inventei isso e envolvi os outros, incluindo ele, então se quer bater em alguém bate em mim então porra. - Hinata diz mais irritada o possível e Naruto da um passo atrás.

 

_ Eu não bato em mulher.

 

_ Ah mais eu vou bater em você se não parar com a frescura, nós fizemos isso na melhor das intenções e é assim que você agradece? Querendo bater no seu amigo? Sakura dá um passo na direção dele.

 

_ Porra Sakura, até você? Pensei que odiasse o teme.

 

_ E eu odeio, mas dessa vez você está errado, não vou te apoiar nisso. Então como vai ser?

 

_ Eu agradeço a ajuda, mas um soco não vai me matar não, deixa ele bater, pelo menos assim ele vai sossegar o facho dele.

 

_ Cala a boca filhote de urubu, eu já disse como vai ser, tô esperando o Naruto decidir o que ele quer, caso não saibam sou faixa preta em karatê. Então Naruto vai se acalmar ou prefere que eu faça isso a força?

 

_ Tá legal eu desisto, teme arrumou uma protetora e tanto, então não, não quero perder uns dentes vamos voltar para a festa.

 

_ Ótimo, assim é muito melhor mandou bem Sakura.

 

_ Obrigada, eu sei que sou demais. Agora vamos voltar que a Saya já deve estar atrás de vocês dois.

 

Eles voltam para a festa e logo veem a Saya saltitando para um lado e pro outro com aquela fantasia, ela estava uma gracinha e seus olhos brilhavam.

 

_ Diz agora que isso é uma palhaçada Naruto. – Retruca Ino, Naruto sacode a cabeça.

 

_ Nunca vi ela tão feliz assim, obrigado gente. – diz com um sorriso bobo no rosto.

 

_ Só aquela pirralha pra amolecer esse cabeça dura. – Diz Sasuke sorrindo.

 

_ Nós dois né teme, ela nos faz de gato e sapato.

 

_ Pior que é.

 

_ Irmão eu quero uma coisa? – Chega Saya ainda saltitante e ele se abaixou para ficar de seu tamanho.

 

_ O que?

 

_ Quero que cante pra gente, eu disse pras minhas amigas que você canta muito bem, mas elas não estão acreditando.

 

_ Sério? Vamos mostrar pra ela que é verdade então né teme? – Diz Naruto olhando para Sasuke que nega com a cabeça.

 

_ Que? Eu? Eu não dobe, me tira dessa. – Ele nega e fecha a cara.

 

_ Por favor Sasuke-kun, eu quero ouvir vocês cantarem. – Saya pula em cima de Sasuke que suspira.

 

_ Tudo bem, eu canto também, o que quer ouvir? – Ele diz rendido e tira um riso de todos ao redor.

 

_ Eu disse que só a Saya pra dobrar esse coração de gelo.

 

_ Cala a boca dobe.

 

_ Ah para teme, vamos logo o que quer ouvir Saya?

 

- Não sei, qualquer coisa – dei de ombros – mas que mostre seu talento Naruto, e o seu também Sasuke-kun.

 

- Saya, se importa se eu cantar também? – Ino pergunta.

 

- Sabe cantar?

 

- Sei sim.

 

- É, ela sabe – a voz de Gaara – desculpem a demora, só pude vir agora. Você é a Saya certo? – ela assentiu – sou Gaara.

 

- Você é muito bonito Gaara – sorriu.

 

- Obrigada.

 

- Ei o que é isso? – Naruto se intrometeu – e eu, não sou bonito?

 

- Não. Você é lindo irmão. Agora vai cantar, pra eu mostrar paras a minhas amigas que além de lindo você canta bem também. Ah Sasuke-kun, me pediram pra pedir pra você dar seu numero pra minha amiga – Naruto caiu na gargalhada.

 

- Vai rindo Naruto, vai. – Sasuke lhe deu uma cotovelada. – desculpe desapontar sua amiga, mas eu não sou nenhum pedófilo.

 

- Tá, eu não iria deixar mesmo. Mas e aí, vão cantar ou não? – cruza os braços.

 

- Vamos sim, esperem só um pouco – Ino fala – Hinataaa! – grita.

 

- Que é? – Hinata a responde, se aproximando dos outros, junto de Sakura.

 

- Vamos nos apresentar, você vem?

 

- Eu... bom, pode ser – ergueu os ombros, Saya a abraçou.

 

- E você Sakura?

 

- Eu o que?

 

- Vamos, pega logo um microfone – Ino lhe estendeu um microfone.

 

- Eu não vou cantar, cê vai Gaara? Vamo ficar ali ó – disfarçou olhando para os lados.

 

- Nada disso Sakura Haruno, você vai vir com a gente.

 

- É Sakura, o que custa? – Naruto disse.

 

- Tá, mas eu vou pela Saya – acariciou os cabelos loiros da menina – não porque vocês estão pedindo.

 

 

- Vem Gaara – Hinata empurrou Gaara até o palco improvisado.

 

 

Naruto se posicionou no espaço que eles escolheram, Ino voltou correndo do quarto com um violão na mão, estendendo para Sasuke.

 

- Eu não vou tocar, Ino, dá pro Gaara. – resmungou ele.

 

- Pega isso Sasuke – Ino continuou com a mão estendida.

 

- Você vai tocar sim Sasuke, ou eu enfio esse violão na sua cabeça – Sakura pôs as mãos na cintura.

 

- Meu violão não – Ino abraçou o instrumento.

 

- Não literalmente Ino – Sakura revira os olhos.

 

- O que custa Sasuke? É só uma música, e eu já sei qual vai ser. – Hinata disse pegando o violão da mão de Ino e pondo no colo do moreno.

 

Eles trocaram mais detalhes sobre como iriam cantar, a ordem certa, e o tempo. Por sorte todos conheciam a música.

 

- Eu vou anunciar. Ino porque você tem microfones aqui? – Naruto pergunta.

 

- É meu e de Shion, a gente faz karaokê de vez em quando – sorriu.

 

- Ah, eu quero também, a gente pode marcar um dia, na casa do teme.

 

- Nem pensar, na sua casa, a tia Kushina é mais gente boa.

 

- Tanto faz – deu de ombros – eu vou lá. – se virou para as pessoas ali, seus amigos, parentes, e conhecidos – Oi pessoal. Bom, a pedido da aniversariante, eu e meus amigos, eu acho que posso dizer assim, iremos cantar uma canção. Saya, maninha, espero que goste.

 

Os demais bateram palma, Saya começou a pular ali no meio, puxando suas amiguinhas para bem mais perto de seu irmão.

 

- Vocês vão ver, meu irmão e o Sasuke-kun são os melhores – sorriu animada.

 

Sasuke dedilhou no violão, iniciando a canção, Ino balançava o corpo, esperando sua deixa, que seria a primeira.

 

Ino:

Foi tão mágico o jeito que tomou

O nosso amor

Nosso doce amor

 

Gaara:

Foi um raio que bateu dentro da gente

No nosso amor

Nosso incrível amor

 

O ruivo olhou para Ino sorrindo, ela apenas o ignorou voltando a atenção para Hinata que cantaria a seguir.

 

Hinata/Naruto/Sasuke:

Tudo foi como num sonho

O nosso amor, as coisas não têm tempo

 

E é assim

Assim é

que repete tantas vezes

 

É assim

Assim é

É assim que acontece

Esse amor

 

Naruto:

É tão simples que nem sei como explicar

Nosso amor

Nosso doce amor

 

Sakura:

Vai ser bom não importa o tempo que durar

Quando for

Será o melhor

 

Hinata:

Tudo foi como num sonho

E o nosso amor, as coisas não tem tempo

 

E é assim

Assim é

que repete tantas vezes

 

É assim

Assim é

É assim que acontece

Este amor

Assim é

que repete tantas vezes

 

Saya sorriu abertamente para o irmão e os amigos dele, ambos retribuíram o gesto da menina. Sakura se preparava para o contraste de sua voz, agora, no refrão que repete.

 

Todos/(Sakura):

E é assim

e repete tantas vezes (Háá tantas vezees)

é assim, é assim

é assim que acontece (Que acontecee)

Esse amor

assim é, e repete tantas vezes (Há á tantas vezes)

é assim (Quanto assim) assim é

é assim que acontece esse amor (Esse amor).

 

Sasuke da fim ao solo no violão, todos os presentes aplaudem. Saya correu indo abraçar Naruto.

 

- Você é o melhor Naruto. – o loiro deu um beijo em sua testa, a menina soltou-se do irmão e correu pros braços de Sasuke – Sasuke-kun, você também é o melhor.

 

- Eu sei.

 

- Modesto esse menino – Sakura murmurou.

 

- Eu ouvi.

 

- E a gente? – Ino finge ofensa, Saya as abraçou em um abraço coletivo, elas riram da empolgação dela. Até mesmo Sakura se deixou levar pelo abraço caloroso da garota.

 

- Pessoal isso foi demais – Naruto fala.

 

- É verdade – Ino concordou.

 

- Sakura, – Saya a chama – é verdade que você é filha da Mebuki Haruno?

 

- Sim, quem te disse?

 

- Eu vi numa revista.

 

A menina voltou a correr pela casa, Sakura balança a cabeça sorrindo, os seis arrumaram a pequena bagunça, e logo chegou a hora do bolo. Cantaram parabéns para Saya, ela ficou muito feliz, agradecendo aos amigos de seu irmão, e a ele mesmo.

Cada um pegando seu pedaço de bolo, salgadinhos e essas coisinhas de festa e foram se sentar numa mesa. Naruto, Sasuke e Gaara falavam sobre algum assunto, Hinata e Ino faziam o mesmo, já Sakura encarava o celular com desanimo.

 

- Hey Sakura – Naruto a chama tirando-a de seu transe.

 

- Am?

 

- O que foi?

 

- Nada não – voltou a olhar pro celular.

 

“Desculpe meu amor, mas eu precisei fazer isso, na semana que vem ficaremos o dia inteiro juntas - Mebuki”

 

Algum tempo depois, Naruto e Sasuke vão brincar com Saya, Ino e Gaara somem, ficando somente Sakura e Hinata.

 

- Lacraia, eu ouvi uma conversa da Konan com algumas meninas – Hinata diz atraindo a atenção da rosada.

 

- Conte-me mais – Sakura faz pose de investigadora, cruzando as pernas, unindo as mãos para apoiar o queiro e uma cara séria, que ela não sustenta por muito tempo – Fala logo Hinata!

 

- Bom, eu fui devolver um livro na biblioteca, e ante de eu sair ouvi alguma delas dizendo que queria uma chance com o... Sasuke. – Sakura fez uma careta – a outra disse que preferia o Naruto. Konan disse que tinha uma atração por ruivos, e que preferia o Gaara.

 

Sakura começa a rir histericamente, Hinata fica com uma gota descendo da cabeça.

 

- Eu posso terminar? – Hinata pergunta, Sakura assente parando de rir – e... é isso. O que vamos fazer com essa informação?

 

- É uma informação preciosa. Interessante... muito interessante – Sakura se pronunciou, Hinata encara ela, sacando que a mente brilhante da Haruno tinha pensado em algo. Ela deu um sorriso de canto – e eu já tenho uma ideia maravilhosa sobre o que faremos.

 


Notas Finais


Musica: Nosso amor/RBD.
Link: https://www.youtube.com/watch?v=GImsk7mwkuo

Esperamos que tenham gostado.

Comentem e ate o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...