História Recently Divorced - Capítulo 58


Escrita por:

Visualizações 308
Palavras 1.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores ♥

Quero primeiramente me desculpar pela demora, mas eu fiquei sem criatividade nenhuma, porém espero mesmo que gostem do capítulo abaixo.. ♥

Boa Noite

Boa leitura.

Capítulo 58 - It's Good, It's Back.


Point Of View Simon Hill

Em todo esse tempo exercendo a profissão de médico, eu já vi e presenciei vários casos e milagres, pessoas que passaram meses desacordados e que acordou sem nenhuma sequela, pessoas praticamente mortas acordarem do nada apenas com algumas dificuldades, mas o caso do Justin é novidade pra mim, ninguém passa meses num “coma” sem um aparelho respiratório e acorda do nada.

O caso dele foi sim complicado e delicado, porém ele acordou com duas sequelas, sem enxergar temporariamente e infelizmente ele está sem os movimentos das pernas, ainda é cedo para dizer se vai ser para sempre ou se com alguma cirurgia ou fisioterapia ele vá recuperar os movimentos.

Justin estava sonolento por conta do medicamente que eu precisei aplicar no mesmo, foi difícil pra ele receber as notícias sobre seu estado. Estava saindo do quarto dele para avisar os familiares quando Lucy abriu a porta dando passagem para os filhos e acabou vendo seu namorado acordado, só eu sei o quanto essa jovem e os amigos sofreram com o estado do meu paciente.

Lucy chorava ainda parada na porta, enquanto as crianças já estavam perto da cama do pai.

— Podemos conversar Lucy? As enfermeiras cuidam deles por agora.

Ela apenas assentiu e nós seguimos para minha sala como sempre. Dei um pouco de água para ela se acalmar e logo me sentei em sua frente.

— Estava vindo ligar pra você para avisar sobre o Justin.

—Quando ele acordou?

— Têm algumas horas, eu já fiz alguns exames e ele está bem apesar das duas sequelas.

Lucy respirou fundo antes de me perguntar.

— E quais são essas sequelas?

— Justin está com perda da visão temporária e sem os movimentos da cintura para baixo, ainda é cedo pra dizer se uma cirurgia ou terapia resolva ou se ele vai ficar assim pra sempre.

— Certo. E por quanto tempo a visão dele ficará assim? Quando ele poderá ir para casa?

— Não sabemos ao certo, um mês ou pode voltar a qualquer momento. Ele só poderá ir embora quando descobrimos sobre os movimentos dele.

— Tudo bem. Posso vê-lo agora?

Apenas assenti e a jovem se levantou me agradecendo e por fim seguiu o caminho tão conhecido por ela.

Point Of View Lucy Smith

A caminho do quarto do Justin eu me permiti sorrir, sorrir por saber que meu amor finalmente acordou e bem em alguns aspectos é claro, mas o que importa de verdade e que Deus ouviu nossas orações.

Peguei meu celular e disquei o numero do Ryan, foi o único que eu conseguir lembrar.

Ligação ON

— Ryan, venha para o hospital, Justin acordou.

— Lucy, não brinque comigo.

— Estou falando sério Ryan, você sabe que eu nunca brincaria com algo tão sério assim.

— Ai meu Deus. Certo, estou a caminho.

— Ryan, avise a Pattie, não vou conseguir avisar a ela sem antes discutimos.

— Deixa comigo. Até daqui a pouco.

Ligação OFF

Eu não deveria avisar a Pattie, mas acima de tudo ela é a mãe dele e creio que ela se arrependa de ter se distanciado por tanto tempo.

Entrei no quarto e presenciei a cena mas linda da minha vida, os trigêmeos estavam fazendo carinho no Justin enquanto o mesmo sorria emocionado.

— Tem espaço para mais uma nessa cama? Perguntei fechando a porta atrás de mim.

— Sempre haverá um espaço para você meu amor, venha aqui, preciso te sentir. Justin respondeu e colocou as mãos para o alto.

Aproximei-me da cama e segurei suas mãos depositando um singelo beijo na mesma, o que fez Justin sorrir.

— Esse beijo podia ser bem aqui. Ele falou e apontou para sua boca.

Sem esperar nem mais um segundo eu depositei um selinho em seus lábios.

— Eu falei beijo, não selinho Lucy.

— As crianças estão olhando meu bem, depois te beijarei o quanto quiser. Agora me diga como se sente?

— Apesar de não está vendo nem você e nem meus filhos eu me sinto bem sabendo que ainda estou vivo. É verdade que eu estou a um ano desacordado?

— Amor, a perda da visão é temporária e creio que o caso das suas pernas também será, tenho fé. E sim, você ficou um ano desacordado.

— Incrível, eu passei esse tempo todo “dormindo”, mas ouvia claramente a conversa de vocês. Inclusive senhorita, pode me dizer que diabos seria esse tal de Paul?

Oh céus, ele ouvia tudo, tenho certeza que ele escutava tudo que conversávamos e tenho certeza também que a Pattie veio aqui falar algo sobre o Paul.

— Como sabe sobre Paul?

— Digamos que minha mãe veio aqui algumas vezes e me falou sobre ele, inclusive disso que se você tivesse tendo um caso com ele, iria acabar com você.

Acabei rindo do modo que o Justin disse.

— Ainda bem que ela descobriu que ele tem interesse em outra coisa e não em mim.

— Como assim Lucy?

— Digamos que ele estava de olho em você, mas claro que eu já deixei bem claro que você tem dona.

Justin abriu a boca num perfeito O, o que me fez ri. Ele ia me responder algo quando a porta foi aberta e por ela passou Ryan, Cait, Chaz, Chris, Mia e Giu.

Point Of View Justin Bieber

Minha conversa com a Lucy teve que ficar para outra hora já que nossos amigos chegaram e ficaram felizes em me ver, claro que eu também fiquei muito feliz em “vê-los”. Colocamos rapidamente o papo em dia e rimos de algumas coisas que eles contavam enquanto eu tive ausente.

O que mais me deixou triste foi ver quanto tempo eu perdi com meus filhos, eles já estão com um ano, tem noção de quanto tempo foi desperdiçado por causa do Jeremy?

Por falar em Jeremy, eu senti quando o mesmo esteve aqui em meu quarto, ouvir todas as suas palavras e isso foi uma das causas para minhas paradas cardíacas, eu senti medo de que ele fizesse o que havia dito nesse quarto, tive medo que ele machucasse meus filhos e minha namorada como havia prometido.

O fato de não enxergar e de que provavelmente não poderei mais andar não me assusta, claro que quando recebi a noticia fiquei com certo medo de não ser aceito muito bem pela minha família, principalmente pelos meus filhos, mas quando eu os senti perto de mim, com aquelas mãozinhas curiosas eu senti todo medo se esvair  e me senti o homem mais feliz do mundo por finalmente está de volta e poder ter meus grandes amores por perto.

— Alguém teve notícias do Jeremy? Perguntei sem saber ao certo para aonde olhar, já que eu apenas enxergava borrões, espera eu não tava enxergando nada.

— Lucy? Chame doutor Simon, por favor?

— O que está acontecendo Justin?

— Apenas chame ele.

Escutei os passos da mesma e percebi que todos ficaram em silêncio.

— Estou bem pessoal, quero apenas tirar uma duvida com Simon.

Meus filhos ainda estavam sentados a minha volta, eu sentia as mãozinhas brincando com meu cabelo que deveria está grande.

— Está sentindo alguma coisa Justin? Simon perguntou assim que entrou no quarto.

— Apenas minhas vistas que parecem está se abrindo, estou vendo borrões, antes eu não via nada e nem estava sensível à claridade. Expliquei a ele o que estava acontecendo.

— Isso é novo para mim, bom creio que parte do seu cérebro que estava adormecida está despertando aos poucos, ou seja, em algumas horas ou dias sua visão voltará ao normal. Simon parou e colocou aquelas malditas luzes em meus olhos. – Irei pedir para as enfermeiras aplicarem um colírio especial de quatro em quatro horas para ver se te ajuda em alguma coisa.

Apenas assenti e agradeci a ele mais uma vez pelo atendimento e então ele se retirou.

— Agora alguém pode me dizer se já prenderam o Jeremy? Perguntei novamente depois que Lucy ficou ao meu lado novamente.

— Seu pai simplesmente sumiu do mapa, ninguém o encontra em lugar nenhum. Chaz falou em pé em minha frente segundo ele.

— Esse tempo todo se passou e nenhum sinal dele?

— Não, a polícia já está cogitando a ideia de que ele esteja morto ou esteja usando documentação falsa, já que não tem nenhuma movimentação na conta do banco ou da empresa. Lucy explicou calma.

— Tenho certeza que morto ele não está, mas continuemos tomando cuidado, nós não sabemos do que ele é capaz.

Mudamos de assunto, porém infelizmente eles tiveram que ir embora já que o hospital não permitia acompanhantes para um homem da minha idade, mas eles prometeram que amanhã voltariam.

É bom está de volta..

Continua..


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...