História Recomeço - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Neymar, Philippe Coutinho, Thiago Silva
Personagens Thiago Silva
Tags Alisson Becker, Copa 2018, Thiago Silva, Thialisson, Yaoi
Visualizações 445
Palavras 1.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI MEUS NENÊS. A relação Thialisson vai ser uma coisa meio complicada, antes deles realmente começarem a ficar juntos. De certa forma, a história deles representa um longo período de friendzone da minha vida. enfim, APROVEITEM O CAPÍTULO!

Capítulo 4 - Estou aqui


Fanfic / Fanfiction Recomeço - Capítulo 4 - Estou aqui

Eu estava frustrado, chateado, mas não conseguia culpar Thiago ou até mesmo Gabriel. A culpa era toda minha, simplesmente por não conseguir controlar o que eu sinto.

Não tive vontade de sair do quarto, por isso, passei o resto do dia anterior descansando, enquanto assistia algumas coisas na televisão. Por falta de opção, ao acordar no dia seguinte, tive que ir ao treino. Estávamos prestes a finalizar a primeira parte, antes de seguirmos viagem para a Inglaterra.

Pô, Alisson, presta atenção! — Tite gritou para mim, pois eu havia me distraído quando a bola foi chutada para dentro do gol. — Coloca essa cabeça em campo.

— Foi mal. — eu disse, chutando a bola em seguida.

De fato, eu não queria estar ali. Minha cabeça estava confusa demais para que eu prestasse atenção ou conseguisse dar o meu melhor no treino. No fundo, eu tinha total noção de que não poderia vacilar, pois o posto de goleiro titular, era muito importante.

Um apito soou pelo ambiente. Respirei aliviado, pois o treino havia chegado ao fim. Peguei a garrafa d’água que estava ao lado da trave e bebi o líquido transparente.

— Você ‘tá bem? — afirmei com a cabeça, quando Casemiro perguntou. — Cê ‘tava meio aéreo, aconteceu alguma coisa?

— Preocupação. — dei de ombros, enquanto caminhávamos para o vestiário.

— Mas se você ‘tá tão preocupado, não deveria ter se concentrado no treino? — ele perguntou, certamente desconfiado. — Mentira tem perna curta.

— Eu só não estou num bom dia, beleza? — peguei minhas coisas, com a intenção de tomar banho e voltar ao hotel o mais rápido possível. — Preciso esfriar a cabeça.

— Se precisar conversar, é só me chamar. — Casemiro deu um leve tapa em meu ombro, antes de sair de perto de mim.

A última coisa que eu queria, era misturar o futebol com os meus sentimentos amorosos. Uma coisa atrapalhava a outra e eu, deveria saber separa-los. Eu simplesmente não podia prejudicar um grupo por conta dos meus caprichos.

Thiago estava se aproximando de mim, mas eu logo tratei de sair o mais depressa possível dali.

— Alisson! — ele chamou, mas eu não tive coragem de olha-lo. — O que ‘tá acontecendo?

— Eu preciso tomar banho. — respondi, quando finalmente encarei-o. — Só isso.

— Eu só quero entender o que aconteceu ontem, por favor. — ele pediu. Meu coração amoleceu, pois não era muito fácil resistir ao seu olhar.

Aquele olhar que em tão pouco tempo, fez a minha cabeça transformar-se numa bola de neve, fez os meus sentimentos darem um nó, o qual eu não fazia a menor ideia de como desatar.

— Você não precisa entender, justamente porque absolutamente nada aconteceu. — eu disse, tentando arrumar algum jeito de sair dali. — Eu só preciso tomar banho e descansar.

— Você ‘tá assim por causa de ontem? — ele me puxou, para que os nossos companheiros não escutassem a nossa conversa. Foi uma coisa meio inútil, pois Gabriel estava nos encarando, mesmo que de longe.

— Seu namo... Ele não vai gostar de te ver aqui. — indiquei com a cabeça, mas Thiago pareceu não se importar. — Cara, na boa, eu não ‘tô chateado ou sei lá.

— Já que você não ‘tá chateado, mais tarde eu vou no seu quarto, pra gente conversar.

Eu estava numa sinuca de bico; eu queria passar algum tempo com Thiago, mas eu não queria. A cada segundo que eu passava com ele, mais os meus sentimentos por ele iam desabrochando e isso era péssimo, especialmente naquela situação.

— Só não leva o chaveirinho.

Dito isso, caminhei para longe de Thiago, torcendo para que ele não me interrompesse. Eu precisaria de muita ajuda e muita sanidade pra dar conta de tudo aquilo.

[...]

A hora estava demorando para passar e meu estômago estava dando voltas incansáveis. Eu estava ansioso e mesmo com o ar condicionado ligado, as minhas mãos estavam suando.

— Ah, oi. — falei, quando abri a porta e vi Thiago.

— Você já comeu? — ele perguntou e eu neguei com a cabeça. Eu não tinha conseguido comer. — Eu trouxe pizza.

Abri um pouco mais a porta e pude ver a caixa branca que ele carregava consigo. Um sorriso estava estampado em seu rosto, parecia que ele havia recebido a melhor notícia de sua vida.

— Entra aí. — eu disse, antes dele entrar no quarto. Fechei a porta em seguida. — Acho que pizza não faz parte da nossa dieta de atleta.

— É por isso que eu ‘tô feliz. Ás vezes é bom burlar as regras. — ele sorriu e se sentou na cama. — E nós não vamos morrer se comermos pizza por uma noite.

— Se eu passar mão, a culpa vai ser toda sua. — falei, enquanto pegava duas latas de refrigerante, que estavam no frigobar.

— Não sabia que eles deixaram ficar com os refrigerantes. — ele abriu a pizza e o cheiro rapidamente invadiu o quarto.

— Eles não deixaram. — dei de ombros e recebi um sorriso de Thiago. — São apenas detalhes.

— Tá melhor? — perguntou e logo levou um pedaço de pizza até sua boca. Acompanhei seus movimentos e logo me arrependi, pois ele com certeza havia notado.

— Eu sempre estive bem. — respondi, tentando parecer despreocupado com aquela conversa. Peguei um pedaço da pizza e mordi; fazia muito tempo que eu não comia algo tão bom quanto. — É uma preocupação desnecessária.

— Se eu te fizer uma pergunta, você vai ser sincero? — receoso, eu afirmei com a cabeça. — Você ficou assim por causa do Gabriel?

— De novo essa pergunta? — movi a cabeça negativamente e bebi um gole do refrigerante.

— Você me prometeu sinceridade.

— Se você quer saber, eu não fiquei bravo ou algo do tipo, só fiquei incomodado com a situação. Você disse que nós dois iriamos ao clube e quando eu chego na recepção, tem alguém a tira colo. — solte tudo de uma vez, sem nem me dar conta do que estava falando. — Além do mais, você simplesmente voltou com ele, como se ele não tivesse te magoado ou sei lá. Qual o sentido disso?

— Ele me beijou.

Uau, Thiago, uau! Depois de tudo aquilo que você me disse durante o almoço, você simplesmente o beijou e voltou com ele.

— O que você quer que eu te diga? Parabéns?! — irritado com a situação, soltei um riso irônico. — Eu não quero saber o que aconteceu!

— Alisson, por que você ‘tá me tratando desse jeito? — ele largou a pizza e passou a me encarar.

— Por que eu... — gosto de estar com você. — Eu não quero que você se magoe mais, Thiago. Você precisa esquecer ele e focar em outras coisas.

— Eu não sei se consigo. Eu preciso de ajuda, preciso me afastar. — ele falou, parecendo desesperado com a situação.

— Estou aqui, pra te ajudar. — disse eu, mesmo sabendo que iria me arrepender.


Notas Finais


ALISSON, DÁ UM BEIJÃO NA BOCA DELE E FAZ ELE ESQUECER O GABRIEL. Alissinho vai sofrer na friendzone, oh dó. ATÉ AMANHÃ, MEUS DENGOS ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...