1. Spirit Fanfics >
  2. Recomeçar >
  3. Capítulo 37: E os dias passam

História Recomeçar - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


Olá minna! Estou aqui para um novo capítulo, logo sairá um especial Nalu sobre a viajem dele. Resolvi não fazer o especial Stincy, pois a Lucy contou o que tinha acontecido durante o casamento dela e era disso que o capítulo iria se tratar.

Por sorte, eu consegui eu consegui reaver os capítulos que faltam para editar e o que falta para escrever, a minha preocupação no dia foi tão grande que eu me esqueci que eu tenho costume de anotar sobre os capítulos numa agenda, o que é um alívio e mais fácil para eu organizar tudo.

Boa leitura amores!!!

Capítulo 38 - Capítulo 37: E os dias passam


Fanfic / Fanfiction Recomeçar - Capítulo 38 - Capítulo 37: E os dias passam

Capítulo 37: E os dias passam


A noite passa tranquilamente, cheia de conversa, risos, músicas, com Natsu brincando com as irmãs e as sobrinhas e Lucy conversando com Mavis e Grandine. O jantar e o bolo surpresa, fora calmo animado e muito divertido.

Após toda aquela folia, o casal voltava para casa num silêncio reconfortante ao pensar, Natsu em como pedir Lucy em casamento e na guarda da menor e Lucy em como seria o convívio deles como a menor.

Lucy sorria boba ao olhar pela janela, o jantar com a família de Natsu fora muito divertido, leve, descontraído, eles haviam recebido a loira de braços abertos.

– A Eliza vai amar brincar com as primas e as tias. – Lucy pensa alto.

– E elas com a nossa pequena. – Natsu sorrir e bagunça os cabelos da loira, que cora envergonhada. – Chegamos meu amor.

– Hai. – Ela sorri e os dois sobem juntos.

Ao chegarem ao apartamento Nat se joga no sofá e Lu se deita ao lado do rosado, que puxa ela mais para si e a abraça forte e carinhoso.

– Te amo muito. – Natsu se declara apaixonadamente ao olhar no fundo dos olhos de Lucy.

Lucy sorrir tímida, Natsu sussurra vários “Eu te amo”, enquanto ele se aproximava lentamente da loira sem desviar o olhar do olhar dela, o qual estava fixo no seu.

Os dois sorriem e por fim o rosado sela seus lábios nos da loira, o que espallha uma sensação eletrizante percorrer pelo corpo de ambos fazendo-os fechar os olhos e iniciarem um beijo lento, cheio de amor e carinho. A sensação terna e amorosa que o beijo proporciona a ambos era incrível, eles ficaram naquele beijo calmo e carinhoso até o ar fazer falta.

Natsu se separa da loira e cola sua testa na dela, mas não demorou para Lucy voltar a tomar os lábios do rosado para si, o novo beijo fora lento, porém não demorou muito para ele se tornar mais profundo, mais intenso, e sem dúvida, muito mais desejoso por parte dos dois.

O beijo junto ao toque lento e suave sobre o corpo um do outro fazia Natsu e Lucy se arrepiarem e gemerem baixinho.

Aos poucoquinhos o clima entre o casal ia esquentando cada vez mais, fazendo-os querer mais do que beijos e carícias.

Então, Natsu puxa a loira para se eles se sentarem no sofá e logo ele puxa Lucy para ela se sentar em seu colo, onde ela entrelaça suas pernas.

– Lucy. – Natsu a chama baixinho ao se separar da loira. – Eu...

– Shii... – Ela coloca o dedo indicador na boca dele. – Não fala nada. – Ela sorrir terna. – Apenas vamos.

Natsu assente sorridente e torna a beijar a loira, que o corresponde na mesma hora. O rosado se levanta e entre beijos e carícias ele caminhava até o seu quarto.


***

# Tempo passando

2 dias depois:


Num escritório de advocacia, Lucy e Natsu se encontraram com a advogada para tratar da adoção de Eliza e da permissão de viagem, a qual aconteceria amanhã pela manhã.

– Aqui está. – A advogada entrega um envelope para o casal. – O juiz autorizou a saída de vocês por quatro dias somente.

– Tudo bem. – Lucy sorrir calma. – E sobre a adoção da nossa pequena?

– Teremos uma audiência daqui a um mês e meio. – A advogada diz olhando uns papéis. – Assim que vocês chegarem de viagem vocês passarão por uma entrevista individual com a psicóloga e quinze dias depois vocês passarão por uma avaliação com a assistente social e dois dias antes da audiência vocês passarão por mais uma entrevista com a psicóloga, só que dessa vez como um casal.

– Certo. – Eles concordam.

– Mais alguma coisa?

– Queremos saber quando poderemos ver a pequena. – Nervoso, Natsu aperta a mão de Lucy.

– Eu irei falar com o juíz e assim que eu tiver resposta eu aviso a vocês. 

O casal se entreolhou e sorriu um para o outro ao concordarem para a advogada. O restante do dia fora dedicado para eles a organizar a viajem.

***

5 dias depois:

A luta para adoção de Eliza enfim havia começado. Primeiro fora a sessão com a psicóloga, Natsu tirou de letra a etapa, pois seu conhecimento na área, já que o mesmo era psicólogo, só que ele era especialista na área criminal, além disso o rosado também havia passado por terapias, o que o ajudou muito naquela hora.

Muito diferente de Lucy, pois para a loira a sessão tinha sido assustadora e para lá de perturbadora, pois ela morria de medo de psicólogos, um trauma que ela adquiriu com a convivência com seu pai e com Sting.

Contudo, a loira enfrentou aquele desafio com muita garra, apesar do medo que sentira. Não seria aquele detalhe que impediria a loira de adotar a pequena.

Dias após a entrevista, Lucy vendeu todas as ações e todas as empresas que herdara com morte do loiro para o pai e o irmão de Natsu e mais três empresários sócios de Igneel e Zeref.

Com a bolada que havia ganhado com a venda da empresa e das filiais a loira comprou uma casa bem espaçosa para ela e Natsu morarem com a pequena. Além de ajudar Erza e Levy com os enxovais e doar uma quantia para algumas instituições filantrópicas, as quais ajudavam pessoas que precisavam.

O casal resolveu fazer um almoço com a família de Natsu e o amigos deles para comemorar a compra e a entrega da casa mais duas grandes novidades.

No almoço de domingo Natsu e Lucy anunciaram as duas grandes novidades, a primeira era sobre a adoção de Eliza e a segunda sobre o noivado deles. As novidades que foram bem recebidas pela família e amigos do casal que deram o maior apoio a eles.

Com o apoio de Natsu Lucy começou a fazer terapia para ajudar a loira com os traumas. Lucy e Natsu visitaram a pequena diversas vezes, o juiz havia determinado que a loira e o rosado poderia visitar a menor uma ou duas vezes por semana.

Eliza sempre se animava ao ver Lucy e Natsu, ela sorria animada, brincava e dava alguns passinhos ao lado do casal e chorava muito quando a menor via eles irem em bora do orfanato.


~•~1 mês e meio depois~•~


Lucy estava uma pilha de nervos, ela mal pregara os olhos a noite ao lado de Natsu, que estava na mesma pilha de ansiedade que a mulher. Eles estavam no fórum, sentados numa cadeira, apenas esperando a audiência que seria dentro de poucos minutos começar.
Eles foram chamados e entram acompanhados da advogada e se sentaram cada um em uma cadeira na enorme mesa de madeira rústica, com o juiz sentado na dianteira da mesa.

– A corte está em seção. – Enuncia o juiz. – O processo de adoção da menor Eliza Setsari por Lucy Heartfilia e Natsu Dragneel a pedido da falecida mãe da menor, a senhora Anna Setsari. – O homem de meia idade lia um papel. – Eu analisei o pedido da mãe a história, a convivência de ambos com a menor, além de analisar os relatórios dos psicólogos e da assistente social. – Ele põe os papéis na mesa. – E eu não vejo nenhum impedimento para negar a guarda ao casal. – Lucy e Natsu sorriem um para o outro. – A partir de hoje a guarda e a tutela da menor Eliza Setsari está em posse de Natsu Dragneel e Lucy Heartfilia.

Natsu e Lucy se abraçam aliviados e felizes com a notícia, logo a assistente social, aquela que havia levado a pequena deles lá no hotel, entrara com a pequena em seus braços. Eliza ao ver Lucy e Natsu começa a sorrir e a estender os braços para casal ao chamá-los de mamãe e papai, palavras que emocionou ainda mais o casal. Que pegou Eliza nos braços e a abraçou.

***

Dias depois em algum lugar de Magnólia:

“Aquela loira maldita, ela irá me pagar caro por tudo que ela me fez!” – Um ser deitado numa cama com um braço quebrado resmungava. – “Aproveite a sua felicidade, enquanto você pode Lucy Heartfilia.” – Ele olha friamente para uma foto. – “Pois logo ela não passará de uma boa lembrança em seu leito de morte.”. – O ser maligno gargalhava alto ao olhar uma foto da loira ao lado do rosado e uma pequena de cabelos castanhos no braço do rosado.

Continua...


Notas Finais


Até a próxima amores!!!
Espero que tenham gostado!!!
Se cuidem!!!

Beijinhos Docces!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...