História Receita para o desastre - Clexa - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


A inspiração veio e acabei por terminar este capitulo antes do tempo!

Capítulo 2 - Cap. 2 - Confusão


Corro pelos corredores da escola, a última semana foi completamente louca, o debate continua a ser o assunto mais conversado em toda a escola. O beijo, aquele terrível beijo que me tem preenchido todos os pensamentos, é o que anda de boca em boca em todas as conversas que consigo apanhar nos corredores. Vim mais cedo para a escola para prepara uma receita que tenho andado a querer testar para o próximo concurso que existir. Todas as competições escolares são importantes e competi em dez desde que entrei na escola, ganhei duas enquanto a Lexa ganhou oito, este é um dos motivos de querer me preparar desta vez.  

Entro numa das cozinhas de preparação sem olhar para nada, o cheiro chega a mim sem aviso, Lexa olha-me com curiosidade enquanto corta algo na tábua de cozinha. Está só com um top e calças, ver o tronco dela assim faz-me voltar a sentir o beijo que quero esquecer, para minha surpresa vejo que fica levemente corada. 

- Desculpa Lexa não sabia que estavas nesta cozinha, vou procurar outra. 

- Não há essa necessidade Clarke, há muitas bancadas, podes ficar... Eu não vejo qualquer problema nisso, excepto se não quiseres estar perto de mim!

- Porque não iria querer estar perto de ti?

- Tens feito um bom trabalho em me evitar esta semana Griffin, quase senti falta das nossas discussões diárias. - Sei que corei, saber que ela notou que fugi dela a sete pés não era algo que estava a contar. - Eu não mordo Clarke!

- Se bem me lembro até que mordes... - As palavras saem da minha boca sem que eu me controle, foram como os gemidos que ela arrancou de mim com aquele beijo. - Só não te quero incomodar!

- Não o fazes não te preocupes...

Ela continua a trabalhar, a nossa conversa pelos vistos terminou, vou para outra bancada em frente dela e começo a preparar as coisas que preciso. Estou concentrada, evito olhar para os movimentos leves que as mãos dela desenvolvem, tudo nela parece ensaiado ao mínimo pormenor e já existiram momentos em que me foi difícil não ficar a observar como ela se mexe com imensa leveza. Os verdes olhos dela estão claros, calmos e concentrados, consigo ver que tem olheiras de quem não dormiu bem e num momento em que se virou de costas para mim vejo que tem uma tatuagem nas costas. Se noutros momentos a achei sexy, um pensamento que sempre me condenei por ter, neste momento sei que quero com todas as fibras do meu ser sentir os lábios dela nos meus e poder tocar-lhe. 

- Estás a observar-me Griffin, gostas do que vês?

- Não sejas idiota Woods, estava só a ver a tua tatuagem, não sabia que a tinhas. - Ela pareceu ficar apreensiva por eu ver a tatuagem, o olhar dela parece saltar entre medo e confusão. - Não tens que falar sobre ela...

- Obrigada... Tens alguma?

- Não mas talvez um dia faça algo.

- Por favor não sejas das genéricas que fazem umas facas ou algo de cozinha! - A gargalhada dela preenche o espaço e sei agora que é a melodia mais bela que já ouvi, estou na bosta isso sim se continuo com estes pensamentos. - Tu és bem mais que uma pessoa básica!

- Então diz lá o que sou Woods? - Cruzo os braços numa posição de defesa, vejo uma sobrancelha dela elevar-se e passa a língua pelos lábios enquanto me olha profundamente, aqueles malditos lábios que me fizeram tremer. - Estás a pensar muito!

- Tu és teimosa, fazes tudo pelas pessoas de quem gostas, acreditas demasiado na paixão e no amor, vais sofrer por causa disso um dia mas acho que mesmo assim vais continuar a ver o teu mundo de uma forma totalmente positiva. - Começa a caminhar devagar para mim enquanto fala, os meus olhos perdem-se no movimento dos lábios dela e o perfume dela chega a mim com a intensidade que eu não consigo controlar. - Tu evitas pensar demais mas passas o tempo todo a pensar nas pessoas de quem gostas, colocas todos acima de ti e isso infelizmente não te vai fazer sempre feliz... E... Sei que tens pensado no beijo que demos!

Antes que eu pudesse dizer o que quer que seja o corpo dela prensou o meu contra a bancada e os lábios dela viajaram para os meus, merda como eu queria que isto acontecesse. A língua logo pede passagem e eu dou sem pensar duas vezes, faço a minha língua dançar com a dela e ouço um gemido escapar-lhe dos lábios. O meu corpo treme com a excitação crescente, sinto as mãos dela na minha cintura descerem até as minhas coxas antes dela me levantar e sentar na bancada, todo o meu corpo pede mais contacto. Faço as minhas mãos passearem pelas costas delas, as unhas arranham levemente e ela geme outra vez na minha boca... Se já gosto da gargalhada dela começo a adorar os gemidos roucos que solta!

Tenho a Lexa Woods entre as minhas pernas, com as mãos a agarrarem as minhas coxas com desejo enquanto me beija louca e descontroladamente. Merda... O que estou eu a fazer? Entre gemidos e o desejo de a sentir cada vez mais perto de mim eu estou a perder a cabeça e o ar, afasto-a levemente para respirar porque os meus pulmões já estão a pedir. 

- Isto significa que também pensaste no nosso beijo? - Ela ri baixo enquanto a sua respiração descompassada se começa a acalmar tal como a minha, temos as testas juntas e os nossos narizes tocam-se levemente de forma carinhosa. - Nem tentes negar Woods!

- Não ia negar Griffin, pensei no nosso beijo e queria repetir... Queria ouvir os teus gemidos roucos que me deixam levemente louca!

- Também gemes muito bem... - O telemóvel dela começa a tocar e ela faz um leve movimento para se afastar de mim, não quero que o faço a prendo-a com as minhas pernas enquanto faço a minha boca começar a percorrer o seu pescoço esguio. O cheiro dela mexe com todas as células do meu corpo! - Não te afastes...

- Deve ser a Anya ou o Aden a perguntar em que cozinha estou, eles ficaram de me vir ajudar a rever o menu para o evento que temos. Acho que eles vão achar estranho se nos encontrarem assim, não que eu me queixe de estar entre as tuas pernas e sentir os teus lábios no meu pescoço. 

- Hum... Também não me queixo nada de ter a boca no teu pescoço. - Entre beijos, ligeiras mordidelas acabo por começar um chupão leve, o corpo dela puxa o meu e geme com um certo descontrolo. 

- Griffin espero que isso não me marque! Preciso mesmo que me deixes atender o telemóvel antes que sejamos apanhadas nesta posição difícil de explicar...

Vejo Lexa a afastar-se de mim, atende o telemóvel mas mantém os olhos em mim, aquele verde parece ter a capacidade de me fazer perder a razão. Ouço-a conversar com alguém enquanto desço da bancada e volto a minha pouca atenção para o que antes estava a fazer, poucos minutos depois ela faz o mesmo. Não falamos sobre o que aconteceu, não há nada a falar, já mostramos tudo. 

- Lex trouxemos café! - Aden e Anya entram na cozinha sorridentes, olham para mim com surpresa mas não parecem minimamente interessados em saber porque estou ali. - Quais as ordens comandante?

- Aden trata das entradas enquanto eu e a Anya dos dois pratos e da sobremesa...

Os três começam a trabalhar como se eu nem estivesse ali, é realmente interessante ver como são uma equipa tão coesa, parecem sentir a proximidade e saber os movimentos como se fossem uma só pessoa. Fico uma hora entre os observar e tratar das minhas coisas, Lexa vestiu uma jaleca e eu não consigo evitar pensar como será bom despi-la e voltar a sentir o corpo dela tão perto do meu. Estou oficialmente perdida no descontrolo, que tristeza!

- Loira vamos se não queres chegar atrasada na primeira aula! - Lincoln e Octavia entram na cozinha animados, os olhares deles ficam presos nos três que os observam sem dizer uma palavra. Aproximam-se de mim devagar, como se tentassem evitar ser vistos após uma entrada em tudo ruidosa. - Isto é um campo de batalha ou estamos em tempo de paz?

- Eu e a Lexa estamos aqui já faz duas horas sem nos matarmos por isso penso que seja tempo de paz!

- Isso parece estranho! - Octavia observa-me com curiosidade e sei que mais tarde ou mais cedo vai querer falar. - Arruma as tuas coisas e vamos para as aulas...

Começo a sair da cozinha, antes de fechar a porta vejo que Lexa me observa como se não me quisesse longe, talvez isso esteja tudo na minha cabeça e no fundo os beijos tenham sido simples beijos. Talvez ela não sinta o mesmo que eu sinto sempre que a tenho perto... Talvez isto seja um erro...

O meu telemóvel vibra no bolso, chego perto do resto do meus amigos enquanto o tiro do bolso para ver quem me manda uma mensagem. Não conheço o número quando abro a aplicação das mensagens, ao ler a mensagem não consigo evitar sorrir.

Vem ter comigo ao portão lateral por volta das 16h, vamos passear, prometo só morder se tu pedires! Lexa Woods

Ou talvez isto não seja só do meu lado!


Notas Finais


Não prometo outro capitulo esta semana, o trabalho anda de loucos mas tentarei que na próxima apareçam mais dois.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...